P. 1
Lavagem e Antissepsia de Mãos, Técnica

Lavagem e Antissepsia de Mãos, Técnica

|Views: 1.842|Likes:
Publicado porerdominguez
Técnica de lavagem e antissepsia das mãos para profissionais de saúde
Técnica de lavagem e antissepsia das mãos para profissionais de saúde

More info:

Published by: erdominguez on Nov 12, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as ODT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/09/2012

pdf

text

original

Lavagem e Antissepsia de Mãos

2. Técnica de Higiene das Mãos 2.1 Quando for descontaminar as mãos com álcool-gel, aplique o produto na palma de uma das mãos e esfregue as mãos uma contra a outra, englobando todas as superfícies das mãos e dedos, até que sequem (IB); Siga as recomendações do fabricante, quanto à quantidade a ser utilizada de álcool-gel; 2.2 Quando for lavar as mãos com sabão e água, primeiro abra a torneira com a mão não dominante; remova anéis, relógios e braceletes; molhe as mãos com água, aplique a quantidade recomendada pelo fabricante do sabão, e esfregue as mãos vigorosamente por pelo menos 15 segundos, englobando todas as superfícies das mãos e dedos. Enxágüe as mãos com água e seque completamente com toalhas descartáveis. Use uma toalha para fechar a torneira; não use água quente, pois isto aumenta o risco de dermatite (IB);

3. Anti-sepsia cirúrgica das mãos 3.1 Remova anéis, relógios e braceletes antes de iniciar a anti-sepsia (II); 3.2 Remova sujidades sob as unhas, sob água corrente (II); 3.3 Anti-sepsia cirúrgica das mãos com sabão antimicrobiano ou solução alcoólica de atividade prolongada é recomendada antes de se calçar luvas estéreis, quando se realiza um procedimento cirúrgico (IB); 3.4 Quando se faz a anti-sepsia com sabão antimicrobiano, escove as mãos e os antebraços, pelo tempo recomendado pelo fabricante (geralmente de 2 a 6 minutos); tempos maiores não são necessários (IB); 3.5 Quando se faz anti-sepsia com solução alcoólica, siga as instruções do fabricante; antes de aplicar a solução, faça uma pré-lavagem das mãos e antebraços com sabão não-antimicrobiano e seque-os completamente; após a aplicação da solução alcoólica, como recomendado, deixe as mãos e antebraços secarem completamente antes de calçar as luvas estéreis (IB).

Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil. Para ver uma cópia desta licença, visite http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/2.5/br/ ou envie uma carta para Creative Commons, 171 Second Street, Suite 300, San Francisco, California 94105, USA.

4. Recomendações Gerais 4.1 Não são recomendadas toalhas de uso múltiplo em instituições de saúde (II); 4.2 Mantenha informado seu superior imediato ou a SCIH, sobre tolerância da pele aos sabões utilizados, assim como outras características possivelmente aversivas (aspecto e odor, por exemplo) (IB); 4.3 Após o expediente, proteja as mãos com creme ou loção hidratante, para minimizar o risco de dermatite (IA); 4.4 Não use unhas artificiais na Unidade Neonatal (IA); mantenha as unhas curtas (II); 4.5 Calce luvas sempre que for ter contato com sangue ou outros materiais potencialmente contaminados, mucosas e pele não-íntegra (IC); 4.6 Remova as luvas após cuidar de um paciente; nunca use o mesmo par de luvas para cuidar de mais de um paciente; nunca lave as luvas, para usá-las entre um paciente e outro (IB); 4.7 Troque as luvas durante o cuidado com um paciente, caso vá se deslocar de uma área corporal contaminada para outra área corporal limpa (II).
Graus de Evidência: IA: Fortemente recomendado e fortemente respaldado por estudos experimentais ou epidemiológicos bem desenhados; IB: Fortemente recomendados, amparados por revisões baseadas em fortes evidências, porém sem estudos científicos definitivos; II: Recomendações suportadas por estudos epidemiológicos e clínicos sugestivos e por argumentos técnicos fortes.

Agentes: Todos os profissionais envolvidos na assistência à saúde dos pacientes internados na Unidade Neonatal; pais, familiares e outros visitantes. Elaborado por: Dr. Eloy Rodriguez; Dra. Rúbia Jalva Referências Bibliográficas:
1. Hand Hygiene Task Force, Guideline for Hand Hygiene in Health-Care settings, MMWR, Outubro 2002

Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil. Para ver uma cópia desta licença, visite http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/2.5/br/ ou envie uma carta para Creative Commons, 171 Second Street, Suite 300, San Francisco, California 94105, USA.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->