Você está na página 1de 79

ECONOMIA DE ENERGIA

ENERGIA EÓLICA | SOLAR

ECONOMIA DE ENERGIA

ENERGIA EÓLICA | SOLAR
MATHEUS PEREIRA γ VITOR MAGNO
γ

ECONOMIA DE ENERGIA

INTRODUÇÃO

ENEGIA EÓLICA

ENEGIA SOLAR

CONCLUSÃO

Energia renovável é nome designado para definir as energias originária de fontes de energia que possuem a capacidade natural de regeneração, ou seja, originadas de recursos naturais como sol, vento, chuva entre outros.

consequência do aquecimento desigual da terra. Assim o sol aquece a superfície terrestre provocando os fluxos de vento. .ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA ENEGIA SOLAR CONCLUSÃO O vento é o ar em movimento.

o potencial é estimado em de 300 GW. γ Nordeste. houve pouco avanço na consolidação da energia eólica como alternativa de geração de energia elétrica no país. 2001). γ Atualmente. correspondem a cerca de 90% de todo o potencial eólico brasileiro. mas especialmente pelo alto custo da tecnologia.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA NO BRASIL ENEGIA SOLAR CONCLUSÃO O Brasil foi o país pioneiro na América Latina a instalar um aerogerador na década de 1990. com base aerogeradores com torres de 80 a 100 metros de altura e máquinas mais eficientes. com base em aerogeradores de 50 metros de altura. que estimou um potencial de 143 GW no Brasil (Cepel. γ No entanto nos dez anos seguintes. γ 2001 foi lançado o Atlas do Potencial Eólico Brasileiro. γ . em parte pela falta de políticas de incetivo. Sudeste e Sul.

.3% da capacidade de geração era de fontes renováveis sendo mais de 70% devido as hidrelétricas.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA NO BRASIL ENEGIA SOLAR CONCLUSÃO O Brasil possui uma das matrizes elétricas mais renováveis no mundo. γ γ Proinfa: Primeira política pública efetiva voltada ao setor de energia eólica. quando bem planejadas. otimizando o uso dos mesmos e aumentando a segurança no fornecimento de energia. 79.. podem resultar no acúmulo de energia nos reservatórios. γ A introdução de grandes quantidades de energia eólica em sistemas predominantemente hidrelétricos. (Denault et al. Em 2012. diminuindo os impactos de períodos de seca. (Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica) instituído em 2002. foi o principal incentivo para o desenvolvimento do mercado eólico no Brasil. γ O Proinfa. 2009).

.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA NO BRASIL ENEGIA SOLAR CONCLUSÃO A geração eólica no Brasil é maior no período de menor volume dos reservatórios.CBEE / UFPE. Fonte: CENTRO BRASILEIRO DE ENERGIA EÓLICA .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA NO BRASIL ENEGIA SOLAR CONCLUSÃO Projeção da Evolução de Potência Instalada no Brasil Fonte: BRAZIL WINDPOWER .

. representam 86.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA NO MUNDO ENEGIA SOLAR CONCLUSÃO Capacidade Instalada Os 10 países com a maior capacidade instalada.2% da capacidade total mundial.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA NO MUNDO ENEGIA SOLAR CONCLUSÃO .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA NO MUNDO ENEGIA SOLAR CONCLUSÃO .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA NO MUNDO ENEGIA SOLAR CONCLUSÃO .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA NO MUNDO ENEGIA SOLAR CONCLUSÃO .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA NO MUNDO ENEGIA SOLAR CONCLUSÃO .

a turbina eólica e o gerador. . mas também dispondo de outros equipamentos. atuando através de dois principais componentes.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO AEROGERADORES ENEGIA EÓLICA ESQUEMA ELÉTRICO DE UM PAQUE EÓLICO ‘ENEGIA SOLAR CONEXÃO DE AEROGERADORES AO SISTEMA CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Aerogeradores são equipamentos para produção de energia elétrica a partir da energia cinética do vento.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO AEROGERADORES ENEGIA EÓLICA ESQUEMA ELÉTRICO DE UM PAQUE EÓLICO ‘ENEGIA SOLAR CONEXÃO DE AEROGERADORES AO SISTEMA CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Componentes de um aerogerador: .

