Você está na página 1de 22

Aula de hoje: partidos políticos e

sistemas partidários em Maurice


Duverger e Giovanni Sartori

Referências:
DUVERGER, M. Sociologia dos partidos políticos. In: GURVITCH,
G. (Org.). Tratado de Sociologia, vol. 2. São Paulo: Martins Fontes,
19--. p. 11-35.
DUVERGER, M. (1980). Os partidos políticos. 2 ed. Brasília: UnB.
SARTORI, G. (1982). Partidos e sistemas partidários. Brasília: UnB.
SARTORI, G. (1996). Engenharia constitucional; como mudam as
constituições. Brasília: UnB.
Duverger X Sartori
Introdução: Quem é Maurice Duverger

 Trata-se de um dos mais importantes


cientistas políticos do século XX, ainda
vivo;

 Autor de vários trabalhos importantes


sobre o tema das instituições políticas:
 Os Partidos Políticos (título original: Les Partis Politiques, 1951);
 Ciência Política: Teoria e Método (título original: Methodes de la
Science Politique, 1959);
 As Modernas Tecnodemocracias (título original: Janus: Les deux faces
de L'Ocident);
 Os Laranjais do Lago Balaton (título original: Les orangers du Lac
Balaton);
 Sociologia Política (título original: sociologie politique);
 Os Regimes Políticos (título original: Lés regimés politiques)

3
Introdução: duas formas de abordar o
tema dos partidos políticos:

 Enfoque “organizacional” => privilegia os


partidos políticos enquanto unidades de
análise autônomas e independentes (por
exemplo, as abordagens de Michels, Lênin,
Schumpeter etc.);

 um enfoque sistêmico, na media em que


procura captar a dinâmica de funcionamento
dos partidos políticos em sua
interdependência, ou seja, centra seu foco
de atenção na dinâmica de funcionamento
dos sistemas partidários.
4
Objetivos do tópico:
 Identificar em linhas gerais os principais
paradigmas existentes na literatura sobre o tema
dos Partidos e Sistemas Partidários, bem como
algumas de suas idéias-chave;

 Análise dos principais elementos da teoria de


Maurice Duverger sobre os partidos políticos e
sistemas partidários;

 abordagem de Giovanni Sartori:

 diferenças básicas entre as abordagens de Sartori


X Duverger;

5
I) Principais abordagens “clássicas”
sobre os partidos políticos:

 A) Reflexões do liberalismo clássico (John


Locke, Alexis de Tocqueville, Stuart Mill
etc.)

 Partidos Políticos como canais de


expressão da “opinião pública” e dos
“cidadãos” com vistas a influenciar as
decisões governamentais;

 os partidos fazem parte do sistema de


“freios e contrapesos” (ou das instituições
intermediárias) que visam limitar o papel
do Estado em relação ao do indivíduo;
6
B) Teoria marxista (Marx, Engels, Lênin,
Gramsci etc.)

 os partidos são instituições de


representação dos interesses coletivos de
agentes/atores distribuídos em classes
sociais;

 os partidos buscam influenciar o poder de


Estado, e ocupam geralmente uma
posição subalterna em relação ao mesmo,
na medida em que seus recursos políticos
básicos são a influência ideológica na
opinião pública e a propaganda política, e
não a posse de instrumentos jurídico-
normativos ou coercitivos;
7
C) Sociologia política weberiana
(Weber)

 os partidos são instrumentos


políticos para a conquista de votos
numa sociedade burocratizada;

 sua função é produzir lideranças


políticas responsáveis num contexto
de crescente burocratização e
racionalização da vida social;

8
D) Teoria das Elites (Robert
Michels e Schumpeter)

 os partidos políticos são


organizações que tendem a ser
controlados por oligarquias
partidárias em sua busca pelo
poder;

 são instrumentos das elites em sua


luta pelo poder, menos do que
órgãos de representação das
“massas”
9
Elementos comuns dessas abordagem que
servem de base a uma definição de partidos:

 Buscam angariar adeptos para influenciar


ou conduzir os objetivos globais de uma
dada coletividade;

 são organizações que buscam transfigurar


os interesses singulares/específicos de
determinados grupos em interesses
comunitários

 Têm outros objetivos além da disputa por


votos.

