Você está na página 1de 33

ATENÇÃO

Este manual que ensina confeccionar carimbos


é de minha exclusiva autoria.
Nenhuma outra pessoa está autorizada a revender
ou reproduzir, parcial ou integralmente, seu
conteúdo, textos e desenhos, seja por cópia ou
impressão por meio mecânico, eletrônico ou manual.
Não podendo executar exploração pública ou
comercial, sem minha expressa autorização.
Esta obra tem Direitos Autorais, protegida
pela Lei 9610 de 19.02.98
Consubstanciado ao Art. 184 do Código Penal.
A transgressão constitui crime, sujeitos às
penalidades previstas na Lei de Direitos Autorais.
Obrigado pela colaboração.

1
MANUAL DE CARIMBOS
Este manual foi concebido, com o propósito de
ensinar em linguagem bem simples e
descomplicada, passo a passo o processo de
fabricação de carimbos, com o uso de
FOTOPOLIMERO SÓLIDO e LÍQUIDO.

Após a confecção do carimbo, podemos montá-lo


em uma enorme variedade de bases ou
carcaças, que poderão ser de madeira, plástico,
caneta carimbo, carimbo autoentintável, carimbo
datador, etc.
Caneta carimbo

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

2
Carimbo autoentintável

Este tipo de carimbo é automático. Ele é


autotintável, ou seja, não há necessidade da
utilização de uma almofada com tinta separada,
que é um incômodo sobre a mesa. Ele tem
internamente sua própria almofada com tinta.
3
Quando acaba a tinta, basta trocar o refil, que é
vendido separadamente. Essas almofadas refil,
são disponibilizadas em vários cores de tinta.

Caneta carimbo

Carimbo base de madeira

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

4
O primeiro passo, será confeccionar a arte
final., que deverá ser impressa em modo negativo.

Arte final é a representação gráfica do desenho,


representativa da fiel impressão do carimbo.

Para confecção da arte final, é necessário


dispormos de algum software de desenho, como
por exemplo, o poderoso COREL DRAW.
Para os carimbos que terão estampas de
fotografias ou outros desenhos a serem
escaneados ou reproduzidos, a partir de algum
original, devemos utilizar um software de
captura de imagem, como o famoso Photoshop.

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

5
Após a captura da imagem, devemos acertar as
tonalidades de brilho e contraste, para que
fiquem bem nítidas. Também podemos efetuar
alguns retoques necessários, como por exemplo,
eliminação de alguma parte da imagem, que não
pretendemos que sejam gravadas no carimbo, ou
algum outro retoque necessário para eliminação
de possíveis defeitos na imagem capturada.
Após os devidos tratamentos da imagem, é
recomendável grava-la em uma pasta, com o
formato TIF, que é muito utilizado pelos
profissionais artes-finalistas, devido a
característica de não perder muita qualidade, no
ato da impressão.
Depois de gravada no formato TIF, inicia-se o
Corel Draw, importa-se essa imagem e realiza-se
a montagem do layout do carimbo, com a
inserção de textos, logotipos, fotografia, etc.

A arte final deverá ser impressa em uma película


denominada transparência, devendo ser utilizada
preferentemente, impressora laser de boa
qualidade, com emulação post Script.

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

6
A impressão deverá ter os seguintes parámetros:
1 - Lineatura: 120 LPI
2 - Tipo de retícula: Pontos elípticos ou
quadrados
3 - Tonalidade máxima: 85% - Tonalidade
mínima : 15%

Após a impressão da arte final, aplicar (sobre a


impressão) um produto enegressedor,
denominado Black Laser, facilmente encontrado
em papelarias ou em lojas de materiais para
carimbo.

PASSO A PASSO CARIMBOS COM


FOTOPOLIMEROS SÓLIDOS:

O fotopolímero sólido, que na realidade é flexível, é


um material sensível, que quando recebe os ráios de
luz ultravioleta, desenvolve uma reação química que
os torna sólido.

