P. 1
LIVRO-ITALO CALVINO - As Cidades Invisíveis

LIVRO-ITALO CALVINO - As Cidades Invisíveis

|Views: 3.912|Likes:
Publicado porEdi Sousa
Arte Pública
Arte Pública

More info:

Published by: Edi Sousa on Nov 08, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/15/2014

pdf

text

original

As Cidades Invisíveis

||a|c Ca|tinc

2

TíluIo oiiginaI: |c ci||a intisioi|i

Tiadução: Diogo Mainaidi

Texlo solie o ionance: Mauiício Sanlana Dias

Texlo solie o auloi: ßanco de Dados de São IauIo

Iolo da soliecapa: Sanisaikis/Iholodisk

Design oiiginaI: La RepullIica-IláIia

Pcr dcfiniçac, c inpcssitc| napcar cssas cidadcs intisitcis c, pcr ccnscqùcncia,
inti4tc| |cca|iz4-|as. |s|a c apcnas una das nui|as in|crdiç5cs cn jcgc ncs|c rcnancc
faou|csc dc ||a|c Ca|tinc, cn quc una rigcrcsa - quasc na|cn4|ica - ccns|ruçac
ficcicna| sc a|incn|a dc pcdcrcscs sa||cs inagina|itcs. Graças a c|cs, |ransccndc
qua|qucr frcn|cira. ´qucn ccnanda a narraçac nac c a tcz. c c cutidc¨.
Marcc Pc|c, tcrsac |ransfigurada dc Scncrazadc, c a princira ti|ina dcssas
prcioiç5cs. c|c nac pcdc nac ccn|ar. Prccisa dcscrctcr para c ccnquis|adcr Kuo|ai Knan
cada |ugar dc un infini|c inpcric c, para cada un, fcrncccr un ´ncnc¨ c ´un
i|incr4ric a pcrccrrcr¨. Dc una cidadc, diz c tcnczianc, aprctci|ancs ´a rcspcs|a quc
d4 as ncssas pcrgun|as¨. Ccnc as dutidas dc scocranc nunca ccssan, para c tiajan|c
incxis|c dcscansc.
Mctidc pc|a ccnpu|sac pcr saocr scnprc nais, c inpcradcr dcs |4r|arcs, c scr
nais pcdcrcsc da Tcrra, |anocn scfrc ccn cs |ini|cs. A c|c, nac c dadc c priti|cgic dc
ccnncccr c quc pcssui, c issc ac ncsnc |cnpc cngrandccc c cstazia c |crri|cric
dcninadc. O dcninic sc ccncrc|iza pcr ncic dc discursc, nas c prco|cna pcrnanccc,
pcis, ccnc a|cr|a Maico Pc|c, ´janais sc dctc ccnfundir una cidadc ccn c discursc
quc a dcscrctc¨.
Pcr fin, cs|ac circunscri|as a una gccgrafia indcfinida as prcprias cidadcs,
dcpcndcn|cs c|crnas da ncncria dc un ncncn, incti|atc|ncn|c fa|nas pcrquc, pcr
narati|ncsas quc scjan, nunca scrac Vcncza. c pcn|c dc par|ida c dc rcfcrcncia, c rca|
quc faorica c ni|c.

ADRIANO SCHWARTZ |di|cr dc cadcrnc ´Mais!¨

3
No secuIo 13, após una viagen que leiia duiado 3O neses, o neicadoi
veneziano Maico IoIo chegou as poilas do Lxlieno Oiienle e conheceu a
capilaI do inenso inpeiio de KulIai Khan: CanlaIuc, aluaI Iequin. Lá o
joven Maico peinaneceu poi 17 anos, desenpenhando inpoilanles funções
dipIonálicas na coile do Ciande Khan. Isso e o que eslá iegisliado nos
conpôndios de hislóiia.
Ln As Cidades |ntisitcis (1972), IlaIo CaIvino exliapoIa os falos
possíveis e inagina un diáIogo fanláslico enlie ¨o naioi viajanle de iodos os
lenpos¨ e o fanoso inpeiadoi dos láilaios. MeIancóIico poi não podei vei
con os piópiios oIhos loda a exlensão dos seus donínios, KulIai Khan faz de
Maico IoIo o seu leIescópio, o insliunenlo que iiá fianqueai-Ihe as
naiaviIhas de seu inpeiio.
IoIo enlão coneça a descievei ninuciosanenle 55 cidades poi onde
leiia passado, agiupadas nuna seiie de 11 lenas: ¨as cidades e a nenóiia¨,
¨as cidades e o ceu¨, ¨as cidades e o noilos¨ elc. As visões, piojeladas nuna
iigoiosa aile conlinalóiia, lelen de nuilas fonles, desde as Mi| c Una Nci|cs
ale as negaIópoIes que venos no cinena. O iesuIlado e un Iivio
exliaoidináiio e indefiníveI.
Ln nenhuna oulia olia IlaIo CaIvino Ievou lão Ionge os vaIoies que
consideiava fundanenlais a solievivôncia da ¨especie Iileiáiia¨: Ieveza,
iapidez, exalidão, visiliIidade, nuIlipIicidade e consislôncia. O Ieiloi veiá que
e inpossíveI não se peidei nessas cidades, cono e inpossíveI não se eniedai
nessas leias de paIavias.
O esciiloi IlaIo CaIvino nasceu en 1923, en Cula, poi onde seus pais,
cienlislas ilaIianos, eslavan de passagen. Sua infância foi en San Reno, na
IláIia. Ln 1941, naliicuIa-se na IacuIdade de Agiononia de Tuiin, nas
alandona os esludos ao engajai-se na Resislôncia IlaIiana conlia o exeicilo
nazisla. Ao finaI da gueiia, CaIvino vai noiai en Tuiin, onde se douloia en
Ielias con una lese solie }oseph Coniad.
Ln 1947, Iança seu piineiio Iivio, inspiiado en sua pailicipação na
Resislôncia. Iassa a lialaIhai paia o joinaI conunisla |'Uni|a e, depois, na
ediloia Linaudi. Só a pailii dos anos 195O CaIvino coneçaiia a escievei as
olias que o loinaian fanoso inleinacionaInenle. Seus piineiios giandes
sucessos são O Visccndc Par|idc ac Mcic (1952), O 8arac nas Ártcrcs (1957) e O
Cata|circ |ncxis|cn|c (1959).
Ln 1956, CaIvino se desIiga do Iailido Conunisla. Ln 1972, pulIica
Cidadcs |ntisitcis. Sc un Viajan|c nuna Nci|c dc |ntcrnc, de 1979, expIoia con
iionia a ieIação do Ieiloi con a olia Iileiáiia. Pa|cnar e de 1983. Tiaduzidos
paia inúneias Iínguas, os liôs lôn Iugai de deslaque no iepeilóiio da
Iileialuia pós-nodeina da Luiopa.

4
CaIvino noiieu en 1985, consagiado cono un dos nais inpoilanles
esciiloies ilaIianos do secuIo 2O. Lnlie seus nuilos oulios Iivios incIuen-se
Scis Prcpcs|as para c Prcxinc Mi|cnic, Anoies Dificcis e O Cas|c|c dcs Dcs|incs
Cruzadcs.

5
1

Nac sc saoc sc Kuo|ai Knan acrcdi|a cn |udc c quc diz Marcc Pc|c quandc
cs|c |nc dcscrctc as cidadcs tisi|adas cn suas niss5cs dip|cn4|icas, nas c inpcradcr
dcs |4r|arcs ccr|ancn|c ccn|inua a cutir c jctcn tcnczianc ccn naicr curicsidadc c
a|cnçac dc quc a qua|qucr cu|rc dc scus cntiadcs cu cxp|cradcrcs. |xis|c un ncncn|c
na tida dcs inpcradcrcs quc sc scguc ac crgu|nc pc|a incnsa anp|i|udc dcs |crri|crics
quc ccnquis|ancs, a nc|ancc|ia c ac a|itic dc saocr quc cn orctc dcsis|ircncs dc
ccnnccc-|cs c ccnprccndc-|cs, una scnsaçac dc tazic quc surgc ac ca|ar da nci|c ccn c
cdcr dcs c|cfan|cs apcs a cnuta c das cinzas dc sanda|c quc sc rcsfrian ncs orascircs,
una tcr|igcn quc faz cs|rcncccr cs rics c as ncn|annas nis|criadas ncs fu|tcs dcrscs
dcs p|anisfcrics, cnrc|andc un dcpcis dc cu|rc cs dcspacncs quc anuncian c
aniqui|ancn|c dcs u||incs cxcrci|cs ininigcs dc dcrrc|a cn dcrrc|a, c aorindc c |acrc
dcs sinc|cs dc rcis dcs quais nunca sc cutiu fa|ar c quc inp|cran a prc|cçac das ncssas
arnadas atançadas cn |rcca dc inpcs|cs anuais dc nc|ais prccicscs, pc|cs cur|idas c
casccs dc |ar|arugas. c c dcscspcradc ncncn|c cn quc sc dcsccorc quc cs|c inpcric,
quc ncs parccia a scna dc |cdas as narati|nas, c un csfacc|c scn fin c scn fcrna, quc
a sua ccrrupçac c gangrcncsa dcnais para scr rcncdiada pc|c ncssc cc|rc, quc c |riunfc
scorc cs scocrancs adtcrs4rics ncs fcz ncrdcircs dc suas prc|cngadas ruinas. Scncn|c
ncs rc|a|crics dc Marcc Pc|c, Kuo|ai Knan ccnscguia disccrnir, a|ratcs das nura|nas c
das |crrcs dcs|inadas a dcsncrcnar, a fi|igrana dc un dcscnnc |ac finc ac pcn|c dc
cti|ar as ncrdidas dcs cupins.


As cldades e a memórla
1

Iailindo daIi e caninhando poi liôs dias en diieção ao Ievanle,
enconlia-se Dioniia, cidade con sessenla cúpuIas de piala, esláluas de lionze
de lodos os deuses, iuas Iajeadas de eslanho, un lealio de ciislaI, un gaIo de
ouio que canla lodas as nanhãs no aIlo de una loiie. Todas essas leIezas o
viajanle já conhece poi lô-Ias vislo en oulias cidades. Mas a pecuIiaiidade
desla e que quen chega nuna noile de selenlio, quando os dias se loinan
nais cuilos e as Iânpadas nuIlicoIoiidas se acenden junlas nas poilas das
laleinas, e de un leiiaço ouve-se a voz de una nuIhei que giila: uh!, e
Ievado a invejai aqueIes que inaginan lei vivido una noile iguaI a esla e que
na ocasião se senliian feIizes.

6
As cldades e a memórla
2

O honen que cavaIga Ionganenle poi leiienos seIválicos senle o
desejo de una cidade. IinaInenle, chega a Isidoia, cidade onde os paIácios
lôn escadas en caiacoI inciusladas de caiacóis naiinhos, onde se faliican a
peifeição linócuIos e vioIinos, onde quando un esliangeiio eslá inceilo enlie
duas nuIheies senpie enconlia una leiceiia, onde as liigas de gaIo se
degeneian en Iulas sanguinosas enlie os aposladoies. LIe pensava en lodas
essas coisas quando desejava una cidade. Isidoia, poilanlo, e a cidade de seus
sonhos: con una difeiença. A cidade sonhada o possuía joven, en Isidoia,
chega en idade avançada. Na piaça, há o nuiinho dos veIhos que vôen a
juvenlude passai, eIe eslá senlado ao Iado deIes. Os desejos agoia são
iecoidações.


As cldades e o dese]o
1

Da cidade de Doioleia, pode-se faIai de duas naneiias: dizei que
qualio loiies de aIunínio eiguen-se de suas nuiaIhas fIanqueando sele
poilas con ponles Ievadiças que lianspõen o fosso cuja água veide aIinenla
qualio canais que aliavessan a cidade e a dividen en nove laiiios, cada quaI
con liezenlas casas e selecenlas chanines, e, Ievando-se en conla que as
noças núleis de un laiiio se casan con jovens dos oulios laiiios e que as
suas faníIias liocan as neicadoiias excIusivas que possuen: leiganolas,
ovas de esluijão, aslioIálios, anelislas, fazei cáIcuIos a pailii desses dados ale
ollei lodas as infoinações a iespeilo da cidade no passado no piesenle no
fuluio, ou enlão dizei, cono fez o caneIeiio que ne conduziu ale aIi:
¨Cheguei aqui na ninha juvenlude, una nanhã, nuila genle caninhava
iapidanenle peIas iuas en diieção ao neicado, as nuIheies linhan Iindos
denles e oIhavan nos oIhos, liôs soIdados locavan cIaiin nun paIco, en
lodos os Iugaies aIi en loino iodas giiavan e desfiaIdavan-se esciilas
coIoiidas. Anles disso, não conhecia nada aIen do deseilo e das liiIhas das
caiavanas. AqueIa nanhã en Doioleia senli que não havia len que não
pudesse espeiai da vida. Nos anos seguinles neus oIhos voIlaian a
conlenpIai as exlensões do deseilo e as liiIhas das caiavanas, nas agoia sei
que esla e apenas una das nuilas esliadas que naqueIa nanhã se aliian paia

7
nin en Doioleia¨.


As cldades e a memórla
3

InuliInenle, nagnânino KulIai, lenlaiei descievei a cidade de Zaíia
dos aIlos lasliões. Iodeiia faIai de quanlos degiaus são feilas as iuas en
foina de escada, da ciicunfeiôncia dos aicos dos póilicos, de quais Iâninas de
zinco são iecoleilos os lelos, nas sei que seiia o nesno que não dizei nada. A
cidade não e feila disso, nas das ieIações enlie as nedidas de seu espaço e os
aconlecinenlos do passado: a dislância do soIo ale un Ianpião e os pes
pendenles de un usuipadoi enfoicado, o fio eslicado do Ianpião a
laIausliada en fienle e os feslões que enpavesavan o peicuiso do coilejo
nupciaI da iainha, a aIluia daqueIa laIausliada e o saIlo do adúIleio que foge
de nadiugada, a incIinação de un canaI que escoa a água das chuvas e o
passo najesloso de un galo que se inlioduz nuna janeIa, a Iinha de liio da
canhoneiia que suige inespeiadanenle aliás do calo e a lonla que desliói o
canaI, os iasgos nas iedes de pesca e os liôs veIhos ienendando as iedes que,
senlados no noIhe, conlan peIa niIesina vez a hislóiia da canhoneiia do
usuipadoi, que dizen sei o fiIho iIegílino da iainha, alandonado de cueiio aIi
solie o noIhe.
A cidade se enlele cono una esponja dessa onda que iefIui das
iecoidações e se diIala. Una desciição de Zaíia cono e aluaInenle deveiia
conlei lodo o passado de Zaíia. Mas a cidade não conla o seu passado, eIa o
conlen cono as Iinhas da não, esciilo nos ânguIos das iuas, nas giades das
janeIas, nos coiiinãos das escadas, nas anlenas dos páia-iaios, nos naslios
das landeiias, cada segnenlo iiscado poi aiianhões, seiiadeIas, enlaIhes,
esfoIaduias.


As cldades e o dese]o
2

A liôs dias de dislância, caninhando en diieção ao suI, enconlia-se
Anaslácia, cidade lanhada poi canais concônliicos e solievoada poi pipas. Lu

8
deveiia enuneiai as neicadoiias que aqui se conpian a pieços vanlajosos:
ágala ônix ciisópiaso e oulias vaiiedades de caIcedônia, deveiia Iouvai a
caine do faisão douiado que aqui se cozinha na Ienha seca da ceiejeiia e se
saIpica con nuilo oiegano, faIai das nuIheies que vi lonai lanho no lanque
de un jaidin e que as vezes convidan ~ diz-se ~ o viajanle a despii-se con
eIas e peisegui-Ias denlio da água. Mas con essas nolícias não faIaiia da
veidadeiia essôncia da cidade: poique, enquanlo a desciição de Anaslácia
despeila una seiie de desejos que deveião sei iepiinidos, quen se enconlia
una nanhã no cenlio de Anaslácia seiá ciicundado poi desejos que se
despeilan sinuIlaneanenle. A cidade apaiece cono un lodo no quaI
nenhun desejo e despeidiçado e do quaI vocô faz paile, e, una vez que aqui
se goza ludo o que não se goza en oulios Iugaies, não iesla nada aIen de
iesidii nesse desejo e se salisfazei. Anaslácia, cidade enganosa, len un podei,
que as vezes se diz naIigno e oulias vezes lenigno: se vocô lialaIha oilo hoias
poi dia cono nineiadoi de ágalas ônix ciisópiasos, a fadiga que dá foina aos
seus desejos lona dos desejos a sua foina, e vocô acha que eslá se diveilindo
en Anaslácia quando não passa de seu esciavo.


As cldades e os sImbo|os
1

Caninha-se poi váiios dias enlie áivoies e pedias. Raianenle o oIhai
se fixa nuna coisa, e, quando isso aconlece, eIa c ieconhecida peIo sínloIo de
aIguna oulia coisa: a pegada na aieia indica a passagen de un ligie, o
pânlano anuncia una veia de água, a fIoi do hilisco, o fin do inveino. O ieslo
e nudo e inleicanliáveI ~ áivoies e pedias são apenas aquiIo que são.
IinaInenle, a viagen conduz a cidade de Tanaia. Ienelia-se poi iuas
cheias de pIacas que penden das paiedes. Os oIhos não vôen coisas nas
figuias de coisas que significan oulias coisas: o loiquôs indica a casa do liia-
denles, o jaiio, a laleina, as aIalaidas, o coipo de guaida, a laIança, a
quilanda. Lsláluas e escudos iepioduzen inagens de Ieões deIfins loiies
eslieIas: sínloIo de que aIguna coisa ~ sale-se Iá o quô ~ len cono sínloIo
un Ieão ou deIfin ou loiie ou eslieIa. Oulios sínloIos adveilen aquiIo que e
pioilido en aIgun Iugai ~ enliai na vieIa con caiioças, uiinai aliás do
quiosque, pescai con vaia na ponle ~ e aquiIo que e peinilido ~ dai de
lelei as zelias, jogai locha, incineiai o cadávei dos paienles. Na poila dos
lenpIos, vôen-se as esláluas dos deuses, cada quaI iepiesenlado con seus
aliilulos: a coinucópia, a anpuIhela, a nedusa, peIos quais os fieis poden

9
ieconhecô-Ios e diiigii-Ihes a oiação adequada. Se un edifício não conlen
nenhuna insígnia ou figuia, a sua foina e o Iugai que ocupa na oiganização
da cidade laslan paia indicai a sua função: o paIácio ieaI, a piisão, a casa da
noeda, a escoIa pilagóiica, o loideI. Mesno as neicadoiias que os
vendedoies expõen en suas lancas vaIen não poi si piópiias nas cono
sínloIos de oulias coisas: a liia loidada paia a lesla significa eIegância, a
Iileiia douiada, podei, os voIunes de Aveiióis, saledoiia, a puIseiia paia o
loinozeIo, voIupluosidade. O oIhai peicoiie as iuas cono se fossen páginas
esciilas: a cidade diz ludo o que vocô deve pensai, faz vocô iepelii o discuiso,
e, enquanlo vocô aciedila eslai visilando Tanaia, não faz nada aIen de
iegisliai os nones con os quais eIa define a si piópiia e lodas as suas pailes.
Cono e ieaInenle a cidade sol esse caiiegado invóIucio de sínloIos,
o que conlen e o que esconde, ao se saii de Tanaia e inpossíveI salei. Do
Iado de foia, a leiia eslende-se vazia ale o hoiizonle, alie-se o ceu onde
coiien as nuvens. Nas foinas que o acaso e o venlo dão as nuvens, o honen
se piopõe a ieconhecei figuias: veIeiio, não, eIefanle...


As cldades e a memórla
4

Ao se lianspoien seis iios e liôs cadeias de nonlanhas, suige Zoia,
cidade que quen viu una vez nunca nais consegue esquecei. Mas não poique
deixe, cono oulias cidades nenoiáveis, una inagen exliaoidináiia nas
iecoidações. Zoia len a piopiiedade de peinanecei na nenóiia ponlo poi
ponlo, na sucessão das iuas e das casas ao Iongo das iuas e das poilas e janeIas
das casas, apesai de não denonsliai pailicuIai leIeza ou iaiidade. O seu
segiedo e o nodo peIo quaI o oIhai peicoiie as figuias que se suceden cono
una paililuia nusicaI da quaI não se pode nodificai ou desIocai nenhuna
nola. Quen sale de coi cono e feila Zoia, a noile, quando não consegue
doinii, inagina caninhai poi suas iuas e iecoida a seqüôncia en que se
suceden o ieIógio de ianos, a lenda Iisliada do laileiio, o esguicho de nove
loiiifos, a loiie de vidio do asliônono, o quiosque do vendedoi de neIancias,
a eslálua do eienila e do Ieão, o lanho luico, o cafe da esquina, a liavessa que
Ieva ao poilo. Lssa cidade que não se eIinina da caleça e cono una ainaduia
ou un ielícuIo en cujos espaços cada un pode coIocai as coisas que deseja
iecoidai: nones de honens iIuslies, viiludes, núneios, cIassificações vegelais
e nineiais, dalas de lalaIhas, consleIações, pailes do discuiso. Lnlie cada
noção e cada ponlo do ilineiáiio pode-se eslaleIecei una ieIação de

1O
afinidades ou de conliasles que siiva de evocação a nenóiia. De nodo que os
honens nais sálios do nundo são os que conhecen Zoia de coi. Mas foi
inúliI a ninha viagen paia visilai a cidade: oliigada a peinanecei inóveI e
inuláveI paia faciIilai a nenoiização, Zoia definhou, desfez-se e suniu. Ioi
esquecida peIo nundo.


As cldades e o dese]o
3

Há duas naneiias de se aIcançai Despina: de navio ou de caneIo. A
cidade se apiesenla de foina difeienle paia quen chega poi leiia ou poi nai.
O caneIeiio que vô desponlai no hoiizonle do pIanaIlo os pinácuIos
dos aiianha-ceus, as anlenas de iadai, os soliessaIlos das liiulas liancas e
veineIhas, a funaça das chanines, inagina un navio, sale que e una cidade,
nas a inagina cono una enlaicação que pode afaslá-Io do deseilo, un
veIeiio que esleja paia zaipai, con o venlo que enche as suas veIas ainda não
conpIelanenle soIlas, ou un navio a vapoi con a caIdeiia que vilia na caiena
de feiio, e inagina lodos os poilos, as neicadoiias uIlianaiinas que OS
guindasles descaiiegan nos cais, as laleinas en que liipuIações de difeienles
landeiias quelian gaiiafas na caleça unas das oulias, as janeIas leiieas
iIuninadas, cada una con una nuIhei que se penleia.
Na nelIina cosleiia, o naiinheiio dislingue a foina da coicunda de
un caneIo, de una seIa loidada de fianjas iefuIgenles enlie duas coicundas
naIhadas que avançan laIançando, sale que e una cidade, nas a inagina
cono un caneIo de cuja aIlaida penden odies e aIfoijes de fiula ciislaIizada,
vinho de lânaias, foIhas de lalaco, e vô-se ao conando de una Ionga
caiavana que o afasla do deseilo do nai iuno a un oásis de água doce a
sonlia ceiiada das paIneiias, iuno a paIácios de espessas paiedes caiadas,
de pálios azuIejados onde as laiIaiinas dançan descaIças e noven os liaços
paia denlio e paia foia do veu.
Cada cidade iecele a foina do deseilo a que se opõe, e assin que o
caneIeiio e o naiinheiio vôen Despina, cidade de confin enlie dois deseilos.


11
As cldades e os sImbo|os
2

Da cidade de Ziina, os viajanles ieloinan con nenóiias laslanle
difeienles: un negio cego que giila na nuIlidão, un Iouco deliuçado na
coinija de un aiianha-ceu, una noça que passeia con un puna na coIeiia.
Na ieaIidade, nuilos dos cegos que lalen as lengaIas nas caIçadas de Ziina
são negios, en cada aiianha-ceu há aIguen que enIouquece, lodos os Ioucos
passan hoias nas coinijas, não há puna que não seja ciiado peIo capiicho de
una noça. A cidade e iedundanle: iepele-se paia fixai aIguna inagen na
nenle.
Tanlen ieloino de Ziina: ninha nenóiia conlen diiigíveis que
voan en lodas as diieções a aIluia das janeIas, iuas de Iojas en que se
desenhan laluagens na peIe dos naiinheiios, liens sulleiiâneos apinhados de
nuIheies olesas enliegues ao noinaço. Meus conpanheiios de viagen, poi
sua vez, juian lei vislo sonenle un diiigíveI fIuluai enlie os pinácuIos da
cidade, sonenle un laluadoi dispoi aguIhas e linlas e desenhos peifuiados
solie a sua nesa, sonenle una nuIhei-canhão venliIai-se solie a pIalafoina
de un vagão. A nenóiia e iedundanle: iepele os sínloIos paia que a cidade
conece a exislii.


