P. 1
Auditor Fiscal do Trabalho - Notícias

Auditor Fiscal do Trabalho - Notícias

|Views: 2.421|Likes:
Publicado porHelton Santos
Notícias acerca da realização do concurso público para admissão à carreira de Auditor Fiscal do Trabalho
Notícias acerca da realização do concurso público para admissão à carreira de Auditor Fiscal do Trabalho

More info:

Categories:Types, Resumes & CVs
Published by: Helton Santos on Nov 12, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF or read online from Scribd
See more
See less

12/03/2012

pdf

original

Auditor Fiscal do Trabalho

Consulte Provas anteriores em: http://www.4shared.com/file/150875586/c5a2f9ae/Auditor_Fiscal_MTE_Provas_2006_2003.html

Veja Entrevista com o Ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, Clique Aqui!

Fiscal do Trabalho tem 54.718 candidatos  Terça-Feira, 9 de Fevereiro de 2010 Será acirrada a disputa por uma das 234 vagas do concurso de auditor-fiscal do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), já que estão inscritos 54.718 candidatos, segundo informações do Setor de Concursos do órgão. O número de concorrentes por estados deverá ser divulgado em breve pela Esaf, organizadora. A atual seleção mobilizou mais participantes do que os dois últimos certames. Em 2003, concorreram às 150 vagas, 27.870 pessoas; e, em 2006, quando a oferta foi de 200 oportunidades, 54.527 candidatos. A primeira etapa do concurso acontecerá em 14 de março, no Rio de Janeiro e em outras capitais, em locais e horários a serem divulgados a partir do dia 11 do mesmo mês. Na ocasião, os concorrentes farão 150 questões, distribuídas em dois grupos. O primeiro constará em 70 perguntas, versando sobre Português (20), Espanhol ou Inglês (10), Raciocínio Lógico (10), Administração Pública (10), Direito Constitucional (10) e Economia do Trabalho e Sociologia do Trabalho (10). Já o segundo, terá 80 questões, abrangendo as disciplinas de Direito Civil, Penal e Comercial (15), Direito do Trabalho (30), Segurança e Saúde do Trabalho e Legislação Previdenciária (20), Direito Administrativo e Ética na Administração Pública (15). A aprovação estará condicionada à obtenção de 40% dos pontos ponderados em cada uma das disciplinas e 60% dos pontos ponderados do conjunto da avaliação. Posteriormente, haverá um exame discursivo e sindicância da vida pregressa do candidato. As vagas são para graduados (independente da área de formação) e os vencimentos iniciais de R$13.067. As contratações serão regidas pelo regime estatutário (estabilidade empregatícia) e o prazo de validade de seis meses, prorrogável por igual período.

Número de inscritos nos próximos dias  Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2010 A Escola de Administração Fazendária (Esaf) deverá divulgar nos próximos dias o número de inscritos no concurso de auditor-fiscal do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Estão em disputa 234 vagas para o cargo que requer nível superior (independente da área), com vencimentos iniciais de R$13.067,00 A primeira etapa da seleção consistirá em duas provas objetivas, previstas para 14 de março, em locais e horários a serem divulgados a partir do dia 11 do mesmo mês. Os exames acontecerão no Rio de Janeiro e em outras capitais. Os concorrentes farão 150 questões, distribuídas em dois grupos. O primeiro terá 70 perguntas, versando sobre Português (20), Espanhol ou Inglês (10), Raciocínio Lógico (10), Administração Pública (10), Direito Constitucional (10) e Economia do Trabalho e Sociologia do Trabalho (10). No segundo grupo serão 80 questões, abrangendo as disciplinas de Direito Civil, Penal e Comercial (15), Direito do Trabalho (30), Segurança e Saúde do Trabalho e Legislação Previdenciária (20), Direito Administrativo e Ética na administração Pública (15). Para ser aprovado, é preciso conseguir 40% dos pontos ponderados em cada uma das disciplinas e 60% dos pontos ponderados do conjunto da avaliação. Posteriormente, haverá um exame discursivo e sindicância da vida pregressa do candidato. O prazo de validade é de seis meses, prorrogável por igual período. Taxa deve ser paga até terça, dia 2  Segunda-Feira, 1º de fevereiro de 2010 Quem se inscreveu no concurso de auditor-fiscal do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), mas ainda não pagou a taxa de R$130, deve quitá-la até esta terça-feira, dia 2, por meio da Guia de Recolhimento da União (GRU), em qualquer agência bancária, observando o horário de funcionamento do estabelecimento. A primeira fase do concurso será composta por duas provas objetivas, contendo 150 questões, distribuídas em dois blocos. A avaliação está prevista para 14 de março, no Rio de Janeiro e em outras capitais. Posteriormente, haverá um exame discursivo e sindicância da vida pregressa do candidato. O concurso destina-se ao preenchimento de 234 vagas para o cargo, com exigência de nível superior que proporciona vencimentos iniciais de R$13.067. As contratações serão feitas pelo regime estatutário, que garante a estabilidade empregatícia, e os novos servidores cumprirão jornada de trabalho de 40 horas semanais. O prazo de validade é de seis meses, prorrogável por igual período. Último dia de inscrições  Segunda-Feira, 1º de fevereiro de 2010