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

7
Para confeccionar o carimbo temos que expor o
fotopolimero aos ráios UV, nos dois lados do material,
para que após a revelação fique com a gravação de um
lado e a parte do verso, solidificada. Se não for
exposto dos dois lados, a parte que não recebeu luz
UV, se dissolverá no ato da revelação.

PRIMEIRA EXPOSIÇÃO – Verso do carimbo


Recorte um pedaço de fotopolímero, maior que as
dimensões finais do carimbo, coloque esse
fotopolímero sobre o vidro da expositora. A seguir
coloca-se um vidro de uns 3mm sobre o fotopolímero.
Sobre esse vidro, coloque um peso de 1,0 Kg. Em
seguida acenda as lâmpadas da expositora por 3
minutos.
Essa exposição refere-se ao verso do carimbo.
Se não submetermos esse verso do carimbo, à ação dos
ráios ultravioletas, o fotopolímero se dissolverá no ato
da revelação, que será abordado nos tópicos seguintes.
O local onde se realiza essa exposição na máquina
fotoincisora, deverá ter pouca luminosidade. Utilize
lâmpada fraca, de 30 ou 40 W, de cor vermelha ou
amarela e mantenha afastada uns 2 metros. Isso visa
impedir que a luz emitida por essa lâmpada, embora de
pouca intensidade, interfira na qualidade do carimbo.
Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.
Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

8
Lembre-se, o fotopolímero é sensível a luz UV. Toda
lâmpada emite ráios UV. Umas emitem mais, outras
emitem menos. As lâmpadas existentes no interior da
máquina fotoincisora emitem esses ráios de luz UV,
em grande quantidade, pois são lâmpadas especiais.
Nota: As lâmpadas comuns não emitem ráios UV na
quantidade necessários para efetuar a gravação perfeita
no fotopolímero, porém interferem na qualidade final,
promovendo uma leve incisão.

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

9
SEGUNDA EXPOSIÇÃO – Gravação do Carimbo

Coloque, sobre o vidro da expositora(fotoincisora), a


Arte final negativa, em modo legível, ou seja,
olhando para ela dá para ler.
Retire do fotopolímero sólido, a películas de plástico
transparente que vem nele, correspondente ao lado que
ainda não foi exposto aos ráios de luz UV. Às vezes, é
necessário esquentar um pouco, com um secador de
cabelos, para que essa película plástica, seja liberada
com facilidade.
Sobre a arte final, coloque o fotopolímero com o outro
lado, que ainda não foi exposto(que antes tinha a
película plástica, que foi retirada) voltada para a arte
final. Coloque um vidro de 3mm sobre o fotopolímero
e sobre esse vidro, coloque um peso de 1,0 Kg.
Acenda as luzes da expositora por 20 minutos
Nessa etapa realisa-se a gravação do desenho do
carimbo !

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

10
REVELAÇÃO DO FOTOPOLIMERO SÓLIDO

Coloque o fotopolimero dentro de um recipiente de


plástico, raso, com o lado da segunda exposição,
contendo a imagem gravada, voltado para cima.
Adicione nesse recipiente a solução reveladora –
Thinner. Segure a placa de fotopolimero com a pinça
e escove-o com a escova. Observe que a medida que se
vai escovando, vai surgindo a gravação em alto relevo.
Continue escovando até total revelação.

Escova Pinça

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

11
Depois de revelado, lave o fotopolimero gravado, com
detergente – lava louças, dissolvido em água, na
proporção de 50% de detergente e 50% de água.
Enxague-o com água corrente e em seguida, seque-o,
fazendo uso de um secador de cabelos.

