Você está na página 1de 3

A RAPOSA E A CEGONHA

Um dia, a Raposa convidou a Cegonha para jantar e serviu-lhe sopa, um pitéu de que
ambas gostavam muito, num prato raso.
- Estás a gostar da minha sopa? - perguntou, enquanto a Cegonha bicava em vão no
líquido, sem conseguir comer nada.
- Como posso saber, se nem consigo comer? - respondeu a Cegonha, vendo a Raposa
lamber a sopa com um ar todo deliciado.
Dias depois foi a vez de a Cegonha retribuir o gesto, pelo que convidou a Raposa para
comer com ela na sua casa à beira do lago. Serviu-lhe a sopa num jarro largo em baixo e
estreito em cima.
- Hummmm, está deliciosa, querida amiga! - exclamou a Cegonha, enfiando o comprido
bico pelo gargalo.
- Não achas?
Claro que a Raposa não achava nem podia achar nada, pois o focinho não passava pelo
gargalo estreito do jarro. Tentou várias vezes sem sucesso até que, bastante mal humorada,
se despediu da Cegonha, resmungando entre dentes:
- Não te achei graça nenhuma...!

MORAL: Por vezes pagam-nos na mesma moeda, pelo que devemos ter muito cuidado com
aquilo que fazemos aos outros!
1. Caracteriza a raposa.
1.1. Que comportamento(s) da raposa confirma(m) essa caracterização?
2. Quais terão sido os sentimentos da cegonha, após o jantar oferecido pela sua comadre?
3. Como consegue a cegonha dar uma lição à raposa?
3.1. Transcreve a passagem do texto que resume essa lição.
3.2. Será essa lição apenas dirigida à raposa? Porquê?

Classifica o narrador do texto.


Caracteriza as personagens do texto.
O que fez a cegonha depois de ter sido humilhada pela raposa?
Qual é moralidade desta fábula?
Diz por palavras tuas o que é uma fábula.

II

Lê as seguintes frases:
Ultimamente, a raposa, que é mesquinha, só tem dado papas de milho aos seus convidados.
A cegonha retribuiu o convite da raposa, porque tinha concebido um castigo para a sua
comadre.
Daqui por instantes a raposa, que anda sempre esfomeada, já terá ido bater à porta da
cegonha.
1.1 Identifica as formas verbais compostas.
1.2 Indica os verbos que as compõem.

2. Completa os espaços com os tempos compostos do modo indicativo dos verbos indicados.
A fama da raposa como bicho atrevido e matreiro .......................... (passar/Pretérito
Perfeito) de geração em geração.
Em certa fábula, é o lobo a vítima da sua manha. Ora, a raposa ............ (ver/Pretérito Mais-
que-Perfeito) a imagem da Lua no fundo de um poço. A gulosa ............ (crer/Futuro Perfeito)
tratar-se de um enorme queijo e decidiu, então, descer num dos baldes, ficando presa lá em
baixo.
Conta-se que, entretanto, um lobo se ............ (abeirar/Pretérito Mais-que-Perfeito) do poço.
A raposa lá o ............ (persuadir/Futuro Perfeito) a descer no outro balde, falando-lhe do
queijo delicioso.
Ao longo dos tempos, os contadores de histórias ............ (descrever/Pretérito Perfeito) os
lobos como animais cautelosos. Mas este, imprudente, deixou-se levar pela conversa
enganadora da raposa. Desceu no balde, içando a manhosa que, assim, riu muito quando
teve a certeza de que se ............ (salvar/Pretérito Mais-que-Perfeito). O lobo, esse, lá ............
(permanecer/Futuro Perfeito) no fundo do poço durante muito tempo, esperando a chegada
de outro ingénuo.

Retirado de Ponto e Vírgula, 7.º Ano,


Texto Editora

Diz os antónimos de: "...razo..." "...gargalo..." "...deliciado..."

Palavras Prefixo Sufixo Significado

Resmungando

Deliciosamente

Retribuir

Infeliz

Diz 4 palavras da família de: Fome