P. 1
MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA - Introdução à agricultura mecanizada

MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA - Introdução à agricultura mecanizada

|Views: 24.738|Likes:

More info:

Categories:Types, Resumes & CVs
Published by: Agronomia UFRGS 2007/1 on Nov 06, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/10/2013

pdf

text

original

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE AGRONOMIA DEPARTAMENTO DE SOLOS Mecanização Agrícola

INTRODUÇÃO À AGRICULTURA MECANIZADA
Professor Carlos Ricardo Trein Professor Renato Levien

5/11/2009

1

O que é agricultura?
 Definição de livros texto…
 A modificação deliberada da superfície da terra

através de cultivo de plantas e criação de animais para obter sustento e ganhos econômicos.
 Cultivo intencional de plantas e criação de animais

domésticos

5/11/2009

2

Do que depende a Agricultura?

 Clima  Cultura e Tradições  Demanda
5/11/2009

3

Evolução da Mecanização

Alguns fatos
1 Hectare cultivado com enxada

500.000 golpes

1 pessoa , 2 meses

Em condições tropicais

50% do trabalho no clima temperado

1 hectare com arado Puxado por um boi

50 km de caminhada e controle do animal/arado

AGRICULTURA HOJE…
 

Agricultura transformada em um sistema global integrado A introdução de novas tecnologias, os temores politicos sobre segurança

alimentar e autosuficiência, oportunidades de investimento alternativos e
voláteis, e oportunidades alternativas de emprego estão entre as forças que estão modificando a agricultura dramaticamente.

O sistema industrializado de agricultura atual deriva ( e substitui) sistemas mais velhos (Subsistência, pastoralismo).

Transformações na agricultura tem impactos violentos no ambiente, incluindo
erosão do solo, desertificação, deflorestamento, e poluição do solo e da água, assim como a eliminação de variedades de plantas e animais.

5/11/2009

8

AGRICULTURA AMANHÃ…
 População de 8,3 biliões em 2030.  Fome no mundo declina, mas a áfrica Subsaariana é motivo de séria  Aumento da produção de alimentos virá de maior produtividade das     

lavouras Expansão de fronteiras agrícolas será menor do que nos anos correntes. Deflorestamento terá ritmo diminuído Ainda haverá suficiência de água, mas algumas regiões terão maiores restrições que agora. Moderna biotecnologia oferece promessas como meio de aumentar a segurança alimentar Mudanças climáticas refletirão fortemente no cenário geopolítico.

5/11/2009

9

Produção de alimentos
 Contrastes entre

agricultura altamente mecanizada dos países desenvolvidos e a subsistencia de alguns países sem recursos.

5/11/2009

10

A Economia da Agricultura
 Variação global relacionada com a distribuição espacial de fatores de

ambiente e culturais.

 Elementos do meio ambiente físico, como clima, solo e topografia,    

estabelece amplos limites nas práticas agrícolas e os agricultores fazem escolhas diversificadas para modificar o meio ambiente. Padrões de clima amplo influenciam as culturas estabelecidas numa região e o solo influencia a cultura na propriedade. Fazendeiros escolhem de uma variedade de práticas, baseados na percepção individual do valor de cada alternativa. Estes valores são parcialmente economicos e parcialmente culturais. Proprietários trabalham na direção da agricultura mais rentável.

5/11/2009

11

Evolução da produção
 .

Produção de grãos: + 76%

68 milhões t
(1992/93)

132 milhões t
(2002/03)

• Área cultivada: + 22%
36 milhões ha
(1992/93)

43 milhões ha
(2002/03)

• Produção de máquinas agrícolas: + 135%
22 mil unidades
(1992)

52 mil unidades
(2002)

Avanços
 .

• Produtividade de grãos: + 45%
1,9 mil kg/ha
(1992/93)

2,8 mil kg/ha
(2002/03)

• Redução de perdas na colheita
10% a 15%
(1992)

3%
(2002)

Tratores agrícolas são máquinas autopropelidas projetadas para tracionar, transportar e fornecer potência para máquinas e implementos agrícolas
Preparo do solo

Semeadura e plantio

Paisagem agrícola
 A paisagem ampla de uma área é impactada

pelo sistema de agricultura.

5/11/2009

15

Onde?

5/11/2009

16

?

5/11/2009

17

Regiões de origem de plantas

 Centros de origem de culturas vegetativas (raízes, tubérculos) dos quais

houve dispersão para outras áreas.

5/11/2009

18

ORIGEM DAS CULTURAS VEGETATIVAS
 Sudeste da Ásia. (Sauer et al., 2008)  Diversidade de clima e topografia favorecerem a divisão

de plantas.  Primeiras plantas domesticadas: Raízes como o Inhame e taro , além da banana coco.  Evidencias sugerem o sudeste da ásia como centro de domesticação do porco, galinha e cachorro.  Outros centros de origem de plantas vegetatitas (Independentes) apontam para o Oeste da África e noroeste da América do Sul

5/11/2009

19

Centros de origem de grãos

.