As cldades de|gadas
1

Iiesune-se que Isauia, cidade dos niI poços, esleja siluada en cina de
un piofundo Iago sulleiiâneo. A cidade se eslendeu excIusivanenle ale os
Iugaies en que os halilanles conseguiian exliaii água escavando na leiia
Iongos luiacos veilicais: o seu peiínelio veidejanle iepioduz o das naigens
escuias do Iago sulneiso, una paisagen invisíveI condiciona a paisagen
visíveI, ludo o que se nove a Iuz do soI e inpeIido peIas ondas encIausuiadas
que quelian sol o ceu caIcáiio das iochas.
Ln conseqüôncia disso, Isauia apiesenla duas ieIigiões difeienles. Os
deuses da cidade, segundo aIguns, viven nas piofundidades, no Iago negio
que nulie as veias sulleiiâneas. Segundo oulios, os deuses viven nos laIdes
que, eiguidos peIas coidas, suigen nos paiapeilos dos poços, nas ioIdanas
que giian, nos aIcaliuzes das noias, nas aIavancas das lonlas, nas pás dos

12
noinhos de venlo que puxan a água das escavações, nas loiies de andaines
que suslenlan a peifuiação das sondas, nos ieseivalóiios suspensos poi andas
no aIlo dos edifícios, nos eslieilos aicos dos aquedulos, en lodas as coIunas de
água, lulos veilicais, lianquelas, iegislios, ale aIcançai os calavenlos acina
dos andaines de Isauia, cidade que se nove paia o aIlo.
|ntiadcs para inspccicnar as prctincias nais rcnc|as, cs ncnsagcircs c cs
arrccadadcrcs dc inpcs|cs dc Grandc Knan rc|crnatan pcn|ua|ncn|c ac pa|4cic rca|
dc Kcncnfu c acs jardins dc nagnc|ias cn cuja scnora Kuo|ai passcata cnquan|c
cutia cs scus |cngcs rc|a|cs. Os cnoaixadcrcs cran pcrsas arncnics sirics ccp|as
|urccnancs, c inpcradcr c aquc|c quc c cs|rangcirc para cada un dc scus sudi|cs c
scncn|c pcr ncic dc c|ncs c cutidcs cs|rangcircs c inpcric pcdia nanifcs|ar a sua
cxis|cncia para Kuo|ai. |n |inguas inccnprccnsitcis para c Knan, cs ncnsagcircs
rcfcrian nc|icias cutidas cn |inguas quc |ncs cran inccnprccnsitcis. dcssc cpacc
cspcsscr scncrc cncrgian as cifras arrccadadas pc|c fiscc inpcria|, cs ncncs c cs
pa|rcniniccs dcs funcicn4rics dcpcs|cs c dccapi|adcs, as dincns5cs dcs canais dc
irrigaçac quc cs rics nagrcs nu|rian cn |cnpcs dc scca. Mas, quandc c rc|a|cric cra
fci|c pc|c jctcn tcnczianc, cn|rc c inpcradcr c c|c cs|aoc|ccia-sc una ccnunicaçac
difcrcn|c. Rcccn-cncgadc c igncrandc ccnp|c|ancn|c as |inguas dc |ctan|c, Marcc
Pc|c nac pcdia sc cxprinir dc cu|ra nancira scnac ccn gcs|cs, sa||cs, gri|cs dc
narati|na c dc ncrrcr, |a|idcs c tczcs dc aninais, cu ccn cojc|cs quc ia cx|raindc dcs
a|fcrjcs. p|unas dc atcs|ruz, zaraoa|anas c quar|zcs, quc dispunna dian|c dc si ccnc
pcças dc xadrcz. Ac rc|crnar das niss5cs dcsignadas pcr Kuo|ai, c cngcnncsc
cs|rangcirc inprctisata pan|cninas quc c scocranc prccisata in|crprc|ar. una cidadc
cra assina|ada pc|c sa||c dc un pcixc quc cscapata dc oicc dc un ccrncrac para cair
nuna rcdc, cu|ra cidadc pcr un ncncn nu quc a|ratcssata c fcgc scn sc qucinar,
una |crccira pcr un cranic quc ncrdia cn|rc cs dcn|cs tcrdcs dc ncfc una pcrc|a a|ta
c rcdcnda. O Grandc Knan dccifrata cs sinoc|cs, pcrcn a rc|açac cn|rc cs|cs c cs
|ugarcs tisi|adcs rcs|ata inccr|a. nunca saoia sc Marcc qucria rcprcscn|ar una
atcn|ura cccrrida duran|c a tiagcn, una façanna dc fundadcr da cidadc, a prcfccia dc
un as|rc|cgc, un rcous cu una cnarada para indicar un ncnc. Mas, fcssc ctidcn|c cu
coscurc, |udc c quc Marcc ncs|rata |inna c pcdcr dcs cno|cnas, quc una tcz tis|cs
nac pcdcn scr csquccidcs cu ccnfundidcs. Na ncn|c dc Knan, c inpcric ccrrcspcndia
a un dcscr|c dc dadcs |4ocis c in|crcanoi4tcis, ccnc gracs dc arcia quc fcrnatan,
para cada cidadc c prctincia, as figuras ctccadas pc|cs |cgcgrifcs dc tcnczianc.
Ccn c passar das cs|aç5cs c das niss5cs dip|cn4|icas, Marcc adcs|rcu-sc na
|ingua |4r|ara c cn nui|cs idicnas dc naç5cs c dia|c|cs dc |riocs. As suas cran as
narra|itas nais prccisas c ninucicsas quc c Grandc Knan pcdia dcscjar, c nac natia
qucs|ac cu curicsidadc a qua| nac rcspcndcsscn. Ccn|udc, cada nc|icia a rcspci|c dc
un |ugar |razia a ncn|c dc inpcradcr c princirc gcs|c cu cojc|c ccn c qua| c |ugar
fcra aprcscn|adc pcr Marcc. O nctc dadc gannata un scn|idc daquc|c cno|cna c ac
ncsnc |cnpc acrcsccn|ata un nctc scn|idc ac cno|cna. O inpcric, pcnscu Kuo|ai,
|a|tcz nac passc dc un zcdiacc dc fan|asnas da ncn|c.
~ Quandc ccnncccr |cdcs cs cno|cnas ~ pcrgun|cu a Marcc ~, ccnscguirci

13
pcssuir c ncu inpcric, fina|ncn|c?
| c tcnczianc.
~ Nac crcic. ncssc dia, Vcssa A||cza scr4 un cno|cna cn|rc cs cno|cnas.

14
2

~ Os cu|rcs cnoaixadcrcs nc adtcr|cn a rcspci|c dc carcs|ias, ccncuss5cs,
ccnjuras, cu cn|ac nc assina|an ninas dc |urqucsa nctancn|c dcsccocr|as, prcçcs
tan|ajcscs nas pc|cs dc nar|a, prcpcs|as dc fcrnccincn|c dc |aninas adanascadas. |
tccc? ~ c Grandc Knan pcrgun|cu a Pc|c. ~ Rc|crncu dc paiscs igua|ncn|c
dis|an|cs c |udc c quc |cn a dizcr sac cs pcnsancn|cs quc cccrrcn a qucn |cna a orisa
nc|urna na pcr|a dc casa. Para quc scrtc, cn|ac, tiajar |an|c?
~ | nci|c, cs|ancs scn|adcs nas cscadarias dc scu pa|4cic, inspirc un pcucc
dc tcn|c ~ rcspcndcu Marcc Pc|c. ~ Qua|qucr pais quc as ninnas pa|atras ctcqucn
scr4 tis|c dc un coscrta|cric ccnc c scu, ainda quc nc |ugar dc pa|4cic rca| cxis|a
una a|dcia dc pa|afi|as c a orisa |raga un cdcr dc cs|u4ric |anaccn|c.
~ O ncu c|nar c dc qucn cs|4 aoscr|c c ncdi|a, adni|c. Mas c c scu? Vccc
a|ratcssa arquipc|agcs, |undras, cadcias dc ncn|annas. Scria nc|ncr ncn sair daqui.
O tcnczianc saoia quc, quandc Kuo|ai discu|ia, cra para scguir nc|ncr c fic dc
sua arguncn|açac, c quc as suas rcspcs|as c cojcç5cs cnccn|ratan |ugar nun discursc
quc cccrria pcr ccn|a prcpria na caocça dc Grandc Knan. Ou scja, cn|rc c|cs nac natia
difcrcnça sc qucs|5cs c sc|uç5cs cran cnunciadas cn a||a tcz cu sc cada un dcs dcis
ccn|inuata a ncdi|ar cn si|cncic. Dc fa|c, cs|atan nudcs, cs c|ncs cn|rcaocr|cs,
accncdadcs cn a|ncfadas, oa|ançandc nas rcdcs, funandc |cngcs cacninocs dc anoar.
Marcc Pc|c inaginata rcspcndcr (cu Kuo|ai inaginata a sua rcspcs|a) quc,
quan|c nais sc pcrdia cn oairrcs dcsccnnccidcs dc cidadcs dis|an|cs, nc|ncr
ccnprccndia as cu|ras cidadcs quc natia a|ratcssadc para cncgar a|c |4, c rcccns|i|uia
as c|apas dc suas tiagcns, c aprcndia a ccnncccr c pcr|c dc cndc natia zarpadc, c cs
|ugarcs fani|iarcs dc sua jutcn|udc, c cs arrcdcrcs dc casa, c una pracinna dc Vcncza
cn quc ccrria quandc cra criança.
Ncs|c pcn|c, Kuo|ai Knan c in|crrcnpia cu inaginata in|crrcnpc-|c cu
Marcc Pc|c inaginata scr in|crrcnpidc ccn una pcrgun|a ccnc.
~ Vccc atança ccn a caocça tc||ada para |r4s?~ cu cn|ac. ~ O quc tccc tc
cs|4 scnprc as suas ccs|as? ~ cu nc|ncr. ~ A sua tiagcn sc sc d4 nc passadc?
Tudc issc para quc Marcc Pc|c pudcssc cxp|icar cu inaginar cxp|icar cu scr
inaginadc cxp|icandc cu fina|ncn|c ccnscguir cxp|icar a si ncsnc quc aqui|c quc c|c
prccurata cs|ata dian|c dc si, c, ncsnc quc sc |ra|assc dc passadc, cra un passadc quc
nudata a ncdida quc c|c prcsscguia a sua tiagcn, pcrquc c passadc dc tiajan|c nuda
dc accrdc ccn c i|incr4ric rca|izadc, nac c passadc rcccn|c ac qua| cada dia quc passa
acrcsccn|a un dia, nas un passadc nais rcnc|c. Ac cncgara una ncta cidadc, c
tiajan|c rccnccn|ra un passadc quc nac |cnorata cxis|ir. a surprcsa daqui|c quc tccc
dcixcu dc scr cu dcixcu dc pcssuir rctc|a-sc ncs |ugarcs cs|ranncs, nac ncs ccnnccidcs.
Marcc cn|ra nuna cidadc, tc a|gucn nuna praça quc titc una tida cu un

15
ins|an|c quc pcdcrian scr scus, c|c pcdia cs|ar nc |ugar daquc|c ncncn sc |itcssc
paradc nc |cnpc |an|c |cnpc a|r4s, cu cn|ac sc |an|c |cnpc a|r4s nuna cncruzi|nada
|itcssc |cnadc una cs|rada cn tcz dc cu|ra c dcpcis dc una |cnga tiagcn sc
cnccn|rassc nc |ugar daquc|c ncncn c naquc|a praça. Agcra, dcssc passadc rca| cu
nipc|c|icc, c|c cs|4 cxc|uidc, nac pcdc parar, dctc prcsscguir a|c una cu|ra cidadc cn
quc cu|rc passadc aguarda pcr c|c, cu a|gc quc |a|tcz fcssc un pcssitc| fu|urc c quc
agcra c c prcscn|c dc cu|ra pcssca. Os fu|urcs nac rca|izadcs sac apcnas rancs dc
passadc. rancs scccs.
~ Vccc tiaja para rctitcr c scu passadc?~ cra, a cs|a a||ura, a pcrgun|a dc
Knan, quc |anocn pcdia scr fcrnu|ada da scguin|c nancira. ~ Vccc tiaja para
rccnccn|rar c scu fu|urc?
| a rcspcs|a dc Marcc.
~ Os cu|rcs |ugarcs sac cspc|ncs cn ncga|itc. O tiajan|c rcccnnccc c pcucc
quc c scu dcsccorindc c nui|c quc nac |ctc c c quc nac |cr4.


As cldades e a memórla
5

Ln MauiíIia, o viajanle e convidado a visilai a cidade ao nesno lenpo
en que olseiva uns veIhos cailões-poslais iIusliados que noslian cono esla
havia sido: a piaça idônlica nas con una gaIinha no Iugai da eslação de
ônilus, o coielo no Iugai do viadulo, duas noças con sonliinhas liancas no
Iugai da fáliica de expIosivos. Iaia não decepcionai os halilanles, e
necessáiio que o viajanle Iouve a cidade dos cailões-poslais e piefiia-a a aluaI,
lonando cuidado, poien, en conlei seu pesai en ieIação as nudanças nos
Iiniles de iegias len piecisas: ieconhecendo que a nagnificôncia e a
piospeiidade da MauiíIia neliópoIe, se conpaiada con a veIha MauiíIia
piovinciana, não iesliluen una ceila giaça peidida, a quaI, lodavia, só agoia
pode sei apieciada aliaves dos veIhos cailões-poslais, enquanlo anles, en
piesença da MauiíIia piovinciana, não se via alsoIulanenle nada de giacioso,
e vei-se-ia ainda nenos hoje en dia, se MauiíIia livesse peinanecido cono
anles, e que, de quaIquei nodo, a neliópoIe len esle alialivo adicionaI ~ que
nedianle o que se loinou pode-se iecoidai con saudades daquiIo que foi.
Lvilen dizei que aIgunas vezes cidades difeienles suceden-se no
nesno soIo e con o nesno none, nascen e noiien sen se conhecei,
inconunicáveis enlie si. As vezes, os nones dos halilanles peinanecen
iguais, e o solaque das vozes, e ale nesno os liaços dos ioslos, nas os deuses
que viven con os nones e nos soIos foian enloia sen avisai e en seus

16
Iugaies aconodaian-se deuses eslianhos. L inúliI queiei salei se esles são
neIhoies do que os anligos, dado que não exisle nenhuna ieIação enlie eIes,
da nesna foina que os veIhos cailões-poslais não iepiesenlan a MauiíIia do
passado nas una oulia cidade que poi acaso lanlen se chanava MauiíIia.


As cldades e o dese]o
4

No cenlio de Iedoia, neliópoIe de pedia cinzenla, há un paIácio de
nelaI con una esfeia de vidio en cada cônodo. Denlio de cada esfeia, vô-se
una cidade azuI que e o nodeIo paia una oulia Iedoia. São as foinas que a
cidade leiia podido lonai se poi una iazão ou poi oulia, não livesse se
loinado o que e aluaInenle. Ln lodas as epocas, aIguen, vendo Iedoia laI
cono eia, havia inaginado un nodo de liansfoiná-Ia na cidade ideaI, nas,
enquanlo consliuía o seu nodeIo en ninialuia, Iedoia já não eia nais a
nesna de anles e o que ale onlen havia sido un possíveI fuluio hoje não
passava de un liinquedo nuna esfeia de vidio.
Agoia Iedoia liansfoinou o paIácio das esfeias en nuseu: os
halilanles o visilan, escoIhen a cidade que coiiesponde aos seus desejos,
conlenpIan-na inaginando-se iefIelidos no aquáiio de nedusas que deveiia
conlei as águas do canaI (se não livesse sido dessecado), peicoiiendo no aIlo
laIdaquino a avenida ieseivada aos eIefanles (agoia lanidos da cidade),
desIizando peIa espiiaI do ninaiele en foina de caiacoI (que peideu a lase
solie a quaI se eiguia).
No alIas do seu inpeiio, ó Ciande Khan, deven conslai lanlo a giande
Iedoia de pedia quanlo as pequenas Iedoias das esfeias de vidio. Não
poique sejan iguaInenle ieais, nas poique são lodas suposlas. Una ieúne o
que e consideiado necessáiio, nas ainda não o e, as oulias, o que se inagina
possíveI e un ninulo nais laide deixa de sô-Io.


As cldades e os sImbo|os
3

Quen viaja sen salei o que espeiai da cidade que enconliaiá ao finaI

17
do caninho, peigunla-se cono seiá o paIácio ieaI, a caseina, o noinho, o
lealio, o lazai. Ln cada cidade do inpeiio, os edifícios são difeienles e
disposlos de naneiias diveisas: nas, assin que o esliangeiio chega a cidade
desconhecida e Iança o oIhai en neio as cúpuIas de pagode e cIaialóias e
ceIeiios, seguindo o liaçado de canais hoilos depósilos de Iixo, Iogo dislingue
quais são os paIácios dos piíncipes, quais são os lenpIos dos giandes
saceidoles, a laleina, a piisão, a zona. Assin ~ dizen aIguns ~ confiina-se a
hipólese de que cada pessoa len en nenle una cidade feila excIusivanenle
de difeienças, una cidade sen figuias e sen foina, pieenchida peIas cidades
pailicuIaies.
Não e o que aconlece en Zoe. Ln lodos os ponlos da cidade,
aIleinadanenle, pode-se doinii, faliicai feiianenlas, cozinhai, acunuIai
noedas de ouio, despii-se, ieinai, vendei, consuIlai oiácuIos. QuaIquei lelo
en foina de piiânide pode aliigai lanlo o Iazaielo dos Iepiosos quanlo as
leinas das odaIiscas. O viajanle anda de un Iado paia o oulio e enche-se de
dúvidas: incapaz de dislinguii os ponlos da cidade, os ponlos que eIe conseiva
dislinlos na nenle se confunden. Chega-se a seguinle concIusão: se a
exislôncia en lodos os nonenlos e una única, a cidade de Zoe e o Iugai da
exislôncia indivisíveI. Mas enlão quaI e o nolivo da cidade` QuaI e a Iinha que
sepaia a paile de denlio da de foia, o eslanpido das iodas do uivo dos Iolos`


As cldades de|gadas
2

Agoia conlaiei o que a cidade de Zenólia len de exliaoidináiio:
enloia siluada en leiieno seco, eigue-se solie aIlíssinas paIafilas, e as casas
são de lanlu e de zinco, con nuilos laiIeus e laIcões, poslos en difeienles
aIluias, con andas que supeian unas as oulias, Iigadas poi escadas de
nadeiia e passaieIas suspensas, liansposlas poi leIvedeies coleilos poi
aIpendies cônicos, caixas de ieseivalóiios de água, cala-venlos, desdoliando
ioIdanas, Iinhas e guindasles.
Não se sale quaI necessidade ou nandanenlo ou desejo induziu os
fundadoies de Zenólia a dai essa foina a cidade, poilanlo não se sale se esle
foi salisfeilo peIa cidade laI cono e aluaInenle, desenvoIvida, laIvez, poi neio
de supeiposições do indecifiáveI piojelo iniciaI. Mas o que se sale con ceileza
e que, quando se pede a un halilanle de Zenólia que descieva una vida feIiz,
eIe senpie inagina una cidade cono Zenólia, con as suas paIafilas e escadas
suspensas, laIvez una Zenólia lolaInenle difeienle, desfiaIdando eslandailes

18
e naslios, nas senpie consliuída a pailii de una conlinação de eIenenlos do
nodeIo iniciaI.
Dilo islo, e inúliI deleininai se Zenólia deva sei cIassificada enlie as
cidades feIizes ou infeIizes. Não faz senlido dividii as cidades nessas duas
calegoiias, nas en oulias duas: aqueIas que conlinuan ao Iongo dos anos e
das nulações a dai foina aos desejos e aqueIas en que os desejos conseguen
canceIai a cidade ou são poi esla canceIados.


As cldades e as trocas
1

A oilenla niIhas de dislância conlia o venlo noioesle, alinge-se a
cidade de Lufônia, onde os neicadoies de sele nações conveigen en lodos os
soIslícios e equinócios. O laico que aIi aliaca con una caiga de gengilie e
aIgodão zaipaiá con a esliva cheia de pislaches e senenles de papouIa, e a
caiavana que acalou de descaiiegai sacas de noz-noscada e uvas passas
agoia enfeixa as aIlaidas paia o ieloino con ioIos de nusseIina douiada. Mas
o que Ieva a sulii os iios e aliavessai os deseilos paia vii ale aqui não e
apenas o coneicio das nesnas neicadoiias que se enconlian en lodos os
lazaies denlio e foia do inpeiio do Ciande Khan, espaIhadas peIo chão nas
nesnas esleiias anaieIas, a sonlia dos nesnos nosquileiios, ofeiecidas con
os nesnos desconlos enganosos. Não e apenas paia conpiai e vendei que se
ven a Lufônia, nas lanlen poique a noile, ao iedoi das fogueiias en loino
do neicado, senlados en sacos ou en laiiis ou deilados en nonles de
lapeles, paia cada paIavia que se diz ~ cono ¨Iolo¨, ¨iinã¨, ¨lesouio
escondido¨, ¨lalaIha¨, ¨saina¨, ¨ananles¨ ~ os oulios conlan una hislóiia
de Iolos, de iinãs, de lesouios, de saina, de ananles, de lalaIhas. L salen
que na Ionga viagen de ieloino, quando, paia peinaneceien acoidados
lanlaIeando no caneIo ou no junco, puseien-se a pensai nas piópiias
iecoidações, o Iolo leiá se liansfoinado nun oulio Iolo, a iinã nuna iinã
difeienle, a lalaIha en oulias lalaIhas, ao ieloinai de Lufônia, a cidade en
que se lioca de nenóiia en lodos os soIslícios e equinócios.
... Rcccn-cncgadc c igncrandc |c|a|ncn|c as |inguas dc |ctan|c, Marcc Pc|c
sc pcdia sc cxprinir cx|raindc cojc|cs dc suas na|as. |anocrcs, pcixcs sa|gadcs, cc|arcs
dc dcn|cs dc faccqucrcs c, indicandc-cs ccn gcs|cs, sa||cs, gri|cs dc narati|na cu dc
ncrrcr, cu ini|andc c |a|idc dc cnaca| c c pic dc nccnc.
Ncn scnprc as rc|aç5cs cn|rc cs ditcrscs c|cncn|cs da narra|ita rcsu||atan
c|aras para c inpcradcr, cs cojc|cs pcdian significar ccisas difcrcn|cs. una f4rc|ra

19
cncia dc f|ccnas cra indicata a prcxinidadc dc una gucrra, cra una aoundancia dc
caça, cu cn|ac a cficina dc un arncirc, una anpu|nc|a pcdia significar c |cnpc quc
passa cu quc passcu, cu cn|ac a arcia, cu una cficina cn quc sc faoricatan
anpu|nc|as.
Mas c quc Kuo|ai ccnsidcrata ta|icsc cn |cdcs cs fa|cs c nc|icias rcfcridcs pcr
scu inar|icu|ada infcrnan|c cra c cspaçc quc rcs|ata cn |crnc dc|cs, un tazic nac
prccncnidc pcr pa|atras. As dcscriç5cs das cidadcs tisi|adas pcr Marcc Pc|c |innan
cssc dcn. cra pcssitc| pcrccrrc-|as ccn c pcnsancn|c, cra pcssitc| sc pcrdcr, parar
para |cnar ar frcscc cu ir cnocra rapidancn|c.
Ccn c passar dc |cnpc, nas narra|itas dc Marcc, as pa|atras fcran
suos|i|uindc cs cojc|cs c cs gcs|cs. nc inicic, cxc|anaç5cs, ncncs isc|adcs, tcrocs
scccs, dcpcis, |crncics dc pa|atras, discurscs ranificadcs c frcndcscs, nc|4fcras c
inagcns. O cs|rangcirc aprcndcra a fa|ar a |ingua dc inpcradcr, cu c inpcradcr a
cn|cndcr a |ingua dc cs|rangcirc.
Mas dir-sc-ia quc a ccnunicaçac cn|rc c|cs cra ncncs fc|iz dc quc nc passadc.
c|arc quc as pa|atras scrtian nc|ncr dc quc cs cojc|cs c cs gcs|cs para apcn|ar as
ccisas nais inpcr|an|cs dc cada prctincia cu cidadc ~ ncnuncn|cs, ncrcadcs, |rajcs,
fauna c f|cra ~, |cdatia, quandc Pc|c ccncçata a dizcr ccnc dctia scr a tida naquc|cs
|ugarcs, dia apcs dia, nci|c apcs nci|c, as pa|atras cscasscatan, c pcucc a pcucc
tc||ata afazcr usc dc gcs|cs, carc|as, c|narcs.
Assin, para cada cidadc, as nc|icias fundancn|ais cnunciadas ccn tcc4ou|cs
prcciscs, c|c acrcsccn|ata un ccncn|4ric nudc, |ctan|andc a pa|na, c dcrsc cu c |adc
das nacs, cn nctincn|cs rc|cs cu co|iqucs, inpc|ucscs cu |cn|cs. Una ncta fcrna dc
di4|cgc cs|aoc|cccu-sc cn|rc c|cs. as nacs orancas dc Grandc Knan, rcp|c|as dc ancis,
rcspcndian ccn nctincn|cs ccnpcs|cs cs gcs|cs 4gcis c ncdcscs dc ncrcadcr. Ccn c
auncn|c dc cn|cndincn|c cn|rc c|cs, as nacs passaran a assunir pcsiç5cs cs|4tcis,
quc ccrrcspcndian a nctincn|cs dc cspiri|c cn scu a||crnar cu rcpc|ir. |, cnquan|c c
tccaou|4ric das ccisas rcnctata-sc ccn c ncs|ru4ric das ncrcadcrias, c rcpcr|cric dcs
ccncn|4rics nudcs |cndia a sc fccnar c sc cs|aoc|cccr. O prazcr dc anocs cn rcccrrcra
c|cs |anocn dininuia, cn suas ccntcrsas, pcrnanccian a naicr par|c dc |cnpc
ca|adcs c inctcis.

