P. 1
Drogas - Anexos

Drogas - Anexos

|Views: 555|Likes:
"Drogas - E porque havemos de nos preocupar com os nossos filhos... " livro da autoria de Fernando Mendes
2005
"Drogas - E porque havemos de nos preocupar com os nossos filhos... " livro da autoria de Fernando Mendes
2005

More info:

Published by: programatudecides502 on Nov 11, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/25/2010

pdf

text

original

*

Ëã*s

fftr*#*ããffe

Anexo I
E-!!stcrlal do CtlFÂC Farniliar de Coimbra

-

CenËro lntegrado de Apaia

Activitl ades j á

re al í zarJ as

Interpelado e inquieto com os crescentes desafios qile se colocarn às famílias no presente contexto social, mas

1" organização do colóquic su[:ondinad* ao tenra "SexualldacJe * 5ilêncic e Procura" no audltório da
Faculdade de Fsicologia e ciênr:ias rja Educaçãc da Universidade de Coimbra, a g de Novembrc de 2Aü2; Prornoção de uffi cLIrso de "Ëducaçãü Parental", nas

canvicto de que há novas ílerspectivas a explorar na respcsta activa a tais exigências, um grupo de cidadãos com larga experiência de emperìhamento e chefia em
organismcs oíiciais, profissionais au cle voluntarlado, nas áneas de ed ucaçãa, saúde, am b!ente , tamília e

2.

sclidariedade sccial, decidiu dar vida em Coimbra uma nüva associaÇão v*caci*nada para a f*rmaÇão
ag:oic às famílias.

a e

instalaçÕes cla [scoÍa fB 2,2 Dr.a Maria Alice Couveia, em Coimhra, nCI n-lês de Maio de 2üü3, cüm a duração de 1ü honas. ü púb[ico-alvo dc cursü

f*ranr pais e outr*s eclucadüres sensíveis às novas responsabilidades e ciificuÍcJades que s€ calocarn às
fa m ííias;

Assirn surge
Fanr

ü crlFAC centno lntegradc de Apaic

iliar cle Coim

bra

associação privada sem f ins

3.

ürganizaçaa da Sernináriq: Eub*rdir-rad* ao tema

lucrativos e de âmbito nacicnal, constituída em T de üutul:rc de 2**2 e apresentada put:licarnente no dia g cle Nr:vembro da mesmo ano" os s€us cbjectivcs

que custa um filha..." no auditóric do Fnstituto Superior de Fnger-rharia de coinrl:ra, nüs ciias 'r s e
16 de üutubrr; c{e 2ü*4"

prendern-se cüm a. prornoçãa e realizaçã* de actividades na área da anin'raçãc cultural, ã pnestaçãa de senvËÇrjs às famílias, bem corno no dr:rr:ínic da necessária É'*rnração de agentes para essas finalidades"
Para a flr{isse{:uçãcl dos seus objectivos projectos entne üs quais se desËacaryì:

Proj*tt*s effi curs{} Municipal de prevençãa primária das ïoxiccde pendênclas dr: Ccncelho de C*in"rbra foi ce[ebracl* us"r: prctc:c*l* de gestãr: entre r: ËDï a CM e Na ânrbit* do
PÊana

o

CTIFAC tenr
e

o crlFAC que permitiu a cüncretizaÇão da Frrljecto
de L{m projecto de !ntervenÇãç na ánea da prevençã* primária das t*xiccc{epencÌênciasu cüm intervençã* directa nü mei* farniNiar e nü n"reia escclar, em curs* descle 'tr de &4aic de 20ü3.
(

vindq: a cieseírvülver u m conju nto de actividades

Àlavas Famílias" ïrata-ss

(t0)

1.

No que nespeita ao meic familiar, o Cf IFAC criou, em Maio de 2üü3 , a Cabinete Ce Apoio Familiar de Coirnbra. [ste üabinete pretende ser ilrn espaÇü que visa apoiar as fanrílias que sintam necessidade de encontrar süluçÕes para as suas dificuldades. ç-, assim, um espaço de referenciação e sinalização de situaçÕes de risco vivenciadas pelas famílias, de
possível encaminhannento para diferentes serviÇcls cla

prcfessores de aplicar um cünjunto de dinânnicas de grupo propostas no Bloco de Activiclacles A bríncar é

que nos c{}nhecemosí... junËo dos seus alunos,
proporcionando a CilfAC um serviç* de assessoria

técnica e apoic na i*plementaÇão
actividades.