5/11/2009

20

DIFUSÃO DA AGRICULTURA DE GRÃOS
 Do Sudoeste da Ásia pela Europa para a América     

do norte. Sudoeste da Asia para nordeste da Índia e a bacia do Rio Indo. Arroz e algodão tambem vieram para a Índia. Arroz?. Etiopia: domesticação de milheto e sorgo. Etiópia: difusão de técnicas não foi difundida.

5/11/2009

21

DIFUSÃO DA AGRICULTURA DE SEMENTES (no hemisfério ocidental)
 Dois centros de origem independentes: sul do méxico e

norte do Perú.  As práticas agrícolas foram transmitidas a outras regiões do hemisfério.  Aumento das comunicações (velocidade) influiu decisivamente na difusão mais variada (acelerada ) nos tempos atuais.

5/11/2009

22

DIFERENÇAS ENTRE AGRICULTURA COMERCIAL E AGRICULTURA DE SUBSISTÊNCIA
 Maiores diferenças entre técnicas utilizadas entre países desenvolvidos e

países subdesenvolvidos.  Subsistencia: produção de alimentos para a família.  Comercial: Produção de alimentos para venda para for a da propriedade.  Comercial x Subsistência:  Finalidade do cultivo;  Percentagem de proprietários envolvidos no trabalho;  Uso de mecanização;  Tamanho da propriedade; e  Relação da propriedade com outros negócios.

5/11/2009

23

Tamanho da propriedade
 A Agricultura comercial é cada vez mais dominada por propriedades maiores  Nos Estados Unidos 4% das propriedades são responsáveis por pelo menos 50% da produção.

Metade das propriedades geram menos de $10,000 por ano, em vendas.

 Tamanho grande é parcialmente

consequencia da Mecanização.  Como resultado do grande tamanho e do alto nível da mecanização, a agricultura comercial é um negócio bastante caro..

5/11/2009

24

RELAÇÕES COM OUTROS NEGÓCIOS
 Agricultura comercial está próxima a outros

negócios.  Agricultura comercial (agribusiness), está integrada a “indústria” de alimentos global..  Estados Unidos 2% da força de trabalho na produção de alimentos, mas 20% em negócios correlatos: processamentom acondicionamento, armazenamento, distribuição e comercialização.

5/11/2009

25

REVOLUÇÕES AGRICOLAS
 Primeira Revolução Agrícola
 Há 10.000 anos

domesticação de plantas e de

animais.

 Segunda Revolução Agrícola
 Testemunhou melhores métodos de produção,

colheita e armazenamento da produção agrícola.

 Terceira Revolução Agrícola
 Atual: Orientação principal´é o desenvolvimento de

Organismos geneticamente modificados

5/11/2009

26

Primeira revolução Agrícola

 Acreditava –se que Agricultura só poderia florescer em

terras ferteis

 Área Chave: Rios Tigre e Eufrates (Crescente fértil)

5/11/2009

27

Segunda Revolução Agrícola
 Coincidente com a revolução industrial

 Produção extra de alimentos para alimentação

dos que trabalhavam nas fábricas.  Novas tecnologias desenvolvidas para melhorar o rendimento das culturas.  Interferencia de governos centrais
 Exemplo: Inglaterra para aumento das áreas.

5/11/2009

28

Terceira Revolução agrícola
 Também conhecida como revolução VERDE  1930s  Manipulação de variedades de sementes para

aumentar produtividade  1960s – foco da Revolução Verde foi a India  Culturas atingidas: Milho, trigo, arroz  Diminui a fome em muitas áreas

5/11/2009

29

5/11/2009

30

5/11/2009

31

MAPAS DE PRODUTIVIDADE GRÃOS – medição “manual”

Variação da produtividade:

4,0 a 6,5 t/ha

CALIBRAÇÃO PARA COLHEDORAS FORRAGENS

PRIMEIRO MAPA de PRECISÃO – 1925
FORÇA DE TRAÇÃO – ARADO Haines & Keen – J. Agricultural Science, 1925

MAPA COM ISOLINHAS DE ESFORÇO DE TRAÇÃO – plotagem manual

1990 GPS - 12

1991 DGPS - 17

1992 DGPS - 22

1993 DGPS - 23

EVOLUÇÃO DA PRECISÃO COM USO DE GPS E DGPS

CALIBRAÇÃO PARA COLHEDORAS FORRAGENS

RAZÕES DAS MONOCULTURAS - especialização do agricultor - dificuldades de manejo/venda - máquinas e equipamentos - facilidade
- ignorância ambiental

- cobiça econômica

CONSIDERANDO POUCAS CULTURAS:
- melhorar manejo dessas culturas

- obter o máximo de produtividade por área - diferenciar áreas com > e < potencial - uniformizar essas áreas - liberar áreas para preservação ambiental -* POUCAS ÁREAS “NOVAS” NO MUNDO

ÁREAS HOMOGÊNEAS

- Solo - Relevo - Drenagem - Características físicas
- Características químicas - Características biológicas ** Diversidade reduzida!