TERCEIRA EXPOSIÇÃO:
Para reforçar a gravação, no sentido de solidificar
algum resíduo de fotopolímero que não completou o
ciclo de sua reação química, tornando efetivamente
sólido, devemos submeter a uma terceira exposição
aos ráios de luz ultravioletas.
Coloque o fotopolimero devidamente revelado, sobre o
vidro da expositora, com o lado da gravação voltado
para baixo e acenda as lampadas por 10 minutos.
Nesta etapa não há necessidade de colocar o vidro de
3mm, nem o peso de 1 Kg, !!!!!!!!!!
Terminada a terceira gravação, notamos que o
fotopolímero permanece um pouco pegajoso. Isso é
uma característica do próprio material.
Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.
Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

12
No sentido de eliminar essa ocorrência, podemos
opcionalmente submeter esse carimbo a um banho
final, em um material denominado AF POST, vendido
nas lojas de materiais para carimbo(Nova Era).
Em substituição a esse banho final, podemos aplicar
talco no fotopolimero gravado, que faz o mesmo
efeito, eliminando essa pegajosidade, característica do
material.

CARIMBOS DE FOTOPOLIMERO LÍQUIDO

Iremos precisar de 2 vidros de 4mm cada, nas


dimensões de mais ou menos 20 cm X 15 cm,
2 presilhas, fita adesiva - guarnição, película
transparente e película protetora.
Esses materiais é encontrado nos fornecedores de
materiais para carimbo !!!!!!

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

13
Presilhas

Presilhas com os 2 vidros

Presilhas com os 2 vidros

Rolo de guarnição

14
Guarnição. Observe que, em um dos lados
tem uma fita branca, protetora da cola
adesiva

Retire a fita branca, protetora


da cola adesiva e cole a borracha
preta no vidro para formar a represa.

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

15
PROCESSO PASSO A PASSO.
Coloque a arte final negativa, sobre o vidro da
expositora.
Sobre a arte final, coloque a película transparente,
sobre essa película transparente, cole a fita guarnição,
contornando o tamanho final do carimbo, no sentido
de criar-se uma represa.

Injete o fotopolimero liquido até preencher toda


represa. Sobre essa represa, formada pelo
fotopolímero, coloque a película protetora.
Em seguida, coloque o segundo vidro e prenda-os com
as presilhas.

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

16
PRIMEIRA EXPOSIÇÃO

Vire de ponta cabeça o conjunto formado pela


presilha e vidros com a represa de fotopolimero, e
coloque sobre o vidro da expositora, de modo que a
arte final (ou fotolito) fique na posição superior e
acenda as luzes ultravioletas, da expositora ou
fotoincisora, por 1 minuto.

Nesse momento efetuou-se a exposição do verso do


carimbo
Observe que ao virar o conjunto formado pelas
presilhas, vidro e a represa de fotopolimero líquido, a
arte final ou fotolito, ficou ilegível, ou seja, olhando
para a arte final, não dá para ler.
Nota: Tanto no fotopolimero sólido, quanto no
liquido, a primeira exposição, tem por objetivo,
endurecer o verso do carimbo, ou seja, o lado oposto
ao da gravação do desenho.
Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.
Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

17
SEGUNDA EXPOSIÇÃO – Gravação do carimbo
Desvire e coloque o conjunto formado pelas presilhas
e vidros com a represa de fotopolímeros, sobre os
vidros da expositora, de modo que a arte final fique na
posição inferior, próxima ao vidro da expositora e
acenda as luzes ultravioletas por 15
minutos.Transcorrido o tempo, desmonte o conjuto
formado pelas presilhas, vidros e fotopolímero, que
nesse estágio deverá ter passado para o estado sólido,
devido a reação química, provocada pelos raios
ultravioletas emitidos pelas lâmpadas existentes no
interior da máquina expositora.

REVELAÇÃO fotopolimero líquido, gravado

Mergulhe a placa de fotopolímero gravada pela


exposição aos ráios UV, dentro de um recipiente de
plástico, contendo água e detergente líquido (de lavar
louça). Passe um pincel sobre a área gravada, no
sentido de efetuar a revelação, que logo começará
formar o relevo do carimbo. Passe esse pincel várias
vezes até total revelação.
Enxague bem com água corrente.