onde a geração de energia elétrica situa-se entre 380 V e 690 V.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO AEROGERADORES ENEGIA EÓLICA ESQUEMA ELÉTRICO DE UM PAQUE EÓLICO ‘ENEGIA SOLAR CONEXÃO DE AEROGERADORES AO SISTEMA CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS O parque eólico é um sistema composto de um conjunto de aerogeradores ligados em paralelo. Esta voltagem exige uma transformador elevador de tensão na saída de cada aerogerador. para que então ocorra a ligação com a subestação do parque. A subestação do parque é a parte do sistema que se liga ao sistema elétrico. .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO AEROGERADORES ENEGIA EÓLICA ESQUEMA ELÉTRICO DE UM PAQUE EÓLICO ‘ENEGIA SOLAR CONEXÃO DE AEROGERADORES AO SISTEMA CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Classificação da rede elétrica segundo o nível de tensão : .

. Subtransmissão: Redes com tensões entre 34. usadas no Brasil para transporte regional. Transporte de energia elétrica a longas distâncias com níveis de potências elevados. usadas no Brasil para intercâmbio energético entre regiões.5 kV e 138 kV.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO AEROGERADORES ENEGIA EÓLICA ESQUEMA ELÉTRICO DE UM PAQUE EÓLICO ‘ENEGIA SOLAR CONEXÃO DE AEROGERADORES AO SISTEMA CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Classificação da rede elétrica segundo a função da rede: Transmissão: Redes com tensões a partir de 230 kV. Transporte de energia elétrica a médias distâncias com níveis de potências moderados. atendimento de cidades de médio porte ou regiões compostas de pequenas cidades.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO AEROGERADORES ENEGIA EÓLICA ESQUEMA ELÉTRICO DE UM PAQUE EÓLICO ‘ENEGIA SOLAR CONEXÃO DE AEROGERADORES AO SISTEMA CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Classificação da rede elétrica segundo a função da rede: Distribuição: Redes com tensões inferiores a 34.5 kV. Transporte de energia elétrica entre pequenas distâncias com níveis de potências pequenas. usadas para atendimento direto dos consumidores ou transporte de energia para pequenas cidades e comunidades. .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO AEROGERADORES ENEGIA EÓLICA ESQUEMA ELÉTRICO DE UM PAQUE EÓLICO ‘ENEGIA SOLAR CONEXÃO DE AEROGERADORES AO SISTEMA CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Diagrama unifilar simplificado do sistema elétrico. com opções de conexão .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO AEROGERADORES ENEGIA EÓLICA ESQUEMA ELÉTRICO DE UM PAQUE EÓLICO ‘ENEGIA SOLAR CONEXÃO DE AEROGERADORES AO SISTEMA CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS É comum que em empreendimentos de geração de eletricidade apresentem altíssimos investimentos de capital e baixos custos de manutenção. Composição do cálculo de investimento e custo: Produção anual estimada. Custos de manutenção e localização. Riscos de queda dos geradores. Para a energia eólica. Taxas de juros. . no entanto os custos com a manutenção são baixos e o custo com combustível é zero. os custos de implantação de cada aerogerador de alta potência podem chegar a milhões de reais. (custos de construção).

ainda mais baixo. . ano de conclusão dos projetos vendidos no leilão. a produção de energia eólica no país vai mais que dobrar até 2014. o preço da energia de origem eólica ficou em R$ 130. valor maior que o total de energia eólica instalado no país até o momento. o preço da energia eólica atingiu um novo patamar. ficando até mais barato que a energia de termoelétricas a gás natural. de R$ 99.900 MW. Neste leilão foi vendido mais de 1.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO AEROGERADORES ENEGIA EÓLICA ESQUEMA ELÉTRICO DE UM PAQUE EÓLICO ‘ENEGIA SOLAR CONEXÃO DE AEROGERADORES AO SISTEMA CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS No leilão da Aneel realizado em 2010. tendo sido inferior ao preço da energia de biomassa e de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs).8/MWh. No leilão de agosto de 2011. Assim.58/MWh.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO AEROGERADORES ENEGIA EÓLICA ESQUEMA ELÉTRICO DE UM PAQUE EÓLICO ‘ENEGIA SOLAR CONEXÃO DE AEROGERADORES AO SISTEMA CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO AEROGERADORES ENEGIA EÓLICA ESQUEMA ELÉTRICO DE UM PAQUE EÓLICO ‘ENEGIA SOLAR CONEXÃO DE AEROGERADORES AO SISTEMA CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS .

sendo a atividade de construção a maior geradora de empregos diretos. ao gerar empregos locais. . uma vez que os postos de trabalho criados na operação de um parque eólico têm duração da vida útil do empreendimento. porém permanentes. em menor quantidade. A operação do parque também contribui para geração de empregos locais.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO AEROGERADORES ENEGIA EÓLICA ESQUEMA ELÉTRICO DE UM PAQUE EÓLICO ‘ENEGIA SOLAR CONEXÃO DE AEROGERADORES AO SISTEMA CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Geração de empregos: A energia eólica contribui diretamente para o desenvolvimento regional.

nos municípios de Parazinho e João Câmara e no interior do Ceará. especialmente alimentação e hospedagem. no município de Trairí.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO AEROGERADORES ENEGIA EÓLICA ESQUEMA ELÉTRICO DE UM PAQUE EÓLICO ‘ENEGIA SOLAR CONEXÃO DE AEROGERADORES AO SISTEMA CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Geração de empregos: O aumento do volume de trabalhadores no local. . Os benefícios são mais acentuados em parques situados em locais de baixo desenvolvimento econômico. Exemplo das usinas que estão sendo instaladas no interior do Rio Grande do Norte. proporciona a população vizinha ao parque um aumento significativo no consumo de bens e serviços.

O parque eólico terá a capacidade de abastecer 340. Esses 45 parques formam o complexo eólico Asa Branca.000 lares. com outros 3.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO AEROGERADORES ENEGIA EÓLICA ESQUEMA ELÉTRICO DE UM PAQUE EÓLICO ‘ENEGIA SOLAR CONEXÃO DE AEROGERADORES AO SISTEMA CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Geração de empregos: Juntos. . com capacidade instalada de 1.000 empregos criados indiretamente. Estima-se que a construção gere 1.25 GW. Parazinho e João Câmara concentrarão 45 parques eólicos.000 empregos diretamente.

.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO AEROGERADORES ENEGIA EÓLICA ESQUEMA ELÉTRICO DE UM PAQUE EÓLICO ‘ENEGIA SOLAR CONEXÃO DE AEROGERADORES AO SISTEMA CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS O complexo será alimentado por 100 turbinas de 1.6 MW fornecida pela GE .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA ENEGIA SOLAR CONCLUSÃO Energia Solar .

mesmo considerando os impactos negativos que acompanham algumas formas de geração convencional.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS A eletricidade é considerada insumo fundamental para o desenvolvimento econômico e social. Tudo isso conduziu a necessidade de geração de eletricidade alternativa. A demanda mundial por eletricidade cresce rapidamente. A energia solar é a fonte menos “poluente” e menos finita conhecida até o momento. tais como a nuclear e de combustível fóssil. .

uma das alternativas energéticas mais promissoras para enfrentarmos os desafios do novo milênio. É hoje. mas nunca foi aproveitada de forma tão eficiente quanto as outras formas de energia. oceanos e as massas de terra é de aproximadamente 3. a insegurança de suprimento energético da energia solar gera uma desvantagem em seu uso.000 exajoules (EJ) por ano e quanto mais perto do equador. O total de energia solar absorvida pela atmosfera terreste. sem sombra de dúvidas. Por esse motivo.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Disponível para uso desde o surgimento de vida na Terra. .850. mais energia solar pode ser potencialmente captada.

para se fazer útil. apesar de que a energia elétrica gerada precisará de nova conversão em energia luminosa ou mecânica. por exemplo . . Exemplo: Sistemas que controlam automaticamente cortinas. de acordo com a disponibilidade de luz do Sol.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Os principais métodos de captura da energia solar classificam-se em diretos ou indiretos: Direto : significa que há apenas uma transformação para fazer da energia solar um tipo de energia utilizável pelo homem.) Indireto significa que precisará haver mais de uma transformação para que surja energia utilizável. (A conversão a partir de células fotovoltaicas é classificada como direta. Exemplos: – A energia solar atinge uma célula fotovoltaica criando eletricidade.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Também se classificam em passivos e ativos: Sistemas passivos são geralmente diretos. . Sistemas indiretos são quase sempre também ativos. mecânicos ou químicos para aumentar a efetividade da coleta. que é tecnicamente uma conversão de calor em energia mecânica. apesar de envolverem (algumas vezes) fluxos em convecção. Sistemas ativos são sistemas que apelam ao auxílio de dispositivos elétricos.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS As aplicações práticas da energia solar podem ser divididas em dois grupos: energia solar fotovoltaica. processo de aproveitamento da energia solar para conversão direta em energia elétrica. . utilizando os painéis fotovoltaicos e a energia térmica (coletores planos e concentradores) relacionada basicamente aos sistemas de aquecimento de água.

