Você está na página 1de 1

SEGUNDA-FEIRA, 9 DE NOVEMBRO DE 2009

Adeus Luís

Luís, hoje quando decidiste não acordar acho que estavas no teu direito, mas ficámos tristes. Talvez sonhasses com
um pôr de sol como este, lá longe, no Quebec. Tinhas 85 anos, calculo. Uma família numerosa que te adorava e eras
uma pessoa extraordinária. Um dia contaste-me da guerra, do campo na Sibéria, de se ser alemão mas não nazi,
daqueles que chegavam e que tu já sabias que não iam durar; de como maço de malboro foi um dos primeiros sinais
de civilização que vislumbraste depois de deixares o frio do campo. Também havia aquela história de estares febril e
teres dado um valente murro à Manuela, a tua pobre mulher que apenas tentava acordar-te de um sonho mau. Ficou
com os dentes partidos. Eras tio do Herman e possuías o triplo da graça. Eras verdadeiramente um senhor cheio de
humor.
Decidiste ir embora no dia em que morreu a tua primeira mulher. Para alguns pode parecer estranho, eu acho que é
bonito.
Os teus sete filhos aprenderam muito contigo. Quem teve o privilégio de te conhecer também, por isso, bem hajas,
Luis, bem hajas. Um beijo P

Patrícia Reis em http://vaocombate.blogs.sapo.pt/160294.html

Nota de JPR:
O Luis (Ludwig Krippahl) foi e é um dos meus grandes amigos apesar de ter a idade do meu Pai, hesitei em trazer a
este blogue na primeira pessoa as minhas lágrimas no dia em que partiu, pois estou certo que o Senhor o acolherá na
Sua Casa, porque de um ser humano excepcional se tratava. Agradeço à Patricia, minha filha, a sua homenagem que
só hoje tive a oportunidade de ler.