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

18
NOTA:
Observe que no fotopolimero líquido, usamos ÁGUA,
como solução reveladora. Já no fotopolímero sólido,
é utilizado THINNER, como solução reveladora.
Os tempos de exposições dos fotopolímeros líquidos,
são diferentes dos fotopolímeros sólidos !!
TERCEIRA EXPOSIÇÃO
Coloque o carimbo formado pelo fotopolímero líquido,
sobre o vidro da máquina expositora, com as letras
voltadas para baixo e acenda as luzes UV, por 10
minutos.
Terminada a terceira gravação, notamos que o
fotopolímero permanece um pouco pegajoso. Isso é
uma característica do próprio material.
No sentido de eliminar essa ocorrência, podemos
opcionalmente submeter esse carimbo a um banho
final, em um material denominado AF-POST, vendido
nas lojas de materiais para carimbo(Nova era).
Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.
Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

19
Em substituição a esse banho final, podemos aplicar
talco no fotopolimero gravado, que faz o mesmo
efeito, eliminando essa pegajosidade, característica do
material.
MONATAGEM DO CARIMBO.

Atualmente as carcaças de carimbos já vem com


um adesivo para fixação do carimbo. Basta
remover o papel protetor desse adesivo e fixar o
carimbo, formado pelo fotopolimero.

Existe no mercado, diversos modelos de


carcaças de carimbo, que deverão ser
préviamente escolhida, no ato do atendimento ao
cliente, que fará sua opção, conforme suas
necessidades.
A montagem dos carimbos autotintáveis,
automáticos, etc., basta retirar a fita adesiva que
vem na carcaça e fixar o carimbo nela.
Quando a montagem for com bases de
madeira, devemos proceder da seguinte forma:
Recorte o fotopolímero gravado, nas dimensões
finais do carimbo, utilizando-se de uma tesoura.
Coloque talco sobre as letras e retire-o após
alguns minutos, utilizando-se de uma escova.
Em seguida, recorte uma ripa na medida do
fotopolímero, ou utiliza uma base de madeira já
pronta.

20
Marque o centro da ripa e fure com uma broca de
9/32 polegadas.
Recorte um pedaço de espuma própria para
montar carimbos. Pode ser usada borracha EVA.
Passe cola adesiva (de sapateiro) na ripa e em
um dos lados da espuma de EVA. Aguarde uns 5
minutos.

Pressione a espuma EVA, sobre a ripa, para que


seja colada.

Passe cola no verso do fotopolímero gravado e


sobre a espuma de EVA. Aguarde 5 minutos.
Pressione o fotopolímero sobre o EVA, para que
seja colado.

Coloque e cole o cabo do carimbo, com cola de


madeira.

Observe que normalmente o cabo tem uma


marca que indica a parte dianteira do carimbo.

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

21
MÁQUINA PARA FABRICAÇÃO DE CARIMBOS

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

22
Para confeccionar carimbos, com o uso de fotopolímero,
necessitaremos de um dispositivo que emita ráios de luz
ultravioleta e nos permite fazer a exposição da arte final,
representativa do carimbo, com esse material fotosenssível.

O modelo básico de máquina expositora, apresentado neste


manual, poderá sofrer modificações externas, bem como
receber acréscimo de dispositivos auxiliares, como por
exemplo: Led Emissor de Luz, que sinaliza quando a
máquina está ligada, Timer que desliga a máquina
automaticamente, após transcorrido o tempo pré-
programado, Prensa, em forma de tampa da caixa, que
comprime a arte final e o fotopolímero sólido, no ato da
exposição, substituindo a colocação de pesos, etc. etc.

