1

CORPOS
ESTRANHOS
Curso Especial de Férias
Emergência na Atividade Física
Julho 2000
Prof. Carlos Eurico da Luz Pereira
2
CORPOS ESTRANHOS NO
ORGANISMO
• Alguns ferimentos têm como agente
causador corpos estranhos que atingem
partes do corpo:
• olhos,
• pele,
• ouvidos,
• nariz
• ou garganta.
3
CORPOS ESTRANHOS NO
ORGANISMO
• Quando há a presença de um corpo estranho,
é de fundamental importância conhecer
técnicas apropriadas para cada caso e agir de
acordo com elas.
• Os casos podem ser leves, como a presença
de pequenas partículas nos olhos, como
graves, como a presença de um corpo
estranho encravado na córnea que pode levar
a cegueira ou na garganta que pode levar a
asfixia.
4
O que é um corpo estranho?
• É qualquer material, que entrando em contato
com algum local do organismo (olhos, nariz,
garganta, pele) pode causar desconforto,
ferimento ou prejuízo de alguma função.
• Por exemplo, são chamados de corpos
estranhos todas as pequenas partículas de
poeira, carvão, madeira, areia, ossos, grãos,
insetos, e espinhos de peixe, quando em
contato com o organismo na situação acima.
5
Nos olhos:
Os olhos são muito delicados e, se
atingidos por poeira, areia,
insetos ou outros pequenos
corpos estranhos, podem sofrer
irritação, inflamações e
ferimentos mais sérios e até
perda de visão.
6
Corpos estranhos nos olhos.
O que fazer?
• Quando um corpo estranho atingir o olho de
uma pessoa, deve-se segurar os cílios
superiores e puxar a pálpebra superior por
cima da pálpebra inferior, para deslocar a
partícula ou objeto que estiver incomodando.
Faça, então, a vítima fechar os olhos, para
permitir que as lágrimas lavem e removam o
corpo estranho.
7
• Se o processo anterior falhar, deve-se
lavar o olho afetado com água limpa, de
preferência usando conta–gotas. Se isso
não resolver o problema, deve-se virar a
pálpebra superior para cima, ou a
inferior para baixo, e, com muito
cuidado, retirar o corpo estranho com a
ajuda de um pano limpo ou de um
cotonete umedecido com água.
8
Todo ferimento no olho deve ser
considerado perigoso, pois pode
causar cegueira. Mesmo
pequenos cortes e arranhões
podem infeccionar e prejudicar a
visão, se não forem bem
cuidados.
9
Corpo estranho
encravado no globo
ocular
NUNCA TENTAR
RETIRÁ-LO.

10
Corpo estranho encravado
no globo ocular
• Basta colocar uma compressa ou pano limpo
sobre o olho (um curativo macio, de
preferência) cobrindo também o olho não
atingido para evitar o movimento do olho
afetado.
• Encaminhar a vítima para socorro médico
imediatamente. Não se deve, de forma
alguma, deixar que a vítima esfregue o olho,
pois isso pode causar um ferimento ainda
maior.

11
• Além de corpos estranhos, os olhos podem
sofrer queimaduras causadas por irradiações,
fachos de luz de luminosidade intensa
(banhos de luz), luz artificial (bronzeamento
artificial) ou luz produzida por solda elétrica.

12
• Esta luminosidade intensa pode
afetar gravemente o olho, podendo
levar a vítima à cegueira.
• Esse tipo de queimadura se
manifesta somente através da
ardência e sensação de irritação
(como se fosse areia nos olhos).
Nesse caso, a única medida é
procurar um especialista.

13
• Os olhos também podem ser
atingidos por substâncias
químicas, como ácidos, cal,
gasolina, etc.
• O socorrista deve agir com a
máxima urgência, praticando, de
imediato, a lavagem do olho ou
olhos afetados.
14
• Na lavagem, deve-se tomar cuidado
para não prejudicar o olho não
afetado. Quanto mais água se usar e
quanto mais depressa se agir,
melhor. Não se deve dar tempo para
que a substância química exerça sua
ação.
• Feita a lavagem do olho, encaminhe
a vítima, imediatamente, ao médico.

15
Na pele:
• Quando corpos estranhos ficam
encravados na pele, podem causar
ferimentos e infecções.
• Deve-se remover o corpo estranho
com uma pinça limpa ou agulha
flambada (aquecida em uma chama
até ficar em brasa).
• Nunca use canivete ou faca.
16
• Se o corpo estranho estiver muito
encravado e difícil de retirar,
encaminhe a vítima ao pronto-
socorro.
• Não esqueça, mesmo em casos leves, é
melhor encaminhar o paciente ao serviço
médico, do que agravar a lesão,
principalmente porque não configura
uma emergência.

17
Acidentes com anzóis.
• Caso a pele seja atingida por um anzol de
pesca devemos empurrá-lo até que a fisga
fique exteriorizada.
• Depois cortar a ponta do anzol com um
alicate, pois se o puxarmos a pele ficará
ainda mais ferida.
• Em seguida puxamos o anzol pelo mesmo
orifício por onde ele entrou.