dessas

Pretende s€, a!nda, através da realização cje u m conj u nto de actividades lúd ico pedagógicas
sensibilizar a corn u n idade escolar pa!'a a inr portância da promoção de estllas de vida saudáveis. Com este cbjectivo e em relação aas 2"4 e 3.4 ciclos do ensino

comunidacle, cle acümpanhamentc psicossocial e de acompanhamento psicclógico das famílias {terapia farniliar, terapia de casal ou terapia individual)" No Cabinete de Apaia Familiar trabalha uma equipa

de técn icr:s cüRr formação específ ica, sendo supervisionacj*s científica e clinicamente pela
Doutara Ana Far:la Relvas {Prcfessora Catedrática da

básicc e secundário, está a ser i*plernentad* o concilrsü artístico prevenir"ry)m.arte. üs trabalhos
artísticos apresentadas pcderãa ser nas müdaÍidades de expressão corporal {dança, teatro, mímica, etc.),
cjesen

Universidade de Coimbra e terapeuta familiar)

e

tunciona de segunda a sexta-íeira, entre as g e as 19 horas, nas instaEaçÕes dc CilFAC, ilã Rua da Cuiné, n.q 39 - 1 "n esq., €ffi C*imbra; l" No que respeita aü meia escolar fai definldo um conjuntc cJe actividades cuja principal cbjectivo é a formaçãc cie prcfessores dc 1.q ciclc do ensino básico encìuanËo íutur*s agentes de preve nçãa primârra juntc clcs alunos que acompanham. A

expnessãcl plástica (pintura, desenho, banda hada, escltEtu ra, fot*grafia, elc") e expressão

escrita {paesia, prosa, contc, etc"}.

ïem sidr: preocupaçã* do CilfAC a pr*dução e edição
de materiais c!ue, na família e na escola, possarn ;rpoiar os pais e üs prcfessores a gerir as inevitáveis cJúvidas e d ificu ldac{es q ue * desenvclvimento rJcs filhcs e alu nCIS
p!"ücilram promover a reflexão sobre a inrpartância da pnevenção

formação de professüres sui:ordinada a{} tema
PrevenÇãa Frimáría das Tçxíc*dependências Básico 6 repartida

lhes coâacam.

üs materiais prürluzid*s

I

de

Comp*rtament*s de Risco nú 'Í "" cidç do Ensino

prim âria das taxicocjeper:cJências
ind ivid ual, fanr

e de

outros
r

p*r trôs moffientos diferentes aü long* dn ano lectivc e lança o desafio aos

cCIrnpartamentos de risca, promcvencJcl, asslnr, a saúde

iliar e escoIar.

!

Ì

I
l

(ar,

j'

, dc gã#s #ã-#*.*# ÃÃ

#*

ü

CtIFAC tem proporcianadc estágios curriculares

a

alunos do ensino superior, ncrneadamente da Faculdacle de Psicologia e de Ciências da [ducação da LJnlr'ersidade

de Coimbra e da lnstituto Superior Miguel Tcrga, nü âmbito das respectivas licenciaturas em Psicologia.
o sucesso de tcdas estas actividacles e prcjectos fci f u nclamental a colaboração de d iversas entidacles pú blicas e privadas com intervenção na área sccial e apoio à família, corn as quais ü Cf IFAC celebrou
Para

Ass*ciaÇão Acadérnica de Colmbra - AAC; Associaçãü c{e Defesa e ,4poio da Vida - ADAV; CenËrc Fducativ* dos ü[ivais; Agrupannenti: de [scolas lnês cJe Castra; Agrupamentc de Lsc*las cle São S!lvestre;

Agrupamentc de [scq:las Dr"a Maria Alice Couveia; Centro de Fcrmação de Pr*fessores Ágona; Junta Regiona! de coimbra do corpo Nlacionãl de
Hscutas;

protccolos e acordos de colaboração, a saber: lnstituto da Droga e da Toxicadepenclência - lDÏ Câmara Municipal cle Coinrbra - CMC; Direcçãc Regicnal de [ducação do Centrc - DREC; Faculdade de Psicologia e de ciências da Educação da Universidade de Coinrbra - FPCEUC; Cent.ro Regional de Âlcor:logia do Centro Maria Lucííia Mercês de Mello; lnstituto Superior de Ëngenharia de Coimbra - ISEC; lnstituto Superior Miguel Torga ISMï Administração Regional de Saúde do Centro - Centro de Saúde de 5ão Martinho do Bispo; Junta de Freguesia de Santo António dos ülivais; Junta de Freguesia de Sãcl À.4artinho do Bispo; Junta de Freguesia de São João do Campo; Junta de Freguesia de Eiras; Junta de Freguesia de Santa Cruz; Santa Casa da Misericórdia de Coimbra;

