Você está na página 1de 2

A AIA – EÇA DE QUEIROZ 

Era uma vez um jovem e valente rei que tinha partido para
batalhar em terras distantes, deixou só e triste a sua
rainha e o seu pequeno filho. Infelizmente o rei faleceu
numa das suas batalhas e a sua rainha chorou-o
desoladamente.

Então o seu pequeno filho tornou-se no herdeiro natural do trono, ficando sujeito aos
ataques de inimigos dos quais se destacava o seu tio, irmão bastardo do seu pai
falecido, que vivia num castelo sobre os montes, com uma horda de rebeldes.

O pequeno príncipe era alimentado por uma aia, que por


sua vez tinha também um filho pequeno que nascera no
mesmo dia, ela amamentava e acarinhava os dois da
mesma forma, já que um era seu filho e o outro o seu
futuro rei.

Como seria de esperar o tio bastardo desceu dos montes


com o seu grupo de rebeldes e iniciou uma matança e
destruição das aldeias por onde passava, a defesa do
castelo estava frágil, sentia-se a falta de uma mão firme, a
rainha só chorava e temia pelo seu filho que estava
deitado no seu berço de marfim, a aia demonstrava então
uma segurança e lealdade impressionante para com o seu futuro rei.

Uma noite de silêncio e escuridão, quando a aia se preparava para dormir teve um
mau pressentimento, logo se seguida ouviu uns passos, escondeu-se atrás das
cortinas e avistou ao longe uns homens de lanterna na mão, nesse momento ela
apercebeu-se do que iria acontecer e sem hesitar deslocou-se á câmara onde
estavam os bebes a dormir e trocou-os de berço, colocando o príncipe no berço de
verga e o seu filho no de marfim, nesse instante um homem enorme entrou e dirigiu-se
ao berço de marfim, retirou o bebe que lá descansava e partiu furioso.

Entretanto chega a rainha e ao ver o berço vazio entrou em desespero, ao contrário da


aia que estava calada, ao ver o desespero da rainha a aia
dirigiu-se ao berço de verga e mostrou-lhe o jovem
príncipe que ali dormia, no meio da felicidade da rainha ao
ver o seu filho entra o capitão dos guardas, com uma
tristeza talhada no rosto e informa a rainha que o bastardo
foi vencido mas que infelizmente o príncipe tinha parecido.

A rainha mostrou então o jovem príncipe e numa mistura de lágrimas e risos apontou
para a sua salvadora, abraçou-a, beijou-a e chamou-lhe irmã do coração, todos
aclamaram a leal e corajosa aia, pedindo para ela uma recompensa, a rainha levou
então a aia ao tesouro real e disse-lhe para escolher a jóia que mais desejasse, a aia
olhou para o céu onde estaria o seu filho, escolheu um punhal e cravou-o no seu
coração, dizendo, depois de ter salvo o seu príncipe ía dar de mamar ao seu filho.
Personagens
Caracterização física das personagens

Rei - Moço, formoso.

Tio - Face escura, homem enorme.

Aia - Bela, robusta, olhos brilhantes.

Príncipe - Cabelo louro e fino, olhos reluzentes.

Escravo - Cabelo negro e crespo olhos reluzentes.

Caracterização psicológica das personagens

Rei - Valente, alegre, rico, poderoso, sonhador, ambicioso.

Rainha - Desventurosa, chorosa, solitária, triste, angustiada, grata, surpreendida.

Tio - Mau, terrível, cruel, ambicioso, selvagem.

Aia - Leal, nobre, venerável, sofredora, dedicada, terna, perspicaz, corajosa..

Escravo - Simples, seguro e livre.