10
II) Pontos fundamentais dessa
abordagem de Duverger:
 Principais contribuições de Duverger à análise dos
partidos políticos:

 (1) Análise dos partidos enquanto organizações e


tipologia dos partidos com base em suas
características organizacionais;

 (2) Tipologia dos sistemas partidários e análise dos


regimes políticos;

 (3) Proposição das “leis de Duverger”,


correlacionando sistemas eleitorais e partidários;

 (4) Conceito de “partido dominante”;

11
(1)Tipo de partidos:
 (1) Partidos de quadros = aquele constituído
essencialmente por grupos de deputados de
notáveis com representação no parlamento +
comissões eleitorais para arregimentar eleitores com
base no sufrágio universal.
 (i) tipo tradicional = partidos de notáveis na Europa do
século XIX (os exemplos clássicos são os “Tories” e
“Whigs” ingleses);
 (ii) o tipo norte-americano = os partidos norte-
americanos constituem um tipo peculiar de partidos
devido às primárias; as primárias introduzem um ponto
diferencial na organização dos partidos que é a
participação dos eleitores na convenção que escolherá os
candidatos dos partidos;
 Embora isso não seja suficiente para transformar os
partidos norte-americanos em partidos de massas,
 (iii) partidos indiretos = recrutamento (comissões de base
constituída por representantes dos sindicatos); “O
cidadão não adere a ao partido em si: adere a uma
organização que é membro coletivo do partido”: 12 12
(2) Partidos de massa:
 (i) O tipo socialista = partidos social democratas europeus;
financiamento (contribuição regular de militantes); unidade
organizativa (seções do partido); democracia interna e
possibilidade de frações; objetivo básico do partido é ganhar
eleições para implementar políticas públicas;
 (ii) tipo comunista = partidos comunistas do leste europeu
e das democracias polarizadas mais institucionalizadas: 46;
unidade organizativa (célula de empresa); sistema de
ligações verticais fortemente centralizado (“centralismo
democrático”, que na verdade é centralizado); não admitem
facções; seu objetivo é transformar a sociedade burguesa;
 (iii) tipo fascista = partido nacional socialista-alemão e
fascista italiano; “A originalidade dos partidos fascistas
consiste em aplicar técnicas militares ao enquadramento
político das massas”: 48; base social (baixa classe média e
pequena-burguesia depauperadas); unidade organizativa
(brigadas militarizadas);

13
(3) Partidos de países
subdesenvolvidos

 partidos “populistas” = partidos


fortemente influenciados por um
líder personalista; ocorre em
democracias fracamente
institucionalizadas em processo de
urbanização;

14
15
16
17
(2) Sistemas eleitorais e partidários: as
“leis de Duverger”:

 O sistema majoritário de um só turno


tende ao dualismo dos partidos, com
alternância de grandes partidos
independentes;

 O sistema majoritário de dois turnos e a


um sistema de partidos múltiplos,
flexíveis, dependentes e relativamente
estáveis;

 A representação proporcional tendem a


um sistema sistema de partidos múltiplos,
rígidos , independentes e estáveis.
(Duverger, 1987:241)
18
Leis de Duverger: efeitos mecânicos e
psicológicos:

 Efeito mecânico: a tendência dos


sistemas eleitorais de favorecer os
maiores partidos e de prejudicar os
menores;
 Efeito psicológico: afeta o cálculo do
eleitor, motivando o “voto útil”;
 Obs. Trata-se de um dos temas mais
complexos da política. Cf. alguns dos
dados empíricos na tabela anexa sobre as
características institucionais da
democracia.
19
20
(3) Sistemas partidários e regimes
políticos:

 Favorável ao sistema
parlamentarista bipartidário inglês
por causa da “estabilidade”;
 Crítico do sistema proporcional e
dos regimes polarizados da Europa
Latina;

21
Referências bibliográficas adicionais:

22