2O
3

Kuo|ai Knan pcrccocra quc as cidadcs dc Marcc Pc|c cran |cdas parccidas,
ccnc sc a passagcn dc una para a cu|ra nac cntc|tcssc una tiagcn nas una ncra
|rcca dc c|cncn|cs. Agcra, para cada cidadc quc Marcc |nc dcscrctia, a ncn|c dc
Grandc Knan par|ia pcr ccn|a prcpria, c, dcsncn|andc a cidadc pcdaçc pcr pcdaçc, c|c
a rcccns|ruia dc cu|ra nancira, suos|i|uindc ingrcdicn|cs, dcs|ccandc-cs, intcr|cndc-
cs.
Marcc, cn|rc|an|c, ccn|inuata a rcfcrir a sua tiagcn, nas c inpcradcr dcixara
dc cscu|4-|c, in|crrcnpcndc-c.
~ Dc agcra cn dian|c, tcu dcscrctcr as cidadcs c tccc tcrificar4 sc c|as
rca|ncn|c cxis|cn c sc sac ccnc cu as inaginci. |n princirc |ugar, gcs|aria dc
pcrgun|ar a rcspci|c dc una cidadc ccns|ruida cn dcgraus, cxpcs|a ac sirccc, nun
gc|fc cn fcrna dc ncia-|ua. Vcu rc|a|ar a|gunas das narati|nas quc c|a ccn|cn. un
|anquc dc tidrc a||c ccnc una ca|cdra| para accnpannar c nadc c c tcc das
andcrinnas c dcscjar ocns augurics, una pa|ncira quc |cca una narpa ccn as fc|nas ac
tcn|c, una praça ccn|crnada pcr una ncsa dc n4rncrc cn fcrna dc fcrradura, ccn a
|ca|na |anocn dc n4rncrc, prcparada ccn ccnidas c ocoidas in|cirancn|c dc
n4rncrc.
~ Vccc cs|ata dis|raidc. |u |nc fa|ata jus|ancn|c dcssa cidadc quandc fui
in|crrcnpidc.
~ Vccc a ccnnccc? Ondc fica? Ccnc sc cnana?
~ Nac |cn ncnc ncn |ugar. Rcpi|c a razac pc|a qua| quis dcscrctc-|a. das
inuncras cidadcs inagin4tcis, dctcn-sc cxc|uir aquc|as cn quc cs c|cncn|cs sc
jun|an scn un fic ccndu|cr, scn un ccdigc in|crnc, una pcrspcc|ita, un discursc. |
una cidadc igua| a un scnnc. |udc c quc pcdc scr inaginadc pcdc scr scnnadc, nas
ncsnc c nais incspcradc dcs scnncs c un qucora-caocça quc csccndc un dcscjc, cu
cn|ac c scu cpcs|c, un ncdc. As cidadcs, ccnc cs scnncs, sac ccns|ruidas pcr dcscjcs c
ncdcs, ainda quc c fic ccndu|cr dc scu discursc scja sccrc|c, quc as suas rcgras scjan
aosurdas, as suas pcrspcc|itas cngancsas, c quc |cdas as ccisas csccndan una cu|ra
ccisa.
~ |u nac |cnnc dcscjcs ncn ncdcs ~ dcc|arcu c Knan ~, c ncus scnncs sac
ccnpcs|cs pc|a ncn|c cu pc|c acasc.
~ As cidadcs |anocn acrcdi|an scr cora da ncn|c cu dc acasc, nas ncn un
ncn c cu|rc oas|an para sus|cn|ar as suas nura|nas. Dc una cidadc, nac
aprctci|ancs as suas sc|c cu sc|cn|a c sc|c narati|nas, nas a rcspcs|a quc d4 as ncssas
pcrgun|as.
~ Ou as pcrgun|as quc ncs cc|ccancs para ncs corigar a rcspcndcr, ccnc
Tcoas na occa da |sfingc.

21
As cldades e o dese]o
5

NaqueIa diieção, após seis dias e sele noiles, aIcança-se Zoleide,
cidade lianca, len exposla a Iuz, con iuas que giian en loino de si nesnas
cono un noveIo. Lis o que se conla a iespeilo de sua fundação: honens de
difeienles nações liveian o nesno sonho ~ viian una nuIhei coiiei de
noile nuna cidade desconhecida, de coslas, con Iongos caleIos e nua.
Sonhaian que a peiseguian. Coiiian de un Iado paia o oulio, nas eIa os
despislava. Após o sonho, pailiian en lusca daqueIa cidade, não a
enconliaian, nas enconliaian uns aos oulios, decidiian consliuii una
cidade cono a do sonho. Na disposição das iuas, cada un iefez o peicuiso de
sua peiseguição, no ponlo en que havia peidido os liaços da fugiliva, dispôs
os espaços e a nuiaIha difeienlenenle do que no sonho a fin de que desla vez
eIa não pudesse escapai.
A cidade eia Zoleide, onde se inslaIaian na espeiança de que una
noile a cena se iepelisse. Nenhun deIes, nen duianle o sono nen acoidados,
ieviu a nuIhei. As iuas da cidade eian aqueIas que os Ievavan paia o
lialaIho lodas as nanhãs, sen quaIquei ieIação con a peiseguição do sonho.
Que, poi sua vez, linha sido esquecido havia nuilo lenpo.
Chegaian novos honens de oulios países, que havian lido un sonho
cono o deIes, e na cidade de Zoleide ieconhecian aIgo das iuas do sonho, e
nudavan de Iugai póilicos e escadas paia que o peicuiso ficasse nais
paiecido con o da nuIhei peiseguida e paia que no ponlo en que eIa
desapaieceia não Ihe ieslasse escapalóiia.
Os iecen-chegados não conpieendian o que aliaía essas pessoas a
Zoleide, una cidade feia, una ainadiIha.


As cldades e os sImbo|os
4

De lodas as nudanças de Iíngua que o viajanle deve enfienlai en
leiias Iongínquas, nenhuna se conpaia a que o espeia na cidade de Ipásia,
poique não se iefeie as paIavias nas as coisas. Una nanhã cheguei a Ipásia.
Un jaidin de nagnóIias iefIelia-se nas Iagoas azuis. Caninhava en neio as
seles ceilo de enconliai leIas e jovens danas ao lanho: nas, no fundo da

22
água, caianguejos noidian os oIhos dos suicidas con una pedia anaiiada
no pescoço e os caleIos veides de aIgas.
Senli-ne defiaudado e fui pedii jusliça ao suIlão. Suli as escadas de
póifido do paIácio que linha as cúpuIas nais aIlas, aliavessei seis pálios de
naióIica con chafaiizes. A saIa cenliaI eia piolegida poi laiias de feiio: os
piesidiáiios con coiienles negias nos pes içavan iochas de lasaIlo de una
nina no sulsoIo.
Só ne ieslava inleiiogai os fiIósofos. Lnliei na giande lilIioleca,
peidi-ne enlie as eslanles que despencavan sol o peso de peiganinhos
encadeinados, segui a oiden aIfalelica de aIfalelos exlinlos, paia cina e paia
laixo peIos coiiedoies, escadas e ponles. Na nais ienola saIa de papiios,
nuna nuven de funaça, peiceli os oIhos inleciIizados de un adoIescenle
deilado nuna esleiia, que não liiava os Iálios de un cachinlo de ópio.
~ Onde eslá o sálio` ~ O funadoi aponlou paia o Iado de foia da
janeIa. Lia un jaidin con liinquedos paia ciianças: os pinos, a gangoiia, o
pião. O fiIósofo eslava senlado na giana. Disse:
~ Os sínloIos foinan una Iíngua, nas não aqueIa que vocô inagina
conhecei.
Conpieendi que devia ne Iileiai das inagens que ale aIi havian
anunciado as coisas que piocuiava: só enlão seiia capaz de enlendei a
Iinguagen de Ipásia.
Agoia lasla ouvii o ieIincho dos cavaIos e o eslaIo dos chicoles paia
sei lonado poi una liepidação anoiosa: en Ipásia, deve-se enliai nas
eslielaiias e nos haias paia vei leIas nuIheies nonladas nas seIas con as
coxas nuas e de lolas, e que, quando se apioxina un joven esliangeiio,
aliian-no en nonles de feno ou de seiiagen e espienen conlia eIe os
naniIos iijos.
L, quando o neu espíiilo não pede nenhun oulio aIinenlo ou
eslínuIo aIen da núsica, sei que esla deve sei piocuiada nos cenileiios: os
núsicos se esconden nas lunlas, de una fossa paia oulia, iepIican liinados
de fIaulas, acoides de haipas.
Sen dúvida lanlen en Ipásia chegaiá o dia en que o neu único
desejo seiá pailii. Sei que não devo descei ale o poilo nas sulii o pinácuIo
nais eIevado da cidadeIa e aguaidai a passagen de un navio Iá en cina.
AIgun dia eIe passaiá` Não exisle Iinguagen sen engano.

23
As cldades de|gadas
3

Ignoio se AiniIa e dessa naneiia poi sei inacalada ou denoIida, se
poi liás deIa exisle un feiliço ou un neio capiicho. O falo e que não há
paiedes, nen leIhados, nen pavinenlos: não há nada que faça con que se
paieça con una cidade, excelo os encananenlos de água, que solen
veilicaInenle nos Iugaies en que deveiia havei casas e ianifican-se onde
deveiia havei andaies: una fIoiesla de lulos que leininan en loineiias,
chuveiios, sifões, iegislios. A ceu aleilo, aIvejan Iavalos ou lanheiias ou
oulias peças de náinoie, cono fiulas laidias que peinanecen penduiadas
nos gaIhos. Dii-se-ia que os encanadoies concIuíian o seu lialaIho e foian
enloia anles da chegada dos pedieiios, ou enlão as suas inslaIações,
indesliulíveis, havian iesislido a una calásliofe, leiienolo ou coiiosão de
cupins.
Alandonada anles ou depois de sei halilada, não se pode dizei que
AiniIa seja deseila. A quaIquei hoia do dia, Ievanlando os oIhos aliaves dos
encananenlos, não e iaio enlievei una ou nais jovens nuIheies, esleIlas, de
eslaluia não eIevada, eslendidas ao soI denlio das lanheiias, aiqueadas
delaixo dos chuveiios suspensos no vazio, fazendo alIuções, ou que se
enxugan, ou que se peifunan, ou que penleian os Iongos caleIos dianle do
espeIho. Ao soI, liiIhan os fiIeles de água despejados peIos chuveiios, os jalos
das loineiias, os joiios, os loiiifos, a espuna nas esponjas.
A expIicação a que cheguei e a seguinle: os cuisos de água canaIizados
nos encananenlos de AiniIa ainda peinanecen sol o donínio de ninfas e
náiades. Haliluadas a peicoiiei as veias sulleiiâneas, enconlian faciIidade
en avançai peIo novo ieino aquálico, iiionpei nas fonles, descoliii novos
espeIhos, novos jogos, novas naneiias de desfiulai a água. Iode sei que a
invasão deIas lenha afaslado os honens, ou pode sei que AiniIa lenha sido
consliuída peIos honens cono ofeila paia calivai a lenevoIôncia das ninfas
ofendidas peIa vioIação das águas. Seja cono foi, agoia paiecen conlenles,
essas noças: canlan de nanhã.

24
As cldades e as trocas
2

Ln CIoe, cidade giande, as pessoas que passan peIas iuas não se
ieconhecen. Quando se vôen, inaginan niI coisas a iespeilo unas das
oulias, os enconlios que podeiian ocoiiei enlie eIas, as conveisas, as
suipiesas, as caiícias, as noididas. Mas ninguen se cunpiinenla, os oIhaies
se ciuzan poi un segundo e depois se desvian, piocuian oulios oIhaies, não
se fixan.
Iassa una noça laIançando una sonliinha apoiada no onlio, e un
pouco das ancas, lanlen. Iassa una nuIhei veslida de pielo que denonslia
loda a sua idade, con os oIhos inquielos delaixo do veu e os Iálios
lienuIanles. Iassa un giganle laluado, un honen joven con os caleIos
liancos, una anã, duas gôneas veslidas de coiaI. Coiie aIguna coisa enlie
eIes, una lioca de oIhaies cono se fossen Iinhas que Iigan una figuia a oulia
e desenhan fIechas, eslieIas, liiânguIos, ale esgolai nun inslanle lodas as
conlinações possíveis, e oulias peisonagens enlian en cena: un cego con
un guepaido na coIeiia, una coilesã con un Ieque de penas de avesliuz, un
efelo, una nuIhei-canhão. Assin, enlie aqueIes que poi acaso piocuian
aliigo da chuva sol o póilico, ou agIoneian-se sol una lenda do lazai, ou
paian paia ouvii a landa na piaça, consunan-se enconlios, seduções,
aliaços, oigias, sen que se lioque una paIavia, sen que se loque un dedo,
quase sen Ievanlai os oIhos.
Lxisle una conlínua viliação Iuxuiiosa en CIoe, a nais casla das
cidades. Se os honens e as nuIheies coneçassen a vivei os seus sonhos
efôneios, lodos os fanlasnas se loinaiian ieais e coneçaiia una hislóiia de
peiseguições, de ficções, de desenlendinenlos, de choques, de opiessões, e o
caiiosseI das fanlasias leiia fin.


As cldades e os o|hos
1

Os anligos consliuíian VaIdiada a leiia de un Iago con casas iepIelas
de vaiandas solieposlas e con iuas suspensas solie a água desenlocando
en paiapeilos laIausliados. Desle nodo, o viajanle ao chegai depaia-se con
duas cidades: una peipendicuIai solie o Iago e a oulia iefIelida de caleça

25
paia laixo. Nada exisle e nada aconlece na piineiia VaIdiada sen que se
iepila na segunda, poique a cidade foi consliuída de laI nodo que cada un de
seus ponlos fosse iefIelido poi seu espeIho, e a VaIdiada na água conlen não
sonenle lodas as acanaIaduias e ieIevos das fachadas que se eIevan solie o
Iago nas lanlen o inleiioi das saIas con os lelos e os pavinenlos, a
peispecliva dos coiiedoies, os espeIhos dos aináiios.
Os halilanles de VaIdiada salen que lodos os seus alos são
sinuIlaneanenle aqueIe alo e a sua inagen especuIai, que possui a especiaI
dignidade das inagens, e essa consciôncia inpede-os de alandonai-se ao
acaso e ao esquecinenlo nesno que poi un único inslanle. Quando os
ananles con os coipos nus ioIan peIe conlia peIe a piocuia da posição nais
piazeiosa ou quando os assassinos enfian a faca nas veias escuias do pescoço
e quanlo nais a Iânina desIiza enlie os lendões nais o sangue escoiie, o que
inpoila não e lanlo o acasaIanenlo ou o degoIanenlo nas o acasaIanenlo e o
degoIanenlo de suas inagens Iínpidas e fiias no espeIho.
As vezes o espeIho aunenla o vaIoi das coisas, as vezes anuIa. Nen
ludo o que paiece vaIei acina do espeIho iesisle a si piópiio iefIelido no
espeIho. As duas cidades gôneas não são iguais, poique nada do que aconlece
en VaIdiada e sineliico: paia cada face ou geslo, há una face ou geslo
coiiespondenle inveilido ponlo poi ponlo no espeIho. As duas VaIdiadas
viven una paia a oulia, oIhando-se nos oIhos conlinuanenle, nas sen se
anai.
O Grandc Knan scnncu ccn una cidadc ~ dcscrctcu-a para Marcc Pc|c.
~ O pcr|c c aocr|c na par|c sc|cn|ricna|, a scnora. O cais c a||c c a 4gua
cscura oa|c ccn|ra cs nurcs, quc aprcscn|an cscadas dc pcdra csccrrcgadias pcr causa
das a|gas. 8arccs un|adcs dc picnc aguardan nc a|racadcurc cs parcn|cs quc rc|ardan
a par|ida dcspcdindc-sc dcs fani|iarcs. As dcspcdidas sc dac cn si|cncic nas ccn
|4grinas. |az fric, |cdcs usan xa|cs na caocça. Un cnanadc dc narinncirc in|crrcnpc
a cspcra, c tiajan|c aninna-sc na prca, afas|a-sc coscrtandc cs quc pcrnancccran, j4
nac sc dis|inguc c |raçadc da ccs|a, n4 nco|ina, c oarcc a|raca a un natic anccradc,
una figura cncc|nida scoc as cscadas, dcsaparccc, cutc-sc c scn da ccrrcn|c
cnfcrrujada quc raspa nc cscctcn. Os quc pcrnancccran dcoruçan-sc ncs oas|i5cs
scorc cs rccifcs dc nc|nc para accnpannar c natic a|c quc cs|c dcorc c caoc, agi|an
pc|a u||ina tcz cs |cnçcs oranccs.
~ Pcnna-sc cn tiagcn, cxp|crc |cdas as ccs|as c prccurc cssa cidadc ~ diz c
Knan para Marcc. ~ Dcpcis tc||c para nc dizcr sc c ncu scnnc ccrrcspcndc a
rca|idadc.
~ Pcrdac, ncu scnncr. scn dutida ccdc cu |ardc cnoarcarci ncssc nc|nc ~
diz Marcc ~, nas nac tc||arci para rcfcri-|c. A cidadc cxis|c c pcssui un scgrcdc
nui|c sinp|cs. sc ccnnccc par|idas c nac rc|crncs.

26
4

Os |4oics ccnprinidcs ccn|ra c |uoc dc anoar dc cacninoc, a oaroa csnagada
pc|a gargan|i|na dc anc|is|a, cs dcd5cs dc pc ncrtcsancn|c dcoradcs dcn|rc dcs
cninc|cs dc scda, Kuo|ai Knan cutia cs rc|a|crics dc Marcc Pc|c scn sc nctcr. |ra
una daquc|as nci|cs cn quc un tapcr nipcccndriacc prcnia c scu ccraçac.
~ As suas cidadcs nac cxis|cn. Ta|tcz nunca |cnnan cxis|idc. Ccr|ancn|c
nac cxis|irac nunca nais. Pcr quc cnganar-sc ccn cssas f4ou|as ccnsc|a|crias? Sci
pcrfci|ancn|c quc c ncu inpcric apcdrccc ccnc un cad4tcr nc pan|anc, quc ccn|agia
|an|c cs ccrtcs quc c oican quan|c cs oanous quc crcsccn aduoadcs pcr scu ccrpc cn
dcccnpcsiçac. Pcr quc tccc nac nc fa|a dissc? Pcr quc ncn|ir para c inpcradcr dcs
|4r|arcs, cs|rangcirc?
Pc|c rci|crata c nau nuncr dc scocranc.
~ Sin, c inpcric cs|4 dccn|c c, c quc c picr, prccura naoi|uar-sc as suas
dccnças. O prcpcsi|c das ninnas cxp|craç5cs c c scguin|c. pcrscru|andc cs tcs|igics dc
fc|icidadc quc ainda sc cn|rctccn, pcssc ncdir c grau dc pcnuria. Para dcsccorir
quan|a cscuridac cxis|c cn |crnc, c prccisc ccnccn|rar c c|nar nas |uzcs fracas c
dis|an|cs.
Ou|ras tczcs, c Knan cra accnc|idc pcr scorcssa||cs dc cufcria. |icata dc pc
scorc as a|ncfadas, ncdia ccn |cngas passadas cs |apc|cs cs|cndidcs scorc cs can|circs,
dcoruçata-sc ncs oa|aus|rcs dcs |crraçcs para aorangcr ccn cs c|ncs dcs|unoradcs a
cx|cnsac dcs jardins dc pa|4cic rca| i|uninadcs pcr |an|crnas pcnduradas ncs ccdrcs.
~ Tcdatia ~ dizia ~, sci quc c ncu inpcric c fci|c ccn a na|cria dcs
cris|ais, c agrcga as suas nc|ccu|as scguindc un dcscnnc pcrfci|c. |n ncic a cou|içac
dcs c|cncn|cs, |cna ccrpc un dianan|c csp|cndidc c durissinc, una incnsa
ncn|anna |apidada c |ransparcn|c. Pcr quc as suas inprcss5cs dc tiagcn sc dc|cn cn
aparcncias i|uscrias c nac cc|ncn cssc prcccssc irrcdu|itc|? Pcr quc pcrdcr |cnpc ccn
nc|ancc|ias nac-csscnciais? Pcr quc csccndcr dc inpcradcr a grandcza dc scu dcs|inc?
| Marcc.
~ Ac passc quc ncdian|c c scu gcs|c as cidadcs crgucn nura|nas pcrfci|as, cu
rccc|nc as cinzas das cu|ras cidadcs pcssitcis quc dcsaparcccn para ccdcr-|nc c |ugar c
quc agcra nac pcdcrac scr ncn rcccns|ruidas ncn rcccrdadas. Scncn|c ccnncccndc c
rcsiduc da infc|icidadc quc ncnnuna pcdra prccicsa ccnscguir4 rcssarcir c quc sc pcdc
ccnpu|ar c nuncrc cxa|c dc qui|a|cs quc c dianan|c fina| dctc ccn|cr, para nac
cxccdcr c c4|cu|c dc prcjc|c inicia|.


27
As cldades e os sImbo|os
5

Vocô sale neIhoi do que ninguen, sálio KulIai, que janais se deve
confundii una cidade con o discuiso que a descieve. Conludo, exisle una
Iigação enlie eIes. Se descievo OIívia, cidade iica de neicadoiias e de Iucios, o
único nodo de iepiesenlai a sua piospeiidade e faIai dos paIácios de
fiIigianas con aInofadas fianjadas nos paiapeilos dos lífoies, una giiândoIa
d'água nun pálio piolegido poi una giade iega o gianado en que un pavão
lianco alie a cauda en Ieque. Mas, a pailii desse discuiso, e fáciI
conpieendei que OIívia e envoIla poi una nuven de fuIigen e goiduia que
giuda na paiede das casas, que, na agIoneiação das iuas, os guinchos
nanolian conpiinindo os pedeslies conlia os nuios. Se devo descievei a
opeiosidade dos halilanles, faIo das seIaiias con cheiio de couio, das
nuIheies que lagaieIan enquanlo enlieIaçan lapeles de iáfia, dos canais
suspensos cujas cascalas noven as pás dos noinhos: nas a inagen que essas
paIavias evocan na sua iIuninada consciôncia e o novinenlo que Ieva o
nandiiI ale os denles da engienagen iepelido poi niIhaies de nãos niIhaies
de vezes nos lenpos pievislos paia cada luino. Se devo expIicai cono o
espíiilo de OIívia lende paia una vida Iivie e un aIlo giau de civiIização,
faIaiei das nuIheies que navegan de noile canlando en canoas iIuninadas
enlie as naigens de un esluáiio veide, nas isso seive apenas paia iecoidai
que, nos sulúilios en que honens e nuIheies desenlaican lodas as noiles
cono fiIeiias de sonânluIos, senpie exisle quen coneça a gaigaIhai na
escuiidão, dá tazac as piadas e aos saicasnos.
Iode sei que islo vocô não saila: que paia faIai de OIívia eu não
podeiia fazei oulio discuiso. Se de falo exislisse una OIívia de lífoies e
pavões, de seIeiios e leceIãs de lapeles e canoas e esluáiios, seiia un neio
luiaco negio de noscas, e paia descievô-Ia eu leiia de uliIizai as neláfoias da
fuIigen, dos chiados de iodas, dos novinenlos iepelidos, dos saicasnos. A
nenliia não eslá no discuiso, nas nas coisas.


As cldades de|gadas
4

A cidade de Sofiônia e conposla de duas neias cidades. Na piineiia,
enconlia-se a giande nonlanha-iussa de Iadeiias veiliginosas, o caiiosseI de

28
iaios foinados poi coiienles, a ioda-giganle con calinas giialóiias, o gIolo
da noile con nolocicIislas de caleça paia laixo, a cúpuIa do ciico con os
liapezios anaiiados no neio. A segunda neia cidade e de pedia e náinoie e
cinenlo, con o lanco, as fáliicas, os paIácios, o naladouio, a escoIa e lodo o
ieslo. Una das neias cidades e fixa, a oulia e piovisóiia e, quando leinina a
sua lenpoiada, e despaiafusada, desnonlada e Ievada enloia, liansfeiida
paia os leiienos laIdios de oulia neia cidade.
Assin, lodos os anos chega o dia en que os pedieiios deslacan os
fionlões de náinoie, desnoionan os nuios de pedia, os piIaies de cinenlo,
desnonlan o ninisleiio, o nonunenlo, as docas, a iefinaiia de pelióIeo, o
hospilaI, caiiegan os guinchos paia seguii de piaça en piaça o ilineiáiio de
lodos os anos. Ieinanece a neia Sofiônia dos liios-ao-aIvo e dos caiiosseis,
con o giilo suspenso do lienzinho da nonlanha-iussa de ponla-caleça, e
coneça-se a conlai quanlos neses, quanlos dias se deveião espeiai ale que a
caiavana ieloine e a vida inleiia ieconece.


