Você está na página 1de 1

As clulas do epitlio nasal contm clios que ondulam em ritmo uniforme, cuja funo facilitar o movimento do muco, da cavidade

e nasal para a nasofaringe e para o trato gastrointestinal. Esse efeito combinado denominado depurao mucociliar. Barreiras absoro de frmacos pela via nasal: camada de muco (expessura de 5 a 20um) formado por gua, enzimas e glicoprotenas (caracterstica viscosa do muco e responsveis pela reteno de partculas estranhas, que so levadas ao trato GI). Qualquer formulo deve ser capaz de superar o muco para que o PA seja absorvido, ao mesmo tempo que ele deve permanecer na regio por um tempo suficiente, permitindo a liberao e a absoro do frmaco. Para isso, a depurao mucociliar dever ser suprimida de forma mnima e temporria. O muco rico em enzimas, com as enzimas do citocromo P450. Frmacos com baixa massa molecular (100 Da) so absorvidos pela via nasal mais rapidamente que pela via oral. Provavelmente, os frmacos so absorvidos pela via nasal atravs da difuso pelos canais aquosos existentes entre as clulas. Isso se aplica para substncias hidrossolveis. As substncias mais lipoflicas so transportadas por partio pela membrane das clulas da mucosa nasal e por difuso por essas clulas, porm, a uma velocidade menor que os canais intercelulares aquosos. Existem evidncias da existncia de transporte ativo para diversos aminocidos. Porm, frmacos com massa molecular de at 1000Da devero ter uma biodisponibilidade sistmica relativamente boa, sem que haja participao de promotores de absoro. Tais promotores podem elevar a massa molecular crtica para absoro para cerca de 6000Da.