Encerram-se às 23h59 desta segunda-feira, dia 1º, no site da Escola de Administração Fazendária (Esaf), as inscrições do concurso para o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), destinado ao preenchimento de 234 vagas de auditor-fiscal. O cargo requer nível superior (independentemente da área) e proporciona vencimentos iniciais de R$13.067. Ao preencher o formulário online, o candidato precisa indicar o idioma de preferência para efeito de prova (Inglês ou Espanhol) e o local de realização da mesma. Em seguida, é necessário imprimir a Guia de Recolhimento da União (GRU) no valor de R$130, pagável em qualquer agência bancária, até a próxima terça-feira, dia 2 de fevereiro. Quem não dispõe de acesso à internet pode inscrever-se no posto com computadores, nos dias úteis, das 9h às 17h30. As oportunidades contemplam os estados do Acre (14), Amapá (18), Amazonas (40), Bahia (22), Maranhão (6), Mato Grosso (4), Mato Grosso do Sul (12), Minas Gerais (16), Pará (12), Pernambuco (6), Rio Grande do Sul (18) Rondônia (36), Roraima (10) e Tocantins (16). Previstas para 14 de março, as provas objetivas serão aplicadas no Rio de Janeiro e em outras capitais. O exame será dividido em dois grupos, sendo o primeiro composto de 70 questões, versando sobre Português (20), Espanhol ou Inglês (10), Raciocínio Lógico (10), Administração Pública (10), Direito Constitucional (10) e Economia do Trabalho e Sociologia do Trabalho (10). O segundo grupo terá 80 perguntas, distribuídas pelas disciplinas de Direito Civil, Penal e Comercial (15), Direito do Trabalho (30), Segurança e Saúde do Trabalho e Legislação Previdenciária (20), Direito Administrativo e Ética na Administração Pública (15). Posteriormente, haverá prova discursiva e sindicância da vida pregressa. Inscrições terminam na próxima segunda-feira, dia 1º  Terça-Feira, 26 de Janeiro de 2010 Prosseguem abertas, até a próxima segunda-feira, dia 1º, as inscrições do concurso para o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), destinado ao preenchimento de 234 vagas de auditor-fiscal, cargo que requer nível superior, independentemente da área. Além dos vencimentos iniciais de R$ 13.067,00 são atrativos da carreira: a estabilidade proporcionada pelo regime estatutário e a possibilidade de atuar em um dos principais órgãos da esfera federal. Há 16 oportunidades para Minas Gerais, que estão distribuídas pelas seguintes cidades: Governador Valadares (2), Teófilo Otoni (6) e Paracatu (8). Quem proceder dessa forma, após três anos de serviço, poderá fazer o concurso de remoção interna e voltar ao estado de origem. As demais vagas serão providas nos estados do Acre (14), Amapá (18), Amazonas (40), Bahia (22), Maranhão (6), Mato Grosso (4), Mato Grosso do Sul (12), Pará (12), Pernambuco (6), Rio Grande do Sul (18) Rondônia (36), Roraima (10) e Tocantins (16). As inscrições são aceitas no site da Escola de Administração Fazendária (Esaf), até as 23h59 do último dia do prazo. Após preencher o formulário online (ocasião em que o

candidato indicará o idioma de preferência na prova e o local de realização da mesma), é preciso imprimir a Guia de Recolhimento da União (GRU) de R$130, pagável em qualquer agência bancária, até 2 de fevereiro. Quem não tem acesso à internet pode inscrever-se no posto com computadores, nos dias úteis, das 9h às 17h30. No último dia 22, a Esaf publicou um edital de retificação. As alterações tiveram como objetivo retirar possíveis dúvidas quanto o que deve ser usado no dia da prova e possibilitar ao participante um melhor entendimento acerca de alguns tópicos do conteúdo programático. A integra do documento encontra-se no site da organizadora. A primeira fase do concurso será composta por duas provas objetivas, contendo 150 questões, distribuídas em dois blocos. A avaliação está prevista para 14 de março. Posteriormente, haverá um exame discursivo e sindicância da vida pregressa do candidato. MTE - Abertas inscrições para Auditor Fiscal do Trabalho  Terça-Feira, 19 de Janeiro de 2010 Já estão abertas, até 1º de fevereiro, as inscrições do concurso para o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), com oferta de 234 vagas de auditor fiscal. O cargo exige graduação (independente da área) e proporciona vencimentos de R$13.067. Os contratos serão regidos pelo regime estatutário (estabilidade empregatícia). Embora não haja oportunidades para o Rio de Janeiro, os interessados podem concorrer às 16 vagas de Minas Gerais, por exemplo. Após três anos, será possível fazer o concurso de remoção interna, para voltar ao estado de origem. A jornada de trabalho será de 40 horas semanais. A validade do concurso é de oito meses, prorrogável por igual período. O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, garantiu que as convocações acontecerão até o fim de junho. "As provas foram marcadas para março, justamente para que, antes de terminar este semestre, comecemos a chamar o pessoal", disse, após a solenidade de lançamento do Programa Pró-Jovem, no Museu de Arte Contemporânea (MAC) de Niterói, na última sexta-feira, dia 15. Lupi reafirmou o compromisso de solicitar ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) autorização para convocar 50% a mais de profissionais. "Saindo o resultado da seleção, pediremos essas vagas imediatamente", salienta. Inscrições - Para se inscrever é preciso preencher o formulário no site da Escola de Administração Fazendária (Esaf), até as 23h59 do último dia do prazo. Quem não tem acesso à internet pode inscrever-se no posto com computadores, nos dias úteis, das 9h às 17h30. A taxa é de R$130 e deve ser paga, em qualquer agência bancária, até 2 de fevereiro. As provas objetivas acontecerão em 14 de março, no Rio de Janeiro e em outras capitais. Serão 150 questões versando sobre: Português; Espanhol ou Inglês; Raciocínio Lógico; Administração Pública; Direito Constitucional e Economia do Trabalho e Sociologia do Trabalho e Direito (Civil, Penal e Comercial; do Trabalho, Segurança e