. A poluição decorrente da fabricação dos equipamentos necessários para a construção dos painéis solares é totalmente controlável utilizando as formas de controles existentes atualmente. As centrais necessitam de manutenção mínima. Isso torna cada vez mais a energia solar uma solução economicamente viável.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Vantagens: A energia solar não polui durante sua produção. Os painéis solares são a cada dia mais potentes ao mesmo tempo que seu custo vem decaindo.

a utilização da energia solar é viável em praticamente todo o território. como o Brasil. Tem uma elevada aceitação pública por não ser um produto sintético. e. A radiação solar. sua utilização ajuda a diminuir a demanda energética nestes e consequentemente a perda de energia que ocorreria na transmissão. Em países tropicais. . é gratuita e abundante. em locais longe dos centros de produção energética. produto da energia solar. pois sua instalação em pequena escala não obriga a enormes investimentos em linhas de transmissão.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS A energia solar é excelente em lugares remotos ou de difícil acesso.

Os preços são muito elevados em relação aos outros meios de energia. . Requer um sistema de armazenamento eficiente ou e sistemas de segurança de modo que tenha um fornecimento constante. neve).ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Desvantagens: Um painel solar consome uma quantidade enorme de energia para ser fabricado. A energia para a fabricação de um painel solar pode ser maior do que a energia gerada por ele. Existe variação nas quantidades produzidas de acordo com a situação atmosférica (chuvas. o que obriga a que existam meios de armazenamento da energia produzida durante o dia em locais onde os painéis solares não estejam ligados à rede de transmissão de energia. além de que durante a noite não existe produção alguma.

Este fato vem indicar que. Uma das possíveis formas de conversão da energia solar é conseguida através do efeito fotovoltaico que ocorre em dispositivos conhecidos como células fotovoltaicas. elétrica etc. havendo um enorme potencial de utilização por meio de sistemas de captação e conversão em outra forma de energia (térmica. Estas células são componentes optoeletrônicos que convertem diretamente a radiação solar em eletricidade.5 x 1018 kWh de energia solar.000 vezes o consumo mundial de energia neste período.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Radiação Solar e Efeito Fotovoltaico: A Terra recebe anualmente 1.). a radiação solar constitui-se numa inesgotável fonte energética. . além de ser responsável pela manutenção da vida na Terra. o que corresponde a 10. sendo o silício o material mais empregado. São basicamente constituídas de materiais semicondutores.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS .

Edmond Becquerel observou que placas metálicas. . quando mergulhadas em um eletrólito e expostas à luz produziam uma pequena diferença de potencial.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Em 1839. de platina ou prata. este fenômeno foi denominado de efeito fotovoltaico. Charles Fritts produziu a primeira célula fotovoltaica usando selênio. a característica de fotocondutividade deste material foi descoberta por Smith em 1873. Em 1884.

estão situados em latitudes médias e altas. em 2004.7%. De acordo com um estudo publicado pelo Conselho Mundial da Energia.91 GW) e Estados Unidos (830 MW). gerando 5 mW de potência elétrica. Cinquenta anos depois. O maior produtor mundial é a Alemanha (com 3.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS A primeira célula solar moderna foi apresentada em 1954. Em 2020 cerca de 1% da eletricidade consumida mundialmente será de origem fotovoltaica. 70% da energia consumida será de origem solar. . elevando-se essa fração para cerca de 26% em 2040. com eficiências da ordem dos 24. cerca de 57% da capacidade instalada de Itaipu. em 2100. seguido do Japão (com 1. Os principais países produtores. Tinha apenas dois centímetros quadrados de área e uma eficiência de 6%. curiosamente. foram produzidos cerca de mil milhões de células.86 GW instalados). alcançando a capacidade instalada mundial de energia solar superior a 8.2 GW em 2008.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS .

. viabilizando o desenvolvimento de regiões remotas onde o custo da eletrificação pela rede convencional é demasiadamente alto com relação ao retorno financeiro do investimento. diminuindo a dependência do mercado de petróleo e reduzindo as emissões de gases poluentes à atmosfera como estabelece a Conferência de Kyoto.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS O Brasil. A utilização da energia solar traz benefícios a longo prazo para o país. possui grande potencial para aproveitamento de energia solar durante todo ano. por ser um país localizado na sua maior parte na região intertropical. regulando a oferta de energia em períodos de estiagem.