Com o tempo, o leitor poderá acrescentar esses dispositivos


auxiliares, à medida que sua nova atividade profissional, for
se consolidando. Co isso, evita-se gastos de valores altos,
logo no início da atividade.
Dê asas à sua imaginação !!!
Existe no mercado, inúmeras máquinas de carimbos, com
preços variados. Esses preços variam, em função do custo
operacional do fabricante, consubstanciado ao modelo da
máquina, com seus respectivos acessórios e dispositivos
auxiliares.
Como sabemos, os fotopolímeros, são materiais sintéticos
sensíveis aos ráios de luz ultravioleta. Portanto, não é a
caixa da máquina, que pode ser de aço inoxidável ou
madeira, que faz a gravação do carimbo. Quem faz a
gravação, são os ráios ultravioletas emitidos pela lâmpadas
existentes no interior da máquina.

23
COMO MONTAR UMA EXPOSITORA PARA
CARIMBOS – que também denomina-se
Fotoincisora.
Prensa expositora
Prensa de contato
A confecção de uma expositora para exposição de fotopolímero, é
de fácil execução, bastando apenas que seja seguido os passos que
serão abordados nos tópicos seguintes.
Devemos confeccionar uma caixa de madeira
com as seguintes dimensões:
ALTURA: 15 CM
LARGURA: 20 CM
COMPRIMENTO: 50 CM

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

24
Na parte superior, deverá ser colocado um vidro transparente de
5mm de espessura, que poderá ser fixado com uso de dispositivos
para esse fim, que são colocados nos cantos da caixa, vendidos em
vidraçarias.
No interior da caixa, deverão ser colocados 2 sarrafos de madeira de
7,5 cm de largura por 2,5 cm de espessura. O comprimento deverá
ser medido depois de confeccionada a caixa, pois poderá variar sua
dimensão, conforme espessura da madeira utilizada;

Sobre esses sarrafos de madeira, deverão ser colocadas 2 lâmpadas


fluorescentes ultravioletas de 15 W. Essas lâmpadas deverão ser
colocadas sobre suportes específicos.

Deverá ser instalada uma chave liga desliga.

25
ESQUEMA ELETRICO DA MAQUINA EXPOSITORA

Obs. Nesse reator pode ser ligado 2 lâmpadas de 15W ou 20W.

Caso o carimbeiro pretenda trabalhar com fotopolímero líquido,


deverá confeccionar duas presilhas, que poderão ser confeccionadas
com barras de alumínio perfil U, conforme figura abaixo. Essas
barras de aluminio poderão ser adquiridas em empresas que
fabricam box para banheiro ou esquadrias de alumínio.
.
PRESILHAS

26
Em cada presilha deverão ser colocados 2 parafusos, que servirão
para fixar os vidros. Deverão utilizar-se de 2 vidros de 4mm de
espessura, conforme o contido na apostila
Caso a opção seja trabalhar com fotopolímero sólido, não há
necessidade das presilhas e dos vidros de 4mm.

PRESILHAS COM OS VIDROS

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

27
LISTA DE MATERIAIS PATA CONSTRUÇÃO DA
EXPOSITORA:

1 Chave Liga/desliga 4 Soquetes

4 suportes de lâmpadas 1 pino conector

2 – metros de cabo redondo flexível paralelo 18 AWG


1 – metro de fio flexível 20 AWG
1 – fita isolante
1 – reator eletrônico para 2 lâmpadas fluorescentes de 15 W cada.
2 – lâmpadas BLACKLIGHT F-15 W/350 BL- 78, marca
SYLVÃNIA ou similar (lâmpadas ultravioletas)
1 – vidro de 5mm de espessura,cujas dimensões deverão ser
colhidas após a confecção da caixa de madeira, no sentido
de evitar-se erros nas medidas.

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

28
FORNECEDORES DE MATERIAIS
Fotopolímero sólido e líquido, folha protetora, película transparente,
guarnição, bases para carimbo, almofadas, tints, etc.
INDUSTRIA E COMÉRCIO DE CARIMBOS MEDEIROS
Rua cinco s/nr. Bairro Jundiazinho - cidade Mairiporã – SP
www.medeiros.com.br
Fones: 0800-551005 e (11) 4486-1245

Data Kanji – ind. Com de carimbos


www.datakanji,com.br
Rua brasilina Fonseca, 343 – Bairro Jabaquara - São Paulo _ SP
Fone: (11) 5563-8167

