Você está na página 1de 1

Texto 1 - Hegel

O contedo concreto da certeza sensvel faz aparecer imediatamente essa certeza como o mais rico conhecimento, e at como um conhecimento de riqueza infinda, para o qual impossvel achar limite; nem fora, se percorremos o espao e o tempo onde se expande, nem [dentro], se penetramos pela diviso no interior de um fragmento tomado dessa plenitude. Alm disso, a certeza sensvel aparece como a mais verdadeira, pois do objeto nada ainda deixou de lado, mas o tem em toda a sua plenitude, diante de si. Mas de fato, essa certeza se faz passar a si mesma pela verdade mais abstrata e mais pobre. Do que ela sabe, s exprime isto: ele . Sua verdade apenas contm o ser da Coisa; [] O Eu no tem a significao de um multiforme representar ou pensar, nem a Coisa uma significao de uma multido de diversas propriedades; ao contrrio, a Coisa , e ela somente porque . A Coisa : para o saber sensvel isso o essencial: esse puro ser, ou essa imediatez simples, constitui sua verdade. Georg Wilhelm Friedrich Hegel, A Fenomenologia do Esprito