As cldades e as trocas
3

Ao enliai no leiiilóiio que len Luliópia cono capilaI, o viajanle não
vô una nas nuilas cidades, lodas do nesno lananho e não desseneIhanles
enlie si, espaIhadas poi un vaslo e onduIado pIanaIlo. Luliópia não e apenas
una dessas cidades nas lodas junlas, sonenle una e halilada, as oulias são
deseilas, e isso se dá poi luinos. LxpIico de que naneiia. No dia en que os
halilanles de Luliópia se senlen aconelidos peIo ledio e ninguen nais
supoila o piópiio lialaIho, os paienles, a casa e a iua, os delilos, as pessoas
que deven cunpiinenlai ou que os cunpiinenlan, nesse nonenlo lodos os
cidadãos deciden desIocai-se paia a cidade vizinha que eslá aIi a espeia, vazia
e cono se fosse nova, onde cada un escoIheiá un oulio lialaIho, una oulia
nuIhei, veiá oulias paisagens ao aliii as janeIas, passaiá as noiles con oulios
passalenpos anizades inpiopeiios. Assin as suas vidas se ienovan de
nudança en nudança, aliaves de cidades que peIa exposição ou peIa
pendôncia ou peIos cuisos de água ou peIos venlos apiesenlan-se con
aIguna difeiença enlie si. Una vez que a sua sociedade e oiganizada sen
giandes difeienças de iiqueza ou de auloiidade, as passagens de una função
paia a oulia ocoiien quase sen aliilos, a vaiiedade e asseguiada peIas
núIlipIas incunlôncias, lanlas que no espaço de una vida iaianenle
ieloinan paia un lialaIho que já Ihes peilenceu. Desle nodo a cidade iepele

29
una vida idônlica desIocando-se paia cina e paia laixo en seu laluIeiio
vazio. Os halilanles voIlan a iecilai as nesnas cenas con aloies difeienles,
conlan as nesnas anedolas con difeienles conlinações de paIavias,
escancaian as locas aIleinadanenle con locejos iguais. Unica enlie lodas as
cidades do inpeiio, Luliópia peinanece idônlica a si nesna. Meicúiio, deus
dos voIúveis, paliono da cidade, cunpiiu esse anlíguo niIagie.


As cldades e os o|hos
2

L o hunoi de quen a oIha que dá a foina a cidade de Zeniude. Quen
passa assoliando, con o naiiz enpinado poi causa do assolio, conhece-a de
laixo paia cina: paiapeilos, coilinas ao venlo, esguichos. Quen caninha con
o queixo no peilo, con as unhas fincadas nas paInas das nãos, ciavaiá os
oIhos a aIluia do chão, dos cóiiegos, das fossas, das iedes de pesca, da
papeIada. Não se pode dizei que un aspeclo da cidade seja nais veidadeiio
do que o oulio, poien ouve-se faIai da Zeniude de cina solieludo poi paile
de quen se iecoida deIa ao peneliai na Zeniude de laixo, peicoiiendo lodos
os dias as nesnas iuas e ieenconliando de nanhã o nau hunoi do dia
anleiioi inciuslado ao pe dos nuios. Cedo ou laide chega o dia en que
alaixanos o oIhai paia os lulos dos leiiais e não conseguinos nais dislingui-
Ios da caIçada. O caso inveiso não e inpossíveI, nas e nais iaio: poi isso,
conlinuanos a andai peIas iuas de Zeniude con os oIhos que agoia escavan
ale as adegas, os aIiceices, os poços.


As cldades e o nome
1

Não saleiia dizei nada a iespeilo de AgIauia aIen das coisas que os
piópiios halilanles da cidade senpie iepelen: una seiie de viiludes
pioveiliais, de defeilos iguaInenle pioveiliais, aIgunas exliavagâncias,
aIgunas infIexíveis olseivâncias as iegias. Anligos olseivadoies ~ e não
exisle iazão paia ciei que sejan inveiídicos ~ aliiluíian a AgIauia un
conslanle soilinenlo de quaIidades, conpaiando-as, cIaio, as de oulias
cidades da epoca. Iode sei que nen a AgIauia que se descieve nen a AgIauia

3O
que se vô lenhan nudado nuilo desde enlão, nas o que eia eslianho loinou-
se haliluaI, excônliico o que se consideiava a noina, e as viiludes e os
defeilos peideian exceIôncia ou desdouio nun ajusle de viiludes e defeilos
disliiluídos de naneiia difeienle. Desle nodo, nada do que se diz a iespeilo
de AgIauia e veidadeiio, conludo peinile caplai una inagen sóIida e
conpacla de cidade, enquanlo os juízos espaisos de quen vive aIi aIcançan
nenoi consislôncia. O iesuIlado e o seguinle: a cidade que dizen possui
giande paile do que e necessáiio paia exislii, enquanlo a cidade que exisle en
seu Iugai exisle nenos.
Ioilanlo, se quisesse descievei AgIauia Iinilando-ne ao que vi e
expeiinenlei pessoaInenle, deveiia dizei que e una cidade apagada, sen
peisonaIidade, coIocada aIi quase poi acaso. Mas nen isso seiia veidadeiio:
en ceilas hoias, en ceilas iuas, suige a suspeila de que aIi há aIgo de
inconfundíveI, de iaio, laIvez ale de nagnífico, senle-se o desejo de descoliii
o que e, nas ludo o que se disse solie AgIauia ale agoia apiisiona as paIavias
e oliiga a iii en vez de faIai.
Ioi isso, os halilanles senpie inaginan halilai nuna AgIauia que só
ciesce en função do none AgIauia e não se dão conla da AgIauia que ciesce
solie o soIo. L nesno paia nin, que goslaiia de conseivai as duas cidades
dislinlas na nenle, não iesla aIleinaliva senão faIai de una deIas, poique a
Ienliança da oulia, na ausôncia de paIavias paia fixá-Ia, peideu-se.
~ Dc agcra cn dian|c, ccncçarci a dcscrctcr as cidadcs ~ disscra Knan. ~
Nas suas tiagcns, tccc tcrificar4 sc c|as cxis|cn.
Mas as cidadcs tisi|adas pcr Marcc Pc|c cran scnprc difcrcn|cs das
inaginadas pc|c inpcradcr.
~ |n|rc|an|c, ccns|rui na ninna ncn|c un ncdc|c dc cidadc dc qua| cx|rair
|cdas as cidadcs pcssitcis ~ dissc Kuo|ai. ~ ||c ccn|cn |udc c quc tai dc accrdc ccn
as ncrnas. Una tcz quc as cidadcs quc cxis|cn sc afas|an da ncrna cn difcrcn|cs
graus, oas|a prctcr as cxccç5cs a rcgra c ca|cu|ar as ccnoinaç5cs nais prct4tcis.
~ |u |anocn inaginci un ncdc|c dc cidadc dc qua| cx|raic |cdas as cu|ras
~ rcspcndcu Marcc. ~ | una cidadc fci|a sc dc cxccç5cs, inpcdincn|cs,
ccn|radiç5cs, inccngrucncias, ccn|ra-scnscs. Sc una cidadc assin c c quc n4 dc nais
inprct4tc|, dininuindc c nuncrc dcs c|cncn|cs ancrnais auncn|a a prcoaoi|idadc dc
quc a cidadc rca|ncn|c cxis|a. Pcr|an|c, oas|a suo|rair as cxccç5cs ac ncu ncdc|c c cn
qua|qucr dircçac quc cu t4 scnprc nc cnccn|rarci dian|c dc una cidadc quc, apcsar dc
scnprc pcr causa das cxccç5cs, cxis|c. Mas nac pcssc ccnduzir a ninna cpcraçac a|cn
dc un ccr|c |ini|c. co|cria cidadcs tcrcssincis dcnais para scrcn tcrdadciras.

31
5

Da a||a oa|aus|rada dc pa|4cic rca|, c Grandc Knan coscrta c crcscincn|c dc
inpcric. Princirc, as frcn|ciras natian sc di|a|adc cng|coandc cs |crri|crics
ccnquis|adcs, nas c atançc dcs rcgincn|cs cnccn|rata rcgi5cs scnidcscr|as,
ccnoa|idas a|dcias dc caoanas, aguaçais cn quc c arrcz crcscia na|, pcpu|aç5cs
nagras, rics scccs, niscria. ´| ncra dc c ncu inpcric, crcscidc dcnais cn dircçac ac
cx|cricr¨, pcnsata Knan, ´ccncçar a crcsccr para c in|cricr¨, c scnnata ocsqucs dc
rcnas naduras ccn as cascas par|idas, zcous assadcs nc cspc|c gc|cjandc gcrdura,
tcias nc|a|ifcras quc nanan dcsncrcnancn|cs dc pcpi|as cin|i|an|cs.
Agcra, nui|as cs|aç5cs aoundan|cs aoarrc|aran cs cc|circs. A cncia dcs rics
arras|cu f|crcs|as dc |ratcs dcs|inadas a sus|cn|ar |c|cs dc orcnzc dc |cnp|cs c
pa|4cics. Caratanas dc cscratcs dcs|ccaran ncn|annas dc n4rncrc scrpcn|inc a|ratcs
dc ccn|incn|c. O Grandc Knan ccn|cnp|a un inpcric rcccocr|c dc cidadcs quc pcsan
scorc c sc|c c scorc cs ncncns, apinnadc dc riquczas c dc cos|ruç5cs, scorccarrcgadc dc
crnancn|cs c incunocncias, ccnp|icadc pcr nccanisncs c nicrarquias, incnadc, rijc,
dcnsc.
´| c scu prcpric pcsc quc cs|4 csnagandc c inpcric¨, pcnsa Kuo|ai, c cn scus
scnncs agcra aparcccn cidadcs |ctcs ccnc pipas, cidadcs csouracadas ccnc rcndas,
cidadcs |ransparcn|cs ccnc ncsqui|circs, cidadcs-fiora-dc-fc|na, cidadcs-|inna-da-nac,
cidadcs fi|igrana quc sc tccn a|ratcs dc sua cspcssura cpaca c fic|icia.
~ Ccn|c c quc scnnci cs|a nci|c ~ dissc a Marcc. ~ |n ncic a una |crra
p|ana c anarc|a, sa|picada dc nc|ccri|cs c nassas crr4|icas, ti crgucrcn-sc a dis|ancia
as cx|rcnidadcs dc una cidadc dc pin4cu|cs |cnucs, fci|as dc ncdc quc a |ua cn sua
tiagcn pcssa pcusar cra nun pin4cu|c cra ncu|rc cu csci|ar pcndurada ncs caocs dcs
guindas|cs.
| Pc|c.
~ A cidadc quc tccc scnncu c |a|agc. Os naoi|an|cs dispuscran csscs
ccnti|cs a una parada nc ccu nc|urnc para quc a |ua pcrni|a a cada ccisa da cidadc
crcsccr c rccrcsccr indcfinidancn|c.
~ H4 a|gc quc tccc nac saoc ~ acrcsccn|cu c Knan. ~ Agradccida, a |ua
ccnccdcu a cidadc dc |a|agc un priti|cgic ainda nais rarc. crcsccr ccn |ctcza.

32
As cldades de|gadas
5

Se quiseien aciedilai, ólino. Agoia conlaiei cono e feila Olávia,
cidade-leia-de-aianha. Lxisle un piecipício no neio de duas nonlanhas
escaipadas: a cidade fica no vazio, Iigada aos dois cunes poi fios e coiienles e
passaieIas. Caninha-se en liiIhos de nadeiia, alenlando paia não enfiai o pe
nos inleivaIos, ou agaiia-se aos fios de cânhano. Alaixo não há nada poi
cenlenas e cenlenas de nelios: passan aIgunas nuvens, nais alaixo, enlievô-
se o fundo do desfiIadeiio.
Lssa e a lase da cidade: una iede que seive de passagen e
suslenlácuIo. Todo o ieslo, en vez de se eIevai, eslá penduiado paia laixo:
escadas de coida, iedes, casas en foina de saco, vaiais, leiiaços con a foina
de navelas, odies de água, licos de gás, assadeiias, ceslos penduiados con
lailanles, nonla-caigas, chuveiios, liapezios e aneis paia jogos, leIefeiicos,
Ianpadáiios, vasos con pIanlas de foIhagen pendenle.
Suspensa solie o alisno, a vida dos halilanles de Olávia e nenos
inceila que a de oulias cidades. Salen que a iede não iesisliiá nais que isso.


As cldades e as trocas
4

Ln LicíIia, paia eslaleIecei as Iigações que oiienlan a vida da cidade,
os halilanles eslenden fios enlie as aieslas das casas, liancos ou pielos ou
cinza ou pielos-e-liancos, de acoido con as ieIações de paienlesco, lioca,
auloiidade, iepiesenlação. Quando os fios são lanlos que não se pode nais
aliavessai, os halilanles vão enloia: as casas são desnonladas, ieslan
apenas os fios e os suslenlácuIos dos fios.
Do coslado de un noiio, acanpados con os nóveis de casa, os
piófugos de LicíIia oIhan paia o eniedo de fios eslendidos e os posles que se
eIevan na pIanície. AqueIa conlinua a sei a cidade de LicíIia, e eIes não são
nada.
Reconslioen LicíIia en oulio Iugai. Tecen con os fios una figuia
seneIhanle, nas goslaiian que fosse nais conpIicada e ao nesno lenpo
nais ieguIai do que a oulia. Depois a alandonan e liansfeien-se junlanenle

33
con as casas paia ainda nais Ionge.
Desle nodo, viajando-se no leiiilóiio de LicíIia, depaia-se con as
iuínas de cidades alandonadas, sen as nuiaIhas que não duian, sen os
ossos dos noilos que ioIan con o venlo: leias de aianha de ieIações
inliicadas a piocuia de una foina.


As cldades e os o|hos
3

Depois de naichai poi sele dias aliaves das nalas, quen vai a ßauci
não peicele que já chegou. As finas andas que se eIevan do soIo a giande
dislância una da oulia e que se peiden acina das nuvens suslenlan a cidade.
Sole-se poi escadas. Os halilanles iaianenle são vislos en leiia: lôn lodo o
necessáiio Iá en cina e piefeien não descei. Nenhuna paile da cidade loca o
soIo excelo as Iongas peinas de fIaningo nas quais eIa se apóia, e, nos dias
Iuninosos, una sonlia diáfana e anguIosa que se iefIele na foIhagen.
Há liôs hipóleses a iespeilo dos halilanles de ßauci: que odeian a
leiia, que a iespeilan a ponlo de evilai quaIquei conlalo, que a anan da
foina que eia anles de exisliien e con linócuIos e leIescópios aponlados paia
laixo não se cansan de exaniná-Ia, foIha poi foIha, pedia poi pedia, foiniga
poi foiniga, conlenpIando fascinados a piópiia ausôncia.


As cldades e o nome
2

Deuses de duas especies piolegen a cidade de Leandia. São lão
pequenos que não se consegue vô-Ios e lão nuneiosos que e inpossíveI conlá-
Ios. Os piineiios viven nas poilas das casas, na paile de denlio, peilo do
calideiio e do poila-guaida-chuvas, nas nudanças, aconpanhan as faníIias e
inslaIan-se na nova noiadia no nonenlo da enliega das chaves. Os oulios
viven na cozinha, esconden-se de piefeiôncia sol as paneIas, ou na Iaieiia, ou
no aináiio das vassouias: fazen paile da casa e, quando a faníIia que
halilava aIi vai enloia, peinanecen con os novos inquiIinos, laIvez já
eslivessen aIi anles da exislôncia da casa, no neio do nalo do leiieno,

34
escondidos nuna Iala enfeiiujada, se a casa e denoIida e en seu Iugai se
consliói un piedio paia cinqüenla faníIias, nuIlipIican-se e ocupan a
cozinha de iguaI núneio de apailanenlos. Iaia dislingui-Ios, chanaienos os
piineiios de Ienales e os segundos de Laies.
Denlio de una casa, não se pode dizei que os Laies eslejan senpie
con os Laies e os Ienales con os Ienales: fieqüenlan-se, passeian junlos nas
coinijas de esluque, nos lulos do leinossifão, conenlan os falos da faníIia,
disculen con faciIidade, nas lanlen poden se dai len poi anos, ao vô-Ios
ieunidos, não se dislingue quaI e un e quaI e oulio. Os Laies viian passai poi
suas casas Ienales das nais vaiiadas pioveniôncias e coslunes, aos Ienales,
cale dispulai aos coloveIos un Iugai ao Iado dos foinaIíssinos Laies de
iIuslies paIácios decadenles ou con os Laies suscelíveis e desconfiados de
caselies de Ialão.
A veidadeiia essôncia de Leandia e aigunenlo paia inleinináveis
discussões. Os Ienales aciedilan sei o espíiilo da cidade, nesno se chegaian
no ano anleiioi, e que Ievan Leandia consigo quando enigian. Os Laies
consideian os Ienales hóspedes piovisóiios, inopoilunos, invasivos, a
veidadeiia Leandia e a deIes, que dá foina a ludo o que conlen, a Leandia
que eslava aIi anles da chegada desses inliusos e que ieslaiá depois que lodos
pailiien.
LIes lôn en conun o seguinle: solie o que aconlece na faníIia e na
cidade, senpie enconlian nolivo paia iii, os Ienales zonlando dos veIhos,
dos lisnonos, dos lios-avós, da faníIia de enlão, os Laies de cono eia o
anlienle anles que fosse aiiuinado. Mas não se pode dizei que viven apenas
de iecoidações: fanlasian piojelos solie a caiieiia das ciianças quando
ciesceien (os Ienales), solie cono podeiia se liansfoinai aqueIa casa ou
aqueIa zona (os Laies) se eslivesse en loas nãos. Iieslando alenção nas casas
de Leandia, especiaInenle a noile, ouve-se o inlenso lagaieIai, as iepieensões,
as liocas de nolejos, lufos, iisadinhas iiônicas.


As cldades e os mortos
1

Ln MeIânia, lodas as vezes que se vai a piaça, enconlia-se un pedaço
de diáIogo: o soIdado jaclancioso e o paiasila, ao saíien poi una poila,
enconlian o joven eslanjadoi e a neieliiz, ou, enlão, o pai avaienlo, da
soIeiia, dá as úIlinas ieconendações a fiIha anoiosa e e inleiionpido peIo
seivo idiola que vai enliegai un liIhele a aIcovileiia. Anos depois, ieloina-se

35
a MeIânia e ieenconlia-se a conlinuação do nesno diáIogo, nesle ínleiin,
noiieian o paiasila, a aIcovileiia, o pai avaienlo, nas o soIdado jaclancioso, a
fiIha anoiosa e o seivo idiola assuniian os seus Iugaies, sulsliluídos, poi sua
vez, peIo hipóciila, peIa confidenle, peIo aslióIogo.
A popuIação de MeIânia se ienova: os diaIogadoies noiien un após o
oulio, enlielanlo nascen aqueIes que assuniião os seus Iugaies no diáIogo,
uns nun papeI, uns en oulio. Quando aIguen nuda de papeI ou alandona a
piaça paia senpie ou enlia neIa peIa piineiia vez, veiifican-se nudanças en
cadeia, ale que lodos os papeis sejan novanenle disliiluídos, nas enquanlo
isso ao veIho iiado conlinua a ieloiquii a canaieiia espiiiluosa, o usuiáiio não
páia de peiseguii o joven deseidado, a nuliiz de consoIai a enleada, apesai
de que nenhun deIes conseiva os oIhos e a voz da cena piecedenle.
As vezes aconlece de un único diaIogadoi nanlei sinuIlaneanenle
dois ou nais papeis: liiano, lenfeiloi, nensageiio, ou de un papeI sei
dupIicado, nuIlipIicado, aliiluído a cen, a niI halilanles de MeIânia: liôs niI
paia o papeI de hipóciila, liinla niI paia o de enlusleiio, cen niI fiIhos de
ieis desvenluiados que aguaidan o devido ieconhecinenlo.
Con o passai do lenpo, os papeis não são nais exalanenle os nesnos
de anles, sen dúvida a ação que esles Ievan adianle poi neio de inliigas e
ieviiavoIlas conduz a aIgun lipo de desfecho finaI, que conlinua a se
apioxinai nesno quando a inliiga paiece conpIicai-se cada vez nais e os
olslácuIos paiecen aunenlai. Quen conpaiece a piaça en nonenlos
conseculivos nola que o diáIogo nuda de alo en alo, ainda que a vida dos
halilanles de MeIânia seja lieve denais paia que possan peicelô-Io.
Marcc Pc|c dcscrctc una pcn|c, pcdra pcr pcdra.
~ Mas qua| c a pcdra quc sus|cn|a a pcn|c?~ pcrgun|a Kuo|ai Knan.
~ A pcn|c nac c sus|cn|ada pcr cs|a cu aquc|a pcdra ~ rcspcndc Marcc ~,
nas pc|a curta dc arcc quc cs|as fcrnan.
Kuo|ai Knan pcrnanccc cn si|cncic, rcf|c|indc. Dcpcis acrcsccn|a.
~ Pcr quc fa|ar das pcdras? Sc c arcc nc in|crcssa. Pc|c rcspcndc.
~ Scn pcdras c arcc nac cxis|c.



36
6

~ ]4 accn|cccu dc tccc tcr una cidadc scnc|nan|c a cs|a? ~ Kuo|ai
pcrgun|ata a Marcc Pc|c cs|cndcndc a nac cncia dc ancis para fcra dc oa|daquinc dc
scda dc ouccn|aurc inpcria|, apcn|andc para as pcn|cs arqucadas scorc cs canais, cs
pa|4cics principcscas ccn unorais dc n4rncrc incrscs na 4gua, c taitcn dc pcqucncs
oarccs quc giran cn ziguczaguc nctidcs pcr |cngcs rcncs, as cna|as quc dcscarrcgan
ccs|as dc ncr|a|iças nas praças dcs ncrcadcs, cs oa|c5cs, cs |crraçcs, as cupu|as, cs
canpan4rics, cs jardins das i|nas quc tcrdcjan c cinza da |aguna.
O inpcradcr, accnpannadc dc scu digni|4ric cs|rangcirc, tisi|ata Quinsai,
an|iga capi|a| dc dinas|ias dcs|rcnadas, u||ina pcrc|a cngas|ada na ccrca dc Grandc
Knan.
~ Nac, sirc ~ rcspcndcu Marcc ~, janais pcdcria inaginar quc cxis|issc
una cidadc parccida ccn cs|a.
O inpcradcr |cn|cu pcrscru|ar c scu c|nar. O cs|rangcirc aoaixcu cs c|ncs.
Kuo|ai pcrnancccu cn si|cncic c dia |cdc.
Apcs c pcr-dc-sc|, ncs |crraçcs dc pa|4cic rca|, Marcc Pc|c cxpunna ac
scocranc c rcsu||adc dc suas niss5cs dip|cn4|icas. Ncrna|ncn|c, c Grandc Knan
ccnc|uia as suas nci|cs saocrcandc cssas narraç5cs ccn cs c|ncs cn|rcaocr|cs a|c quc c
scu princirc occcjc dcssc c sina| para quc c ccr|cjc dc pajcns accndcssc cs facncs para
ccnduzir c scocranc ac Pati|nac dc Scnc Augus|c. Mas dcs|a tcz Kuo|ai nac parccia
dispcs|c a ccdcr a fadiga.
~ |a|c-nc dc cu|ra cidadc ~ insis|ia.
~ ...O tiajan|c p5c-sc a caninnc c cata|ga pcr |rcs jcrnadas cn|rc c tcn|c
ncrdcs|c c c ncrccs|c... ~ prcsscguia Marcc, c rc|a|ata ncncs c ccs|uncs c ccncrcics
dc un grandc nuncrc dc |crras. Pcdia-sc dizcr quc c scu rcpcr|cric cra incxauritc|,
nas dcs|a tcz fci c|c qucn sc rcndcu. Ac ananncccr, dissc. ~ Sirc, j4 fa|ci dc |cdas as
cidadcs quc ccnncçc.
~ Rcs|a una quc tccc janais ncncicna. Marcc Pc|c aoaixcu a caocça.
~ Vcncza ~ dissc c Knan. Marcc scrriu.
~ | dc quc cu|ra cidadc inagina quc cu cs|ata fa|andc? O inpcradcr nac sc
afc|cu.
~ Nc cn|an|c, tccc nunca ci|cu c scu ncnc. | Pc|c.
~ Tcdas as tczcs quc dcscrctc una cidadc digc a|gc a rcspci|c dc Vcncza.
~ Quandc pcrgun|c das cu|ras cidadcs, qucrc quc tccc nc fa|c a rcspci|c
dc|as. | dc Vcncza quandc pcrgun|c a rcspci|c dc Vcncza.
~ Para dis|inguir as qua|idadcs das cu|ras cidadcs, dctc par|ir dc una

37
princira quc pcrnanccc inp|ici|a. Nc ncu casc, |ra|a-sc dc Vcncza.
~ |n|ac tccc dctcria ccncçar a narraçac dc suas tiagcns dc pcn|c dc par|ida,
dcscrctcndc Vcncza in|cira, pcn|c pcr pcn|c, scn cni|ir ncnnuna das rcccrdaç5cs quc
tccc |cn dc|a.
A 4gua dc |agc cs|ata cncrcspada, c rcf|cxc dcs rancs dc an|igc pa|4cic rca|
dcs Sung fragncn|ata-sc cn rctcrocraç5cs cin|i|an|cs ccnc fc|nas quc f|u|uan.
~ As nargcns da ncncria, una tcz fixadas ccn pa|atras, cancc|an-sc ~
dissc Pc|c. ~ Pcdc scr quc cu |cnna ncdc dc rcpcn|inancn|c pcrdcr Vcncza, sc fa|ar a
rcspci|c dc|a. Ou pcdc scr quc, fa|andc dc cu|ras cidadcs, j4 a |cnna pcrdidc pcucc a
pcucc.