Saúde do Trabalho e Legislação Previdenciária; e Administrativo e Ética na Administração Pública). Auditor-Fiscal do Trabalho: prazo abre segunda, 18. Fiscal do trabalho: 234 vagas. Até R$13.067  Quinta-Feira, 14 de Janeiro de 2010 Começam às 10 horas desta segunda-feira, dia 18, as inscrições do concurso para auditor fiscal do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que vão até 1º de fevereiro, no site da Escola de Administração Fazendária (Esaf). São oferecidas 234 vagas de nível superior (independente da área), com vencimentos de R$13.067. Outros atrativos da carreira são a estabilidade empregatícia, proporcionada pelo regime estatutário, e a possibilidade de atuar em um dos mais importantes órgãos federais. Os novos servidores cumprirão jornada de trabalho de 40 horas semanais. A validade da seleção é de oito meses, prorrogável por igual período. Ao preencher o formulário online no site da Esaf, disponível até as 23h59 do último dia do prazo, os concorrentes necessitarão indicar o idioma de preferência para efeito de avaliação (Espanhol ou Inglês), assim como a localidade de realização da prova. Quem não dispõe de acesso à internet poderá inscrever-se no posto com computadores, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h30. A taxa é de R$130 e deve ser paga, em qualquer agência bancária, até o dia 2 de fevereiro. Aqueles que não têm condições financeiras de pagar a taxa poderão solicitar a isenção, até as 23h59 da próxima terça-feira, dia 19, no site da Esaf. Terão direito ao benefício os inscritos no CadÚnico que sejam membros de família de baixa renda, conforme o Decreto nº 6.135/2005. Processo seletivo - A primeira etapa do concurso de auditor fiscal do MTE consistirá em duas provas objetivas, contendo 150 questões, a serem aplicadas em 14 de março, no Rio de Janeiro e em outras capitais. Inicialmente, os concorrentes farão 70 questões, versando sobre Português (20), Espanhol ou Inglês (10), Raciocínio Lógico (10), Administração Pública (10), Direito Constitucional (10) e Economia do Trabalho e Sociologia do Trabalho (10). O segundo exame terá 80 perguntas, abrangendo as disciplinas de Direito Civil, Penal e Comercial (15), Direito do Trabalho (30), Segurança e Saúde do Trabalho e Legislação Previdenciária (20), Direito Administrativo e Ética na Administração Pública (15). A aprovação está condicionada à obtenção de 40% dos pontos ponderados em cada uma das disciplinas, desde que o participante obtenha 60% dos pontos ponderados no conjunto da avaliação. Posteriormente, haverá um exame discursivo, aplicado a quem se classificar até a 702ª posição. Por último, acontecerá a sindicância da vida pregressa. Auditor-Fiscal do Trabalho: prazo abre segunda, 18. São 234 vagas, com remuneração R$13.067  Terça-Feira, 12 de Janeiro de 2010