. na indústria e nos serviços de hotelaria. principalmente para o emprego entre as classes A e B da sociedade. que vai desde pequenos sistemas fotovoltaicos autônomos até as grandes centrais que empregam energia solar.apenas a energia solar térmica para aquecimento de água tem despertado interesse no mercado nacional.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Existe um grande leque de possibilidades a médio e longo prazo para aproveitamento dessa abundante forma de energia renovável. hoje em dia essa energia ainda tem uma participação incipiente na matriz energética brasileira . No entanto.

2) de informações seguras e da política energética do país. .ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS As perspectivas e oportunidades de aproveitamento do potencial econômico relacionado com a exploração comercial dos recursos energéticos da radiação solar dependem basicamente de dois fatores: 1) do desenvolvimento de tecnologia competitiva de conversão e armazenamento dessa energia.

Assim. A irradiação é extremamente alta. Para se ter uma idéia a pior irradiação em nosso país é em Santa Catarina. mesmo assim é 30% maior que a média da Alemanha.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Dados de mercado O Brasil é privilegiado quando o assunto é energia solar. . temos grande potencial para o uso da energia solar. possibilitando um grande crescimento do setor de aquecimento.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Dados de mercado de 2009 No ano de 2009 a produção brasileira de coletores solares cresceu 18. Somando este volume com o já instalado. segundo a pesquisa realizada pelo DASOL. como mostra o gráfico: . Com este crescimento atingiu-se um volume de 798 mil metros quadrados. o maior já registrado pelo setor nos últimos anos.9% em relação ao ano anterior. nosso país já acumula mais de 5 milhões de metros quadrados de coletores solares.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Evolução do Mercado de Aquecimento Solar Brasileiro até 2009 .

os fabricantes esperam um crescimento entre 15% e 20%. Segundo a pesquisa realizada pelo DASOL. Japão e Austrália (Dados de 2008). Estados Unidos. Este constante crescimento gera uma expectativa de crescimento muito grande. Alemanha. nosso país figura entre os países que mais utilizam coletores solares para aquecimento de água. junto com China.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Segundo o relatório da IEA 2010. Turquia. conforme o gráfico: .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Expectativa de crescimento em 2010 .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS No ano de 2009. seguida das regiões Sul. Nordeste e Norte. A distribuição é mostrada no gráfico abaixo: Volume de vendas por região em 2009 . a região Sudeste liderou as vendas. Centro-oeste.

24 milhões m2. a produção brasileira de coletores solares cresceu 21.1% em relação ao ano anterior. Com esse volume. o crescimento da produção é resultado do fortalecimento das ações de eficiência energética e da utilização de fontes limpas de energia. a área acumulada de aquecedores solares no Brasil chegou a 6. o maior volume anual já registrado. Foram produzidos 967 mil m2 . . conforme pesquisa realizada pelo Departamento de Aquecimento Solar (DASOL) junto às empresas associadas.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Dados de mercado de 2010 Em 2010. Para o DASOL. como o aquecimento solar.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Além das placas de coletores.7%. que equivalem a um volume de armazenamento de 45.5% e 9. Ainda segundo a pesquisa. a pesquisa também abrangeu os reservatórios térmicos. respectivamente com 10.2 milhões de litros. componente igualmente importante dos sistemas de aquecimento solar. . Outros destaques foram as regiões Sul e Centro-Oeste. as vendas de sistemas de aquecimento tiveram maior concentração na região Sudeste. Em 2010 foram fabricadas 123 mil unidades de reservatórios. com 75.3% do volume de vendas.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Volume de vendas por região em 2010 .