As cldades e as trocas
5

Ln LsneiaIdina, cidade aquálica, una iede de canais e una iede de
iuas soliepõe-se e enlieciuza-se. Iaia ii de un Iugai a oulio, pode-se senpie
escoIhei enlie o peicuiso leiieslie e o de laico: e, cono en LsneiaIdina a
Iinha nais cuila enlie dois ponlos não e una iela nas un ziguezague que se
ianifica en loiluosas vaiianles, os caninhos que se alien paia o lianseunle
não são dois nas nuilos, e aunenlan ainda nais paia quen aIleina liajelos
de laico e liasloidos en leiia fiine.
Desle nodo, os halilanles de LsneiaIdina são poupados do ledio de
peicoiiei lodos os dias os nesnos caninhos. L não e ludo: a iede de liajelos
não e disposla nuna única canada, segue un sole-desce de escadas, laiIeus,
ponles aiqueadas, iuas suspensas. Conlinando segnenlos dos diveisos
peicuisos eIevados ou de supeifície, os halilanles se dão o diveilinenlo diáiio
de un novo ilineiáiio paia ii aos nesnos Iugaies. Ln LsneiaIdina, nesno as
vidas nais iolineiias e lianqüiIas lianscoiien sen se iepelii.
A naioies consliições eslão exposlas, cono en lodos os Iugaies, as
vidas secielas e avenluiosas. Os galos de LsneiaIdina, os Iadiões, os ananles
cIandeslinos, Ioconoven-se peIas iuas nais eIevadas e desconlínuas, saIlando
de un leIhado paia o oulio, descendo de una sacada paia una vaianda,
conloinando leiiais con passo de equiIiliisla. Mais alaixo, os ialos coiien
nas escuias cIoacas, un aliás do ialo do oulio, junlanenle con os
conspiiadoies e os conlialandislas: espieilan aliaves de fossos e esgolos,
escapan poi inleislícios e vieIas, aiiaslan de un escondeiijo paia o oulio
cascas de queijo, neicadoiias iIícilas e laiiis de póIvoia, aliavessan a

38
conpacla cidade peifuiada peIa iede de covas sulleiiâneas.
Un napa de LsneiaIdina deveiia conlei, assinaIados con linlas de
difeienles coies, lodos esses liajelos, sóIidos ou Iíquidos, palenles ou
escondidos. Mas e difíciI fixai no papeI os caninhos das andoiinhas, que
coilan o ai acina dos leIhados, peifazen paiáloIas invisíveis con as asas
iígidas, desvian-se paia engoIii un nosquilo, voIlan a sulii en espiiaI ienle
a un pinácuIo, solianceian lodos os ponlos da cidade de cada ponlo de suas
liiIhas aeieas.


As cldades e os o|hos
4

Ao chegai a IíIide, len-se o piazei de olseivai quanlas ponles
difeienles enlie si aliavessan os canais: ponles aiqueadas, coleilas, solie
piIaies, solie laicos, suspensas, con os paiapeilos peifuiados, quanlas
vaiiedades de janeIas apiesenlan-se dianle das iuas: lífoies, nouiiscas,
IanceoIadas, ogivais, con neias-Iuas e fIoiões solieposlos, quanlas especies
de pavinenlo colien o chão: de pedieguIhos, de Iajolas, de sailio, de
pasliIhas liancas e azuis. Ln lodos os ponlos, a cidade ofeiece suipiesas paia
os oIhos: un ceslo de aIcapaiias que suige na nuiaIha da foilaIeza, as esláluas
de liôs iainhas nuna nísuIa, una cúpuIa en foina de celoIa con liôs
pequenas celoIas inlioduzidas en sua exlienidade. ¨IeIiz e aqueIe que lodos
os dias len IíIide ao aIcance dos oIhos e nunca acala de vei as coisas que eIa
conlen¨, excIana-se, liisle poi lei de deixai a cidade depois de lô-Ia oIhado
apenas de ieIance.
Sucede, no enlanlo, de peinanecei en IíIide e passai aIi o ieslo dos
dias. A cidade Iogo se deslola, apagan-se os fIoiões, as esláluas solie as
nísuIas, as cúpuIas. Cono lodos os halilanles de IíIide, anda-se poi Iinhas en
ziguezague de una iua paia a oulia, dislingue-se enlie zonas de soI e zonas
de sonlia, una poila aqui, una escada aIi, un lanco paia apoiai o ceslo,
una vaIela onde liopeça quen não lona cuidado. Todo o ieslo da cidade e
invisíveI. IíIide e un espaço en que os peicuisos são liaçados enlie ponlos
suspensos no vazio, o caninho nais cuilo paia aIcançai a lenda daqueIe
coneicianle evilando o guichô daqueIe ciedoi. Os passos seguen não o que se
enconlia foia do aIcance dos oIhos nas denlio, sepuIlado e canceIado: se enlie
dois póilicos un conlinua a paiecei nais aIegie e poique liinla anos aliás aIi
passava una noça de Iaigas nangas loidadas, ou enlão e apenas poique a
una ceila hoia do dia iecele una Iuz cono a daqueIe póilico de cuja

39
IocaIização não se iecoida nais.
MiIhões de oIhos eiguen-se dianle de janeIas ponles aIcapaiias e e
cono se exaninassen una página en lianco. Muilas são as cidades cono
IíIide que evilan os oIhaies, excelo quando pegas de suipiesa.


As cldades e o nome
3

Ioi Iongo lenpo, Iiiia foi paia nin una cidade encasleIada nas
encoslas de un goIfo, con anpIas janeIas e loiies, fechada cono una laça,
con una piaça en seu cenlio piofunda cono un poço e con un poço en seu
cenlio. Nunca a linha vislo. Lia una das lanlas cidades que nunca visilaia,
que inaginava sonenle a pailii do none: Lufiásia, OdiIa, Maigaia, CelúIia.
Iiiia eia una deIas, difeienle de lodas as oulias, assin cono cada una deIas
eia inconfundíveI paia os oIhos da ninha nenle.
Chegou o dia en que as ninhas viagens ne conduziian a Iiiia. Logo
que coIoquei os pes na cidade, ludo o que inaginava foi esquecido, Iiiia
loinaia-se aquiIo que e Iiiia, e inaginei que senpie souleia que a cidade não
linha visla paia o nai, escondido aliás de una duna laixa e onduIada, que as
suas iuas coiien en Iinha iela, que as casas são ieagiupadas en inleivaIos,
não aIlas, e são sepaiadas poi descanpados de depósilos de nadeiia e
seiiaiias, que o venlo nove os cala-venlos das lonlas hidiáuIicas. DaqueIe
nonenlo en dianle, o none Iiiia evoca essa visla, essa Iuz, esse zunlido,
esse ai no quaI paiia una poeiia anaieIada: e evidenle que significa islo e que
não podia significai nais nada.
A ninha nenle conlinua a conlei un giande núneio de cidades que
não vi e não veiei, nones que liazen consigo una figuia ou fiagnenlo ou
ofuscação de figuia inaginada: CelúIia, OdiIa, Lufiásia, Maigaia. A cidade
solie o goIfo lanlen eslá senpie Iá, con a piaça fechada en loino do poço,
nas não posso nais chaná-Ia con un none, nen iecoidai cono pude dai-Ihe
un none que significa aIgo lolaInenle difeienle.

4O
As cldades e os mortos
2

Duianle as ninhas viagens, janais avançaia ale AdeIna. Lnlaiquei ao
caii da noile. No cais, o naiinheiio que pegou a coida no ai e anaiiou-a a
alila paiecia-se con un dos neus soIdados, que já noiieia. Lia hoia da
venda de peixes no alacado. Un veIho coIocava una cesla de ouiiços nuna
caiiela, pensei ieconhecô-Io, quando ne voIlei, eIe desapaieceia nun leco,
nas ne Ienliei de que eIe se paiecia con un pescadoi que, veIho já a epoca
en que eu eia ciiança, não podia nais peilencei ao nundo dos vivos. Iiquei
peiluilado con a visão de un doenle feliiI encoIhido no chão con un
coleiloi solie a caleça: poucos dias anles de noiiei, neu pai linha os oIhos
anaieIados e a laila hiisula exalanenle iguais aos deIe. Desviei o oIhai, não
ousava filai o ioslo de nais ninguen.
Iensei: ¨Se AdeIna e una cidade que vejo no nundo dos sonhos, onde
não há nada aIen de noilos, sinlo nedo do sonho. Se AdeIna e una cidade
ieaI, halilada poi vivos, se eu conlinuai a filá-Ios as seneIhanças se
dissoIveião e eIes paieceião eslianhos poiladoies de angúslia. Seja nun caso
seja no oulio e neIhoi não insislii en oIhá-Ios¨.
Una quilandeiia pesava una couve na laIança e coIocava-a denlio de
una cesla piesa poi un lailanle que una gaiola alaixava de un laIcão. A
gaiola eia iguaI a una da ninha cidade que enIouqueceia de anoi e se
suicidaia. A quilandeiia eigueu o ioslo: eia a ninha avó.
Iensei: ¨Chega un nonenlo da vida en que, enlie lodas as pessoas
que conhecenos, os noilos são nais nuneiosos que os vivos. L a nenle se
iecusa a aceilai oulias fisiononias, oulias expiessões: en lodas as faces novas
que enconlia, inpiine os veIhos desenhos, paia cada una descolie a náscaia
que neIhoi se adapla¨.
Os descaiiegadoies sulian as escadas en fiIa, cuivos sol os laiiis e os
gaiiafões ieveslidos de vine, os ioslos eslavan escondidos delaixo de
capuzes de pano. ¨Agoia liian os capuzes e eu os ieconheço¨, pensava con
inpaciôncia e nedo. Mas não despiegava os oIhos deIes, poi nenos que eu
voIlasse a oIhai paia a nuIlidão que Iolava aqueIas vieIas, via-ne assediado
poi ioslos inpievislos, vindos de Ionge, que ne fixavan cono se quisessen
sei ieconhecidos, cono se quisessen ne ieconhecei, cono se houvessen ne
ieconhecido. Iode sei que eu lanlen Ihes iecoidasse aIguen noilo. Acalaia
de chegai a AdeIna e já eia un deIes, passaia paia o Iado deIes, confuso
naqueIe vaciIai de oIhos, de iugas, de liejeilos.
Iensei: ¨TaIvez AdeIna seja a cidade a que se chega noiiendo e na

41
quaI cada un ieenconlia as pessoas que conheceu. L sinaI de que eu lanlen
eslou noilo¨. Tanlen pensei: ¨L sinaI de que o aIen não e feIiz¨.


As cldades e o ceu
1

Ln Ludóxia, que se eslende paia cina e paia laixo, con vieIas
loiluosas, escadas, lecos, caselies, conseiva-se un lapele no quaI se pode
conlenpIai a veidadeiia foina da cidade. A piineiia visla, nada e lão pouco
paiecido con Ludóxia quanlo o desenho do lapele, oidenado en figuias
sineliicas que iepelen os piópiios nolivos con Iinhas ielas e ciicuIaies,
enlieIaçado poi aguIhadas de coies iespIandecenles, cujo aIleinai de lianas
pode sei aconpanhado ao Iongo de loda a uididuia. Mas, ao se delei paia
olseivá-Io con alenção, peicele-se que cada ponlo do lapele coiiesponde a
un ponlo da cidade e que lodas as coisas conlidas na cidade eslão
conpieendidas no desenho, disposlas segundo as suas veidadeiias ieIações,
as quais se evaden aos oIhos disliaídos peIo vaiven, peIos enxanes, peIa
nuIlidão. A confusão de Ludóxia, os zuiios dos nuIos, as nanchas de negio-
de-funo, os odoies de peixe, e ludo o que apaiece na peispecliva paiciaI que
se coIhe, nas o lapele piova que exisle un ponlo no quaI a cidade noslia as
suas veidadeiias piopoições, o esquena geoneliico inpIícilo nos níninos
delaIhes.
L fáciI peidei-se en Ludóxia: nas, quando se oIha alenlanenle paia o
lapele, ieconhece-se o caninho peidido nun fio cainesin ou aniI ou
veineIho anaianlo que após un Iongo giio faz con que se enlie nun iecinlo
de coi púipuia que e o veidadeiio ponlo de chegada. Cada halilanle de
Ludóxia conpaia a oiden inóveI do lapele a una inagen sua da cidade,
una angúslia sua, e lodos poden enconliai, escondidas enlie os aialescos,
una iesposla, a hislóiia de suas vidas, as vicissiludes do deslino.
Solie a ieIação nisleiiosa de dois oljelos lão difeienles enlie si cono o
lapele e a cidade, foi inleiiogado un oiácuIo. Un dos dois oljelos ~ foi a
iesposla ~ len a foina que os deuses deian ao ceu eslieIado e as óililas nas
quais os nundos giian, o oulio e un iefIexo apioxinalivo do piineiio, cono
lodas as olias hunanas.
Há nuilo lenpo os piofelas linhan ceileza de que o hainônico
desenho do lapele eia de feiluia divina, inleipielou-se o oiácuIo nesse senlido,
sen dai espaço paia conlioveisias. Mas da nesna naneiia pode-se chegai a
concIusão oposla: que o veidadeiio napa do univeiso seja a cidade de

42
Ludóxia assin cono e, una nancha que se eslende sen foina, con iuas en
ziguezague, casas que na giande poeiia desalan unas solie as oulias,
incôndios, giilos na escuiidão.
~ ...Pcr|an|c, na rca|idadc a sua c una tiagcn a|ratcs da ncncria! ~ O
Grandc Knan, as crc|nas scnprc dc pc, agi|ata-sc na rcdc |cdas as tczcs cn quc cc|nia
nc discursc dc Marcc una inf|cxac suspircsa. ~ | para sc dcsfazcr dc una carga dc
ncs|a|gia quc tccc fci |ac |cngc! ~ cxc|anata, cu cn|ac. ~ Vccc rc|crna das suas
cxpcdiç5cs ccn a cs|ita rcp|c|a dc ncs|a|gia! ~ c acrcsccn|ata ccn sarcasnc. ~ Un
pcqucnc |ucrc, para dizcr a tcrdadc, para un ncrcadcr da Scrcnissina!
|ra cssc c pcn|c para c qua| ccntcrgian |cdas as qucs|5cs dc Kuo|ai scorc c
passadc c c fu|urc. Na u||ina ncra tinna orincandc dc ga|c c ra|c c fina|ncn|c
ccnscguia cnccs|ar Marcc na parcdc, accnc|cndc-c, fincandc un jcc|nc cn scu pci|c,
scgurandc-c pc|a oaroa.
~ |is c quc cu gcs|aria dc saocr a scu rcspci|c, ccnfcssc c quc tccc
ccn|raoandcia. cs|adcs dc aninc, cs|adcs dc graça, c|cgias.
|rascs c a|cs |a|tcz apcnas pcnsadcs, cnquan|c cs dcis, si|cncicscs c inctcis,
coscrtatan a |cn|a asccnsac da funaça dc scus cacninocs. A nutcn cra sc dissc|tia
nun fic dc tcn|c cra rcs|ata suspcnsa nc ar, c a rcspcs|a cs|ata naquc|a nutcn.
Dian|c da orisa quc dispcrsata a funaça, Marcc pcnsata ncs tapcrcs quc cnctcan a
anp|idac dc nar c as cadcias das ncn|annas, c quc, ac rarcarcn, |crnan c ar sccc c
di4fanc rctc|andc cidadcs |cnginquas. O scu c|nar qucria a|cançar c |adc dc |4 daquc|a
|c|a dc nuncrcs tc|4|cis. a fcrna das ccisas sc dis|inguc nc|ncr a dis|ancia.
Ou cn|ac a nutcn dc|inna-sc |cgc dcpcis dc sair da occa, dcnsa c tagarcsa, c
ctccata una cu|ra tisac. as cxa|aç5cs cs|agnadas nc a||c das nc|rcpc|cs, a funaça
cpaca quc nac sc dispcrsa, a canada dc niasna quc grati|a scorc as ruas oc|unincsas.
Nac as |4ocis nctcas da ncncria ncn a 4rida |ransparcncia, nas c cncirc dc qucinadc
dc tidas qucinadas quc fcrna una crcs|a scorc as cidadcs, a incnada cspcnja dc
na|cria ti|a| quc dcixcu dcf|uir, c cn|upincn|c dc passadc prcscn|c fu|urc quc
o|cqucia as cxis|cncias ca|cificadas pc|a i|usac dc nctincn|c. cis c quc cnccn|rata ac
|crninc da tiagcn.






43
7

KU8|A|. Nac sci quandc tccc cnccn|rcu |cnpc dc tisi|ar |cdcs cs paiscs quc
nc dcscrctc. A ninna inprcssac c quc tccc nunca saiu dcs|c jardin.
PO|O. Tcdas as ccisas quc tcjc c façc gannan scn|idc nun cspaçc da ncn|c
cn quc rcina a ncsna ca|na quc cxis|c aqui, a ncsna pcnunora, c ncsnc si|cncic
pcrccrridc pc|c farfa|nar das fc|nas. Nc ncncn|c cn quc nc ccnccn|rc para rcf|c|ir,
scnprc nc cnccn|rc ncs|c jardin, ncs|c ncsnc ncr4ric, cn sua augus|a prcscnça,
apcsar dc prcsscguir scn un ins|an|c dc pausa a suoir un ric tcrdc dc crcccdi|cs cu a
ccn|ar cs oarris dc pcixc sa|gadc pcs|cs na cs|ita.
KU8|A|. |u |anocn nac |cnnc ccr|cza dc cs|ar aqui, passcandc cn ncic as
fcn|cs dc pcrfidc, cscu|andc c ccc dcs jcrrcs dc 4gua, c nac cata|gandc cnocoidc dc
sucr c sanguc a frcn|c dc ncu cxcrci|c, ccnquis|andc cs paiscs quc tccc ir4 dcscrctcr,
cu dcccpandc cs dcdcs dcs agrcsscrcs quc csca|an a nura|na dc una fcr|a|cza
asscdiada.
PO|O. Ta|tcz cs|c jardin sc cxis|a a scnora das ncssas p4|pcoras ccrradas c
nunca |cnnancs paradc. tccc, dc |ctan|ar pccira ncs canpcs dc oa|a|na, c cu, dc
ncgcciar sacas dc pincn|a cn ncrcadcs dis|an|cs, nas, cada tcz quc fccnancs cs c|ncs
nc ncic dc a|tcrcçc cu da nu||idac, pcdcncs ncs rcfugiar aqui tcs|idcs ccn quincncs
dc scda para ata|iar aqui|c quc cs|ancs titcndc, fazcr as ccn|as, ccn|cnp|ar a
dis|ancia.
KU8|A|. Ta|tcz cs|c ncssc di4|cgc sc dc cn|rc dcis na||rapi|ncs apc|idadcs
Kuo|ai Knan c Marcc Pc|c quc cs|ac rctc|tcndc un dcpcsi|c dc |ixc, ancn|candc
rcsiducs cnfcrrujadcs, farrapcs, papc|, c, ocoadcs ccn pcuccs gc|cs dc tinnc dc n4
qua|idadc, tccn rcsp|cndcr ac scu rcdcr |cdcs cs |cscurcs dc Oricn|c.
PO|O. Ta|tcz dc nundc sc rcs|c un |crrcnc oa|dic ccocr|c dc inundicics c c
jardin suspcnsc dc paçc inpcria| dc Grandc Knan. Sac as ncssas p4|pcoras quc cs
scparan, nas nac sc saoc qua| cs|4 dcn|rc c qua| cs|4 fcra.


As cldades e os o|hos
5

Vadeado o iio, liansposlo o vaIe, o viajanle enconlia-se, sulilanenle,
dianle da cidade de Moiiana, con as poilas de aIalaslio lianspaienles a Iuz
do soI, as coIunas de coiaI que suslenlan fionlões inciuslados de seipenlina,
as aIdeias inleiianenle de vidio cono aquáiios en que nadan as sonlias de

44
dançaiinas con adoinos pialeados sol os Ianpadáiios en foina de nedusa.
Se não e a sua piineiia viagen, o viajanle já sale que cidades cono esla lôn
un avesso: lasla peicoiiei un senicíicuIo e vei-se-á a face olscuia de
Moiiana, una anpIa Iânina enfeiiujada, pedaços de pano, eixos hiilos de
piegos, lulos negios de fuIigen, nonles de poles de vidio, nuios escuios
con esciilas desloladas, caixiIhos de cadeiias despaIhadas, coidas que seiven
apenas paia se enfoicai nuna liave podie.
Ln loda a sua exlensão, a cidade paiece conlinuai a nuIlipIicai o seu
iepeilóiio de inagens: no enlanlo, não len espessoi, consisle sonenle de un
Iado de foia e de un avesso, cono una foIha de papeI, con una figuia aqui e
oulia aIi, que não poden se sepaiai nen se encaiai.


As cldades e o nome
4

CIaiisse, cidade gIoiiosa, len una hislóiia aliiluIada. Diveisas vezes
decaiu e iefIoiesceu, nanlendo senpie a piineiia CIaiisse cono iniguaIáveI
nodeIo de lodos os espIendoies, a quaI, conpaiada con o aluaI eslado da
cidade, não deixa de suscilai suspiios a cada giio de eslieIas.
Nos secuIos de degiadação, a cidade, esvaziada poi causa das
pesliIôncias, ieduzida en eslaluia poi causa do desalanenlo de liaves e
coinijas e do desnoionanenlo de leiias, enfeiiujada e lIoqueada poi
negIigôncia ou feiias dos funcionáiios da nanulenção, iepovoava-se
Ienlanenle con hoidas de solievivenles eneisos de sólãos e covas cono
feividos ialos novidos peIo afã de ievoIvei e ioei e que ao nesno lenpo se
ieunian e se ajeilavan cono passaiinhos nun ninho. Agaiiavan-se a ludo o
que podia sei ieliiado de onde eslava e coIocado en oulio Iugai con una
oulia uliIidade: as coilinas de liocado leininavan poi seivii de Iençóis, nas
uinas cineiáiias de náinoie, pIanlavan nanjeiicão, as giades de feiio lalido
aiiancadas das janeIas dos gineceus eian usadas paia assai caine de galo en
fogo de Ienha naichelada. Monlada con os pedaços avuIsos da CIaiisse
inpiesláveI, lonava foina una CIaiisse da solievivôncia, iepIela de covis e
caselies, cóiiegos infeclados, gaioIas de coeIhos. Todavia, não se peideia
quase nada do anligo espIendoi de CIaiisse, eslava ludo aIi, apenas disposlo
de naneiia diveisa nas não nenos adequada as exigôncias dos seus
halilanles.
Os lenpos de indigôncia eian sucedidos poi epocas nais aIegies: una
sunluosa CIaiisse-loiloIela saía da níseia CIaiisse-ciisáIida, a nova

45
alundância fazia a cidade exliavasai de novos naleiiais edifícios oljelos,
afIuía genle nova de foia, nada e ninguen linha a vei con a CIaiisse ou as
CIaiisses anleiioies, e, quanlo nais se eslaleIecia liiunfanlenenle no Iugai e
con o none da piineiia CIaiisse, nais a nova cidade peicelia afaslai-se
desla, desliuí-Ia con a veIocidade dos ialos e do nofo: apesai do oiguIho do
novo fauslo, no fundo do coiação senlia-se eslianha, incongiuenle,
usuipadoia.
Lis enlão os fiagnenlos do piineiio espIendoi, que havian se saIvado
adaplando-se a necessidades nais olscuias, sendo novanenle desIocados, ei-
Ios piolegidos sol iecipienles de vidio, liancados en viliinas, apoiados solie
liavesseiios de veIudo, e não nais poique ainda podian seivii paia aIguna
coisa, nas poique poi neio deIes seiia possíveI ieconsliuii una cidade solie a
quaI ninguen salia nais nada.
Seguiian-se oulias deleiioiações e oulias pujanças en CIaiisse. As
popuIações e os coslunes nudaian diveisas vezes, ieslan o none, o Iugai
en que eslá siluada, os oljelos nais iesislenles. Cada una das novas
CIaiisses, conpacla cono un sei vivo con os seus odoies e a sua iespiiação,
oslenla cono un coIai aquiIo que iesla das novas CIaiisses fiagnenláiias e
noilas. Não se sale quando os capileis coiínlios esliveian en cina de suas
coIunas: iecoida-se sonenle que poi nuilos anos un deIes seiviu de apoio
nun gaIinheiio paia a cesla onde as gaIinhas punhan os ovos e que daIi
passou paia o Museu dos Capileis ao Iado de oulios exenpIaies da coIeção. A
oiden de sucessão das epocas havia se peidido, que exisliu una piineiia
CIaiisse e una ciença nuilo difundida, nas não exislen piovas paia
denonsliá-Io, os capileis poden lei eslado piineiio nos gaIinheiios e depois
nos lenpIos, as uinas de náinoie poden lei sido seneadas piineiio de
nanjeiicão e depois de ossos de defunlos. Sale-se con ceileza apenas o
seguinle: un ceilo núneio de oljelos desIoca-se nun ceilo espaço, oia
sulneiso poi una giande quanlidade de novos oljelos, oia consunido sen
sei ieposlo, a iegia e senpie nisluiá-Ios e lenlai iecoIocá-Ios no Iugai. TaIvez
CIaiisse senpie lenha sido apenas una nisluiada de lugigangas
espedaçadas, pouco soilidas, olsoIelas.


As cldades e os mortos
3

Não exisle cidade nais disposla a apioveilai a vida e a evilai afIições
do que Lusápia. L, a fin de que o saIlo da vida paia a noile seja nenos

46
liusco, os halilanles consliuíian no sulsoIo una cópia idônlica da cidade. Os
cadáveies, dessecados de nodo que os esqueIelos ieslen ieveslidos de peIe
anaieIa, são Ievados paia laixo e conlinuan a cunpiii anligas alividades.
Deslas, as piefeiidas são as que iepioduzen nonenlos de despieocupação: a
naioiia e posicionada en loino de nesas seividas, ou coIocada en posições
de dança ou no geslo de locai lionle-la. Mas lodos os coneicios e piofissões
da Lusápia dos vivos são ieciiados no sulsoIo, ao nenos os que os vivos
ieaIizaian con nais salisfação do que aloiiecinenlo: o ieIojoeiio, no neio de
lodos os ieIógios paiados de sua oficina, encosla a oieIha seca nun ieIógio de
pônduIo sen coida, un laileiio ensaloa con un pinceI seco o osso dos
zigonas de un aloi enquanlo esle iepassa o seu papeI exaninando o ioleiio
con as óililas vazias, una noça de ciânio iisonho oidenha una caicaça de
lezeiia.
CIaio que nuilos dos vivos peden paia depois da noile un deslino
difeienle do que Ihes coule en vida: a neciópoIe e apinhada de caçadoies de
Ieões, neios-sopianos, lanqueiios, vioIinislas, duquesas, conculinas, geneiais,
en núneio naioi do que janais conlou a cidade vivenle.
A incunlôncia de aconpanhai os noilos paia laixo e inslaIá-Ios no
Iugai desejado e confeiida a una confiaiia de encapuzados. Ninguen nais
len acesso a Lusápia dos noilos e ludo o que se sale de Iá de laixo sale-se
poi inleinedio deIes.
Dizen que a nesna confiaiia exisle enlie os noilos e que não deixa de
Ihes dai una ajuda, após a noile, os encapuzados conlinuaião con o nesno
ofício lanlen na oulia Lusápia, fazen ciei que aIguns deIes já noiieian e
conlinuan a ii de cina paia laixo. CIaio, a auloiidade dessa congiegação
solie a Lusápia dos vivos e nuilo anpIa.
Dizen que cada vez que descen enconlian aIguna nudança na
Lusápia de laixo, os noilos apiesenlan inovações en sua cidade, não nuilas,
nas ceilanenle fiulo de una iefIexão pondeiada, não de capiichos
passageiios. De un ano paia o oulio, dizen, não se ieconhece a Lusápia dos
noilos. L os vivos, paia não ficaien paia liás, queien fazei ludo o que os
encapuzados conlan a iespeilo das novidades dos noilos. Assin, a Lusápia
dos vivos coneçou a copiai a sua cópia sulleiiânea.
Dizen que não e só agoia que isso ocoiie: na ieaIidade, foian os
noilos que consliuíian a Lusápia de cina seneIhanle a sua cidade. Dizen
que nas duas cidades gôneas não exisle neio de salei quen são os vivos e
quen são os noilos.

47
As cldades e o ceu
2

Ln ßeisaleia, liansnile-se a seguinle ciença: que suspensa no ceu
exisla una oulia ßeisaleia, onde giavilan as viiludes e os senlinenlos nais
eIevados da cidade, e que, se a ßeisaleia leiiena lonai a ceIesle cono nodeIo,
eIas se loinaião una única cidade. A inagen que a liadição divuIga e de una
cidade de ouio naciço, con laiiaxas de piala e poilas de diananle, una
cidade-jóia, iepIela de enlaIhes e engasles, que supienas e Ialoiiosas
pesquisas, apIicadas a naleiias de supieno vaIoi, poden pioduzii. Iieis a
essa ciença, os halilanles de ßeisaleia cuIluan ludo o que Ihes evoca a cidade
ceIesle: acunuIan nelais nolies e pedias iaias, ienuncian aos efôneios,
eIaloian foinas de conposla conposluia.
Tanlen ciôen, esses halilanles, que exisle una oulia ßeisaleia no
sulleiiâneo, ieceplácuIo de ludo o que Ihes ocoiie de despiezíveI e indigno, e
eIes zeIan conslanlenenle paia eIininai da ßeisaleia eneisa quaIquei Iigação
ou seneIhança con a gônea do sulsoIo. No Iugai dos lelos, inagina-se que a
cidade ínfeia possui Ialas de Iixo inveilidas, das quais liansloidan cascas de
queijo, enlaIagens goiduiosas, água da Iouça suja, ieslos de espaguele, veIhas
vendas. Ou nesno que a sua sulslância seja aqueIa escuia, naIeáveI e densa
cono pez que escoiie peIos esgolos pioIongando o peicuiso das vísceias
hunanas, de luiaco negio en luiaco negio, ale esloiiachai-se no nais
piofundo sedinenlo sulleiiâneo, e que juslanenle a pailii dos pieguiçosos
deliilos eniascados Iá enlaixo eIeven-se, giio após giio, os edifícios de una
cidade fecaI de exlienidades loiluosas.
Nas cienças de ßeisaleia, exisle una paile de veidadeiio e una de
faIso. L veidade que duas piojeções de si nesna aconpanhan a cidade, una
ceIesle e una infeinaI, nas há un equívoco quanlo aos seus conleúdos. O
infeino inculado no nais piofundo sulsoIo de ßeisaleia e una cidade
desenhada peIos nais piesligiosos aiquilelos, consliuída con os naleiiais
nais caios do neicado, que funciona en lodos os seus necanisnos e
ieIojoaiia e engienagens, con oinanenlos de passananaiia e fianjas e faIlaIá
penduiados en lodos os lulos e lieIas.
Iieocupada en acunuIai os seus quiIales de peifeição, ßeisaleia ciô
que seja viilude aquiIo que a esla aIluia e una neIancóIica olsessão de
pieenchei os ieceplácuIos vazios de si nesna, não sale que os seus únicos
nonenlos de alandono geneioso são aqueIes en que se despiende, deixa caii,
se expande. Todavia, no zônile de ßeisaleia giavila un coipo ceIesle que
iefuIge con lodo o len da cidade, ieunido en loino do lesouio dos iesíduos:

48
un pIanela que desfiaIda cascas de lalala, guaida-chuvas queliados, neias
gaslas, cinliIanles cacos de leiiacola, lolões peididos, enlaIagens de
chocoIales, Iajeado de liIheles de londe, fiagnenlos de unhas e de caIos,
cascas de ovo. Lssa e a cidade ceIesle e en seu ceu coiien conelas de cauda
Ionga, enilidos paia giiai no espaço cono o único alo Iivie e feIiz de que são
capazes os halilanles de ßeisaleia, cidade que só quando caga não e avaia
caIcuIadoia inleiesseiia.


As cldades contInuas
1

A cidade de Leônia iefaz a si piópiia lodos os dias: a popuIação acoida
lodas as nanhãs en Iençóis fiescos, Iava-se con saloneles iecen-liiados da
enlaIagen, vesle ioupões novíssinos, exliai das nais avançadas geIadeiias
Ialas ainda inlalas, esculando as úIlinas IengaIengas do úIlino nodeIo de
iádio.
Nas caIçadas, envoIlos en Iínpidos sacos pIáslicos, os ieslos da Leônia
de onlen aguaidan a caiioça do Iixeiio. Não só lulos ieloicidos de pasla de
denle, Iânpadas queinadas, joinais, iecipienles, naleiiais de enlaIagen, nas
lanlen aquecedoies, encicIopedias, pianos, apaieIhos de janlai de poiceIana:
nais do que peIas coisas que lodos os dias são faliicadas vendidas
conpiadas, a opuIôncia de Leônia se nede peIas coisas que lodos os dias são
jogadas foia paia dai Iugai as novas. Tanlo que se peigunla se a veidadeiia
paixão de Leônia e de falo, cono dizen, o piazei das coisas novas e difeienles,
e não o alo de expeIii, de afaslai de si, expuigai una inpuieza iecoiienle. O
ceilo e que os Iixeiios são acoIhidos cono anjos e a sua laiefa de ienovei os
ieslos da exislôncia do dia anleiioi e ciicundada de un iespeilo siIencioso,
cono un iilo que inspiia a devoção, ou laIvez apenas poique, una vez que as
coisas são jogadas foia, ninguen nais quei pensai neIas.
Ninguen se peigunla paia onde os Iixeiios Ievan os seus
caiieganenlos: paia foia da cidade, sen dúvida, nas lodos os anos a cidade
se expande e os depósilos de Iixo deven iecuai paia nais Ionge, a inponôncia
dos liilulos aunenla e os inposlos eIevan-se, eslialifican-se, eslenden-se
poi un peiínelio nais anpIo. Aciescenle-se que, quanlo nais Leônia se
supeia na aile de faliicai novos naleiiais, nais sulslancioso loina-se o Iixo,
iesislindo ao lenpo, as inlenpeiies, a feinenlação e a conluslão. L una
foilaIeza de ielolaIhos indesliulíveis que ciicunda Leônia, donina-a de lodos
os Iados cono una cadeia de nonlanhas.

49
O iesuIlado e o seguinle: quanlo nais Leônia expeIe, nais coisas
acunuIa, as escanas do seu passado se soIidifican nuna couiaça inpossíveI
de se liiai, ienovando-se lodos os dias, a cidade conseiva-se inlegiaInenle en
sua única foina definiliva: a do Iixo de onlen que se junla ao Iixo de
anleonlen e de lodos os dias e anos e Iuslios.
A inundície de Leônia pouco a pouco invadiiia o nundo se o inenso
depósilo de Iixo não fosse conpiinido, do Iado de Iá de sua cuneeiia, poi
depósilos de Iixo de oulias cidades que lanlen iepeIen paia Ionge
nonlanhas de deliilos. TaIvez o nundo inleiio, aIen dos confins de Leônia,
seja iecoleilo poi cialeias de inundície, cada una con una neliópoIe no
cenlio en ininleiiupla eiupção. Os confins enlie cidades desconhecidas e
ininigas são lasliões infeclados en que os deliilos de una e de oulia
escoian-se iecipiocanenle, supeian-se, nisluian-se.
Quanlo nais ciesce en aIluia, naioi e a aneaça de desnoionanenlo:
lasla que un vasiIhane, un pneu veIho, un gaiiafão de vinho se piecipilen
do Iado de Leônia e una avaIanche de sapalos desenpaieIhados, caIendáiios
de anos decoiiidos e fIoies secas afunda a cidade no passado que en vão
lenlava iepeIii, nisluiado con o das cidades Iiníliofes, finaInenle eIininada
~ un CalacIisno iiá apIainai a sóidida cadeia nonlanhosa, canceIai quaIquei
veslígio da neliópoIe senpie veslida de novo. }á nas cidades vizinhas, eslão
pionlos os ioIos conpiessoies paia apIainai o soIo, eslendei-se no novo
leiiilóiio, aIaigai-se, afaslai os novos depósilos de Iixo.
PO|O. ... Pcdc scr quc cs |crraçcs dcs|c jardin sc cs|cjan suspcnscs scorc c
|agc das ncssas ncn|cs...
KU8|A|. ... | pcr nais |cngc quc as ncssas a|riou|adas funç5cs dc
ccnandan|c c dc ncrcadcr ncs |ctcn, anocs |u|c|ancs dcn|rc dc ncs cs|a scnora
si|cncicsa, cs|a ccntcrsaçac pausada, cs|a |ardc scnprc idcn|ica.
PO|O. A ncncs quc nac sc dc a nipc|csc cpcs|a. quc aquc|cs quc sc afanan
ncs acanpancn|cs c ncs pcr|cs sc cxis|cn pcrquc ncs dcis pcnsancs nc|cs, fccnadcs
ncs|c |apunc dc oanous, scnprc inctcis.
KU8|A|. Quc nac cxis|cn c csfcrçc, cs gri|cs, as pragas, c fcdcr, nas apcnas
cs|a aza|cia.
PO|O. Quc cs carrcgadcrcs, cs pcdrcircs, cs |ixcircs, as cczinnciras quc
|inpan as cn|rannas dcs frangcs, as |atadciras inc|inadas scorc a pcdra, as nacs dc
fani|ia quc ncxcn c arrcz a|ci|andc cs rcccn-nascidcs, sc cxis|cn pcrquc pcnsancs
nc|cs.
KU8|A|. Para fa|ar a tcrdadc, janais pcnsc nc|cs.
PO|O. |n|ac nac cxis|cn.
KU8|A|. Nac nc parccc scr cssa una ccnjc|ura quc ncs ccntcnna. Scn c|cs,
janais pcdcriancs ccn|inuar oa|ançandc cncasu|adcs cn ncssas rcdcs.

5O
PO|O. Dctcncs rcjci|ar a nipc|csc, cn|ac. Pcr|an|c, a nipc|csc tcrdadcira c a
cu|ra. sac c|cs quc cxis|cn, nac ncs.
KU8|A|. Acaoancs dc dcncns|rar quc, sc ncs cxis|isscncs, nac cxis|iriancs.
PO|O: |i-ncs aqui, dc fa|c.






51
8

Acs pcs dc |rcnc dc Grandc Knan cs|cndia-sc un patincn|c dc naic|ica.
Marcc Pc|c, infcrnan|c nudc, cspa|nata c ncs|ru4ric dc ncrcadcrias |razidas dc suas
tiagcns acs ccnfins dc inpcric. un c|nc, una ccncna, un cccc, un |cquc. Dispcndc
cs cojc|cs nuna ccr|a crdcn scorc cs azu|cjcs oranccs c prc|cs c, a par|ir dai,
dcs|ccandc-cs ccn nctincn|cs cs|udadcs, c cnoaixadcr |cn|ata rcprcscn|ar acs c|ncs
dc ncnarca as ticissi|udcs dc sua tiagcn, c cs|adc dc inpcric, as prcrrcga|itas dc
rcnc|as capi|ais dc prctincia.
Kuo|ai cra un a|cn|c jcgadcr dc xadrcz, scguindc cs gcs|cs dc Marcc,
coscrtata quc ccr|as pcças inp|icatan cu cxc|uian a prcxinidadc dc cu|ras pcças c
dcs|ccatan-sc dc accrdc ccn ccr|as Unnas. Transcurandc a taricdadc dc fcrnas, c|c
dcfinia a dispcsiçac dc un cojc|c cn rc|açac ac cu|rc scorc c patincn|c dc naic|ica.
Pcnscu. ´Sc cada cidadc c ccnc una par|ida dc xadrcz, c dia cn quc cu ccnncccr as
suas rcgras fina|ncn|c pcssuirci c ncu inpcric, apcsar dc quc janais ccnscguirci
ccnncccr |cdas as cidadcs quc cs|c ccn|cn¨.
Nc fundc, cra inu|i| quc para fa|ar dc suas cidadcs Marcc u|i|izassc |an|as
ninnarias. oas|ata un |aou|circ dc xadrcz ccn pcças prccisancn|c c|assific4tcis. Para
cada pcça pcdia-sc a|riouir a||crnadancn|c un significadc aprcpriadc. un cata|c
pcdia rcprcscn|ar |an|c un cata|c rca| quan|c un ccr|cjc dc carrcças, un cxcrci|c cn
narcna, un ncnuncn|c cqùcs|rc, c una rainna pcdia scr una dana dcoruçada nc
oa|cac, una fcn|c, una igrcja ccn a cupu|a cuspida|a, un pc dc narnc|c.
Ac rc|crnar dc sua u||ina nissac, Marcc Pc|c cnccn|rcu c Knan a sua cspcra,
scn|adc dian|c dc un |aou|circ dc xadrcz. Ccn un gcs|c, ccntidcu-c a scn|ar a sua
frcn|c c dcscrctcr-|nc as cidadcs quc tisi|ara apcnas ccn c auxi|ic dc xadrcz. O
tcnczianc nac sc dcscspcrcu. O xadrcz dc Grandc Knan cra ccnpcs|c dc grandcs pcças
dc narfin pc|idc. dispcndc scorc c |aou|circ |crrcs ancaçadcras c cata|cs scnorics,
ccndcnsandc una grandc quan|idadc dc pcças, |raçandc atcnidas rc|as cu co|iquas
ccnc cs nctincn|cs da rainna, Marcc rccriata as pcrspcc|itas c cs cspaçcs dc cidadcs
orancas-c-prc|as cn nci|cs dc |ua.
Ac ccn|cnp|ar cssas paisagcns csscnciais, Kuo|ai rcf|c|ia scorc a crdcn
intisitc| quc gctcrnata a cidadc, scorc as rcgras a quc rcspcndian c scu surgir c
fcrnar-sc c prcspcrar c adap|ar-sc as cs|aç5cs c dcfinnar c cair cn dccadcncia. As
tczcs, parccia-|nc cs|ar prcs|cs a dcsccorir un sis|cna cccrcn|c c narncnicc quc cs|ata
pcr |r4s das infini|as dcfcrnidadcs c dcsarncnias, nas ncnnun ncdc|c rcsis|ia a
ccnparaçac ccn c jcgc dc xadrcz. Pcdc scr quc, cn tcz dc insis|ir cn ctccar ccn c
nagrc auxi|ic dc pcças dc narfin tis5cs dc qua|qucr ncdc dcs|inadas ac
csquccincn|c, oas|assc jcgar una par|ida scgundc as rcgras c ccn|cnp|ar cada un dcs
cs|adcs succssitcs dc |aou|circ ccnc una das inuncras fcrnas cn quc c sis|cna dc
fcrnas sc crganiza c sc dcs|rci.
Kuo|ai Knan j4 nac prccisata nandar Marcc Pc|c cn cxpcdiç5cs dis|an|cs.

52
dc|inna-c para jcgar in|crnin4tcis par|idas dc xadrcz. O ccnnccincn|c dc inpcric
csccndia-sc nc dcscnnc |raçadc pc|cs angu|cscs sa||cs dc cata|c, pc|cs cspaçcs
diagcnais quc sc aorcn nas incurs5cs dc oispc, pc|c passc arras|adc c prudcn|c dc rci c
dc nuni|dc pcac, pc|as a||crna|itas incxcr4tcis dc cada par|ida.
O Grandc Knan |cn|ata idcn|ificar-sc ccn c jcgc. nas agcra cra c nc|itc dc
jcgc quc |nc cscapata. O cojc|itc dc cada par|ida c un gannc cu una pcrda. nas dc
quc? Qua| cra a tcrdadcira apcs|a? Nc xcquc-na|c, sco cs pcs dc rci dcrruoadc pc|as
nacs dc tcnccdcr, rcs|a un quadradc prc|c cu orancc. Ccn c prcpcsi|c dc
dcsncnorar as suas ccnquis|as para rcduzi-|as a csscncia, Kuo|ai a|ingira c cx|rcnc
da cpcraçac. a ccnquis|a dcfini|ita, dian|c da qua| cs nu||ifcrncs |cscurcs dc inpcric
nac passatan dc intc|ucrcs i|uscrics, rcduzia-sc a una |cssc|a dc nadcira pc|ida. c
nada...


As cldades e o nome
5

Iiene e a cidade que se vô na exlienidade do pIanaIlo na hoia en que
as suas Iuzes se acenden e peinilen dislinguii no hoiizonle, quando o ai eslá
Iínpido, o núcIeo do povoado: os Iugaies onde há naioi concenliação de
janeIas, onde a cidade iaieia en vieIas naI iIuninadas, onde se acunuIan
sonlias de jaidins, onde se eiguen loiies con fogos de ailifício, e, se o
enlaidecei e liunoso, una cIaiidade anuviada infIa-se cono una esponja
Ieilosa aos pes da enseada.
Os viajanles do pIanaIlo, os pasloies que liansunan os ainenlos, os
passaiinheiios que vigian as iedes, os eienilas que coIhen iaízes, lodos
oIhan paia laixo e faIan de Iiene. As vezes, o venlo liaz una núsica de
lunlos e lionpas, o ciepilai de noileiios na iIuninação de una fesla, as
vezes, o aIaiido da neliaIhadoia, a expIosão de un paioI de póIvoia no ceu
anaieIado dos incôndios aleados duianle a gueiia civiI. Os que oIhan de Iá de
cina fazen conjeluias solie o que eslá aconlecendo na cidade, peigunlan-se
se enconliai-se en Iiene naqueIa laide seiia lon ou iuin. Não que lenhan
inlenção de ii ~ e, de quaIquei nodo, as esliadas que descen ao vaIe são
iuins ~, nas Iiene nagneliza oIhaies e pensanenlos de quen eslá Iá no aIlo.
A esla aIluia, KulIai Khan espeia que Maico diga cono e Iiene visla
de denlio. L Maico não pode fazô-Io: não conseguiu salei quaI e a cidade que
os noiadoies do pIanaIlo chanan de Iiene, poi oulio Iado, não inpoila: visla
de denlio, seiia una oulia cidade, Iiene e o none de una cidade dislanle que
nuda a nedida que se se apioxina deIa.

53
A cidade de quen passa sen enliai e una, e oulia paia quen e
apiisionado e não sai nais daIi, una e a cidade a quaI se chega peIa piineiia
vez, oulia e a que se alandona paia nunca nais ieloinai, cada una neiece
un none difeienle, laIvez eu já lenha faIado de Iiene sol oulios nones, laIvez
eu só lenha faIado de Iiene.


As cldades e os mortos
4

O que dislingue Aigia das oulias cidades e que no Iugai de ai exisle
leiia. As iuas são conpIelanenle aleiiadas, os quailos são cheios de aigiIa ale
o lelo, solie as escadas pousan oulias escadas en negalivo, solie os leIhados
das casas pienen canadas de leiieno iochoso cono ceus enevoados. Não
salenos se os halilanles poden andai peIa cidade aIaigando as gaIeiias das
ninhocas e as fendas en que se insinuan iaízes: a unidade alale os coipos e
liia loda a sua foiça, conven peinaneceien paiados e deilados, de lão escuio.
De Aigia, daqui de cina, não se vô nada, há quen diga: ¨Lslá Iá
enlaixo¨ e e pieciso aciedilai, os Iugaies são deseilos. A noile, encoslando o
ouvido no soIo, as vezes se ouve una poila que lale.


As cldades e o ceu
3

Quando se chega a TecIa, pouco se vô da cidade, escondida aliás dos
lapunes, das defesas de pano, dos andaines, das ainaduias neláIicas, das
ponles de nadeiia suspensas poi calos ou apoiadas en cavaIeles, das escadas
de coida, dos faidos de jula. A peigunla: Ioi que a consliução de TecIa
pioIonga-se poi lanlo lenpo`, os halilanles, sen deixai de içai laIdes, de
laixai calos de feiio, de novei Iongos pinceis paia cina e paia laixo,
iesponden:
~ Iaia que não conece a desliuição. ~ L, queslionados se lenen que
após a ieliiada dos andaines a cidade conece a desnoionai e a despedaçai-
se, aciescenlan iapidanenle, sussuiiando: ~ Não só a cidade.
Se, insalisfeilo con as iesposlas, aIguen espia aliaves dos ceicados, vô

54
guindasles que eiguen oulios guindasles, ainações que ieveslen oulias
ainações, liaves que escoian oulias liaves.
~ QuaI e o senlido de lanla consliução` ~ peigunla. ~ QuaI e o
oljelivo de una cidade en consliução senão una cidade` Onde eslá o pIano
que vocôs seguen, o piojelo`
~ Mosliaienos assin que leininai a joinada de lialaIho, agoia não
podenos sei inleiionpidos ~ iesponden.
O lialaIho cessa ao pôi-do-soI. A noile cai solie os canleiios de olias.
L una noile eslieIada.
~ Lis o piojelo ~ dizen.


