Você está na página 1de 1

Comentário análise apresentada na matriz da Paula Almeida

Paula, escolhi a tua matriz pelo facto de apresentar situações comuns às da BE


da minha escola.
Começo por focar o domínio «Organização e Gestão da BE» onde referes a
inexistência de uma equipa estável. Este é efectivamente um dos grandes problemas
com que se deparam as bibliotecas escolares em geral (creio eu). Todos os anos
solicitamos a colaboração de alguns professores, contudo somos presenteados com
novos nomes, isto é, passamos um ano a preparar colegas que possam assegurar as
rotinas inerentes à BE (como por exemplo o tratamento do fundo documental: registo,
classificação e catalogação) e, no ano seguinte, voltamos a fazer o mesmo trabalho.
Conclusão: não conseguimos ver luz ao fundo do túnel. Trabalho inacabado… Uma
equipa estável poderia fazer toda a diferença na construção de uma biblioteca de
qualidade. A biblioteca como um espaço de aprendizagem e de construção de
conhecimento requer recursos humanos qualificados e capazes de “desenvolver um
trabalho de articulação com toda a comunidade”. É, assim, difícil “gerir no sentido da
optimização dos processos que produzam resultados e impacto na qualidade da BE e
dos serviços que presta”.
Gostaria agora de salientar o domínio «Formação para a leitura e para as
literacias» em que os vários pontos desta análise SWOT apresentam situações paralelas
às da BE da minha escola. Verifica-se uma grande aposta na dinamização de actividades
promotoras da leitura que, no teu caso, envolvem até órgãos autárquicos, mas ainda
pouco investimento na literacia da informação. Este é também um trabalho que só pode
ser desenvolvido com uma equipa bem organizada e com tempo suficiente. Mas o
tempo é, neste momento, um condicionante da nossa actividade, dada a solicitação
constante para tarefas diversificadas, criando em nós uma dispersão permanente e
consequentes angústias.
Por último, um dos aspectos que gostaria ainda de realçar é uma “ameaça” que
afecta de sobremaneira as «competências do professor bibliotecário»: a exagerada
sobrecarga de trabalho. Eu também a assinalei, pois como atrás referi, o excesso de
trabalho com que nos deparamos todos os dias vai ameaçando o nosso desempenho.
Urge por isso fazer uma reflexão sobre as várias dinâmicas e estabelecer prioridades.
Bom e agora bom trabalho!
A formanda
Maria Filomena Alves