Estarão abertas, a partir da próxima segunda-feira, dia 18, prosseguindo até 1º de fevereiro, as inscrições do concurso para Auditor-Fiscal do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), com oferta de 234 vagas. O cargo exige graduação (independentemente da área) e proporciona vencimentos iniciais de R$13.067. Além da boa remuneração, a carreira tem como atrativos a estabilidade empregatícia, garantida pelo regime estatutário; o status proporcionado pela função; e a possibilidade de atuar em um dos mais importantes órgãos da esfera federal. Os novos servidores cumprirão jornada de trabalho de 40 horas semanais. As inscrições serão feitas no site da Escola de Administração Fazendária (Esaf). Ao preencher o formulário, o candidato precisa indicar o idioma de preferência nas provas (Espanhol ou Inglês) e o local de realização das mesmas. Quem não tem acesso à internet poderá inscrever-se no posto com computadores, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h30. A taxa é de R$130 e deve ser paga, em qualquer agência bancária, até o dia 2 de fevereiro. Os pedidos de isenção serão aceitos somente até as 23h59 da próxima terçafeira, dia 19, no site da Esaf. O benefício contemplará os inscritos no CadÚnico e membros de família de baixa renda, conforme o decreto nº6. 135/2005. A validade é de oito meses, prorrogável por igual período. Norte comemora concurso, mas ainda lamenta carência  Terça-Feira, 12 de Janeiro de 2010 O Ministério do Trabalho e Emprego abriu concurso para 234 vagas de auditor fiscal do trabalho em todo o país, 150 delas na Região Norte. O concurso é destinado a candidatos de nível superior completo, com formação em qualquer área. Os salários iniciais são de R$13.067,00, e a carga de trabalho, de 40 horas semanais. Para quem achou o número de vagas insuficiente, há a animadora notícia de que poderão ser contratados mais aprovados do que a quantidade de vagas indicada no edital. Atualmente existem muitos trabalhadores ativos prestes a se aposentar no órgão, por isso há chances de mais contratações. Além disso, haverá também formação de cadastro de reserva. O auditor fiscal da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Rondônia (SRTE-RO) André Veiga, esclarece como será formado o cadastro de reserva. "Na primeira etapa serão aprovados candidatos no triplo das vagas. Na prova objetiva serão 666 pessoas não-deficientes e 36 deficientes que farão a segunda etapa. Todos os concursandos que alcançarem a nota mínima formarão cadastro de reserva automaticamente." As 150 vagas do Norte se dividem da seguinte forma: 14 para o Acre, 40 para o Amazonas, 18 para o Amapá, 16 para o Pará, 36 para Rondônia, 10 para Roraima e 16 para Tocantins. Em entrevista à FOLHA DIRIGIDA, o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, informou que o motivo de tantas vagas para o Norte é a carência de pessoal na região. "A maioria dos fiscais em atividade será deslocada para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O maior número de vagas, quase com absoluta certeza, ficará para o Norte e o Nordeste", afirma.

O volume de oportunidades para a região animou os funcionários das superintendências regionais do Trabalho e Emprego. Segundo André Veiga, a de Rondônia conta com apenas 19 auditores para fiscalizar 52 municípios. Com o concurso, serão contratados mais 36 servidores, totalizando 50 auditores no estado, porque dos 19 existentes, quatro pediram remoção. O aumento de funcionários, segundo Veiga, beneficia todos os estados envolvidos. "A contratação de novo pessoal vai contribuir porque serão novas apostas de recursos para o estado. Evidentemente, serão fiscalizadas mais empresas que têm trabalhadores informais. Eles serão registrados e esses registros vão gerar Fundo de Garantia, INSS, aumentando o poder de compra. Sempre é positivo", explica. Apesar do concurso proporcionar a contratação de mais funcionários qualificados no órgão, o superintendente do Amazonas, Dermilson Chagas, destaca que as vagas oferecidas ainda não serão suficientes para cobrir as demandas. "Essas 40 vagas são bem-vindas, mas o número é muito pequeno. Só para Manaus são necessários, no mínimo, 200 auditores. O auditor do trabalho é aquela pessoa que vai a campo, faz o levantamento e para isso tem, muitas vezes, que pegar estrada, viaja quase o dia todo para chegar a uma comunidade onde tem exploração de madeira. Nesse percurso de inda e vinda, a dificuldade para fiscalizar é enorme. Temos uma dimensão continental. Se for ver no interior, a quantidade de escravos é grande", conta. Segundo Chagas, a vasta área do estado, os locais de difícil acesso, o sistema de comunicação falho e a pouca quantidade de auditores fazem com que a fiscalização se torne um desafio e facilite a ação dos que não cumprem as leis trabalhistas. "O acesso é tão difícil que às vezes o auditor chega ao município e tem de pegar barco. Ele tem que se deslocar torcendo para ter um hotel. A comunicação é difícil, e temos que falar com várias agências do interior. Quando há necessidade de deslocamento de um auditor, é feito todo um planejamento para suprir essas necessidades. Como o município é pequeno, quando o auditor entra nos estabelecimentos, os outros ficam sabendo, fecham as portas e mandam os funcionários embora", comenta. Dificuldades - Cada superintendência apresenta diferentes desafios em sua gestão. Enquanto a de Rondônia prioriza o combate à informalidade do trabalho, no Amazonas a preocupação maior é gerar empregos no interior. Há, entretanto, semelhanças nas instituições quando o assunto é o quadro de funcionários. As duas superintendências possuem carência de trabalhadores na área administrativa. Além disso, há previsão de aposentadoria de vários servidores em um prazo de dois a cinco anos. Isso significa que, ao longo desses anos, haverá necessidade de contratar mais funcionários. "Há carência tanto na área administrativa quanto na fiscalização. Houve um concurso para administrativos, que foi para substituir funcionários terceirizados, mas não houve quantidade necessária para aquilo que é almejado. Foi aprovado um excedente, mas ainda é pouco. Pelo interior, alguns municípios só têm um funcionário. Os municípios de certa forma grandes ficam com um funcionário, como Humaitá. Para substituir esse pessoal existe certa dificuldade porque o pessoal só vai para lá se estiver ganhando diária", explica o superintendente Dermilson Chagas. Tanto André Veiga quanto Dermilson Chagas alertam para as conseqüências do déficit de pessoal. "Resulta na má qualidade do serviço público prestado à população do estado", declara Veiga. Chagas vai mais além, observando que a falta de pessoal afeta