As cldades contInuas
2

Se ao aleiiissai en Tiude eu não livesse Iido o none da cidade esciilo
nun giande Ielieiio, pensaiia lei chegado ao nesno aeiopoilo de onde havia
pailido. Os sulúilios que ne fizeian aliavessai não eian difeienles dos da
cidade anleiioi, con as nesnas casas anaieIinhas e veidinhas. Seguindo as
nesnas fIechas, andava-se en voIla dos nesnos canleiios das nesnas
piaças. As iuas do cenlio exilian neicadoiias enlaIagens ióluIos que não
vaiiavan en nada. Lia a piineiia vez que eu vinha a Tiude, nas já conhecia o
holeI en que poi acaso ne hospedei, já linha ouvido e dilo os neus diáIogos
con os conpiadoies e vendedoies de sucala, leininaia oulios dias iguais
aqueIe oIhando aliaves dos nesnos copos os nesnos unligos onduIanles.
Ioi que vii a Tiude, peigunlava-ne. L senlia vonlade de pailii.
~ Iode pailii quando quisei ~ disseian-ne ~, nas vocô chegaiá a
una oulia Tiude, iguaI ponlo poi ponlo, o nundo e iecoleilo poi una única
Tiude que não len coneço nen fin, só nuda o none no aeiopoilo.


As cldades ocu|tas
1

Quen vai a OIinda con una Ienle de aunenlo e piocuia con alenção

55
pode enconliai en aIgun Iugai un ponlo não naioi do que a caleça de un
aIfinele que un pouco anpIiado noslia en seu inleiioi leIhados anlenas
cIaialóias jaidins lanques, faixas aliaves das iuas, quiosques nas piaças, pislas
paia as coiiidas de cavaIos. AqueIe ponlo não peinanece inóveI: depois de
un ano, já eslá giande cono un Iinão, depois, cono un coguneIo, depois,
cono un pialo de sopa. L eis que se loina una cidade de lananho naluiaI,
conlida na piineiia cidade: una nova cidade que alie espaço en neio a
piineiia cidade e inpeIe-a paia foia.
Sen dúvida OIinda não e a única cidade a ciescei en cíicuIos
concônliicos cono os lioncos das áivoies que a cada ano aunenlan una
ciicunfeiôncia. Mas, nas oulias cidades, peinanece no cenlio o veIho cinluião
de nuiaIhas eslieilas eslieilas, do quaI desponlan iessequidos canpanáiios
loiies leIhados cúpuIas, enquanlo os novos laiiios se infIan ao seu iedoi
cono un cinlo que se despiende. Não en OIinda: as veIhas nuiaIhas se
diIalan Ievando consigo os laiiios anligos, anpIiados, nanlendo as
piopoições solie un hoiizonle nais Iaigo nos confins da eidade, esles
ciicundan os laiiios un pouco nenos veIhos, lanlen naioies no peiínelio
nas afinados paia cedei Iugai aos nais iecenles que fazen piessão de denlio
paia foia, e assin poi dianle ale o coiação da cidade: una OIinda inleiianenle
nova que en suas dinensões ieduzidas conseiva os liaços e o fIuxo de Iinfa da
piineiia OIinda e de lodas as OIindas que desponlaian una de denlio da
oulia, e no neio desse ceicado nais inleino já desponlan ~ nas e difíciI
dislingui-Ias ~ as OIindas vindouias e aqueIas que ciesceião posleiioinenle.
... O Grandc Knan |cn|ata ccnccn|rar-sc nc jcgc. nas agcra cra c pcrquc dc
jcgc quc |nc cscapata. O cojc|itc dc cada par|ida c un gannc cu una pcrda. nas dc
quc? Qua| cra a tcrdadcira apcs|a? Nc xcquc-na|c, sco cs pcs dc rci dcrruoadc pc|as
nacs dc tcnccdcr, rcs|a c nada. un quadradc prc|c cu orancc. A fcrça dc
dcsinccrpcrar suas ccnquis|as para rcduzi-|as a csscncia, Kuo|ai a|ingira c cx|rcnc da
cpcraçac. a ccnquis|a dcfini|ita, da qua| cs nu||ifcrncs |cscurcs dc inpcric nac
passatan dc intc|ucrcs i|uscrics, rcduzia-sc a una |cssc|a dc nadcira pc|ida.
|n|ac Marcc Pc|c dissc.
~ O scu |aou|circ, scnncr, c una narcnc|aria dc duas nadciras. coanc c
ocrdc. A casa scorc a qua| sc fixcu c scu c|nar i|uninadc fci cx|raida dc una canada
dc |rcncc quc crcsccu nun anc dc cs|iagcn. Ooscrtc ccnc sac dispcs|as as fioras.
Aqui sc pcrccoc un nc apcnas csocçadc. un orc|c |cn|cu dcspcn|ar nun dia dc
prinatcra prccccc, nas a gcada nc|urna corigcu-c a dcsis|ir. ~ A|c cn|ac c Grandc
Knan nac sc dcra ccn|a dc quc c cs|rangcirc saoia sc cxprinir f|ucn|cncn|c cn sua
|ingua, nas nac fci issc quc c surprccndcu. ~ |is un pcrc nais |argc. |a|tcz |cnna
sidc c ninnc dc una |arta, nac dc un caruncnc, pcis cs|c, |cgc dcpcis dc nasccr, |cria
ccn|inuadc a cscatar, nas dc una |agar|a, quc rccu as fc|nas c fci a causa pc|a qua| a
4rtcrc fci cscc|nida para scr aoa|ida... |s|a nargcn fci cn|a|nada ccn a gcita pc|c
coanis|a a fin dc adcri-|a ac quadradc tizinnc, nais sa|icn|c...

56
A quan|idadc dc ccisas quc sc pcdia |irar dc un pcdacinnc dc nadcira |isa c
tazia aoisnata Kuo|ai, Pc|c j4 ccncçata a fa|ar dc ocsqucs dc coanc, dc oa|sas dc
|rcnccs quc dcscian cs rics, dcs dcscnoarcadcurcs, das nu|ncrcs nas janc|as...




57
9

O Grandc Knan pcssui un a||as cn quc cs|ac dcscnnadas |cdas as cidadcs dc
inpcric c dcs rcincs adjaccn|cs, pa|4cic pcr pa|4cic c rua pcr rua, ccn as rcspcc|itas
nura|nas, rics, pcn|cs, pcr|cs, rccncdcs. Saoc quc c inu|i| cspcrar nctidadcs dcs
rc|a|crics dc Marcc Pc|c a rcspci|c dcsscs |ugarcs quc, dc rcs|c, ccnnccc pcrfci|ancn|c.
dc ccnc cn Canoa|uc, capi|a| da Cnina, |rcs cidadcs quadradas cs|ac una dcn|rc da
cu|ra, cada una ccn qua|rc |cnp|cs c qua|rc pcr|as quc sc aorcn scgundc as cs|aç5cs,
dc ccnc na i|na dc ]ata c rincccrcn|c cnfurccidc a|aca ccn c scu cnifrc ncr|ifcrc, dc
ccnc sc pcscan pcrc|as nc fundc dc nar na ccs|a dc Maaoar.
Kuo|ai pcrgun|a para Marcc.
~ Quandc tccc rc|crnar ac Pccn|c, rcpc|ir4 para a sua gcn|c as ncsnas
nis|crias quc ccn|a para nin?
~ |u fa|c, fa|c ~ diz Marcc ~, nas qucn nc cutc rc|cn scncn|c as
pa|atras quc dcscja. Una c a dcscriçac dc nundc a qua| tccc cnprcs|a a sua ocndcsa
a|cnçac, cu|ra c a quc ccrrcr4 cs canpan4rics dc dcscarrcgadcrcs c gcndc|circs as
nargcns dc cana| dian|c da ninna casa nc dia dc ncu rc|crnc, cu|ra ainda a quc
pcdcria di|ar cn idadc atançada sc fcssc aprisicnadc pcr pira|as gcnctcscs c cc|ccadc
acs fcrrcs na ncsna cc|a dc un cscrioa dc rcnanccs dc atcn|uras. Qucn ccnanda a
narraçac nac c a tcz. c c cutidc.
~ As tczcs, parccc-nc quc a sua tcz cncga dc |cngc a|c nin, cnquan|c scu
prisicncirc dc un prcscn|c tis|csc c intisitc|, nc qua| |cdas as fcrnas dc ccntitcncia
nunana a|ingiran c pcn|c cx|rcnc dc scu cic|c c c inpcssitc| inaginar quais as nctas
fcrnas quc assunirac. | cscu|c, pcr in|crncdic dc sua tcz, as raz5cs intisitcis pc|as
quais cxis|ian as cidadcs c |a|tcz pc|as quais, apcs a ncr|c, tc||arac a cxis|ir.
O Grandc Knan pcssui un a||as cujcs dcscnncs rcprcscn|an |cdc c g|coc
|crrcs|rc, ccn|incn|c pcr ccn|incn|c, cs ccnfins dcs rcincs nais |cnginqucs, as rc|as
dcs natics, cs ccn|crncs da ccs|a, cs napas das nc|rcpc|cs nais i|us|rcs c dcs pcr|cs
nais cpu|cn|cs. ||c fc|ncia cs napas sco c c|nar dc Marcc Pc|c para cc|ccar a prcta c
scu ccnnccincn|c. O tiajan|c rcccnnccc Ccns|an|incp|a na cidadc dc |rcs nargcns quc
ccrcan rcspcc|itancn|c un |cngc cs|rci|c, un gc|fc ccnpridc c un nar fccnadc,
rcccrda quc ]crusa|cn cs|4 si|uada scorc suas cc|inas dc a||ura dispar c cc|ccadas facc
a facc, nac ncsi|a ac apcn|ar Sanarcanda c scus jardins.
Scorc cu|ras cidadcs, |ança nac dc dcscriç5cs |ransni|idas dc occa cn occa cu
nc|c-sc a aditinnar oascandc-sc cn cscasscs indicics. assin c Granada, pcrc|a irisada
dcs ca|ifas, |ùocc| |indc pcr|c ocrca|, Tinouc|u cncgrccida dc coanc c csoranquiçada
dc narfin, Paris cndc |cdcs cs dias ni|n5cs dc pcsscas tc||an ac |ar cnpunnandc un
fi|ac dc pac. |n ninia|uras cc|cridas, c a||as rcprcscn|a |ugarcs naoi|adcs dc nancira
insc|i|a. un c4sis csccndidc nun tincc dc dcscr|c dc qua| dcspcn|an scncn|c cs |cpcs
das pa|nciras ccr|ancn|c c Ncf|a, un cas|c|c cn ncic as arcias nctcdiças c as tacas

58
quc pas|an ncs canpcs sa|gadcs das narcs sc pcdc rcccrdar Mcn|-Sain|-Micnc|c, c sc
pcdc scr Uroinc un pa|4cic quc cn tcz dc sc crgucr dcn|rc da nura|na dc una cidadc
ccn|cn una cidadc dcn|rc dc sua nura|na.
O a||as |anocn rcprcscn|a cidadcs quc ncn Marcc ncn cs gccgrafcs saocn sc
cxis|cn cu cndc fican, nas quc nac pcdcrian fa||ar cn|rc as fcrnas das cidadcs
pcssitcis. una Cuzcc dc dcscnnc radiadc c nu||ifragncn|adc quc rcf|c|c a pcrfci|a
crdcn das |rccas, una cidadc dc Mcxicc tcrdcjan|c a ocira dc |agc dcninadc pc|c paçc
rca| dc Mcn|czuna, una Nctgcrcd dc cupu|as ou|ocidcs, una |nassa cujcs |c|cs a|tcs
crgucn-sc acina dc |c|c ncou|csc dc p|anc|a. Para cssas cidadcs, Marcc |anocn d4
un ncnc, nac inpcr|a qua|, c sugcrc un i|incr4ric a pcrccrrcr. Saoc-sc quc c ncnc
dcs |ugarcs nuda |an|as tczcs quan|as sac as suas |inguas cs|rangciras, c quc cada
|ugar pcdc scr a|cançadc dc cu|rcs |ugarcs, pc|as nais tariadas cs|radas c rc|as, pcr
qucn cata|ga guia rcna tca.
~ Parccc quc tccc ccnnccc nc|ncr as cidadcs pcr ncic dc a||as dc quc
tisi|andc-as pcssca|ncn|c ~ dissc c inpcradcr a Marcc, fccnandc c |itrc dc rcpcn|c.
| Pc|c.
~ Viajandc pcrccoc-sc quc as difcrcnças dcsaparcccn. una cidadc tai sc
|crnandc parccida ccn |cdas as cidadcs, cs |ugarcs a||crnan fcrnas crdcns dis|ancias,
una pccira infcrnc intadc cs ccn|incn|cs. O scu a||as nan|cn in|a|as as difcrcnças. a
nu||ip|icidadc dc qua|idadcs quc sac ccnc as |c|ras dcs ncncs.
O Grandc Knan pcssui un a||as cn quc cs|ac rcunidcs cs napas dc |cdas as
cidadcs. as quc c|ctan as suas nura|nas scorc oascs sc|idas, as quc cairan cn ruina c
fcran cngc|idas pc|a arcia, as quc un dia cxis|irac c cn cujcs |ugarcs ainda nac sc
ccns|rci nada a|cn dc |ccas dc |corcs.
Marcc Pc|c fc|ncia cs napas, rcccnnccc ]cricc, Ur, Car|agcna, apcn|a para c
pcr|c a fcz dc |scanandrc cndc cs natics aqucus pcr dcz ancs aguardaran c
rccnoarquc dcs si|ian|cs, a|c quc c cata|c cncati|nadc pcr U|isscs fci rcoccadc pcr un
caorcs|an|c a|ratcs das pcr|as da fcr|a|cza. Mas, fa|andc dc Trcia, c|c |nc a|riou|a a
fcrna dc Ccns|an|incp|a, c prctia c asscdic ccn c qua| pcr |cngcs ncscs a ccnpriniria
Macnc, quc, as|u|c ccnc U|isscs, faria rcoccar cs natics a nci|c pc|a |crrcn|c, dc
8csfcrc ac Ccrnc Dcuradc, circundandc Pcra c Gaia|a. | da nis|ura dcssas duas
cidadcs rcsu||ata una |crccira, quc pcdia cnanar-sc Sac |ranciscc c prc|cndcr pcn|cs
|cnguissinas c |ctcs scorc a Pcr|a Dcurada c a oaia, c ins|a|ar |rantias c crcna|nciras
cn |adciras cx|racrdinariancn|c ingrcncs, c f|crcsccr ccnc capi|a| dc Pacificc da|i a
un ni|cnic, dcpcis dc |cngc asscdic dc |rczcn|cs ancs quc |ctaria a raça anarc|a c
ncgra c tcrnc|na a fundir-sc ccn a cs|irpc scorctitcn|c dcs oranccs, nun inpcric
nais tas|c quc c dc Grandc Knan.
O a||as |cn cssa qua|idadc. rctc|a a fcrna das cidadcs quc ainda nac |cn
fcrna ncn ncnc. H4 a cidadc ccn a fcrna dc Ans|crdan, scnicircu|c tc||adc para c
sc|cn|riac, ccn canais ccnccn|riccs. c dcs Principcs, dc |npcradcr, dcs Scnncrcs, n4 a
cidadc ccn a fcrna dc Ycr|, cngas|ada nas c|ctadas cs|cpcs, nurada, nir|a dc |crrcs,

59
n4 a cidadc ccn a fcrna dc Ncta Ans|crdan, |anocn cnanada Ncta Ycr|, rcp|c|a dc
|crrcs dc tidrc c açc scorc una i|na co|cnga cn|rc dcis rics, ccn ruas pcrfci|ancn|c
rc|as ccnc canais prcfundcs, cxcc|c a 8rcaduaq.
O ca|4|cgc dc fcrnas c in|crnin4tc|. cnquan|c cada fcrna nac cnccn|ra a sua
cidadc, nctas cidadcs ccn|inuarac a surgir. Ncs |ugarcs cn quc as fcrnas cxaurcn as
suas taricdadcs c sc dcsfazcn, ccncça c fin das cidadcs. Ncs u||incs napas dc a||as,
di|uian-sc rc|icu|cs scn inicic ncn fin, cidadcs ccn a fcrna dc |cs Angc|cs, ccn a
fcrna dc Kic|c-Osa|a, scn fcrna.


As cldades e os mortos
5

Laudônia, cono lodas as cidades, len a seu Iado una oulia cidade en
que os halilanles possuen os nesnos nones: e a Laudônia dos noilos, o
cenileiio. Mas a caiacleiíslica pailicuIai de Laudônia e a de sei, nais do que
dupIa, liipIa, islo e, de conpieendei una leiceiia Laudônia, que e a dos não-
nascidos.
As piospeiidades da cidade dupIa são conhecidas. Quanlo nais a
Laudônia dos vivos se povoa e se diIala, nais aunenla a quanlidade de
lunlas do Iado de foia da nuiaIha. As iuas da Laudônia dos noilos são
Iaigas apenas o laslanle paia que liansile o caiio fúnelie, e são Iadeadas poi
edifícios despiovidos de janeIas, nas o liaçado das iuas e a seqüôncia das
noiadias iepelen os da Laudônia viva e, assin cono nesla, as faníIias são
cada vez nais conpiinidas en conpaclos nichos solieposlos. Nas laides
ensoIaiadas, a popuIação vivenle visila os noilos e decifia os piópiios nones
nas Iajes de pedia: da nesna foina que a cidade dos vivos, esla conunica
una hislóiia de sofiinenlos, iiiilações, iIusões, senlinenlos, só que aqui ludo
se loinou necessáiio, Iivie do acaso, aiquivado, poslo en oiden. L, paia se
senlii seguia, a Laudônia viva piecisa piocuiai na Laudônia dos noilos a
expIicação de si piópiia, não olslanle o iisco de enconliai expIicações a nais
ou a nenos: expIicações paia nais de una Laudônia, paia cidades difeienles
que podeiian lei exislido nas não exisliian, ou iazões paiciais,
conliadilóiias, enganosas.
Muilo jusla, Laudônia confeie un donicíIio iguaInenle vaslo aqueIes
que ainda vão nascei, cIaio que o espaço não e piopoicionaI ao seu núneio,
que se supõe infinilo, nas, sendo un Iugai vazio, ciicundado poi una
aiquileluia iepIela de nichos e ieenliâncias e cavidades, e podendo-se aliiluii
aos não-nascidos a dinensão que se deseja, inaginá-Ios do lananho de un

6O
ialo ou de un licho-da-seda, ou de una foiniga, ou de un ovo de foiniga,
nada inpede de visuaIizá-Ios eielos ou agachados en cada un dos supoiles
ou eslanles que iessaen das paiedes, en cada un dos capileis ou pIinlos, en
fiIa ou espaiiaIhados, alenlos as incunlôncias de suas vidas fuluias, e de
conlenpIai nuna veia do náinoie Laudônia inleiia daqui a cen ou niI anos,
apinhada de nuIlidões veslidas de nodo janais vislo, lodos, poi exenpIo,
con laiieganas coi de leiinjeIa, ou lodos con pIunas de peiu nos luilanles,
e de ieconhecei os piópiios descendenles e os das faníIias aIiadas ou
ininigas, dos devedoies e ciedoies, que vão e vôn peipeluando os negócios,
as vinganças, os naliinônios poi anoi ou poi inleiesse. Os vivenles de
Laudônia fieqüenlan a casa dos não-nascidos, inleiiogando-os, os passos
iessoan sol os lelos vazios, as queslões são foinuIadas en siIôncio: e e
senpie deIes piópiios que peigunlan os vivos, não daqueIes que viião,
aIguns se pieocupan en deixai una iIuslie nenóiia de si, oulios en encoliii
as suas veigonhas, lodos goslaiian de seguii o fio das conseqüôncias dos
piópiios alos, nas, quanlo nais aguçan o oIhai, nenos ieconhecen un liaço
conlínuo, os nasciluios de Laudônia apaiecen ponliIhados cono giãos de
poeiia, afaslados do anles e do depois.
A Laudônia dos não-nascidos não liansnile, cono a dos noilos,
quaIquei seguiança aos halilanles da Laudônia viva, só apieensão. Nos
pensanenlos dos visilanles, acalan poi se aliii dois caninhos e não se sale
quaI ieseiva naioi angúslia: ou se pensa que o núneio de nasciluios supeia
giandenenle o de lodos os vivos e de lodos os noilos, e, nesse caso, en cada
poio de pedia acunuIan-se nuIlidões invisíveis, anonloadas nas encoslas do
funiI cono nas aiquilancadas de un esládio, e, una vez que a cada geiação a
descendôncia de Laudônia se nuIlipIica, en cada funiI se alien cenlenas de
funis, cada quaI con niIhões de pessoas que deven nascei e eslican os
pescoços e alien a loca paia não sufocai, ou enlão se pensa que Laudônia
lanlen desapaieceiá, não se sale quando, e lodos os seus halilanles
desapaieceião con eIa, islo e, as geiações se sucedeião ale una ceila cifia e
desla não passaião, e poi isso a Laudônia dos noilos e a dos não-nascidos são
cono as duas anpoIas de una anpuIhela que não se viia, cada passagen
enlie o nascinenlo e a noile e un gião de aieia que aliavessa o eslieilanenlo,
e nasceiá un úIlino halilanle de Laudônia, un úIlino gião a caii que, no
nonenlo, eslá aguaidando no aIlo da piIha.

61
As cldades e o ceu
4

Convocados paia dilai as noinas paia a fundação de Ieiínzia, os
asliônonos eslaleIeceian a IocaIização e o dia segundo a posição das eslieIas,
liaçaian as Iinhas ciuzadas do decúnano e do caido oiienladas una cono o
cuiso soIai e a oulia cono o eixo en loino do quaI giian os ceus, dividiian o
napa segundo as doze casas do zodíaco de nodo que cada lenpIo e cada
laiiio iecelesse o infIuxo coiielo das consleIações opoilunas, fixaian o ponlo
da nuiaIha no quaI aliii as poilas a fin de que cada una enquadiasse un
ecIipse Iunai nos pióxinos niI anos. Ieiínzia ~ asseguiaian ~ espeIhaiia a
hainonia do fiinanenlo, a iazão da naluieza e a giaça dos deuses
deleininaian o deslino dos halilanles.
Seguindo con exalidão os cáIcuIos dos asliônonos, Ieiínzia foi
edificada, diveisas iaças vieian povoá-Ia, a piineiia geiação nascida en
Ieiínzia ciesceu denlio de seus nuios, e esles, poi sua vez, alingiian a idade
de casai e lei fiIhos.
Nas iuas e piaças de Ieiínzia, hoje en dia, vôen-se aIeijados, anões,
coicundas, olesos, nuIheies con laila. Mas o pioi não se vô: giilos guluiais
iiionpen nos poiões e nos ceIeiios, onde as faníIias esconden os fiIhos con
liôs caleças ou seis peinas.
Os asliônonos de Ieiínzia enconlian-se dianle de una difíciI escoIha:
ou adnilii que lodos os seus cáIcuIos eslavan eiiados e que as suas cifias não
conseguen descievei o ceu, ou ieveIai que a oiden dos deuses e exalanenle
aquiIo que se espeIha na cidade dos nonslios.


As cldades contInuas
3

Todos os anos nas ninhas viagens faço escaIa en Iiocópia e hospedo-
ne no nesno quailo da nesna pensão. Desde a piineiia vez, fiquei
encanlado ao conlenpIai a paisagen que se vô aliindo a coilina da janeIa: un
fosso, una ponle, un pequeno nuio, una soiveiia, un canpo de espigas de
niIho, un espinhaI con anoias, un poIeiio, un coslado anaieIo de coIina,
una nuven lianca, un pedaço de ceu azuI en foina de liapezio. Tenho

62
ceileza de que da piineiia vez não havia ninguen, foi só no ano seguinle que,
poi un novinenlo no neio das foIhas, pude dislinguii una caia iedonda e
chala que ioía una espiga de niIho. No ano seguinle, havia liôs pessoas en
cina do pequeno nuio, e ao ieloinai vi seis, senlados en fiIa, con as nãos
solie os joeIhos e unas soivas nun pialo. Todos os anos, assin que enliava
no quailo, aliia a coilina e conlava aIgunas caias a nais: dezesseis, incIuindo
aqueIes no fundo do fosso, vinle e nove, oilo dos quais enpoIeiiados na
soiveiia, quaienla e sele, sen conlai os que eslão no poIeiio. AsseneIhan-se,
paiecen genlis, lôn saidas no ioslo, soiiien, aIguns con a loca suja de
anoias. Logo vi loda a ponle cheia de lipos con a caia iedonda, agachados
poique não linhan nais espaço paia se novei, nascavan as espigas de
niIho, depois ioían os salugos.
Assin, ano após ano, vi o desapaiecinenlo do fosso, da áivoie, do
espinhaI, escondidos poi laiieiias de soiiisos lianqüiIos en caias iedondas
que se noven nasligando foIhas. Não se len ideia, nun espaço Iinilado
cono o da pIanlação de niIho, de quanla genle eIa pode conlei, especiaInenle
se poslos senlados con os liaços en loino dos joeIhos, inóveis. Deve havei
nuilo nais do que paiece: vi o coslado da coIina coliii-se de una nuIlidão
cada vez nais conpacla, nas, desde que as pessoas solie a ponle ganhaian o
hálilo de acavaIai-se uns nos onlios dos oulios, não consigo oIhai nuilo
adianle.
Lsle ano, afinaI, ao eiguei a coilina, a janeIa enquadia sonenle una
exlensão de faces: de un canlo ao oulio, en lodos os níveis e en lodas as
dislâncias, vôen-se essas caias iedondas, paiadas, chalas chalas, con un
esloço de soiiiso, e no neio nuilas nãos, que se nanlôn as coslas dos que
eslão adianle. O ceu lanlen desapaieceu. Dá no nesno eu ne afaslai da
janeIa.
Não que seja fáciI ne novinenlai. No neu quailo, sonos vinle e seis
pessoas: paia novei os pes, pieciso inconodai os que eslão agachados no
chão, alio espaço enlie os joeIhos daqueIes senlados solie a cônoda e os
coloveIos daqueIes que se ievezan paia se apoiai na cana ~ lodas pessoas
genlis, feIiznenle.