Nova Era Ind. Comercio de Carimbos


www.ne.com.br
Fones: 0800-992250 - (11) 5613-2471

Sitari Ind. e Comercio (fornecedor das famosas canetas


Sitari).
www.sitari.com.br
Fone: (11) 6198-2525
Sr. Ricardo Sitari

Obs. As lâmpadas fluorescentes ultravioletas de 15 W, poderão ser


encontradas em lojas de materiais elétricos ou nas firmas:
Carimbos Medeiros ou na Nova Era.
Essas lâmpadas também são conhecidas como lâmpadas luz negra.
Também poderão ser encontradas em firmas que vendem materiais
para gráficas. As gráficas utilizam essas lâmpadas na maioria de
suas gravadoras de chapas. (Tem que ser luz Ultravioleta).

29
LISTA DE MATERIAIS PARA FABRICAÇÃO DE
CARIMBOS

CARIMBOS SÓLIDOS:
- Placas de fotopolímero sólido de para carimbos em
geral.
- Diversas carcaças ou bases para carimbos
autotintáveis de diversas medidas.
- Diversas carcaças ou bases para carimbos,
datadores, estojos carimbo, canetas carimbos, etc.
- Diversas carcaças ou bases para carimbos em
madeira e respectivos cabos.
- Solvente thinner, do mais fraco, de qualquer marca.
- Escova de 15,0 mm de largura, para revelar o
fotopolímero, após a gravação na fotoincisora.
- Uma pinça para segurar o fotopolimero.
- Uma vasilha de plástico ou vidro, tipo travessa,
para revelar o fotopolímero.
- Cola adesiva, tipo cola de sapateiro.
- Cola para madeira
- Uma folha de borracha EVA.
- Uma pinça, feita com duas lâminas de alumínio,
para segurar os fotopolimeros.
- Um frasco com talco.
- Um frasco de solução Af- Post (encontra na firma
Nova Era)
Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.
Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

30
CARIMBOS LÍQUIDOS
- um frasco de fotopolimero líquido.
- Algumas folhas protetoras (comprar em lojas de
materiais para carimbos)
- Algumas folhas transparentes (comprar em lojas de
materiais para carimbos)
- Um pincel ½ polegada, para revelar o fotopolimero
liquido. Também poderá ser utilizada uma escova
de 15,0 mm de largura.
- Um frasco de detengente líquido (lava louça)
- Fita guarnição, para represar o fotopolimero
líquido.
=================================
Escova de 15,0 mm de largura, utilizada na revelação
do fotopolimero sólido. Essa escova é encontrada no
mercado, para utilização engraxar sapatos. Existe uma
marca muito boa: CONDOR, ref. 0.

===================================
Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.
Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

31
PINÇA DE METAL
A pinça para segurar o fotopolímero, durante a etapa
de revelação, poderá ser confeccionado pelo próprio
profissional. Recorte dois pedaçõs de alumínio ou
ferro, nas medidas de 10,0 mm de largura, por 2,0mm
de espessura, por 15,0 mm de comprimento. Faça um
furo na extremidade superior e coloque um pequeno
parafuso. Desbaste as pontas das lâminas, conforme
consta na fugura abaixo:

OBS. Quando for comprar os materiais, compre


sempre nas lojas especializadas no atendimento a
profissionais de carimbos. Além de venderem os
produtos, concedem informações técnicas e manteêm
seus clientes sempre informados sobre novos produtos
e trecnologias.

32
Qualquer dúvida, estarei a sei inteiro dispor.

Nunca diz que você tem um grande problema


Diga a seu problema, que você tem um grande Deus.

Bons estudos e boa sorte !

Todos os direitos Reservados. Reprodução proibida ainda que parcial.


Art. 184 do Código Penal. - Lei 9610 de 19.02.98 - de Direitos Autorais
Autor: PAULO RUBENS NOGUEIRA DE AGUIAR

33

Você também pode gostar