diretamente outros setores do estado, como o próprio serviço. "No Amazonas, nós temos uma internet muito lenta. Devido a essa dificuldade, estamos demorando a atender mais trabalhadores. Tem trabalhador que tem de procurar algum órgão conveniado com o Ministério do Trabalho, para ser atendido", completa. Fiscal do trabalho abre 234 vagas. Vencimentos de R$13.067 28/12/2009 Os interessados em participar do concurso para 234 vagas de auditor-fiscal do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) poderão efetuar a inscrição a partir das 10h (horário de Brasília) do próximo dia 18, no site da Escola de Administração Fazendária (Esaf), organizadora. Haverá atendimento, para quem não tiver acesso à internet, em postos com computadores nas capitais brasileiras. Para concorrer, é preciso ter nível superior em qualquer área. A seleção, que será a primeira promovida para a atividade-fim na gestão do ministro Carlos Lupi, proporcionará oportunidades para vários municípios do país. Os futuros servidores, que serão estatutários (garantia de estabilidade), terão remuneração de R$13.067, para carga de trabalho de 40 horas semanais. Em entrevista à FOLHA DIRIGIDA, Lupi afirmou que pretende homologar o concurso antes do período eleitoral para que os aprovados possam ser convocados já em 2010. "Para que o concurso seja feito antes do prazo legal, como é nossa pretensão, teríamos de ter o resultado em março. Tendo a homologação, poderemos chamar em qualquer lugar", disse. Os classificados atuarão nas localidades em que forem nomeados por, no mínimo, três anos. Após o prazo, o servidor poderá fazer concurso de remoção para retornar ao estado de origem. A validade da seleção é de oito meses, com possibilidade de prorrogação por igual período. Inscrição - Na ficha, que poderá ser preenchida até as 23h59 de 1º de fevereiro, deverão ser indicados o idioma de preferência nas provas (Espanhol ou Inglês) e o local de realização das mesmas. Em seguida, o candidato terá que retirar a Guia de Recolhimento da União (GRU Cobrança) relativa à taxa, de R$130, que poderá ser quitada até o dia seguinte, 2. Isenção de taxa - Os inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) que pertencerem a famílias com renda mensal per capita de até meio salário mínimo (R$255) ou com renda mensal total de até três salários mínimos (R$1.530) poderão pedir isenção de taxa até as 23h59 de 19 de janeiro. As solicitações deferidas serão divulgadas até o dia 25 do mesmo mês. Provas - Em 14 de março, os concorrentes serão submetidos, em todas capitais, a provas objetivas. Os exames constarão de 150 questões, distribuídas por matérias como Português, Espanhol ou Inglês, Raciocínio Lógico e Direito (vários ramos). A seleção ainda abrangerá testes discursivos, eliminatórios e classificatórios, e sindicância de vida pregressa, exclusivamente eliminatória.

As oportunidades serão preenchidas nas seguintes superintendências e regionais do trabalho e emprego:
Estado Acre Amazonas Amapá Bahia Maranhão Minas Gerais Mato Grosso do Sul Mato Grosso Regional Sede Rio Branco Sede Manaus Sede Macapá Gerência Barreiras Gerência Juazeiro Gerência Teixeira de Freitas Gerência Imperatriz Gerência Governador Valadares Gerência Paracatu Gerência Teófilo Otoni Gerência Dourados Sede Campo Grande Gerência Rondonópolis Gerência Marabá Gerência Santarém Gerência Petrolina Sede Porto Velho Sede Boa Vista Gerência Passo Fundo Gerência Santo Ângelo Sede Palmas Vagas 14 40 18 12 2 8 6 2 8 6 8 4 4 12 4 6 36 10 8 10 16

Pará
Pernambuco Rondônia Roraima Rio Grande do Sul Tocantins

Fiscal do trabalho: edital antes do Natal
 Terça-Feira, 15 de Dezembro de 2009

Deve ser divulgado nos próximos dias o edital do concurso para 234 vagas de auditor fiscal do Ministério do Trabalho e Emprego, com exigência de nível superior em qualquer área. O órgão e a organizadora, Escola de Administração Fazendária (Esaf), estão fechando os detalhes do edital do concurso, que proporcionará, além da estabilidade, vencimentos iniciais de R$13.067, para uma carga horária de 40 horas semanais. Conforme o titular da pasta, ministro Carlos Lupi, havia dito, o documento será divulgado até o próximo dia 20. Como a data coincide com um domingo, o edital deverá sair até esta sexta-feira, dia 18. As vagas serão distribuídas pelos estados brasileiros, mas a maior parte deverá ser para as regiões Norte e Nordeste, que possuem maior necessidade de pessoal. No entanto, os auditores podem participar de concursos de remoção interna e trocar de localidade. Caso a Esaf mantenha a programação dos últimos concursos, realizados em 2003 e 2006, os concorrentes realizarão três provas objetivas eliminatórias, com 60 perguntas cada. As avaliações, na época, foram aplicadas em um fim de semana. A primeira prova era de Língua Portuguesa (20 perguntas), Inglês ou Espanhol (10), Ética na Administração Pública (10), Raciocínio Lógico-Quantitativo (5), Informática