As cldades ocu|tas
2

A vida en Raíssa não e feIiz. IeIas iuas, as pessoas caninhan
ieloicendo as nãos, inpiecan as ciianças que choian, encoslan-se nos

63
paiapeilos do iio con a caleça apoiada nas nãos, acoidan de nanhã con un
pesadeIo e Iogo coneça oulio. Nas nesas en que en lodos os nonenlos
aIguen esnaga os dedos con o naileIo ou fuia-se con a aguIha, ou nas
coIunas de núneios negalivos dos iegislios dos coneicianles ou dos
lanqueiios, ou dianle da fiIa de copos vazios solie o laIcão dos lolequins,
ainda len que as caleças alaixadas poupan oIhaies loilos. Denlio das casas e
pioi, e não e necessáiio enliai paia salô-Io: no veião, as janeIas iilonlan de
liigas e pialos queliados.
Todavia, en Raíssa, senpie há una ciiança que da janeIa soiii paia
un cão que puIou nun aIpendie paia conei un pedaço de poIenla que caiu
das nãos de un pedieiio que do aIlo do andaine excIanou: ¨Minha jóia, len
un pouco paia nin`¨ paia una joven hospedeiia que eigue un pialo de
sopa sol a peiguIa, conlenle de seivi-Io ao vendedoi de guaida-chuvas que
conenoia un lon negócio, una sonliinha de ienda lianca conpiada poi
una giande dana paia pavoneai-se duianle as coiiidas, apaixonada poi un
oficiaI que Ihe soiiiu ao saIlai o úIlino olslácuIo, que eslava feIiz nas nais
feIiz ainda eslava o seu cavaIo, que voava solie os olslácuIos vendo voai nos
ceus una peidiz, pássaio feIiz Iileiado da gaioIa poi un pinloi feIiz de lô-Io
pinlado pena poi pena, saIpicado de veineIho e anaieIo na ninialuia
daqueIa página de Iivio en que o fiIósofo diz: ¨Ln Raíssa, cidade liisle,
lanlen coiie un fio invisíveI que, poi un inslanle, Iiga un sei vivo ao oulio
e se desfaz, depois voIla a se eslendei enlie ponlos en novinenlo
desenhando iapidanenle novas figuias de nodo que a cada segundo a cidade
infeIiz conlen una cidade feIiz que nen nesno sale que exisle¨.


As cldades e o ceu
5

Andiia foi consliuída con laI aile que cada una de suas iuas segue a
óilila de un pIanela e os edifícios e os Iugaies púlIicos iepelen a oiden das
consleIações e a IocaIização dos aslios nais Iuninosos: Anlaies, AIpheialz,
CapeIa, as Cefeidas. O caIendáiio da cidade e ieguIado de nodo que lialaIhos
e ofícios e ceiinônias se disponhan nun napa que coiiesponde ao
fiinanenlo daqueIa dala: assin, os dias na leiia e as noiles no ceu se
espeIhan.
Medianle ninuciosa ieguIanenlação, a vida da cidade fIui con a
caIna do novinenlo dos coipos ceIesles e adquiie a necessidade dos
fenônenos não sujeilos ao ailíliio hunano. Aos cidadãos de Andiia,

64
Iouvando-Ihes a Ialoiiosa faliicação e len-eslai do espíiilo, fui Ievado a
decIaiai:
~ Conpieendo len cono vocôs, senlindo-se paile de un ceu
inuláveI, engienagens de un nelicuIoso necanisno, evilen fazei en sua
cidade e en seus coslunes a nais Iigeiia nudança. Andiia e a única cidade
que conheço a quaI conven peinanecei inóveI no lenpo.
OIhaian-se pasnos.
~ Mas poi quô` L quen disse` ~ L conduziian-ne ale una iua
suspensa iecenlenenle aleila solie un losque de lanlus, un lealio de
sonlias en consliução no Iugai do caniI nunicipaI, agoia liansfeiido paia os
paviIhões do anligo Iazaielo, aloIido poi eslaien cuiados os úIlinos
enpeslados, e, iecen-inauguiados, un poilo fIuviaI, una eslálua de TaIele,
un lologã.
~ L essas inovações não peiluilan o iilno asliaI da cidade` ~
peigunlei.
~ A coiiespondôncia enlie a nossa cidade e o ceu e lão peifeila ~
iespondeian ~, que cada nudança en Andiia conpoila aIguna novidade
nas eslieIas. ~ Os asliônonos peisciulan con os leIescópios depois de cada
nudança que aconlece en Andiia e assinaIan a expIosão de una nova, ou a
passagen do Iaianja paia o anaieIo de un ponlo ienolo do fiinanenlo, a
expansão de una neluIosa, a cuivaluia de una espiiaI da Via Láclea. Cada
nudança inpIica una cadeia de oulias nudanças, lanlo en Andiia cono nas
eslieIas: a cidade e o ceu nunca peinanecen iguais.
Do caiálei dos halilanles de Andiia, duas viiludes neiecen sei
iecoidadas: a confiança en si nesnos e a piudôncia. Conviclos de que cada
inovação na cidade infIui no desenho do ceu, anles de quaIquei decisão
caIcuIan os iiscos e as vanlagens paia eIes e paia o ieslo da cidade e dos
nundos.


As cldades contInuas
4

Vocô iepiova o falo de que as ninhas hislóiias o lianspoilan paia o
neio de una cidade sen faIai a iespeilo do espaço que sepaia una cidade da
oulia: se e coleilo poi naies, canpos de cenleio, fIoieslas de Iaiiços,
pânlanos. Respondeiei con una hislóiia.

65
IeIas iuas de CecíIia, cidade iIuslie, una vez enconliei un pasloi que
conduzia ienle aos nuios un ielanho liIinlanle.
~ ßendilo honen do ceu ~ paiou paia ne peigunlai ~, saleiia ne
dizei o none da cidade en que nos enconlianos`
~ Que os deuses o aconpanhen ~ excIanei. ~ Cono e possíveI não
ieconhecei a iIusliíssina cidade de CecíIia`
~ Ieidoe-ne ~ o oulio iespondeu ~, sou un pasloi en
liansunância. As vezes ocoiie de eu e as calias aliavessainos cidades, nas
não salenos dislingui-Ias. Ieigunle-ne o none dos paslos: conheço lodos, o
Iiado enlie as Rochas, o DecIive Veide, a Ciana a Sonlia. Iaia nin as
cidades não lôn none: são Iugaies sen foIhas que sepaian un paslo do oulio
e onde as calias se assuslan nas enciuziIhadas e delandan. Lu e o cachoiio
coiienos paia nanlei o ielanho unido.
~ Ao conliáiio de vocô ~ afiinei ~, só ieconheço as cidades e não
dislingo o que fica foia. Nos Iugaies desalilados, as pedias e o piado
confunden-se aos neus oIhos con lodas as pedias e piados.
Iassaian-se nuilos anos desde enlão, conheci nuilas cidades e
peicoiii conlinenles. Un dia, caninhava enlie as esquinas de casas idônlicas:
peideia-ne. Ieigunlei a un passanle:
~ Que os inoilais o piolejan, podeiia ne dizei onde nos
enconlianos`
~ Ln CecíIia, infeIiznenle! ~ iespondeu-ne. ~ Há lanlo lenpo
caninhanos poi eslas iuas, eu e as calias, e não conseguinos saii...
Reconheci-o, apesai da Ionga laila lianca: eia aqueIe pasloi. Seguian-
no unas poucas calias sen pôIo, que nen nesno fedian nais, lão ieduzidas
a caine e osso eslavan. Iaslavan papeIada nas Ialas de Iixo.
~ Não pode sei! ~ giilei. ~ Lu lanlen, não sei desde quando, enliei
nuna cidade e conlinuei a peneliai poi suas iuas. Mas cono pude chegai
aonde vocô diz se ne enconliava en oulia cidade, nuilo dislanle de CecíIia, e
ainda não linha saído de Iá`
~ Os espaços se nisluiaian ~ disse o pasloi ~, CecíIia eslá en lodos
os Iugaies, aqui un dia devia exislii o Iiado da SaIva ßaixa. As ninhas calias
ieconhecen as eivas da caIçada.

66
As cldades ocu|tas
3

Una siliIa, queslionada solie o deslino de Maiósia, disse:
~ Vejo duas cidades: una do ialo, una da andoiinha.
O oiácuIo foi inleipielado da seguinle naneiia: aluaInenle Maiósia e
una cidade en que lodos coiien en gaIeiias de chunlo, cono landos de
ialos que conen ieslos caídos dos denles de ialos nais aneaçadoies, nas eslá
paia coneçai un novo secuIo en que lodos os halilanles de Maiósia voaião
cono andoiinhas no ceu de veião, chanando uns aos oulios cono se fosse un
jogo, exilindo-se en voIleios con as asas fiines, ienovendo do ai nosquilos
e peiniIongos.
~ L hoia de concIuii o secuIo dos ialos e iniciai o das andoiinhas ~
disseian os nais iesoIulos. L, de falo, sol o sinislio e sóidido piedonínio
ialinheiio, já se senlia inculai, enlie as pessoas nenos nolóiias, un ínpelo de
andoiinhas, que avançan no ai lianspaienle con un ágiI novinenlo da
cauda e desenhan con a IaleiaI das asas a cuiva do hoiizonle que se aIaiga.
Reloinei a Maiósia anos depois, consideiava-se que a piofecia da siliIa
havia lenpos se loinaia ieaIidade, o veIho secuIo eslá enleiiado, o novo eslá
en seu ápice. A eidade ceilanenle nudou, laIvez paia neIhoi. Mas as asas
que vi são as de guaida-chuvas desconfiados sol os quais pesadas páIpelias
se alaixan se oIhadas, exislen pessoas que aciedilan podei voai, nas já
fazen nuilo se Ievanlan do soIo alanando laIandiaus de noicego.
Ocoiie lanlen que, naigeando os sóIidos nuios de Maiósia, quando
nenos se espeia se visIunlia una cidade difeienle, que desapaiece un
inslanle depois. TaIvez loda a queslão seja salei quais paIavias pionunciai,
quais geslos execulai, e en que oiden e iilno, ou enlão lasla o oIhai a
iesposla o aceno de aIguen, lasla que aIguen faça aIguna coisa peIo sinpIes
piazei de fazô-Ia, e paia que o seu piazei se loine un piazei paia os oulios,
naqueIe nonenlo lodos os espaços se aIleian, as aIluias, as dislâncias, a
cidade se liansfiguia, loina-se ciislaIina, lianspaienle cono una IileIuIa. Mas
e necessáiio que ludo aconleça cono se poi acaso, sen dai nuila inpoilância,
sen a pielensão de eslai cunpiindo una opeiação decisiva, lendo en nenle
que de un nonenlo paia o oulio a Maiósia anleiioi voIlaiá a soIdai solie as
caleças o seu lelo de pedia, leias de aianha e nofo.
O oiácuIo eslava enganado` Não necessaiianenle. Lu o inleipielo da
seguinle naneiia: Maiósia consisle en duas cidades ~ a do ialo e a da
andoiinha, anlas nudan con o lenpo, nas não nuda a ieIação enlie eIas: a

67
segunda e a que eslá paia se Iileilai da piineiia.


As cldades contInuas
5

Iaia faIai de IenlesiIeia, eu deveiia coneçai descievendo o ingiesso
na cidade. Vocô sen dúvida inagina vei eIevai-se no pIanaIlo poeiienlo una
cinla de nuiaIhas, apioxinai-se passo a passo da sua poila, vigiada poi
guaidas aduaneiios que filan con suspeila os seus pacoles. Ale aIcançá-Ia,
vocô peinanece do Iado de foia, depois de passai sol una aicada, vocô se
enconlia denlio da cidade, vocô se senle ciicundado poi seu espessoi
conpaclo, enlaIhado na pedia, há un desenho que se ieveIaiá se vocô seguii o
seu liaçado anguIoso.
Se vocô aciedila nisso, engana-se: IenlesiIeia e difeienle. Vocô avança
poi hoias e não sale con ceileza se já eslá no neio da cidade ou se peinanece
do Iado de foia. Cono un Iago de naigens laixas que se peide en Iodaçais,
IenlesiIeia expande-se poi diveisas niIhas ao seu iedoi nuna sopa de cidade
diIuída no pIanaIlo: edifícios páIidos que dão as coslas paia piados insípidos,
enlie paIiçadas de vaias e leIhados de zinco. De vez en quando, as naigens
da esliada, una concenliação de consliuções de fachadas áiidas, aIlas aIlas ou
laixas laixas cono un penle desdenlado, paiece indicai que a pailii daIi as
naIhas da cidade se iesliingen. Ln vez disso, piosseguindo vocô enconlia
oulios leiienos laIdios, depois un sulúilio con oficinas e depósilos
enfeiiujados, un cenileiio, una feiia con paique de diveisões, un
naladouio, vocô se afasla poi una iua de Iojas naciIenlas que se peide en
nanchas de canpo peIado.
As pessoas con que se depaia, vocô peigunla: Iaia IenlesiIeia`, eIas
fazen un geslo ciicuIai que não se sale se quei dizei: ¨Aqui¨, ou enlão:
¨Mais adianle¨, ou: ¨Aqui en voIla¨, ou ainda: ¨Do oulio Iado¨.
~ A cidade` ~ vocô insisle en peigunlai.
~ VoIlanos paia cá lodas as nanhãs paia lialaIhai ~ iesponden
aIguns, e os oulios: ~ VoIlanos paia cá paia doinii.
~ Mas a cidade onde se vive` ~ vocô peigunla.
~ Deve sei ~ dizen ~ poi aIi ~ e aIguns Ievanlan o liaço
olIiquanenle en diieção a una concenliação de poIiedios opacos, no
hoiizonle, enquanlo oulios, as suas coslas, indican o especlio de oulias
cúspides.

68
~ Lnlão passei poi eIa sen peicelei`
~ Não, e neIhoi lenlai ii adianle.
Desle nodo, vocô piossegue, passando de una peiifeiia paia a oulia, e
chega a hoia de pailii de IenlesiIeia. Vocô peigunla solie a esliada paia saii
da cidade, voIla a peicoiiei a fiIeiia de sulúilios espaIhados cono un
pignenlo Ieiloso, ven a noile, iIuninan-se as janeIas, oia nais iaIas, oia nais
densas.
Se escondida en aIgun loIso ou iuga dessa ciicunsciição
liansloidanle exisle una IenlesiIeia ieconhecíveI ou iecoidáveI poi quen aIi
esleve, ou enlão se IenlesiIeia e apenas una peiifeiia de si nesna e o seu
cenlio eslá en lodos os Iugaies, vocô já desisliu de salei. A peigunla que
agoia coneça a coiioei a sua caleça e nais anguslianle: foia de IenlesiIeia
exisle un Iado de foia` Ou, poi nais que vocô se afasle da cidade, nada faz
aIen de passai de un Iinlo paia o oulio sen conseguii saii daIi`


As cldades ocu|tas
4

Repelidas invasões afIigiian a cidade de Teodoia ao Iongo dos secuIos
de sua hislóiia, paia cada ininigo deslaialado, suigia un novo que aneaçava
a solievivôncia dos halilanles. Depois de expuIsai os condoies do ceu, foi
necessáiio enfienlai a pioIifeiação das seipenles, o exleinínio das aianhas
peiniliu que as noscas se nuIlipIicassen e negiejassen, a vilóiia solie os
cupins deixou a cidade a neicô das liaças. Una a una, as especies
inconpalíveis con a cidade sucunliian e foian exlinlas. Ciaças a fúiia de
diIaceiai escanas e cascos, de aiiancai eIilios e penas, os honens deian a
Teodoia a inagen excIusiva de cidade hunana que ainda a caiacleiiza.
Mas anles disso, poi Iongos anos, peinaneceu inceilo se a vilóiia finaI
não seiia da úIlina especie a piosseguii dispulando con os honens a posse
da cidade: os ialos. Iaia cada geiação de ioedoies que os honens conseguian
exleininai, os poucos solievivenles davan a Iuz una piogônie nais
agueiiida, invuIneiáveI as ainadiIhas e iefialáiia a quaIquei veneno. No
decuiso de poucas senanas, os sulleiiâneos de Teodoia se iepovoavan de
hoidas de ialos. IinaInenle, nuna deiiadeiia hecalonle, a noilífeia e
veisáliI engenhosidade hunana venceu os supeialundanles conpoilanenlos
vilais dos ininigos.
A cidade, giande cenileiio do ieino aninaI, fechou-se asseplica solie

69
as úIlinas cainiças enleiiadas con as úIlinas puIgas e os úIlinos niciólios. O
honen finaInenle havia ieslaleIecido a oiden do nundo que eIe piópiio
liansloinaia: não exislia nenhuna oulia especie viva paia iecoIocá-Io en
dúvida. Cono iecoidação do que eia a fauna, a lilIioleca de Teodoia
conseivaiia en suas eslanles os lonos de ßuffon e de Lineu.
Ao nenos eia nisso que os halilanles de Teodoia aciedilavan, Ionge
de supoi que a fauna esquecida eslava se despeilando do Ielaigo. ReIegada
poi Iongas eias a escondeiijos apailados, desde que foia despojada do sislena
das especies agoia exlinlas, a oulia fauna ieloinava a Iuz dos poiões da
lilIioleca onde se conseivavan os incunáluIos, saIlava dos capileis e dos
canais, enpoIeiiava-se no liavesseiio dos doinenles. As esfinges, os giifos, as
quineias, os diagões, os hiicoceivos, as haipias, as hidias, os unicóinios, os
lasiIiscos ielonavan a posse de sua cidade.


As cldades ocu|tas
5

Ln vez de faIai de ßeienice, cidade injusla, que coioa con liígIifos
álacos nelopes as engienagens de suas náquinas de liiluiai caine (os
funcionáiios iesponsáveis peIa Iinpeza, quando Ievanlan a caleça acina dos
laIaúslies e conlenpIan os áliios, as escadaiias, os pionaus, senlen-se ainda
nais encIausuiados e laixos de eslaluia), eu deveiia faIai da ßeienice ocuIla, a
cidade dos juslos, alaiefados con naleiiais de foiluna a sonlia de
aInoxaiifados e vãos de escada, alando una iede de fios e lulos e ioIdanas e
lieIas e conliapesos, que se infiIlia cono una liepadeiia enlie as giandes
iodas denladas (quando eslas se enliavaien, un suido lique-laque anunciaiá
que un novo necanisno pieciso goveina a cidade), en vez de iepiesenlai as
piscinas peifunadas das leinas en cujas loidas se eslenden os injuslos de
ßeienice enquanlo lecen as suas inliigas con iedonda eIoqüôncia e olseivan
con oIhai doninadoi as caines iedondas das odaIiscas que se lanhan,
deveiia faIai de cono os juslos, senpie piudenles en evilai as deIações dos
sicofanlas e as ainadiIhas dos janízaios, ieconhecen-se peIo nodo de faIai,
especiaInenle peIa pionúncia das víiguIas e dos paiônleses, dos coslunes que
paiecen ausleios e inocenles eIudindo os eslados de ânino conpIicados e
sonliios, da cozinha sóliia nas saloiosa que ieevoca una anliga idade de
ouio: sopa de aiioz e aipo, favas cozidas, fIoies de aloliinha fiilas.
A pailii desles dados c possíveI infeiii una inagen da fuluia
ßeienice, que eslaiá nais pióxina do conhecinenlo da veidade do que

7O
quaIquei nolícia solie o aluaI eslado da cidade. Conlanlo que se lenha en
nenle o que eslou paia dizei: na oiigen da cidade dos juslos eslá ocuIla, poi
sua vez, una senenle naIigna, a ceileza e o oiguIho de seien juslos ~ e de
sô-Io nais do que lanlos oulios que dizen sei nais juslos do que os juslos ~,
feinenlando iancoies, iivaIidades, leinosias, e o naluiaI desejo de iepiesáIia
conlia os injuslos se conlanina peIo anseio de eslai en seu Iugai e fazei o
nesno que eIes. Una oulia cidade injusla, poilanlo, apesai de difeienle da
anleiioi, eslá cavando o seu espaço denlio do dupIo invóIucio das ßeienices
jusla e injusla.
Dilo islo, se não desejo que o seu oIhai coIha una inagen defoinada,
devo aliaii a sua alenção paia una quaIidade inliínseca dessa cidade injusla
que geinina en segiedo na seciela cidade jusla: liala-se do possíveI despeilai
~ cono un vioIenlo aliii de janeIas ~ de un anoi Ialenle peIa jusliça, ainda
não sulnelido a iegias, capaz de conpoi una cidade ainda nais jusla do que
eia anles de se loinai iecipienle de injusliça. Mas, se se peisciula
uIleiioinenle no inleiioi desle novo geine de jusliça, descolie-se una
nanchinha que se diIala na foina de ciescenle incIinação a inpoi o juslo poi
neio do injuslo, e laIvez seja o geine de una inensa neliópoIe...
IeIo neu discuiso, pode-se liiai a concIusão de que a veidadeiia
ßeienice e una sucessão no lenpo de cidades difeienles, aIleinadanenle
juslas e injuslas. Mas o que eu queiia olseivai e oulia coisa: que lodas as
fuluias ßeieni-ces já eslão piesenles nesle inslanle, conlidas una denlio da
oulia, apeiladas espienidas insepaiáveis.
O a||as dc Grandc Knan |anocn ccn|cn cs napas dc |crras prcnc|idas
tisi|adas na inaginaçac nas ainda nac dcsccocr|as cu fundadas. a Ncta A||an|ida,
U|cpia, a Cidadc dc Sc|, Occana, Tancc, Harncnia, Ncu-|anar|, |c4ria.
Kuo|ai pcrgun|cu para Marcc.
~ Vccc, quc cxp|cra cn prcfundidadc c c capaz dc in|crprc|ar cs sinoc|cs,
saocria nc dizcr cn dircçac a qua| dcsscs fu|urcs ncs |ctan cs tcn|cs prcpicics?
~ Pcr csscs pcr|cs cu nac saocria |raçar a rc|a ncs napas ncn fixar a da|a da
a|racaçac. As tczcs, oas|a-nc una par|icu|a quc sc aorc nc ncic dc una paisagcn
inccngrucn|c, un af|crar dc |uzcs na nco|ina, c di4|cgc dc dcis passan|cs quc sc
cnccn|ran nc taitcn, para pcnsar quc par|indc da|i ccns|ruirci pcdaçc pcr pcdaçc a
cidadc pcrfci|a, fci|a dc fragncn|cs nis|uradcs ccn c rcs|c, dc ins|an|cs scparadcs pcr
in|crta|cs, dc sinais quc a|gucn cntia c nac saoc qucn cap|a. Sc digc quc a cidadc
para a qua| |cndc a ninna tiagcn c dcsccn|inua nc cspaçc c nc |cnpc, cra nais ra|a,
cra nais dcnsa, tccc nac dctc crcr quc pcdc parar dc prccur4-|a. Pcdc scr quc
cnquan|c fa|ancs c|a cs|cja af|crandc dispcrsa dcn|rc dcs ccnfins dc scu inpcric, c
pcssitc| cnccn|r4-|a, nas da nancira quc cu dissc.
O Grandc Knan j4 cs|ata fc|ncandc cn scu a||as cs napas das ancaçadcras
cidadcs quc surgcn ncs pcsadc|cs c nas na|diç5cs. |nccn, 8aoi|cnia, Yancc, 8u|ua,

71
8ratc Ncu lcr|d.
Dissc.
~ | |udc inu|i|, sc c u||inc pcr|c sc pcdc scr a cidadc infcrna|, quc cs|4 |4 nc
fundc c quc ncs suga nun tcr|icc cada tcz nais cs|rci|c.
| Pc|c.
~ O infcrnc dcs titcs nac c a|gc quc scr4, sc cxis|c, c aquc|c quc j4 cs|4 aqui,
c infcrnc nc qua| titcncs |cdcs cs dias, quc fcrnancs cs|andc jun|cs. |xis|cn duas
nanciras dc nac scfrcr. A princira c f4ci| para a naicria das pcsscas. acci|ar c infcrnc
c |crnar-sc par|c dcs|c a|c c pcn|c dc dcixar dc pcrccoc-|c. A scgunda c arriscada c
cxigc a|cnçac c aprcndizagcn ccn|inuas. |cn|ar saocr rcccnncccr qucn c c quc, nc ncic
dc infcrnc, nac c infcrnc, c prcscrt4-|c, c aorir cspaçc.


|in

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->