Inicialmente. a maioria dos fabricantes espera crescimento de até 20%.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS O crescimento superou as expectativas iniciais das empresas em 2010. . mas a pesquisa revelou que para 70% das empresas o aumento de produção ultrapassou os 20%. Para 2011. 45% das empresas esperavam crescimento entre 10% e 20%.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Evolução do Mercado de Aquecimento Solar Brasileiro até 2010 .

foram produzidos 967 mil m2 . . em 2011 foram produzidos 1.9%). em um ritmo bem menor que o registrado em 2010 (21.5% no ano de 2011. um recorde para o setor.029 milhão m2 de coletores solares.1%) e 2009 (18. frente aos 798 mil m2 fabricados em 2009. De acordo com a pesquisa realizada pelo DASOL. Em 2010.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Dados de Mercado de 2011 O setor de aquecimento solar cresceu 6.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Evolução do Mercado de Aquecimento Solar Brasileiro até 2011 .

que equivalem a um volume de armazenamento de 50.31 milhões m2. Para o DASOL. outro componente essencial dos sistemas de aquecimento solar. Ao final de 2011. com taxa média anual de 17. O levantamento incluiu ainda a produção de reservatórios térmicos. o crescimento da produção nos últimos anos está relacionado à ampliação da consciência ambiental e sustentabilidade com utilização de fontes limpas de energia e ações de eficiência energética. O menor ritmo de crescimento em 2011 deveu-se. a dois fatores: a transição dos governos Federal e estaduais (e a reformulação de suas políticas públicas) e o clima de expectativa e apreensão dos setores produtivos diante da crise de outras economias mundiais.6%. a área acumulada de aquecedores solares no Brasil chegou a 7.6 milhões de litros de água. Em 2011.8 mil unidades de reservatórios. . foram produzidos 128. basicamente.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS A produção de coletores vem crescendo ininterruptamente desde 2006.

comércio e serviços e 20% para programas habitacionais. Em 2011.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Vendas A pesquisa também considerou as vendas de sistemas de aquecimento solar por segmento. do Governo Federal. como o Minha Casa Minha Vida. do total produzido. 23% para a indústria.57% foram destinados a aplicações residenciais. . e os programas das companhias habitacionais.

.3%).7% das vendas. a Região Sudeste concentrou 75. seguida pela Região Centro-Oeste (10.5%) e Centro Oeste (9. Em 2010.3%) e Região Sul (8.2% das vendas. A Região Sudeste continua sendo o principal mercado consumidor dos sistemas de aquecimento solar.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Volume de vendas por segmento em 2011 A pesquisa identificou ainda a distribuição das vendas nas regiões brasileiras. seguida pelas regiões Sul (10.1% das vendas). com 76.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Volume de vendas por região em 2011 .

ECONOMIA DE ENERGIA

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO

‘ENEGIA SOLAR BRASIL

CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS

O setor em 2011
Segundo a pesquisa, apenas 5% das empresas do setor registraram redução de produção em 2011. Outros 32% tiveram aumento de produção de até 5%. Segundo o levantamento, 21% das empresas reportaram crescimento entre 21% e 30% em 2011.

ECONOMIA DE ENERGIA

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO

‘ENEGIA SOLAR BRASIL

CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS

Disponível em: < http://www.dasolabrava.org.br/informacoes/dados-demercado/ >

ECONOMIA DE ENERGIA

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO

‘ENEGIA SOLAR BRASIL

CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS

“Energia solar alcança viabilidade econômica em 15% dos domicílios brasileiros” Um estudo divulgado ontem pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), do Ministério de Minas e Energia, mostra que a produção residencial de energia solar já é economicamente viável para 15% dos domicílios brasileiros. A produção de energia solar em grande escala, no entanto, ainda é inviável, mesmo com incentivos governamentais. De acordo com a pesquisa da EPE, o custo da geração nas residências brasileiras, a partir de um equipamento de pequena potência, é R$ 602 por megawatt-hora (MWh), mais barato do que a energia vendida por dez das mais de 60 distribuidoras de energia.

Hoje. porque ainda custaria o dobro da média cobrada nos leilões de venda de energia.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS O cálculo é feito com base no custo médio de instalação de um painel com a menor potência. Por outro lado. foi R$ 150 por MWh. Mesmo com incentivos. Graças a novas resoluções da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). o custo de produção da energia solar gira em torno de R$ 405 por MWh. . que barateiem em 28% o preço da energia. como também vender o excedente da energia produzida para essas empresas. R$ 38 mil. o estudo mostra que a geração centralizada. publicadas neste ano. produzida em larga escala por usinas comerciais. a solar não seria viável. os consumidores que instalem painéis solares em suas casas ou condomínios podem não apenas reduzir a quantidade de energia comprada das distribuidoras. nos últimos leilões do governo. como a redução de impostos. isto é. enquanto a média do preço de outras fontes de energia. ainda não é viável economicamente.