(5) e Administração Pública (10). Já a segunda versava sobre Direito do Trabalho (30), Direito Constitucional e Direito Administrativo (15), Direito Civil, Direito Comercial e Direito Penal (15). A última foi composta por 50 questões de Segurança e Saúde no Trabalho e dez de Economia do Trabalho e Sociologia. Reunião na próxima semana para fechar edital
 Quinta-Feira, 10 de Dezembro de 2009

O setor de Recursos Humanos do Ministério do Trabalho e Emprego e a Escola de Administração Fazendária (Esaf), organizadora, terão uma reunião na próxima semana para fechar o edital do concurso para 234 vagas de auditor fiscal do trabalho para todo o país. Após os acertos, o documento poderá ser divulgado e as inscrições abertas. Segundo o ministro Carlos Lupi, o edital deve ser publicado até dia 20 (domingo), ou seja, na próxima semana. Para concorrer é preciso ter nível superior em qualquer área. A remuneração inicial é de R$13.067, para uma jornada de trabalho é de 40 horas semanais. O auditor é o servidor responsável pela fiscalização das relações de trabalho. Segundo o ministro Carlos Lupi, a maior parte das vagas ficará com os estados das regiões Norte e Nordeste, que possuem maior necessidade de pessoal. Isso porque muitos dos auditores em atividade, que participaram do concurso de remoção, solicitaram transferência para municípios das demais regiões. Como a Esaf também organizou os concursos de 2003 e 2006 para o mesmo cargo, especialistas na área não acreditam em alterações no tipo de provas. O próprio ministro disse que os candidatos deveriam estudar com base na seleção anterior, pois o conteúdo programático costuma ser extenso. Inscrições em Janeiro
 Terça-Feira, 8 de Dezembro de 2009

As inscrições do concurso para 234 vagas de auditor fiscal do Ministério do Trabalho e Emprego devem ser abertas em janeiro, segundo informou o ministro Carlos Lupi em entrevista à FOLHA DIRIGIDA. O edital deve ser divulgado na segunda quinzena deste mês, até o dia 20. A atividade requer nível superior em qualquer área e proporciona remuneração inicial de R$13.067, além de estabilidade, para uma jornada de trabalho de 40 horas semanais. A organizadora da seleção será a Escola de Administração Fazendária (Esaf), que também foi a responsável pela aplicação das provas dos concursos de 2003 e 2006. Na ocasião, a taxa de inscrição foi de R$100. Segundo o ministro, a maior parte das vagas será para as regiões Norte e Nordeste, pois é onde há maior carência de pessoal, acentuada com o concurso de remoção interna dos auditores já em atividade. "A maioria dos fiscais em atividade será deslocada para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O maior número de vagas, quase com absoluta certeza, ficará para o Norte e o Nordeste", disse.

A distribuição das vagas pelos estados não foi informada pelo setor de Recursos Humanos. No entanto, os fiscais podem realizar concursos de remoção interna e solicitar a transferência de estado ou município. A remoção faz parte de uma etapa obrigatória antes da abertura de novos concursos públicos, por isso, muitos solicitaram transferência. O ministro Lupi também recomendou estudo intenso aos candidatos. "É uma prova difícil, para uma carreira de ponta do Estado. É bem remunerada, mas exige muito preparo. Então, tratem de estudar, pois será difícil", orientou. Saiba como foram os dois últimos concursos
 Quinta-Feira, 3 de Dezembro de 2009

Quem deseja ingressar na carreira de auditor fiscal do trabalho deve seguir a recomendação do ministro Carlos Lupi e iniciar os estudos, pois as provas costumam ter conteúdo programático extenso. Como as avaliações estão previstas para o fim de março, os candidatos terão mais de três meses de estudo. A atividade requer nível superior em qualquer área, e proporciona remuneração inicial de R$13.067, além da estabilidade. Já a jornada de trabalho é de 40 horas semanais. Os últimos concursos, realizados em 2003 e 2006, também foram organizados pela Escola de Administração Fazendária (Esaf), com taxa de inscrição de R$100. Os candidatos prestaram três provas objetivas e eliminatórias, com 60 perguntas cada, mas com pesos diferentes. A primeira constava de Língua Portuguesa (20 perguntas), Inglês ou Espanhol (10), Ética na Administração Pública (10), Raciocínio Lógico-Quantitativo (5), Informática (5) e Administração Pública (10). Já a segunda versava sobre Direito do Trabalho (30), Direito Constitucional e Direito Administrativo (15), Direito Civil, Direito Comercial e Direito Penal (15). A última era composta por 50 questões de Segurança e Saúde no Trabalho e dez de Economia do Trabalho e Sociologia. Vagas - A distribuição das vagas pelos estados não foi definida, mas a proposta do ministério é concentrar os fiscais onde há maior demanda como as Regiões Norte e Nordeste. No entanto, os fiscais podem realizar concursos de remoção interna e solicitar a transferência de estado ou município. A remoção é uma etapa obrigatória antes da abertura de novos concursos públicos. Além disso, nas seleções para o cargo o MTE chamou mais aprovados do que a oferta inicial de vagas. Em 2006, a oferta era de 200 vagas, mas 392 aprovados nomeados. No anterior, realizado em 2003, que visava preencher 150 vagas, 218 auditores ingressaram. Atualmente, há cerca de 3 mil auditores em atividade. Lupi anuncia organizador para fiscal do Trabalho
 Terça-Feira, 1º de Dezembro de 2009

