Você está na página 1de 37

A ESSÊNCIA DA

ENFERMAGEM
Enfermagem surge a partir do
momento em que
há relação de cuidado.

• Quando Surgiu a Enfermagem?


EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM

• Povos primitivos : Astecas; Maias;


Aborígenas.

• Doença ligada a punição divina –


sobrenatural (Mágica).
IDADE ANTIGA:
Invenção da escrita (4000 a.C. a
3500 a.C.) até a queda do Império
Romano do Ocidente (476 d.C.)

• Divisão social do trabalho: senhores


e escravos.

• Tarefa do cuidado: vergonhosa,


doméstica e subalterna.
IDADE MÉDIA:
Séc. V até XV: 476 d.C à 1454 d.C.
Fim com a queda do Império
Romano

• Cuidado ao doente = caridade.

• Prática Cristã.

• Doença: Castigo divino

• Modelo Religioso de Enfermagem.


IDADE MODERNA:

• Reforma protestante.

• Serviço de enfermagem pessoas de


baixa escala social (laicas).
Enfermagem Moderna

• 1860 (Inglaterra) Florence


Nightingale.

• Organização e hierarquização do cuidado)


St. Thoma’s Hospital – Londres.

• Modelo impregnado de disciplina, divisão


técnica do trabalho e hierarquia.
Prática de Enfermagem do
Século XX

• CUIDADO DE ENFERMAGEM.
SIGNIFICADO DE CUIDADO

• Solidarizar-se, evocando relacionamentos


compartilhados entre cidadãos em comunidades,
ora, dependendo das circunstâncias e da doutrina
adotada.

Obrigação

• dever e compromisso social.


• O cuidado significa desvelo (Vigiar), solicitude
(Carinho), diligência (Presteza), zelo (Dedicação,
interesse).
Cuidar significa colocar-se no lugar
do outro:

• Nascimento.

• Promoção e na recuperação da
saúde.

• Morte.
• Compreender o valor do cuidado de
enfermagem requer uma concepção
ética que contemple a vida como um
bem valioso em si, começando pela
valorização da própria vida para
respeitar a do outro em sua
complexidade, suas escolhas,
inclusive a escolha da enfermagem
como uma profissão.
• Cuidar em enfermagem consiste em
envidar esforços transpessoais de um ser
humano para outro, visando proteger,
promover e preservar a humanidade,
ajudando pessoas a encontrar significados
na doença, sofrimento e dor, bem como,
na existência. É ainda, ajudar outra pessoa
a obter auto conhecimento, controle e auto
cura, quando então, um sentido de
harmonia interna é restaurada,
independentemente de circunstâncias
externas
Responsabilidade da Enfermagem

• Preservar o bem maior, a vida,


essência do cuidado de enfermagem.

• relação de respeito ao outro:


paternalismo e a autonomia.
Definições Científicas

• É o valor central da profissão


Enfermagem (Swanson, 1991).

• É experimentar isso como um afeto.

• Relação interpessoal, uma interação.


Para Equipe de Enfermagem
• Comportamento afetivo; Ouvir com empatia,
confortar, amparar, limpar, alimentar, trocar,
preparar para procedimentos, fazer tudo para o
beneficio do paciente.

• Cliente: Honestidade, prestação de informação


com clareza (Essen;Sjoden, 1991).

• WALDOW (1999), que o cuidado acompanha a


vida desde o princípio. Assim, torna-se
imprescindível tanto na higidez como na
enfermidade e morte, representando o estímulo
de gozar a vida, satisfazendo as carências.
• .
VALORES ESSENCIAIS PARA A
EQUIPE DE ENFERMAGEM
• Autruísmo: Preocupa-se com o bem estar
dos outros.
“Dar total atenção ao paciente quando
realiza o cuidado”.

• Dignidade Humana: Protege o direito do


individuo quanto a privacidade.

• Estética: Adaptar o ambiente da forma que


este seja prazeroso ao cliente.
• Igualdade: Prover o cuidado de
enfermagem de acordo com a
necessidadedo indivíduo.

• Justiça: Agir como um defensor do cuidado


de saúde.

• Liberdade: Honrar o direito do indivíduo


recusar o cuidado.

• Verdade: Documentar as ações de


enfermagem, fidelidade para o fato ou
realidade.
QUESTIONAMENTOS FILOSÓFICOS
SOBRE O VALOR DA VIDA HUMANA

• Vida humana como valor


instrumental:

• Diz respeito ao quanto a vida de


cada um serve aos interesses das
demais pessoas (ser um
instrumento).
Vida humana como valor
subjetivo

• Refere-se a quanto a pessoa mede


seu valor para ela mesma.
Vida humana como valor
intrínseco.