IRIFRIA Fartugel - ls'rstitutc Ëurcpeu de Investigação dos Factores de Risco na crianÇa e no Aclolescente
Project*s para

*

fu{ura

crlFAC, pretende rnanter o actua! cabinete cle Ap*io Familiar alarganclo a sua área de intervençãa a autros mlrnicípios qlre entendam pcder beneficiar dos serviços que este Cabinete oferece. Neste sentida, já se iniciararn

o

contactos com várias Câmaras Municipais corn

ü
e

objectiva de estabelecer futuros acürdos de coNab'oração;

No

âm

bito de intervenÇão no me!o escolar

reconhecendo a importância da escola na prevençãa primária de compartamentos de risco, o CËIFAC pretenrJe alargar a sua interveRção a cutros Agruparnentos cle Escolas, depois cie uma avaliação rigorosa do trabalho realizado de forma a optimizar intervençÕes futuras;

ü

CEIFAC pretende ainda actuar no ârnbito da prevenção prinrária do VIH/SIDA em especial junto de
a

Conrissão de Protecção de Crianças e Jovens de
Coimbra - CPCjC;

javens a partir dos 16 ãnos de idade, estand*
preparar-se pãra implementar um projecto nesta área.

G2)

Anexo Iï
Sites a consriltar

Contactos Uteis
Associaçãa de Defesa e Apoio da Vida
Praça B de Maio, 42
Tel./Fax

http:#www.ceifac. pt http://www.dncgas.pt
http I lv'wçw. portal
:

-

ADAV

-

2q Sala

B

d

ragas. Pt

3000-300 Coinrbra . 239 820 ti00

http:llw.fad"es
hnp:liwww.irefrea.ürg
http /iwww.
:

p

revnet. net

h

ttp /l'wvvw. d r u gl i b rarY. * rg
:

Banco Alirnentar contra a Fome - Coimbra Venda do Cego 304{i-809 Cernache Tel. 239 947 389 - Fax" 239 947 673 Câmara Municipal de Coimbra
e
I

http :llv'rvvw"emcdda"eu http :llnída.nih.gnv
h

"

inï
p' htm

ttp /i'www. i an et. co mlki d s/h
: :

Praça B de Maic;

http I ltar dis. i sm b. bcn.es http :lirwww.
:

30üü-300 Coimbra
Tel. 239 857 500 - Fax. 239 820 114 Divisão de Acção Social e Família Tel. 239 B2B 22A - Fax. 2'39 &27 555

o n u po rtu gal

.

Pt

http //www. i acri anca. Pt

http:/iw.unicef.CIrg hmp://M.peti.gov.Pt
h

ttp :/iwww. sosestu d ante. o rg
loj adoci dadaa. Pt
d rec. m i n -ed u
.

http

:/iffi. http :/iw. hnp I lw
: :

Cáritas Diocesana de Coimbra Rua D. Francisco de Almeida 3ü30-382 Coinrbra Tel. 239 792 #A - Fax. 239 715 457 Centro Regional de Alcoologia do Centro Maria Lucília Mercês de Mello
3A4A-71 4 Castelo Viegas Tel. 239 793 71Ü - Fax" 239 7BO 152 e-mai I : secretariado@crac. m i n-saude, pt
U RL

Pt

"crac.m

i

n - sau

de. Pt

http I lwvvw.aps i .o rg. Pt

http:llwww.mdvida.Pt
h

ttp ://www.vi ol enci a.on I i ne. Pt

hnp:/lwww.snripd.Pt

: http :l1www.crac.

nr

i

n-saude. pt

Gtt,

Anexo
Legislação

ïIï
fei no 30l2AAü, de 29 de Novemtrro Define o regime jurídico aplicável ao consumo de
estupefacientes e
su

Em 29 de Novembro de 2000 foi aprovada a Lei p.a

bstâncias psicotrópicas.

30 2000 que descriminalizou

a

posse, aQuisição

e

consumo de drcgas. tssim, desde 1 de julho de 2001, a consumo de drogas cleixou de ser consideraclo crirne, em bora contin ue a
:en ilegal e punido por lei.