O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, informou à FOLHA DIRIGIDA, na última sexta-feira, 27, que a Escola de Administração Fazendária (Esaf) será a

organizadora do concurso para 234 vagas de auditor fiscal. A expectativa é que o edital seja divulgado na segunda quinzena deste mês, marcando as provas para março. A carreira requer nível superior em qualquer área e proporciona vencimentos iniciais de R$13.067. Segundo o ministro, a Esaf foi a vencedora da licitação. No entanto, o contrato de prestação de serviço ainda não foi assinado, pois depende de um parecer final do setor jurídico. As vagas devem contemplar todo o país, mas antes da finalização da tabela de distribuição está em andamento o concurso de remoção interna dos auditores em atividade. Inicialmente, o Rio de Janeiro seria contemplado com 15 vagas, para o interior. Existe a expectativa de que mais oportunidades sejam abertas durante o prazo de validade do concurso. Edital em dezembro para 234 vagas
 Quinta-Feira, 26 de Novembro de 2009

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) está concentrando esforços para divulgar o edital do concurso para 234 vagas de auditor fiscal do trabalho na segunda quinzena de dezembro, com provas sendo aplicadas em março. A carreira requer nível superior em qualquer área e proporciona vencimentos iniciais de R$13.067. O prazo limite para a divulgação do edital, conforme portaria que autorizou o concurso, é dia 3 de janeiro. No entanto, esta data cai em um domingo, quando não há publicação oficial (assim como nos dias 1º e 2 do mesmo mês). A escolha da empresa organizadora já foi feita, mas a confirmação depende de um último parecer do setor jurídico do ministério. Segundo fontes ligadas ao processo de seleção, a Escola de Administração Fazendária (Esaf), que organizou os últimos dois concursos para o cargo deverá ser mantida. No entanto, o ministério e a própria organizadora ainda não confirmaram a escolha. Outra decisão que precisa ser feita antes da divulgação do edital é quanto à distribuição das vagas pelos estados. Apesar de ter finalizado o concurso de remoção interna, etapa que antecede a divulgação do documento, a nova tabela de vagas ainda não foi fechada. Existe também a expectativa de que mais oportunidades sejam abertas durante a validade do concurso. O titular da pasta, ministro Carlos Lupi, havia dito que o Ministério do Planejamento garantiu que ampliará o número de convocações em mais 50% das vagas (como prevê a legislação), para amenizar a carência de pessoal. Assim, 351 aprovados poderiam ser convocados. Nos últimos concursos, o MTE obteve autorizações para tal ampliação. Segundo dados do Sindicato Nacional de Auditores Fiscais (Sinait), seriam necessários mais 1.500 auditores para a efetiva fiscalização. Atualmente, há cerca de 3 mil em atividade, muitos com idade para se aposentar. MTE confirma a organizadora em breve
Quinta-Feira, 19 de Novembro de 2009

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) deve anunciar nos próximos dias a organizadora do concurso para 234 vagas de auditor fiscal do trabalho, para todo o país.

Apesar do ministro Carlos Lupi ter informado à FOLHA DIRIGIDA que o nome seria divulgado no início deste mês, isso ainda depende de aprovação do setor jurídico da pasta. O cargo requer nível superior em qualquer área, e proporciona vencimentos iniciais de R$13.067. Apesar do MTE não ter confirmado, a Escola de Administração Fazendária (Esaf), responsável pelos dois últimos concursos para o cargo, confirmou que está negociando para organizar a nova seleção. O edital deve ser divulgado até 3 de janeiro, com provas previstas para março. O resultado final do concurso de remoção interna dos auditores em atividade, que antecede a realização do concurso público, deve ser divulgado nos próximos dias. Assim, segundo o setor de Recursos Humanos, será possível precisar em quais localidades serão abertas as vagas. E, por isso, a tabela, divulgada pelo ministério, poderá sofrer alterações. No entanto, existe a expectativa de que mais oportunidades sejam abertas durante a validade do concurso. Segundo Lupi, o Ministério do Planejamento, quando autorizou a seleção, em julho, informou que poderá ampliar em 50% as vagas, como prevê a legislação, para reduzir o déficit de pessoal. Segundo o Sindicato Nacional de Auditores Fiscais (Sinait), seriam necessários mais 1.500 auditores e, atualmente, cerca de 3 mil estão em atividade. Oferta pode chegar a 351 vagas Quinta-Feira, 12 de Novembro de 2009 Quem pretende ingressar na carreira de auditor fiscal do Ministério do Trabalho e Emprego deve intensificar os estudos para garantir uma vaga, pois a expectativa do ministro Carlos Lupi e da presidente do Sindicato Nacional de Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait), Rosa Maria Campos Jorge, é que 351 auditores ingressem através do próximo concurso, apesar da oferta inicial ser de 234 vagas. O cargo requer nível superior em qualquer área e tem vencimentos de R$13.067. Segundo Lupi, o Ministério do Planejamento, quando autorizou a seleção, em julho, informou que poderá liberar mais 50% das vagas do concurso, como prevê a legislação, para amenizar a carência de pessoal. Inicialmente, o pedido do Trabalho ao Planejamento havia sido de 520 vagas. A presidente do Sinait, Rosa Maria, disse também que mesmo com o ingresso desses servidores, o governo federal precisa enviar ao Congresso um projeto de lei para criar mais vagas e, assim, chegar ao número ideal de auditores, recomendado pela Organização Internacional do Trabalho. Preparativos - O MTE deve anunciar nos próximos dias o nome da instituição que organizará a seleção, cujo edital está previsto para até 3 de janeiro. Uma das instituições participantes do processo de escolha é a Escola de Administração Fazendária (Esaf), organizadora dos dois últimos concursos para o cargo.