• Refere-se ao valor subjetivo que


uma vida tem para a pessoa de cuja
vida se trata.
SIGNIFICADOS DE CUIDAR E NÃO
CUIDAR EM HOSPITAL PEDIÁTRICO.
• “Todos praticamante todos. As
pessoas vem aqui e ajudam a gente,
isso faz a gente até se sentir melhor.
Tá certo que se está dentro do
hospital mas isso faz a gente se
sentir tranquila, como se tivesse só
alegria, a tristeza fica
fora.”(Joaninha 11 anos).
CUIDAR PROFISSIONAL

• “Eles (equipe de saúde) tão me cuidando,


aí passou a dor que eu tava na perna”.
(Mariazinha 8 anos).

• “No dia que fizeram a cirúrgia, eles foram


bacanas comigo, eles fizeram bem de
vagarzinho a anestesis, prá não esticar
muito o meu braço (soro). Conversaram
comigo e foram delicados”. (Paulinha. 9 anos).
CUIDAR MATERNO INFANTIL

• “A minha mãe me deu mais atenção


porque eu estava morrendo de
medo. Ela deixou tudo de lado para
cuidar de mim, para fazer eu me
sentir melhor, pois eu estava
chegando ao hospital para fazer uma
cirúrgia. Eu me senti como se não
fosse passar por nada, fosse apenas
dar uma voltinha”. (Joaninha, 11 anos).
CUIDAR AMIGO

• “Eu pensei que ia chegar nesse


hospital e na minha imaginação,
ia ser triste, todo mundo triste e
tal. Mas, eu já cheguei e todo
mundo alegre. Pelo que eu vi,
são tão amigos, tão
compreensivos”.
SIGNIFICADO DE NÃO CUIDAR

• “Eles esqueceram de me dar


remédios”. (Tininha, 14 anos).
• “As enfermeiras e os médicos não
ligam para minha dor”. (Paulinha 9 anos,
osteomielite de MMII).

• “É medo de tomar injeção por quem


não está preparado, a faixineira veio
me dar injeção”. (Jõaozinho, 13 anos).
• “Eles disseram que eu estava
mentindo, disseram que era mentira
a minha dor”. (Rosinha, 11 anos).
LAVAGEM DAS MÃOS
• Semmelweiss, um dos pioneiros em controle de infecção
hospitalar, reduziu as taxas de infecções puerperais através da
determinação de o ato de lavagem das mãos com solução
germicida, após as necrópsias e antes do atendimento a partos,
em 1848. [1]. http://www.cih.com.br/maos.htm.

• Florence Nightingale (1854) melhoria nas condições sanitárias


resultaria num decréscimo no número de mortes. Já em fevereiro
de 1855 as taxas de mortalidade caíram de 60% pra 42,7%.
http://www.pucrs.br/famat/statweb/historia/daestatistica/biografi
as/Nigthingale.htm

http://www.bbc.co.uk/portuguese/ciencia/st
ory/2005/09/050928_griperw.shtml.
Pesquisado em 13/08/2008.
CURATIVOS
PRINCÍPIOS CIENTÍFICOS DE
CURATIVOS
• NÃO FALAR OU TOSSIR SOBRE A
FERIDA E MATERIAIS;

• REALIZAR A LIMPEZA DO MENOS


CONTAMINADO PARA O MAIS
CONTAMINADO;
Soro fisiológico aquecido

• A divisão celular no organismo


humano ocorre à temperatura de
37ºc, e após a limpeza da ferida,
demanda de 30 a 40 minutos para
retornar a essa temperatura, e de
três a quatro horas para atingia a
velocidade normal de proliferação
celular (Bajay; Araujo, 2003).
BANHO NO LEITO

• Proporcionar privacidade.

• Manter a segurança.

• Manter a água aquecida: Uso de


lençóis.

• Promover a independência do cliente


BANHO: Um ato terapêutico

• Massagem nas costas; Relaxamento,


Alivio da tensão múscular.
• Estimula a circulação cutânea.
• Estimula o retorno venoso (POTTER;p´PERRY,
1999).

• Proporcionar conforto e bem


estar(MUSSI et al., 1995).
DESINFECÇÃO DOS LEITOS

• Diariamente com álcool 70%.

• A cada 15 dias ou após alta


hospitalar do paciente com água e
sabão, e álcool 70%.

• Após entrar em contato com


secreções corporais (sangue).
HIGIENE ORAL

• Prevenir cáries.

• Prevenir infecções bucais.

• Prevenir infecções digestivas.


http://www.especialidades.org/espe
cialidades/9ER/ER13.htm

• Prevenir infecções respiratórias.


USO DE EPIS
• Uso de avental, máscara, óculos e luva para realizar
aspiração e curativo.

• Atenda o portador de traqueostomia colocando-se ao seu


lado, evite deixar seu rosto à frente do estoma, o paciente
pode apresentar episódio de tosse inesperado.

• Oriente-o quanto aos cuidados durante a tosse.

• Mantenha toalhas ou lenços de papel ao alcance do paciente


e também um recipiente ou saco descartável para receber
lenços ou toalhas utilizados.
FIM

FIDELIS.ALBERTO@GMAIL.COM