Decreto-Leí no 130-Al2A01 , de 23 de Abril

[stabelece a organizaçã.o, o processo e o regime de funcionamento da comissão para a dissuasão da
toxicodependência. Decreto Legislativo Regional n" 7l2AU lA, de 27 de Abril Regula o novo regime jurídico aplicável ao consumo de estupefacientes e substâncias psicotrópicas e introduz medidas de protecção sanitária e social das pessoas que consomem essas substâncias sem prescrição médica aprovada pela Lei na 3012000, de 29 de Novembro.

Llm indivíduo apanhado a consumir não e preso, mas pode ser sujeito a sançÕes administrativas, multas ou outras limitaçÕes de direitos, como por exernplo: suspensão da carta cle condução, impedimento do exercício de certas actividades profissionais, im possibilidade de se ausentar para o estrangeiro, ter de prestar trabalho em favor da cornunidade"
Para consulta, indicamos a legislação mais importante na área da toxicodependência.

Anexo IV
Questicnártmç

4" Qual c desport* preferido do seu filhr:?
do Ano !nËernacicnal da

){o âmbit*

cias con":eí1"'ìoraÇÕes

5. Qual o livro d* que ü seu filh*
6" ü que é qLre o seu filhr:

gosta mais?

Fanrília t1994) , a Federaçãa Regional das ,4ssociaçÕes cle Pais da Regiãal Centn* - Cciml*ra, desenv*lve* cCIm o apoio d* Pnoject* VãDA uí'ïl prograrna designad* "Convemção daç Sete CËdades'o*. [ste progrãffia viscil a criação de um espaçr: de discussão e reflexãa entre pais e filhos à v*lta de vários assuntüs, sendo um cieles a toxicodependência. Um dos r:bjectiv*s deste prograrna foi a criaçã* de um espaço de comunicaçã* e d!álago na fantília, tendc sidc utilizada uffia ab*rdageffi dinâmica e interactiva, sendo facultados a 5:aïs e a fìihcs, questicnári*s, preenchìdos por ambas. Fara além de terem ajudado nCI rnelhcr conhecimento pals-fiËhos e filhos-pais, facilitaranr muitc o posterior diálogo inter-geracional.
PensarnCIs {ì ue estes q Llestionários

mals gosta de fazer?

7. Qual o animal preferido da seu fllhc?
8" Qual
a cor du que o seu

filhc g*s[a

mais?

9.

Qual a ciisciplina prefericla dq: seu filhr:?

1ü.Qual a nome clo n":elhar amig* do seu filho?
11"

Qual a prenda que ü seu filho mals gostaria de receber?

1

2.Qual a prcfiEsão qu{r o seu filhc cÌeseja seguir?

utilizadcs

na

ConvenÇão, p*dem ajudar pais e filhos num melhor conhecimt: nto mútu*, pelo que os apresentanros" Até que pomto c*nhece s seu fitrho?

13.Qual a maior virtude do seu filho? 14"Qual o maior clefeit* do seu filho? 15"Qual o maior medo do seu filho?

1.
2.
--Ì

Qlral {} progranìa de televisãa preferida clc seu fi!ho? Qual ü grupo musical preíe rido do seu fiiho? Qual a cürnida preferida do seu filho?

* Convençãa

das Sete cidades

-

participararn as cidades
Castelcl

J.

de Coinrbra, ïomar, Cuarda, Leiria, C*vilhã, Branco e Figueira da t*2.

S*
l

Èè*s

Ss**tããffë

rJl
I I

Atr6

que ponto conheces os teus pais? Qual a idacle dos teus pais?

7. Qual o passatempo
Pai

preferido dos teus pais?

1

.

Mãe

Pai

Mãe

B" Qual o nome do I da melhor amigr: lamiga
pais?

clos teus

2. Qual o programa de televisão preferido
pais?
Pai

dos Leus

Pai

Mãe

Mãe

g" Qual a prenda q ue os teus pais gostariam de
receber?

3. Quai o tipo de música
Pai

preferido dos teus pais?

Pai

Mãe

Mãe

1O.Qual a maior preocupação dos teus pais em relação
a ti?
Pai

4.
Pai

Qual a comida preferida dos teus pais?

Mãe 11.Sabes como se desenvolve a actividade proflssional dos teus pais?
Pai

Mãe

5. Qual o desporto preferido dos teus pais?
Pai
rV1ãe

Mãe gostam de ler?

6. O que os teus pais mais
Pai

12.Onde gostarianr os teus pais de passar as férias?
Fai

Mãe

Mãe

Qa)

**-.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->