Paralelamente, está sendo feita a remoção interna dos auditores em exercício, etapa obrigatória antes dos concursos. O resultado final dessa etapa foi divulgado no último dia 9, mas segundo o Sinait deve ser republicado por apresentar incorreções. Somente depois dessa divulgação, será possível confirmar quantas vagas serão abertas nos estados. Confira a tabela de vagas (podendo sofrer alterações).

Veja tabela com a distribuição das 234 vagas 10/11/2009
Confira a previsão de vagas em: http://www.4shared.com/file/150884042/525d40e4/MTE_-_AFT_-_Vagas.htm

O Ministério do Trabalho e Emprego divulgou a tabela de vagas que deverá ser oferecida no concurso para 234 vagas auditor fiscal do trabalho, com exigência de nível superior e vencimentos de R$13.067. No entanto, a distribuição das ofertas pelos estados ainda pode ser alterada, pois está em andamento um processo de remoção interna. O edital deve sair até 3 de Janeiro e, por isso, o órgão está trabalhando para definir a organizadora. As solicitações foram enviadas para 11 instituições, mas nem todas enviaram propostas. A Escola de Administração Fazendária (Esaf), organizadora dos dois últimos concursos para o cargo, informou que está se reunindo com o órgão. Contudo, o ministério não informou detalhes das negociações. Para ser auditor, é necessário ter nível superior em qualquer área. No entanto, as provas costumam cobrar diversas disciplina relacionadas ao Direito. Os concursos de 2003 e 2006 foram semelhantes, mas o órgão não confirmou se o próximo terá as mesmas disciplinas. Nas ocasiões anteriores, os candidatos prestaram três provas objetivas com 60 perguntas cada, com pesos diferentes. A primeira constava de Língua Portuguesa (20 perguntas), Inglês ou Espanhol (10), Ética na Administração Pública (10), Raciocínio Lógico-Quantitativo (5), Informática (5) e Administração Pública (10). Já a segunda versava sobre Direito do Trabalho (30), Direito Constitucional e Direito Administrativo (15), Direito Civil, Direito Comercial e Direito Penal (15). Já a última continha 50 questões de Segurança e Saúde no Trabalho e dez de Economia do Trabalho e Sociologia. MTE define organizadora nos próximos dias
05/11/2009

O Ministério do Trabalho e Emprego está definindo a empresa que será a organizadora do concurso para 234 vagas de auditor fiscal do trabalho e, conforme o ministro Carlos Lupi havia informado à FOLHA DIRIGIDA no último dia 29, o nome deve ser anunciado nos próximos dias. Já o edital de abertura das inscrições deve sair até 3 de janeiro. Poderão concorrer a uma vaga graduados em qualquer área. A remuneração inicial é de R$13.067, para uma jornada de trabalho de 40 horas semanais. As vagas devem ser para todo o Brasil, pois é grande a carência de pessoal. A orientação é para que os interessados iniciem os estudos, pois o conteúdo programático costuma ser extenso. No entanto, segundo Lupi, as provas devem ser aplicadas em março, garantindo mais quatro meses de preparação. Os últimos concursos

foram em 2003 e 2006, ambos organizados pela Escola de Administração Fazendária (Esaf). Segundo a coordenadora do Curso de Concursos (especializado na área fiscal), Nelma Alarcon, os concorrentes devem conhecer as seleções anteriores e se dedicarem ao máximo. "Os alunos devem dar atenção a todas as disciplinas, principalmente, Língua Portuguesa, pois esta, diferente das demais, reprova isoladamente os que não alcançarem, no mínimo, 40% dos acertos", avalia, ressaltando que alguns podem ter problemas também com as matérias de Direito. Nas seleções anteriores, os candidatos prestaram três provas objetivas com 60 perguntas cada, mas com pesos diferentes. A primeira avaliação de Língua Portuguesa (20 perguntas), Inglês ou Espanhol (10), Ética na Administração Pública (10), Raciocínio Lógico-Quantitativo (5), Informática (5) e Administração Pública (10). Já a segunda versava sobre Direito do Trabalho (30), Direito Constitucional e Direito Administrativo (15), Direito Civil, Direito Comercial e Direito Penal (15). A última era composta por 50 questões de Segurança e Saúde no Trabalho e dez de Economia do Trabalho e Sociologia. A orientação de Nelma Alarcon é para que os interessados já iniciem os preparativos para alcançarem uma boa colocação. "No último concurso, os candidatos não tinham um grau de conhecimento muito elevado a ponto de terem aproveitamento de 70% e 80%. O primeiro colocado obteve cerca de 287 de 360 pontos", explicou.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->