é a falência da chinesa Suntech Power.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Solar fotovoltaico: crise ou evolução natural? A indústria solar fotovoltaica chinesa voltou a ganhar destaque nas últimas semanas. líder mundial de fabricação de painéis fotovoltaicos. Entretanto. O fato chama atenção para toda a indústria que está passando por profunda crise. ao contrário das notícias de expansão e conquistas de mercados externos (com acusações de práticas de dumping relacionadas à falência de empresas alemãs e americanas) a que estávamos acostumados até 2011. que está em foco. . dessa vez.

. esse ano.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Em realidade ela já dava sinais de que não estava indo muito bem. que revelou grandes perdas (redução de 50% de suas vendas em 2012[1]). Bosch se retirou do mercado. No ano passado. Mais recentemente foi Meyer Burger. Siemens havia anunciado o adiamento de seus planos em investir em uma nova planta de produção de painéis de filmes finos e. o fabricante suíço de máquinas de cortar silício (principal tecnologia empregada hoje para a fabricação dos painéis).

Essa situação forçou os produtores a venderem por preços inferiores aos seus custos de produção (Le Temps. analista em desenvolvimento sustentável no banco Sarasin. em grande parte. fruto de subvenções e práticas agressivas de dumping de empresas que esperavam ganhar mercados e criar grandes barreiras para os novos entrantes. de acordo com Matthias Fawer. . 28 março de 2013). os baixos preços dos painéis não foram alcançados graças à adoção de uma dinâmica positiva de ganhos de eficiência. a capacidade mundial de produção de painéis solares atingiu 60 GW enquanto a demanda era estimada em 33 GW. Assim. Eles foram.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Em 2012.

. Enquanto o nível da demanda não se recupera. Ele considera que o mercado está agora altamente saturado e que se criou uma bolha industrial. como ilustra o caso espanhol que veremos a seguir. François Gabella. O saneamento do mercado ainda levará algum tempo. contrário ao apresentado pelo The Economist. A crise econômica mundial mudou drasticamente o cenário. mas é salutar e faz parte da consolidação da indústria. o diagnóstico otimista dos produtores não se confirmou.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Todavia. Apresenta portanto um diagnóstico otimista. para ele é normal que haja destruição de capacidade de produção. diretor de LEM . e provavelmente contará com o desaparecimento de alguns atores .04.2013) apresentou esse mesmo diagnóstico. como é sabido. também afetada pelo problema ao ser questionado pelo periódico suíço Le Temps (3.

nos apoiamos em uma reflexão apresentada por Eduardo Lorenzo Pigueiras. em seminário ministrado na Universidade de Genebra no dia 1° de novembro de 2012. Podem ser lentas ou rápidas. é basicamente o inverso que acontece. Para o pesquisador do Instituto de Energia Solar da Universidade Politecnica de Madrid.ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Para ajudar nossa compreensão sobre o estágio em que se encontra a indústria fotovoltaica atualmente. a indústria fotovoltaica se encontra efetivamente em transição. mas essas podem assumir trajetórias distintas. As primeiras evoluem em um contexto onde o feedback mantém o sistema sob controle. as projeções temporais conseguem enxergar para onde ela evolui e não há sobressaltos. como ilustram seus gráficos que apresentamos a seguir. . Já no caso das transições rápidas.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Transição lenta: .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Transição rápida: .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS Nesse sentido. Na ocasião de seminário. o pesquisador ilustrou seu propósito com a apresentação do caso espanhol (gráfico abaixo). . a indústria solar fotovoltaica representaria um caso típico de transição rápida onde os sobressaltos acontecem com frequência.

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA HISTÓRICO ‘ENEGIA SOLAR BRASIL CONCLUSÃO ASPECTOS ECONOMICOS O paradigma espanhol : evolução da capacidade instalada de eletricidade fotovoltaica .

ECONOMIA DE ENERGIA INTRODUÇÃO ENEGIA EÓLICA ENEGIA SOLAR CONCLUSÃO .

Cite pelo menos 2 desvantagens da energia solar.ECONOMIA DE ENERGIA Perguntas: 1) 2) 3) 4) 5) 6) Cite pelo menos 2 vantagens da energia eólica. Qual a região brasileira mais propícia a implantação de energia eólica? Cite duas aplicações da energia solar. Qual é a energia mais ‘cara’. Cite 2 países que estão entre os 10 maiores produtores de energia eólica. eólica ou solar? .