SE UMA ÁREA É HOMOGÊNEA: - mesma quantidade de insumos - mesma quantidade colhida - kg/ha de grãos - kg/ha de parte aérea - silagem, cana, feno, pastagem - kg/ha de frutos - kg/ha de raízes

0

Front Field

Some Unexplained Yield Effects

t/ha

0

MÉDIA
7.5 7.0 6.5

0

Low er Yield Area

0

BAIXA
Higher Yield Area

6.0 5.5 5.0 4.5

0

ALTA

Low er Yield Area
0 100 200 300 400 500 600

0

4.0

South (m)

LAVOURA COM DIFERENTES “ZONAS” DE PRODUTIVIDADES DE MILHO – 4 a 7,5 t/ha

ETAPA 1

RAZÕES DIVERSAS - Solos - Erros de manejo AVALIAÇÕES AGRONÔMICAS ASPECTOS FÍSICOS - Compactação ANÁLISES FÍSICAS ASPECTOS QUÍMICOS - Nutrientes, pH ANÁLISES DA FERTILIDADE

ETAPA 2

CUSTO
ETAPA 3

North
600

COMO RESOLVER DIFERENÇAS???

Oak Field

Trigo – 15 ha
500

Date Harvested - August 1992 Crop - Winter Wheat Variety - Mercia Total Yield - 100.55 t Average Yield - 6.61 t/ha Area 15.2 ha

t/ha
8.0

400

7.5 7.0 6.5 6.0 5.5

Meter

300

200

East

5.0 4.5
100

4.0

0 0 100 200 300 400 500

Meter

Mapa de produtividade

Yieldmap

Mapa de aplicação de Fósforo e P, K application map Potássio
North
600

Park Field - 1996 P&K application map, replacing removals by 1995 W Wheat harvest.
North
600

500

Park Field
500

Date Harvested - 31 July 1995 Crop - Winter Wheat Variety - Spark Total Yield - 78.71 t Average Yield - 6.80 t/ha Field Size - 11.57 ha Set-a-side - 2.36 ha

kg/ha of: P2O5 K2O
t/ha
8.0

8.0
400

400

69
7.5

93

7.0
7.0

West

Meter

300

300

East

6.5

60
6.0

81

6.0
200

5.5

200

52
5.0

70

5.0
100

4.5

43
100

58

0 0 100 200 300 400 500

4.0
Meter

0

C J Dawson / Shuttleworth Alliance, 1996 0 100 200 300 400 500

Metres

Mapa do estado de compactação do solo
90 m

40 m

100-160

160-220

220-280

280-340

FORÇA DE TRAÇÃO - SD - kgf SEM USO DE GPS

250
Esforço na haste, kgf

200 150 100 50 0
1 19 37 55 73 91 109 127 145

Tempo, s

Variação do esforço de tração na haste de adubo da semeadora – Semeadura direta

Mapa elaborado para a aplicação georeferenciada de insumos

5/11/2009

50

Agricultura de precisão
1. Equipamento ágil e automatizado -Quadriciclo com penetrometro e GPS.

2. Área com acompanhamento da história de uso

Materiais e métodos
3. Mapa de produtividade

Material e métodos
4. Marcação do grid amostral

Cliente: Granja São Diogo Área : 57,9 ha N de pontos:304

Data: 19/05/09 Grid: 2.000 m² N total de leituras: 12.160

Resultados
.

Vetores de escoamento superficial

N de pontos coletados: 1.464

Resistência a penetração

Comparativo

Produtividade da soja

Índice de cone da camada de 5 a 15 cm

ALTA INFESTAÇÃO

MÉDIA/BAIXA INFESTAÇÃO

APLICAÇÃO AGROTÓXICOS EM ERVAS DANINHAS

ALINHAMENTO DE MÁQUINAS
EM PASSADAS ADJACENTES

Equipamentos associados à
agricultura de precisão

Trator Challinger com “Autoguide”

ALINHAMENTO EM PASSADAS ADJACENTES Barra de luzes

CARGA, MISTURAS, DOSAGENS Dispositivos eletrônicos

Agricultura Bem Pensada: Natureza preservada......

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->