Você está na página 1de 2

ESCOLINHA CARACOL

Ano: 2014
Texto: "A Formiguinha e a Neve"
A formiguinha e a neve
Joo de Barro (Braguinha)
Numa certa manh de inverno uma formiga saa para o seu traa!ho di"rio#
J" ia !onge procurar comida $uando um f!oco de neve caiu% prendendo o seu
p&'inho#
Af!ita% vendo $ue a!i poderia morrer de fome e frio% a formiga o!hou para o (o! e
pediu:
) (o!% tu $ue &s to forte% derreta a neve e desprenda o meu p&'inho*
+ o (o!% indiferente% respondeu:
) ,ais forte $ue eu & o muro $ue me tampa#
+nto a pore formiguinha disse:
) ,uro% tu $ue &s to forte% $ue tampa o (o!% $ue derrete a neve% desprenda o
meu pe'inho* + o muro rapidamente respondeu:
) ,ais forte $ue eu & o rato% $ue me r-i#
A formiga% $uase sem f.!ego% perguntou:
) /ato% tu $ue &s to forte% $ue r-i o muro% $ue tampa o (o!% $ue derrete a neve%
desprenda o meu p&'inho*
+ o rato fa!ou em r"pido:
) ,ais forte $ue eu & o gato $ue me come#
A formiga ento perguntou ao gato:
) 0u $ue &s to forte% $ue come o rato% $ue r-i o muro% $ue tampa o (o!% $ue
derrete a neve% desprenda o meu p&'inho*
1 gato responde sem demora:
) ,ais forte $ue eu & o cachorro% $ue me persegue#
A formiguinha estava cansada e% mesmo assim% perguntou ao cachorro:
) 0u $ue &s to forte% $ue persegue o gato% $ue come o rato% $ue r-i o muro%
$ue tampa o (o!% $ue derrete a neve% desprenda o meu p&'inho*
) ,ais forte $ue eu & o homem% $ue me ate#
2ore formiga3 4uase sem for5a% perguntou ao homem:
) 0u $ue &s to forte% $ue ate no cachorro% $ue persegue o gato% $ue come o
rato% $ue r-i o muro% $ue tampa o (o!% $ue derrete a neve% desprenda o meu
p&'inho*
1 homem o!hou para a formiga e respondeu:
) ,ais forte $ue eu & 6eus% $ue tudo pode#
A formiga o!hou para o c&u e perguntou a 6eus:
) 0u $ue &s to forte $ue tudo pode% desprenda o meu p&'inho*
+ 6eus% $ue ouve todas as preces pediu 7 primavera $ue chegasse com seu
carro dourado triunfa! enchendo de f!ores os campos e de !u' os caminhos% e
vendo $ue a formiga estava $uase morrendo% !evou)a para um !ugar onde no
h" inverno e nem vero e onde as f!ores permanecem para sempre#