18
Em qualquer caso de ferimento da
pele (anzol ou outros corpos
estranhos) faça uma limpeza
com água e sabão e adote as
medidas apropriadas aos casos
de ferimento.
19
No ouvido externo:
• A presença de um corpo estranho no ouvido,
geralmente, não se constitui num problema
de urgência, e, por isso, não há necessidade
de afobação ou desespero.
• Caso o objeto introduzido esteja obstruindo
totalmente o ouvido, a vítima sentirá um
pequeno mal-estar por ouvir menos.
• A ida ao médico poderá ser providenciada
com calma.

20
Insetos no ouvido externo.
• Quando o objeto estranho for um
inseto provocará um ruído que
desespera a vítima, podendo
gerar estado de inquietação e
irritabilidade.
• Deve-se fazer alguma coisa para
aliviar de imediato a vítima.
21
Se o inseto estiver se movimentando
dentro do ouvido, podemos
utilizar um facho de luz. Deve-se
puxar a orelha para trás e dirigir
o facho de luz para o canal
auditivo. O inseto atraído pela
luminosidade, saíra com certa
facilidade

22
Se o inseto não sair com a medida
anterior, coloca-se óleo de
cozinha ou azeite no ouvido
mantendo-o para cima. Após
algum tempo, vira-se a cabeça e
o óleo saíra, desalojando o
inseto.
23
Grãos ou fragmentos
metálicos no ouvido externo
• No caso de grãos de cereais ou fragmentos
metálicos existe outra alternativa:
– tente removê-los inclinando a cabeça
para baixo e para o lado do ouvido
atingido. Com o punho, a vítima ou o
socorrista deve dar leves pancadas na
cabeça, no lado do ouvido atingido.

24
Não tente retirar corpo estranho
do ouvido com cotonete, pinça
ou outro instrumento
qualquer, pois corre-se o risco
de empurrá-lo ainda mais para
dentro. Ele pode antingir o
tímpano, perfurando-o,
podendo provocar até surdez.
25
No nariz:
• Quando o órgão em que se encontra um
corpo estranho for o nariz, deve-se
comprimir a narina que esteja livre e
pedir que a vítima mantenha a boca
fechada e tente expelir ar pela narina
tampada
• É necessário avisar a vítima para que não
assoe o nariz com muita violência. Isto
poderia ferir a cavidade nasal.

26
Corpo estranho no
nariz
Em nenhuma hipótese devemos
introduzir algum instrumento
na narina atingida. Isso pode
provocar outras complicações.
27
É comum crianças muito pequenas introduzirem
corpos estranhos no nariz. Se a pequena vítima
não souber assoar o nariz sozinha, o que fazer?
–o socorrista deverá colocar a própria
boca sobre o nariz da vítima e tentar
aspirar o corpo estranho. Se não
conseguir, deve encaminhar a
vítima ao pronto–socorro,
rapidamente.

28
Na garganta:
• Corpos estranhos na garganta (como
espinhas de peixe ou moedas) podem
obstruí-la, provocar lesões e/ou asfixia,
por impedir a entrada de ar nos pulmões.
• Às vezes, quando ocorre o engasgo com a
alimentação ou bebida, o simples reflexo
da tosse pode eliminar o corpo estranho
que esteja impossibilitando a passagem do
ar.
29
Quando acontece com criança é mais
difícil, porque ela nem sempre
consegue se livrar do objeto. Nesse
caso, pode-se colocar a criança de
cabeça para baixo ou com o corpo
curvado para frente e, em seguida,
aplicar palmadas secas em suas
costas.
30
Se, com a manobra anterior, não
conseguir retirar o corpo estranho,
introduza o dedo indicador junto
às paredes da boca para alcançar o
objeto por trás e assim trazê–lo para
fora. É preciso ter cuidado para não
empurrar ainda mais o objeto,
piorando a situação.
31
Se o corpo estranho na
garganta levar a asfixia ?
De qualquer maneira, sempre é
importante observar a respiração da
vítima, verificando se ela não está
asfixiada. Se isso acontecer, aplique
rapidamente a respiração boca- a-
boca e leve a vítima para o socorro
médico.

32
Espinha de peixe na garganta
• Caso o corpo estranho seja uma espinha
de peixe e esteja encravada, não devemos
tentar retirá-la, pois correríamos o risco
de ferir ainda mais a garganta,
provocando inchaço e obstrução das vias
respiratórias. A única atitude do
socorrista, nessa situação, é levar a vítima,
com urgência, para o médico.

33
Como transportar a vítima
com corpo estranho na
garganta ?
Ao transportar a vítima,
devemos ter o cuidado de
manter sua cabeça abaixada,
para impedir a descida do
objeto para os pulmões.

34
E se não conseguirmos
retirar o corpo estranho ?
Em todos os casos de corpos
estranhos no organismo,
quando não conseguirmos
retirá-los, devemos acalmar a
vítima e encaminhá-la ao
socorro médico.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful