Você está na página 1de 40

Sexta 25 de Abril 2014

Sexta 25 de Abril 2014 Correio 25 de Abril comemorado em todo o Minho Págs. 14

Correio

25 de Abril comemorado em todo o Minho Págs. 14 a 17
25 de Abril
comemorado
em todo o Minho
Págs. 14 a 17

do Minho.pt

DIRECTOR PAULO MONTEIRO | ANO LXXVII SÉRIE VI N.º 9260 DIÁRIO € 0.85 IVA Inc.

Publicidade

VI N.º 9260 DIÁRIO € 0.85 IVA Inc. Publicidade Publicidade BRAGA MURO DA TRAGÉDIA DÁ LUGAR A

Publicidade

9260 DIÁRIO € 0.85 IVA Inc. Publicidade Publicidade BRAGA MURO DA TRAGÉDIA DÁ LUGAR A MURO DE
BRAGA MURO DA TRAGÉDIA DÁ LUGAR A MURO DE SILÊNCIO UNIVERSIDADE DO MINHO DE LUTO
BRAGA MURO DA TRAGÉDIA DÁ LUGAR A MURO DE SILÊNCIO
UNIVERSIDADE DO MINHO DE LUTO
Págs. 3 a 5
Publicidade
ROSA SANTOS

SEMINÁRIO REALIZADO PELA GTI

Eurodeputados debateram possibilidades de crescimento

José Manuel Fernandes, Nuno Melo, Elisa Fer- reira e Inês Zuber debateram, ontem, ‘O Con- tributo da UE no crescimento e emprego’.

Pág. 8

ROSA SANTOS
ROSA SANTOS
reira e Inês Zuber debateram, ontem, ‘O Con- tributo da UE no crescimento e emprego’. Pág.

Publicidade

reira e Inês Zuber debateram, ontem, ‘O Con- tributo da UE no crescimento e emprego’. Pág.

2 Publicidade

25 de Abril 2014 correiodominho.pt

2 Publicidade 25 de Abril 2014 correiodominho.pt

12correiodominho.pt 25 de Abril 2014

1 de janeiro 2013 correiodominho.pt3

Braga
Braga

“A Universidade do Minho está de luto”

REITOR DA UMINHO reiterou condolências e solidariedade à família das vítimas e colegas de curso. Ressalvou a prontidão dos meios de socorro e diz aguardar pelos resultados do inquérito que está a ser conduzido pelas autoridades judicias e policiais.

UMINHO

| Paula Maia |

O reitor da Universidade do Mi-

nho (UMinho), António Cunha, enalteceu a “prontidão” no so- corro às vitimas da queda de um muro que na passada quarta-fei- ra vitimou três estudantes do primeiro ano da Licenciatura de Engenharia de Informática, dei- xando outros quatro feridos sem gravidade. Naquela que foi a primeira de- claração pública após o trágico acidente ocorrido na Rua de Vi- lar, uma zona residencial, Antó- nio Cunha ressalvou também a disponibilidade dos grupos da UMinho envolvidos no proces- so, nomeadamente da Escola de

Psicologia, que desde a noite do acidente está a prestar apoio a familiares e colegas dos estu- dantes falecidos, assim como do grupo de Engenharia Civil que integrou a equipa responsável por efectuar peritagem na zona do acidente. “A Universidade do Minho es-

tá de luto”, prosseguiu o reitor,

comungando de um sentimento que é dominante entre todos os elementos a integram, reiterando as condolências às famílias das vítimas, assim como dos seus colegas, amigos ou outras pes- soas que lhes são próximas. Questionado sobre as possíveis causas deste acidente e se o mes- mo está relacionado com activi-

deste acidente e se o mes- mo está relacionado com activi- ROSA SANTOS Reitor comunga o

ROSA SANTOS

Reitor comunga o sentimento que dominia por estes dias a comunidade estudantil da Unniversidade do Minho

dades de praxe, o reitor da UMi- nho, respondeu que é necessário esperar pelos resultados do in- quérito que está a ser conduzido

pelas autoridades judicias e poli- ciais. “Esperamos pelo fim desse inquérito para saber o que exa- ctamente aconteceu, as circuns- tâncias em que esta tragédia ocorreu”, diz o reitor. Em rela- ção a um eventual contexto de praxe o reitor limitou-se a dizer que a universidade “condena, re- jeita e proíbe qualquer tipo de práticas que não estejam de

acordo com o seu código de va- lores e de conduta ética”. No que diz respeito à suspen- são das actividades lectivas na sequência da tragédia, António Cunha admitiu que, se aconte- cer, se restringirá ao curso que frequentavam as vítimas do aci- dente. No que toca aos festejos do Enterro da Gata, marcada pa- ra a segunda semana de Maio, António Cunha diz que é neces- sário “esperar o que vai aconte- cer relativamente aos funerais das vítimas que ainda não tem

data marcada”, lembrando, no entanto, que os festejos são da responsabilidade da associação académica e cabe a ela tomar de- cisões sobre esse assunto. “Na- turalmente do lado da reitoria não haverá nenhuma associação a eventuais manifestações desse tipo”, prossegue. Para já estão, por ordem do Ca- bido de Cardeais da UMinho que decretou luto académico, es- tão suspensas “por tempo inde- terminado” qualquer tipo de pra- xes da universidade.

+ mais

Uma ‘guerra de cursos’ acabou em tragédia na

passada quarta-feira. Três estudantes da LEI subiram

a um muro com cerca de

dois metros de altura, na Rua de Vilar, num momen-

to em que festejavam a ‘vi- tória’ numa praxe com o curso de Medicina. O mu- ro, que apresentava sinais visíveis de degradação, ruiu e acabou por provocar

a morte a três estudantes daquele curso, ferindo outros quatro.

Nuno Ramalho, de 21 anos

e natural de Braga; Vasco Rodrigues, de 19 anos

natural de Ribeira de Pena

e João Pedro Vieira,

natural do Porto são as vítimas mortais. Os feridos, que deram entrada no serviço de urgência do Hospital de Braga com ferimentos ligeiros, receberam alta hospitalar já na manhã de ontem.

Publicidade

urgência do Hospital de Braga com ferimentos ligeiros, receberam alta hospitalar já na manhã de ontem.

4 Braga

25 de Abril 2014 correiodominho.pt

4 Braga 25 de Abril 2014 correiodominho.pt

Muro da tragédia dá lugar a um muro de silêncio

CENTENAS DE ESTUDANTES participaram ontem numa vigília de homenagem às três vítimas que morreram quarta-feira. O palco inicial foi a estátua do Prometeu mas, posteriormente, os estudantes seguiram para o local onde se deu a tragédia.

UMINHO

| Paula Maia|

Centenas de alunos da Universi- dade do Minho participaram on- tem numa vigília de homenagem aos três alunos da Licenciatura em Engenharia de Informática (LEI) que morrerem na passada quarta-feira, na sequência da queda de um muro na Rua de Vi- lar. A estátua do Prometeu foi o palco inicial desta homenagem, um lugar simbólico para os estu- dantes da academia minhota e, especialmente, para os alunos da LEI que habitualmente ali parti- cipavam em acções de praxe. Decorridos alguns minutos, ru- maram para junto do local onde decorreu a tragédia, depositando flores, velas, t-shirts, homena- geando aqueles que ali perderam a vida. Neste acto simbólico, que de- correu debaixo de uma chuva in- tensa, imperou o silêncio. Visi- velmente consternados e incré- dulos com o sucedido, os estu- dantes da UMinho, e em espe- cial, os colegas de curso das víti- mas, não proferiram quaisquer palavras, optando pelo silêncio somente interrompido pelas lá-

optando pelo silêncio somente interrompido pelas lá- ROSA SANTOS Carlos Videira coloca uma coroa de flores

ROSA SANTOS

Carlos Videira coloca uma coroa de flores junto ao local do acidente. Ao lado, um dos feridos da tragédia, André Ferreira

grimas que teimavam em cair no rosto de muitos dos presentes. “Não há palavras para descre- ver o que se sente. Parece menti- ra”, dizia uma das alunas presen- tes. É este sentimento de increduli- dade que domina também os es- tudantes minhotos A maioria conhecia bem o local de passa-

gem obrigatória e palco de mui- tas brincadeiras. Ninguém esperava esta tragé- dia. Quem assistiu de perto, guarda na memória momentos de pânico, como é o caso de Fili- pe Silva, aluno do 3.º ano de Línguas Aplicadas que, na altura do acidente, estava sentado nu- ma esplanada mesmo em frente

ao local. O aluno confirma que as víti- mas participaram numa ‘guerra de cursos’ juntamente com estu- dantes do primeiro ano do curso de Medicina. Na denominada ‘guerra de cursos’ ganha quem canta mais alto e será isso preci- samente o que aconteceu, de acordo com Filipe Silva. Vito-

+ mais

Carlos Videira, presidente da Associação Académica da Universidade do Minho, também se associou a esta vigília. Aliás, o represen- tante dos estudantes minhotos tem estado, desde a primeira hora, junto das famílias e, principalmente, dos colegas dos alunos que perderem a vida. Ontem, Carlos Videira colocou uma coroa de flores junto ao local onde jazem agora os destroços de um muro fatal.

riosos, os alunos de LEI subi- ram ao muro para festejar, fes- tejos acabariam por provocar a sua queda e, consequentemen- te, a morte de três dos partici- pantes. “Importa esclarecer que ‘guer- ra de cursos’ não é uma batalha campal”, diz o aluno de Línguas Aplicadas confirmando ainda que foram três os alunos de LEI que subiram ao muro. “Ao contrário do que já foi di- to, não estavam a saltar. Esta- vam simplesmente em cima de- le, aos gritos a dizerem ‘já gan- hamos, já ganhamos’”. Confirmando que estas mortes ocorreram em contexto de praxe, fora das instalações da academia minhota, Filipe Silva confirma ainda que este não foi um acto resultante de qualquer ordem de quem estava a praxar. “Também foram atingidos os praxantes”, remata do estudante.

LPublicidade

GABINETE DE ENGENHARIA
GABINETE DE ENGENHARIA

GABINETE DE ENGENHARIA

CLASSE ENERGÉTICA

GABINETE DE ENGENHARIA CLASSE ENERGÉTICA CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA AVALIAÇÃO ACÚSTICA PEÇA JÁ O SEU CERTIFICADO
GABINETE DE ENGENHARIA CLASSE ENERGÉTICA CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA AVALIAÇÃO ACÚSTICA PEÇA JÁ O SEU CERTIFICADO
GABINETE DE ENGENHARIA CLASSE ENERGÉTICA CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA AVALIAÇÃO ACÚSTICA PEÇA JÁ O SEU CERTIFICADO

CERTIFICAÇÃO

ENERGÉTICA

AVALIAÇÃO ACÚSTICA

ENERGÉTICA CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA AVALIAÇÃO ACÚSTICA PEÇA JÁ O SEU CERTIFICADO ENERGÉTICO DESDE 80 € *

PEÇA JÁ O SEU CERTIFICADO ENERGÉTICO

DESDE 80*

ENTREGA EM 3 DIAS ÚTEIS

*Acresce o valor do IVA e Taxa Adene

Contactos: www.sipc.pt – email: info@sipc.pt – Tlf./Fax: 253 926 462 – Tlm: 934 028 523

Contactos: www.sipc.pt – email: info@sipc.pt – Tlf./Fax: 253 926 462 – Tlm: 934 028 523

VAMOS INICIAR FORMAÇÃO: MOTORISTA DE TRANSPORTE COLECTIVO DE CRIANÇAS; SEGURANÇA NA CONDUÇÃO DE EMPILHADORES;
VAMOS INICIAR FORMAÇÃO:
MOTORISTA DE TRANSPORTE
COLECTIVO DE CRIANÇAS;
SEGURANÇA NA CONDUÇÃO
DE EMPILHADORES;
INSCREVA-SE

correiodominho.pt 25 de Abril 2014

Braga 5

correiodominho.pt 25 de Abril 2014 Braga 5

Peritagem aos escombros arrancou na manhã de ontem

PROCESSO está a ser conduzido por elementos de Departamento de Engenharia da Universidade do Minho em colaboração com os serviços da autarquia. Ricardo Rio diz que a câmara nunca recebeu qualquer notificação sobre o eventual mau estado do muro.

UMINHO

| Paula Maia |

A peritagem aos escombros do muro que ruiu na passada quar- ta-feira tiveram início na manhã de ontem, informou o presidente da autarquia bracarense. Segundo Ricardo Rio, o objec- tivo é averiguar as causas que poderão ter estado na origem do colapso. A peritagem está a ser desen- volvida por elementos do Depar- tamento de Engenharia da Uni- versidade do Minho com a cola- boração “directa e continua” com os serviços da autarquia lo- cal. O autarca reiterou que não ter chegado à câmara “qualquer no- tificação” sobre o eventual mau estado do muro. “Estiveremos a verificar e, até ao momento, não havia nenhu- ma comunicação de situação de risco. Não houve numa comuni- cação para a câmara de Braga

nesse sentido, desde que assumi- mos funções”, prossegue o au- tarca, acrescentando que, no dia do acidente, responsáveis que estiveram no local afirmaram também nunca terem sido alerta- dos para tal facto. Em causa está um muro cons- truído expressamente para servir de suporte a caixas de correio e essas caixas já estão desactiva- das há muito tempo. Várias imagens mostram o mu- ro já com uma ligeira inclinação. Ricardo Rio disse ainda “haver dúvidas” sobre a propriedade do muro, uma questão que está a ser analisada pelos serviços munici- pais. Recorde-se que, na passada quarta-feira, alguns estudantes terão subido ao muro, que aca- bou por ruir sobre outros alu- nos que estariam na base do mesmo. As circunstâncias do acidente estão a ser investigadas pelas au- toridades policiais e judiciais.

ser investigadas pelas au- toridades policiais e judiciais. ROSA SANTOS Local dos escombros está vedado ao

ROSA SANTOS

Local dos escombros está vedado ao público

§breves

PS Concelhia solidária com as famílias UMinho e AAUM

A concelhia de Braga do PS ma-

nifesta as mais sinceras condo-

lências às famílias dos três estu- dantes da UMinho que tragica- mente perderam a vida, da mes- ma forma que presta solidarie- dade à Universidade do Minho e

à Associação Académica.

Hoje Funerais decorrem hoje em S. Lázaro e S. Victor

Os funerais de duas das vítimas decorrem hoje em duas fregue- sias do concelho. As cerimónias fúnebres de João Pedro Vieira está marcado para as 15 horas, na igreja de S. Victor. Na igreja de S. Lázaro decorre, pelas 16 horas, as cerimónias fúnebres de Nuno Ramalho.

Comunicado Cabido suspende praxes por “tempo indeterminado”

O Cabido de Cardeais da UM

decretou luto académico, o que implica a suspensão imediata de qualquer tipo de praxe “por tempo indeterminado”.

§reacções

Condolências

Conselho Geral da Universidade do Minho

O Conselho Geral da UMinho, presidido por Laborinho Lúcio, assim como to-

dos os membros que o integram apresentam às famílias das vítimas as suas mais sentidas condolências.

Solidariedade

Provedoria do Estudante associa-se “ao enorme movimento de sofrimento”

Também o Provedor do Estudante, presidido por António Paisana, associa- se ao“enorme movimento de sofrimento e de solidariedade”para com as fa- mílias e amigos dos estudantes vítimas do acidente. O Provedor apresenta as condolências às famílias “neste momento de grande tristeza” que o é também para toda a comunidade estudantil.

Auxílio

Sp. de Braga disponibiliza ajuda às famílias das vítimas

O Sporting de Braga apresenta também “as mais sentidas condolências às

famílias das vítimas que invade de tristeza e dor toda a cidade e o país” e disponibiliza-se para para prestar o auxílio que se entenda necessário às fa- mílias enlutadas.

Publicidade

® Estão abertas inscrições para: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES Início: 07 de Maio de
®
Estão abertas inscrições para:
FORMAÇÃO
PEDAGÓGICA INICIAL
DE FORMADORES
Início: 07 de Maio de 2014
Horário das 20.00h às 23.00h
Inscrições e Informação na Nexus, Lda
Av.ª 31 de Janeiro, nº417– 4710-252 Braga
Telef. 253 261 222 nexus@nexus.pt
www.nexus.pt - www.nexus.pt

6 Braga

25 de Abril 2014 correiodominho.pt

6 Braga 25 de Abril 2014 correiodominho.pt

Linha de Braga cativa visitas com preços especiais

VIR ATÉ BRAGA, de comboio e a baixo custo, e ter ainda a possibilidade de visitar museus e degustar da sua gastronomia a metade do preço são mais do que bons motivos para aproveitar ‘a boleia’ no próximo fim-de-semana.

para aproveitar ‘a boleia’ no próximo fim-de-semana. DR António Barroso, da CMB, Domingos Barbosa, da ACB

DR

António Barroso, da CMB, Domingos Barbosa, da ACB e Fernando Moreira, da CP, apresentaram campanha para este fim-de-semana

ACB

| Marta Caldeira |

Vir até Braga de comboio, pas- sear pelo seu património e des- frutar dos seus restaurantes em género low coast e, no final, ain- da ter dinheiro de sobra para fa- zer umas comprinhas pelo maior centro comercial ao ar livre do país é a proposta da Associação Comercial de Braga, Câmara Municipal e da CP para o próxi- mo fim-de-semana. O objectivo é só um: atrair mais turistas à ci- dade, dando-lhes bons motivos para uma visita. Neste fim-de-semana, uma via- gem na Linha de Braga, de ida e volta, vai custar apenas dois eu- ros e quem tiver na sua posse o bilhete de comboio basta apre- sentá-lo para poder desfrutar gratuitamente da visita aos mu- seus da região, desde o Museu D. Diogo de Sousa, ao Museu dos Biscaínhos, Museu Pio XII e da Sé, o Núcleo do Museu Fer- roviário de Lousado (Famali- cão), entre outros espaços cultu- rais. Mas não só. Quem apresentar este mesmo bilhete em vários espaços de restauração de Braga pode aproveitar a campanha es- pecial de 50 por cento de des- conto - ou seja, almoçam ou jan- tam dois e paga apenas um (ver a lista completa dos restaurantes

no site da CP ou da ACB). Ainda no âmbito desta campa- nha, no fim-de-semana de 28 e 29 de Maio haverá ofertas de viagens de comboio aos alunos da região. “A cidade de Braga tem que se afirmar, cada vez mais, um espa- ço privilegiado de turismo e la- zer”, assinalou Domingos Bar- bosa, presidente da ACB, apontando para o importante pa- pel da CP ao nível dos serviços que presta à população desta re- gião. Domingos Barbosa deixou, no entanto, um apelo à CP para que tenha nos seus planos a possibi- lidade de “uma ligação mais rá- pida entre o Porto e Braga, no sentido de melhor servir as em- presas e os profissionais” que to- dos os dias utilizam ou gosta- riam de utilizar este meio de transporte nas suas deslocações. Ainda ao nível de ligações, o presidente da ACB defende, ain- da, que “uma ligação ao aero- porto Francisco Sá Carneiro é fundamental para a economia a Norte do Porto poder desenvol- ver-se” - “este é um problema ao qual não tem sido dada a impor- tância merecida, pois não é pos- sível criar mais empresas e mais emprego se não existirem as me- lhores condições de acessibilida- des”. Fernando Moreira, represen-

tante da CP que ontem partici- pou na apresentação desta cam- panha promocional conjunta, re- feriu que a Linha de Braga assume importância crucial já que, só em 2013, registou 4,3

milhões de passageiros - um flu- xo aue tem vindo a crescer há vários anos e que este ano já cresceu também na ordem dos sete por cento.

O responsável da CP indica

que Braga é visto como um dos espaços a visitar para qualquer turista que passe pelo Porto, apontando, ainda, para “a grande

satisfação dos clientes” que uti- lizam a Linha de Braga - tal co- mo atesta um estudo realizado em 2012, considerando que “Braga está bem servida em ter- mos de oferta ferroviária”.

A representar a CMB esteve

António Barroso, que caracteri- zou esta campanha “como um desafio interessante para todos fazerem a amigos e familiares e usufrurir das suas excelentes ofer- tas”. “A mobilidade é para nós muito importante e tudo o que for possível para reforçar e melhorar as ligações é muito

bem-vindo”, disse o represen- tante da autarquia bracarense, apontando muito brevemente para a linha turística que vai ligar a cidade e os caminhos- -de-ferro” - mais uma aposta pa- ra atrair turistas a Braga.

Sector na cerâmica

AIMinho e sindicato acordam aumento salarial

AIMINHO

| Redacção |

O aumento dos salários e do

subsídio de refeição são algu-

mas das alterações firmadas no acordo entre a Associação In- dustrial do Minho e o Sindica-

to Independente do Sector da

Cerâmica, tendo em conta a

evolução da inflacção, da pro- dutividade, bem como da si- tuação económica específica

do sector.

Para o ano de 2014 haverá um aumento de 1,5% sobre os

salários compreendidos entre

os grupos 1 e 3 e o aumento de

2,25% sobre os salários verti- dos nos restantes grupos evi-

denciados na última conven-

ção, publicada no Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 47, de

22 de dezembro de 2012. Os trabalhadores abrangidos pelo presente Contrato Colec- tivo de Trabalho terão um sub- sídio de refeição no valor de

€3,50 (mais 50 cêntimos). Com estas alterações, “a AI- Minho, num trabalho conjunto com as empresas do sector, responde a uma preocupação para melhorar as condições dos trabalhadores do sector da cerâmica, mas também de po- tenciar a competitividade das empresas”, defendeu António Marques, presidente da AIMi- nho.

defendeu António Marques, presidente da AIMi- nho. DR Manuel Barros, do IPDJ, foi convidado do Soho,

DR

Manuel Barros, do IPDJ, foi convidado do Soho, junto com a EPATV

Manuel Barros, do IPDJ, foi convidado do clube

Programa Garantia Jovem

apoia emprego após formação

SOHO

| Redacção |

O delegado regional do Norte

do Instituto Português da Ju-

ventude, Manuel Barros disse, anteontem, em Braga que o

Plano Nacional de implanta- ção de uma Garantia Jovem, lançado pelo governo, vai ga- rantir que jovens com menos

de 30 anos beneficiam de uma

oferta de emprego, formação,

educação ou estágio, no prazo

de quatro meses após terem fi-

cado desempregados ou saído

do ensino formal.

“Cada um dos países da União Europeia comprometeu-se a, no início de 2014 e no prazo de dois anos, criar um programa dirigido aos jovens até aos 29 anos, que reúna as medidas já existentes, criando um ecossis-

tema integrado de fomento do

emprego e do empreendedoris- mo”, afirmou.

Manuel Barros falava no Clu- be de Negócios, Soho, durante um pequeno almoço de traba- lho que juntou empresários e responsáveis escolares da re- gião e que foi coordenado por António Santos, presidente do clube. O responsável sublinhou que o Garantia Jovem vem substi- tuir, o programa Impulso Jo- vem já criado pelo actual go- verno – e que garantiu 67 por cento de empregabilidade aos jovens estagiários - frisando que envolve quer os institutos do Emprego e da Juventude, quer as associações empresa- riais, sindicais, da juventude, bem como escolares e das uni- versidades.

correiodominho.pt 25 de Abril 2014

Braga 7

correiodominho.pt 25 de Abril 2014 Braga 7

Pensar Abril: 40 anos depois, clarificando o legado

A PROPOSTA partiu da Esprominho: colocar quatro testemunhos de diferentes quadrantes da sociedade a ‘Pensar Abril: 40 anos depois, clarificando o legado’.

a ‘Pensar Abril: 40 anos depois, clarificando o legado’. ROSA SANTOS José Manuel Fernandes na conferência

ROSA SANTOS

José Manuel Fernandes na conferência ‘Pensar o 25 de Abril: 40 anos depois, clarificando o legado’ ontem no auditório da Esprominho

ESPROMINHO

| Isabel Vilhena|

‘Pensar o 25 de Abril: 40 anos depois, clarificando o legado’ foi o mote proposto na conferência realizada ontem no auditório da Esprominho - Escola Profissio- nal do Minho. O painel de oradores contou com testemunhos diversificados como de um militar, Gil das Ne- ves, o eurodeputado José Ma- nuel Fernandes, a sindicalista da UGT, Helena Ferreira e o músi- co Daniel Pereira. Numa autêntica lição de histó- ria, Gil das Neves contou a sua

experiência como militar antes e depois do 25 de Abril de 1974. “Se eu pudesse decidir o 25 de Abril era todos os dias para toda da gente, jamais voltarei a ver o dia em que havia milhares, se- não milhões de gente na rua, e só por isso resultou o 25 de Abril. A revolução dos cravos não é um movimento de monopólios, não tem donos que não seja o país, que não seja o povo. Foi maravi- lhoso fazer-se esse movimento militar que não teve necessidade de matar ninguém. Foi uma re- volução pacífica que surgiu das forças armadas para o povo para estabelecer coisas tão belas co-

mo a democracia, o poder do po- vo”. Dirigindo-se a uma plateia re- pleta de jovens, Gil das Neves deixou-lhes uma mensagem de esperança e perseverança peran- te as adversidades, frisando que este é o principal legado do 25 de Abril. “Tudo vale a pena. Pro- curem ser profundamente os me- lhores. Pensem no 25 de Abril como uma sociedade de emanci- pação. O 25 de Abril não tem li- mite, termina na coragem e no vigor de cada um de nós. Até- sempre!”. O eurodeputado José Manuel Fernandes frisou a importância

“Não há liberdade se não formos responsáveis. O peso da dívida que nos colocaram em cima das costas, retirou-nos liberdade e se não formos responsáveis e não aliviarmos essa carga, estamos a comprometer as gerações futuras e até a actual”, vincou o eurodeputado José Manuel Fernandes.

dos valores da paz e da solida- riedade que estão subjacentes aos valores da construção da União Europeia. Sobre a maior conquista de Abril que foi a li- berdade, o eurodeputado subli- nhou que a liberdade representa também a obrigação de sermos responsáveis e sermos solidá- rios. Esta liberdade representa um estado de direito. Represen- ta a obrigação de diminuirmos as desigualdades sociais e ter- ritoriais. Abril é a promoção da dignidade humana, da paz, da solidariedade, da partilha e também de valores de cons- ciência ambiental e de de parti- cipação cívica de cada cida- dão”. Helena Ferreira, secretária exe- cutiva da UGT (União Geral dos Trabalhadores), falou da impor- tância do movimento sindical na defesa dos direitos dos trabalha- dores. “O desemprego está a ser alvo de sangue-sugas que procu- ram que os trabalhadores este- jam despojados de qualquer apoio e, nesse sentido torna-se necessário levar estes jovens à consciência e importância da unidade dentro da classe. É fun- damental para que estejam pro- tegidos e tenham um trabalho digno”. A música teve um papel decisi- vo na revolução de Abril. Na coferência de ontem o músico Daniel Pereira destacou a im- portância da música para ex- pressar as ideologias. “Como músico tenho de ter essa vontade de gritar bem alto aquilo que me vai na alma e, acima de tudo, mostrar a esta jovem plateia que tudo depende deles e nao dos outros. E esta liberdade que foi conquistada com a revolução de Abril só depende de nós e que perdure para sempre se possí- vel”. A força da música de Zeca Afonso e um tema original de Daniel Pereira, conquistou a pla- teia que acompanhou o músico numa parte das letras de inter- venção que muitas delas ainda permanecem actuais.

Publicidade

que acompanhou o músico numa parte das letras de inter- venção que muitas delas ainda permanecem

8rreiodominho.pt 8 Braga 6 de Junho 2013

25 de Abril 2014 correiodominho.pt Braga 13

VOZ ao Consumidor

 

Carlos Malheiro*

Eurodeputados debateram possibilidades de crescimento

‘O CONTRIBUTO DA UE no crescimento e emprego’ foi o tema ontem debatido por José Manuel Fernandes, Nuno Melo, Elisa Ferreira e Inês Zuber, no âmbito do seminário promovido pela GTI.

 
 

Fundo de Garantia Automóvel (FGA)

Entidade que garante o paga- mento das indemnizações por danos corporais e materiais re- sultantes de acidentes de viação causados por veículos matricu- lados em Portugal que não te- nham, à data do acidente, o se- guro obrigatório necessário.

ROSA SANTOS

ROSA SANTOS

Para que serve o Fundo de Garantia Automóvel?

O

Fundo de Garantia Automóvel

(FGA) garante, entre outros ca- sos, a reparação dos danos corporais e materiais resultantes de acidentes de viação ocorridos em Portugal, quando o respon- sável pelo mesmo seja desco- nhecido ou, sendo conhecido, não tenha cumprido a obrigação de celebrar o seguro de respon- sabilidade civil automóvel, nos seguintes termos:

- Tratando-se de danos corpo- rais, o FGA satisfaz as indemni- zações devidas quando o respon- sável pelo acidente seja desco- nhecido ou, sendo conhecido não tenha cumprido a obrigação de celebrar o seguro de respon- sabilidade civil automóvel; - Tratando-se de danos mate-

riais, o FGA satisfaz as indemni- zações devidas quando o respon- sável pelo acidente seja conheci- do e não tenha cumprido a obri- gação de celebrar o seguro de responsabilidade civil automó- vel;

Nuno Melo, Elisa Ferreira, o moderador João Luís Sousa, Inês Zuber e José Manuel Fernandes

 

SEMINÁRIO

no país em geral, e na arquidio- cese de Braga em particular. Na sua intervenção, José Ma- nuel Fernandes relembrou que “o emprego, inovação, educa-

ção, inclusão social e clima” são as actuais prioridades da UE. Relativamente aos fundos para 2014-2020, José Manuel Fer- nandes afirmou que são efecti- vamente inferiores aos de 2007- -2013, mas no caso do Norte ve- rifica-se um aumento de cerca de 20%. Tudo isto mostra que os recursos estão disponíveis, só é necessário saber utilizá-los. “Não podemos usar esses recur- sos para projectos megalóma- nos, em investimentos que só vão gerar despesa e não riqueza.

deroso que é o Investimento Ter- ritorial Integrado, o qual permite juntar os vários actores de cada comunidade intermunicipal, as autarquias, universidades, asso- ciações empresariais para que em conjunto decidam o que que- rem e para irem buscar fundos não só aos Programas Operacio- nais Regionais, como também aos Programas Operacionais Na- cionais”, referiu José Manuel Fernandes, acrescentando que “a defenição do que queremos para cada território é urgente, para que em seguida os regulamentos em execução suportem o que pretendemos”. Entretanto, uma das questões mais abordadas por Nuno Melo

longo dos anos por diversas ra- zões”, afirmou a eurodeputada. A questão da moeda única este- ve também em cima da mesa, e para Elisa Ferreira esta deve ser repensada, pois foi criada tendo por base “a ilusão de que tudo estava bem. Ao primeiro abalo dos mercados financeiros os paí- ses mais frágeis mostraram as suas debilidades”, referiu. Para a eurodeputada este é um dos as- pectos a ser repensado, mas existe uma série de mudanças que precisam ser feitas “se que- remos que a Europa sobreviva”. “É preciso reequilibrar a agenda europeia, é preciso combater a fraude e evasão fiscal, não pode- mos ter um sector financeiro sem regras. Se queremos que a Europa sobreviva temos de refa- zer a nossa agenda mundial. Há mudanças radicais que têm de ser feitas”, frisou. Note-se que este seminário foi moderado por João Luís Sousa, director do jornal ‘Vida Econó- mica’, sendo que a sessão de abertura esteve a cargo do arce- bispo primaz D. Jorge Ortiga, que falou sobre a ‘Arquidiocese de Braga: Emprego para todos’, e de António Marques, presiden- te da AIMinho, que abordou a temática ‘A competitividade das empresas do Minho’.

| Libânia Pereira |

José Manuel Fernandes, Nuno Melo, Elisa Ferreira e Inês Zu- ber juntaram-se ontem para dis- cutir ‘O contributo da União Eu- ropeia no crescimento e empre- go’. Os quatro eurodeputados falaram sobre os diversos pro-

Em determinadas situações, o

FGA satisfaz as indemnizações devidas por danos materiais quando o responsável é desco- nhecido, nomeadamente quan- do, em simultâneo, existem da- nos corporais significativos, quando o veículo causador do acidente tenha sido abandonado no local do acidente e a autori- dade policial confirme a sua pre- sença no respetivo auto de noti- cia ou nos casos em que a prova existente não deixe dúvidas quanto à matricula do veículo causador do acidente. Os responsáveis por aciden- tes de viação que não te- nham cumprido a obrigação de celebrar o seguro de res- ponsabilidade civil automó- vel ficam obrigados a reem- bolsar, com juros, as indem- nizações satisfeitas pelo FGA.

-

* Conselheiro de Consumo do Centro de Informação Autárquico ao Consumidor de Braga – CIAC de Braga

gramas promovidos pela União Europeia (UE), dos fundos euro- peus, assim como das alterações de que a UE foi alvo ao longo dos tempos. Aspectos positivos e negativos foram assim apre- sentados, mas, segundo José Manuel Fernandes, existem re- cursos que podem trazer benefí- cios para o país se forem devida- mente aproveitados, sendo que para o eurodeputado ainda “existe solidariedade na UE, e esta continua a ser a Europa de Schuman”. “Só teremos força com mais Europa, com mais so- lidariedade e não com o orgu- lhosamente sós”, defendeu o eu- rodeputado minhoto. Promovido pela GTI - Gestão, Tecnologia e Inovação SA, o se- minário, que decorreu na tarde de ontem no auditório Vita, foi organizado com o propósito de reflectir sobre os contributos da UE para o crescimento sustentá- vel e para a criação de emprego

É

isso que não podemos acei-

e Inês Zuber foi a necessidade de aumentar as exportações e substituir as importações. Inês Zuber sublinhou inclusive que

tar”, vincou. Ainda no seu discurso, José

Manuel Fernandes defendeu que

a

agricultura deve ser encarada

“a enorme dependência agro-ali- mentar do nosso país não se jus- tifica”, e que a desindustrializa- ção em Portugal foi um erro. Por sua vez, Elisa Ferreira ex- plorou as muitas mudanças pelas quais a UE foi passando ao lon- go dos tempos, sendo que “hoje temos uma UE bem diferente daquela a que aderimos. Esta Europa já não tem nada a ver com aquela que nos ajudava e nos protegia, pois ela mudou ao

como “um sector estratégico” para Portugal, um meio para “aumentar exportações e dimi- nuir importações”. A questão da coesão territorial foi também destacada por José Manuel Fernandes, o qual vê aqui um ponto importantíssimo. “É fundamental que o país defi- na o que pretende, que cada re- gião defina o que quer. Existe um instrumento novo muito po-

12correiodominho.ptBraga

25 de Abril 2014

6 de Junho 2013 correiodominho.ptBraga 9

12 correiodominho.ptBraga 25 de Abril 2014 6 de Junho 2013 correiodominho.ptBraga 9

BragaDecor mostra tendências de mobiliário e decoração

FEIRA DEDICADA AO SECTOR DO MOBILIÁRIO, DECORAÇÃO E DESIGN abre hoje portas na grande nave do parque de Exposições de Braga. Certame prolonga-se até 4 de Maio.

PEB

| Marlene Cerqueira|

No Parque de Exposições de Braga (PEB) abre portas, hoje, pelas 14.30 horas, a quarta edi- ção da BragaDecor, feira dedi- cada ao sector do mobiliário, decoração e design. Organizado pela Best Events, o certame reúne este ano cerca de quatro dezenas de expositores directos, que ocupam toda a área de grande nave.”Este é um even-

to direccionado para todos aque-

les que procuram soluções para mobilar, decorar ou remodelar a sua habitação e promete ser uma oportunidade para ficar a par das tendências actuais do sector”, re- feriu Jorge Ferreira, da Best Events, ontem, na conferência de imprensa de apresentação desta feira. O responsável realçou ainda que este certame é, para as em- presas presentes, um meio privi- legiado para fomentar as vendas

no mercado nacional. “O certa- me tem também por objectivo proporcionar às empresas pre- sentes a oportunidade de dispor de um meio de excelência que possibilita a realização de negó- cios na tentativa de combater as dificuldades actuais de merca- do”, salientou. Uma das novidades deste ano é o facto de a feira contemplar uma exposição de pintura. ‘Do outro lado’ é a mostra que reúne telas de Carlos Amoedo.

Como é habitual nas iniciativas da Best Events, os visitantes ha- bilitam-se a prémios. Desta vez vai ser sorteada uma consola de hall oferecida pela JG Mobiliá- rio e um vale de 500 euros para consumir em produtos na Sofás Zone. O ingresso custa dois euros, mas pode ser “descarregado” através da página da Best Events na internet. Devidamente preen- chido dá acesso gratuito ao evento.

+ inauguração

O certame abre portas às 14.30 horas para o público em geral, sendo que a inauguração oficial está agendada para as 16 horas, contando com a presença do presidente da câmara, Ricardo Rio, e dos presidentes da Associação Comercial de Braga, Domingos Macedo Barbosa, e da Associação Industrial do Minho, António Marques. Marca igualmente presença Humberto Carlos, administrador executivo da Invest Braga.

Humberto Carlos, administrador executivo da Invest Braga. DR Evento foi apresentado ontem à comunicação social

DR

Evento foi apresentado ontem à comunicação social

Humberto Carlos

Invest Braga reforça parceria com Best Events

BRAGADECOR

| M.C. |

Humberto Carlos afirmou on- tem que a Invest Braga tem to- do o interesse “em reforçar e fortalecer” a parceria com a Best Events. No caso concreto da Braga Decor, o administra- dor executivo da Invest Braga

§PEB

realçou que é o evento de maior

duração que o PEB recebe du- rante este ano de 2014. “Este é um evento de relevo, desde logo porque abarca dois sectores: o do comércio e o da indústria e a Invest Braga pro- cura dinamizar todos os secto- res de actividade económica”, acrescentou.

Até 4 de Maio

Certame funciona com vários horários

A BragaDecor terá as portas abertas em horários diferenciados de acordo com os dias da semana. Aos sábados, abre as 14.30 e encerra às 23 horas. Aos domingos e feriados abre às 14.30 e fecha às 20 horas. Nos restantes dias (de segunda a sexta), as portas abrem às 18.30 horas e fecham às 23.

Publicidade

fecha às 20 horas. Nos restantes dias (de segunda a sexta), as portas abrem às 18.30

correiodominho.pt10 Braga

6 de Junho 2013

25 de Abril 2014 correiodominho.ptBraga 13

correiodominho.pt 10 Braga 6 de Junho 2013 25 de Abril 2014 correiodominho.ptBraga 13

Braga vai erguer estátua a antigo arcebispo Bartolomeu dos Mártires

A ARQUIDIOCESE DE BRAGA vai assinalar os 500 anos do nascimento do Beato D. Frei Bartolomeu dos Mártires. Uma celebração que servirá para suscitar a devoção de um dos mais importantes arcebispos.

COMEMORAÇÕES

| Isabel Vilhena |

O Municipio de Braga vai erguer

uma estátua a um dos mais im- portantes arcebispos de Braga, D. Frei Bartolomeu dos Márti-

res. A estátua vai ser colocada no Largo de S. Paulo, substituindo a de D. João Peculiar que vai ser recolocada no Largo com o mesmo nome do arcebispo, jun-

to à Sé de Braga.

O anúncio foi feito ontem por

Ricardo Rio, presidente da Câ- mara Municipal de Braga, na conferência de imprensa de apresentação do programa co- memorativo dos 500 anos do nascimento do Beato D. Frei Bartolomeu dos Mártires.

O edil apresentou este novo

monumento integrado numa es- tratégia mais global do municí- pio que passa pela valorização de figuras insignes da cidade. “Há uma clara falta de reconhe- cimento a muitas figuras ilustres da nossa cidade o que se traduz no facto de não existirem muitos monumentos públicos evocati-

facto de não existirem muitos monumentos públicos evocati- ROSA SANTOS Apresentação do programa comemorativo dos 500

ROSA SANTOS

Apresentação do programa comemorativo dos 500 anos do nascimento do Beato D.Frei Bartolomeu dos Mártires

vos dessas mesmas figuras. Da mesma forma que hoje vamos prestar tributo a um representan- te da sociedade civil, Francisco Salgado Zenha, o nosso objecti- vo é que no futuro se crie uma tradição de prestar essa mesma homenagem a diversas figuras

relevantes da nossa história”. O programa comemorativo dos 500 anos do nascimento do Bea- to D. Frei Bartolomeu dos Már- tires tem início no dia 3 de Maio com uma exposição do benner de Dom Frei Bartolomeu dos Mártires no hall do Paço Arqui-

episcopal e envolve quatro dio- ceses (Braga, Bragança- Miran- da, Vila Real, e Viana do Caste- lo). No dia 18 de Julho realiza-se um Encontro-diálogo dos sacer- dotes com os bispos das quatro dioceses e o Provincial dos do- minicanos, no auditório Vita, em

Braga. D. Jorge Ortiga, Arcebispo Pri- maz de Braga sublinhou a gran- diosidade da obra social de Frei Bartolomeu dos Mártires. “Um dos primeiros actos foi entregar à Misericórdia de Braga, que es- tava praticamente a nascer, a gestão do Hospital de S. Marcos na altura. Outro episódio mar- cante da sua preocupação com os mais vulneráveis , foi quando surgiu uma peste em Braga, em 1570, e ele teve o cuidado de criar um pequeno hospital, onde actualmente se situa a capela de S. João da Ponte”.

Passava a maior parte do tempo em visita pastoral. Preocupou-se com a formação do clero, tendo fundado um seminário, e com várias questões sociais. Durante a peste de 1570 e a crise económica de 1574 as suas obras de caridade foram exemplares.

Foi declarado venerável pelo Papa Gregório XVI em 23 de Março de 1845. O Papa João Paulo II procedeu à sua beatifi- cação em 4 de Novembro de 2001. Como forma de prestar a justa homenagem ao designado ‘arcebispo santo’, D. Jorge Orti- ga gostaria que o Papa Francisco reconhecesse oficialmente a san- tidade de Dom Frei Bartolomeu dos Mártires.

Emissão será composta por um selo e bloco filatélico

CTT lembram 500 anos do nascimento de D. Frei Bartolomeu dos Mártires

HOMENAGEM

| Redacção |

Os CTT lançam na próxima se- gunda-feira, dia 28 de Abril, uma nova emissão filatélica que assinala os 500 anos do nasci- mento de D. Frei Bartolomeu dos Mártires, arcebispo de Braga ou Arcebispo Santo, como é co- nhecido um dos vultos portugue- ses do Séc. XV. Nascido a 3 de Maio de 1514, na freguesia dos Mártires em Lisboa, chegou a arcebispo de Braga em 1558 após pressões da raínha D. Catarina e do seu prior Luís de Granada. Ficou conhe- cido pelo estilo de vida simples, pela proximidade com as popu- lações, bem como o importante papel que teve no Concílio de

bem como o importante papel que teve no Concílio de DR Selo evocativo de D.Frei Bartolomeu

DR

Selo evocativo de D.Frei Bartolomeu dos Mártires

Trento onde lutou pela obrigato- riedade da residência dos bis- pos nas suas dioceses e na disci- plina de vida do clero. Em 1581 apresenta ao papa e ao rei de Portugal, D. Filipe I, o seu pedido de renúncia, tendo-se

retirado para Viana do Castelo, para o Convento de Santa Cruz, que ajudou a construir com as suas rendas e esmolas. Viria a morrer no convento em 1590, tendo sido beatificado pelo papa João Paulo II em 2001.

§iniciativas

Concerto memorável

José Cid sobe amanhã ao palco do Theatro Circo

Falar de José Cid é falar de um dos maiores talentos jamais revelados pela música portuguesa. Em qualquer parte do mundo, raríssimos são os artistas que conseguem estar no topo durante 40 anos. Esta versatilidade garantiu

a

José Cid um lugar muito especial no coração do público. Autor, compositor

e

intérprete de alguns dos maiores êxitos da música nacional: ‘A rosa que te

dei’,‘Na cabana junto à praia’,‘20 anos’,‘Ontem, hoje e amanhã’,‘Cai neve em

Nova Iorque’, ‘A minha música’ e os mais recentes ‘Mais um dia’ e ‘Louco amor’, são apenas alguns dos temas que o público vai poder ouvir e cantar em uníssono, naquele que não vai ser só um concerto, mas sim uma grande festa, amanhã, às 21.30 horas, na sala principal do Theatro Circo.

Tradição

Festas de S. Gregório em Maximinos

Começam hoje as tradicionais Festas de S.Gregório, em Maximinos.

Música e jogos tradicionais marcam o início das festividades e à noite a actuação do grupo musical ‘Caminhos da Romaria’. No sábado prossegue a animação coma actuação de vários grupos musicais

e uma grandiosa sessão de fogo de artifício.

Nodomingoháaberturacomemissãodemúsicasreligiosas,seguidadamissa

solene na Capelinha de S.Gregório e sermão em honra de S. Gregório Magno.

À

tarde animação cabe aos ranchos folclóricos.

correiodominho.pt 25 de Abril 2014

Publicidade 11

correiodominho.pt 25 de Abril 2014 Publicidade 11

12 Braga

25 de Abril 2014 correiodominho.pt

12 Braga 25 de Abril 2014 correiodominho.pt

§escolas

A partir do dia 28 Escolas de Maximinos promove Semana da Saúde

O Agrupamento de Escolas de

Maximinos vai promover a ‘Se- mana da Saúde Viver + Saúde, a Saúde dá cor à Vida’, ao longo da próxima semana, a partir do dia 28. Esta iniciativa prolonga-se até ao próximo dia 2 de Maio, nos Centro Escolares do Agrupamento de Maximinos, onde serão desenvolvidas vá- rias actividades promotoras da saúde e de sensibilização para a alimentação saudável e hábitos de higiene alimentar. “Diagnosticar precocemente pro- blemas de visão de saúde contri- buindo para o sucesso escolar, fomentar o reconhecimento da saúde como um bem precioso, desenvolver a consciência cívica de toda a comunidade educati- va, promover a segurança e pre- venir acidentes e promover uma cultura de respeito e responsabi- lidade”são os objectivos desta iniciativa.

Escola celebra 50 anos Secundária D. Maria II reviveu tempos de Abril com tertúlia

Cerca de uma centena de alunos

e professores do tempo da Revo-

lução dos Cravos responderam à

chamada e relembraram anima- damente os tempos agitados do

então Liceu Feminino: as sucessi- vas RGAs, a chaimite na escola e as figuras emblemáticas desses tempos numa tertúlia realizada na Escola Secundária D. Maria II.

A tertúlia, que começou com

duas cantigas de Zeca Afonso, cantadas por todos os partici-

pantes e acompanhadas à viola

por Luís Silva, contou com mui- tos testemunhos, que relataram episódios divertidos perspectiva- dos sob diversos pontos de vista.

O encontro terminou com outras cantigas de Zeca Afonso.

Alunos da EB 2,3 de Nogueira

caminharam pela sustentabilidade

COM VÁRIAS ANOTAÇÕES feitas no pergaminho que será entregue ao presidente da Câmara de Braga, os alunos da EB 2,3 de Nogueira caminharam pela sustentabilidade até à Secundária Carlos Amarante.

NOGUEIRA

| Marta Caldeira |

Os alunos da EB 2,3 de Noguei- ra participaram, na tarde de on- tem, numa caminhada pela mo- bilidade sustentável, percorren- do o trajecto que liga a sua esco- la à Escola Secundária Carlos Amarante, a quem entregaram a bandeira verde e o pergaminho onde vão anotando os principais problemas existentes a nível de sustentabilidade, bem como as possíveis soluções para os resol- ver. Este pergaminho vai ser en- tregue ao presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, no próximo dia 29. São inúmeros os problemas sentidos pelos alunos que fre- quentam a EB 2,3 de Nogueira. Um dos mais citados é o facto de “não existirem passeios na fre- guesia que permitam aos alunos virem para a escola, por exem-

plo de bicicleta”. Carolina Matos, a professora que ontem substituiu a responsá- vel do projecto naquela escola, designadamente Elisabete Col- monero, assinalou um outro pro- blema grave nas imediações da EB 2,3 de Nogueira: “a falta de iluminação pública”. “É bastan-

te perigoso, principalmente du- rante o Inverno, que é longo e em que às 17 horas é noite com- pleta. Mesmo com a polícia à porta, a verdade é que não há elementos para poder acompa- nhar cada um dos alunos. Mais iluminação pública é um impe-

rativo”. Anita Faustino e Gonçalo Cu- nha, ambos de 10 anos e alunos

Anita Faustino e Gonçalo Cu- nha, ambos de 10 anos e alunos Alunos da EB 2,3

Alunos da EB 2,3 de Nogueira transportaram bandeira da Eco-Escola

da EB 2,3 de Nogueira transportaram bandeira da Eco-Escola BRUNO PEREIRA e caminharam pela sustentabilidade ambiental

BRUNO PEREIRA

e caminharam pela sustentabilidade ambiental até à Secundária Carlos Amarante

BRUNO PEREIRA

da EB 2,3 de Nogueira, desta- cam “a importância de todas as pessoas defenderem a floresta e preservarem o meio ambiente, usando menos o automóvel e an- dando mais a pé, por exemplo”. São várias as escolas que parti- cipam nesta ‘Rota das Eco-Es- colas - por uma mobilidade mais sustentável’, ligando-se umas às outras pelos trajectos feitos pe- los seus alunos desde o passado dia 22 até ao próximo dia 29 - que encerra a iniciativa. Refira-se que esta é uma ini- viativa organizada pela Associa- ção Bandeira Azul da Europa - que tem a seu cargo precisamen- te o projecto das Eco-Escolas, tendo como grande finalidade alertar a comunidade escolar pa- ra uma mobilidade mais segura.

Publicidade

das Eco-Escolas, tendo como grande finalidade alertar a comunidade escolar pa- ra uma mobilidade mais segura.

12correiodominho.ptMinho

25 de Abril 2014

1 de janeiro 2013 correiodominho.ptBraga13

12 correiodominho.ptMinho 25 de Abril 2014 1 de janeiro 2013 correiodominho.ptBraga 13

“Execução orçamental foi a melhor dos últimos anos”

HUGO PIRES CONSIDERA QUE a execução orçamental da câmara de Braga em 2013 foi “a melhor dos últimos anos”. Líder da concelhia do PS diz que Rio herdou “a câmara com melhor saúde financeira”.

PARTIDO SOCIALISTA

| Miguel Viana |

O presidente da Comissão Polí- tica Concelhia de Braga do Par- tido Socialista, Hugo Pires, con- siderou, ontem, que a execução orçamental do último mandato de Mesquita Machado como presidente da câmara municipal, “superou todas as expectativas “ e “foi, aliás a melhor execução orçamental dos últimos quatro anos”. Em conferência de imprensa, o líder da concelhia socialista bra- carense acrescentou que “execu- tou-se 81,4% da receita e 80,6% da despesa, tendo sido executa- dos à volta de 100 milhões de euros do orçamento”. Hugo Pires revelou, ainda, que houve um aumento de 15 mi- lhões de euros da receita e que o

um aumento de 15 mi- lhões de euros da receita e que o Socialistas de Braga

Socialistas de Braga ficaram agradados com as contas municipais de 2013

MIGUEL VIANA

município apresentou uma pou- pança corrente de 16,5 milhões de euros. Destacou igualmente que entre 2011 e 2013, a câmara não con- traiu nenhum empréstimo a lon- go prazo, tendo, em contraciclo com o resto do país, diminuído a sua dívida de médio e longo pra- zo em 6,5 milhões de euros. “A dívida diminuiu 11%” vincou, sublinhando que “os activos da câmara superam o passivo”. São números que, segundo o lí- der socialista concelhio, de- monstram que o PS “é um parti- do sério, responsável, rigoroso e preocupado com a gestão dos di- nheiros públicos”. Hugo Pires lamentou que o ac- tual presidente da Câmara Muni- cipal de Braga, Ricardo Rio, te- nha levantado suspeitas sobre o excutivo anterior e afirmou que “a montanha pariu um rato”. “Mesquita Machado foi rigoro- so na gestão dos dinheiros públi- cos e não hipotecou as gerações futuras. As contas revelam que o PS não tem nada a esconder. O novo presidente herdou uma câ- mara que é, provavelmente, a que tem melhor saúde financeira do país”, afirmou Pires. O Relatório de Contas vai ser apresentado e votado na próxi- ma segunda-feira.

Em visita aos distritos de Braga e Viana do Castelo

Candidatos defendem valorização do mundo rural

ALIANÇA PORTUGAL

| Redacção |

O eurodeputado e candidato ao

Parlamento Europeu pela Alian- ça Portugal (AP) José Manuel Fernandes reafirmou ontem um cumpromisso de proximidade e de valoração do mundo rural e

do Minho.

A promessa foi deixada duran-

te a visita que os candidatos da

AP (José Manuel Fernandes, Paulo Rangel, Daniel Campelo e Miguel Pires da Silva) efectua-

ram aos distritos de Braga e de Viana do Castelo.

A posição assumida por José

Manuel Fernandes marcou, as- sim, um ponto de diferenciação

para com a candidatura socialis-

ta, que decidiu não colocar qual-

quer representante dos distritos

de Viana do Castelo e Braga em

lugares que o próprio PS consi-

dera elegíveis na lista que pro- põe para o Parlamento Europeu e que vai a votos a 25 de Maio.

O tema central da visita dos

candidatos da AP foi a importân- cia do actual fenómeno de recu-

da AP foi a importân- cia do actual fenómeno de recu- DR Candidatos da Aliança Portugal

DR

Candidatos da Aliança Portugal às eleições europeias visitaram várias instituições da região do Minho

peração e revitalização da capa- cidade produtiva do sector pri- mário (agricultura, florestas e pescas), para a soberania ali- mentar e reequilíbrio da balança comercial do país. Nesse sentido, foram efectua-

dos encontros com dirigentes as- sociativos dos sectores agricola e florestas, nos Arcos de Valde-

vez, onde o cabeça-de-lista Pau- lo Rangel assumiu o compro- misso de defender os interesses dos agricultores ao nível da nova legislação a produzir ao nível da União Europeia e da garantia de recursos para apoiar a continui- dade de requalificação do sector, tendo em vista favorecer a sua capacidade produtiva e concor-

rencial no contexto, não só da Europa, mas também do mundo global. Mais um ponto que os candida- tos da AP marcaram como sendo de “grande importância na dife- renciação com a candidatura so- cialista, que retirou a agricultura da sua lista de áreas estratégicas de desenvolvimento para o

país”, lê-se num comunicado da AP. Daniel Campelo assumiu-se como acérrimo defensor “dos homens da terra, que trabalham, produzem e garantem o susten- to de todos e do país”, e reafir- mou que “só com eles o País tem futuro”, frisou Daniel Campe- lo. No périplo altominhoto, os candidatos da Aliança Portugal visitaram ainda o Hospital da Santa Casa da Misericórdia e o quartel dos Bombeiros Voluntá- rios de Ponte da Barca, antes do encontro com os pescadores de Vila Praia de Âncora, no conce- lho de Caminha. No portinho de pesca de Vila Praia de Âncora, os candidatos da AP comprometeram-se a aju- dar os pescadores na sua luta por melhores condições de trabalho, nomeadamente na resolução dos problemas de assoreamento e na gestão dos espaços de interven- ção e trabalho dos homens do mar, cuja actividade tem grande impacto na dinamização econó- mica da região.

correiodominho.pt 6 de Junho 2013 14 Braga 25 de Abril 2014 correiodominho.pt Braga 13 §

correiodominho.pt 6 de Junho 2013

14 Braga

25 de Abril 2014 correiodominho.pt

Braga 13

§ freguesias

§freguesias

40 anos da Revolução

Salgado Zenha: homenagem marca comemorações

HOMENAGEM A SALGADO ZENHA e Encontro Cidadania Empreendedora marcam as comemorações dos 40 anos do 25 de Abril na cidade de Braga.

dos 40 anos do 25 de Abril na cidade de Braga. Monumento é inaugurado hoje, pelas

Monumento é inaugurado hoje, pelas 18 horas, pelo presidente da câmara

BRAGA

| Redacção|

A inauguração do Monumento

de homenagem a Francisco Sal- gado Zenha é o ponto alto das comemorações do 40.º aniversá- rio do 25 de Abril, em Braga. A cerimónia é presidida por Ricar- do Rio e está agendada para as

18 horas, junto à Igreja do Pópu- lo. Este acto evocativo contará com a presença de familiares e amigos de Francisco Salgado Zenha. Ainda no âmbito das celebra- ções dos 40 anos do 25 de Abril,

o Município de Braga promove

o Encontro Cidadania Empreen-

dedora, que decorrerá entre hoje

e domingo, no edifício GNRa- tion e no Theatro Circo, juntan-

do na cidade mais de 150 jovens, oriundos de todo o território na- cional. O ponto alto desta acção terá lugar no dia 27, no Theatro Cir- co. Pelas 10 horas, Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, irá abordar o tema ‘Ci- dadania Empreendedora e Cam- panha Genial para o Parlamento Europeu’. De seguida, pelas 11.15 horas, realizar-se-á um debate com os Candidatos ao Parlamento Euro- peu dos partidos com assento

parlamentar. Presentes estarão Paulo Rangel (PSD), Carlos

DR

Zorrinho (PS), Nuno Melo (CDS/PP), Manuel Carlos Silva (BE) e Carla Cruz (PC). O Projecto Cidadania Em- preendedora, financiado pelo Programa Juventude em Acção, assume-se como um momento de reflexão direccionado aos Jo- vens, no ano em que se celebram 40 anos do 25 de Abril. Os principais objectivos do evento são celebrar a cidadania e os 40 anos do 25 de Abril de 1974; reflectir sobre o novo con- ceito de participação juvenil ‘Ci- dadania Empreendedora’ como acção do Ano Europeu dos Cida- dão e promover a participação dos Jovens nas próximas Elei- ções Europeias.

Juntas e associações locais são promotoras

Três dias de eventos em Crespos e Pousada

De hoje até domingo, a freguesia de Crespos e Pousada, com o apoio das associações locais, comemora o 40.º aniversário da revolução de Abril.

Nos três dias, as colectividades da freguesia oferecem o que de melhor existe a nível gastronómico, oferecendo aos visitantes uma ementa recheada e diversificada que vais desde a lampreia, às papas de sarrabu- lho, passando pela feijoada e outras iguarias.

O evento decorre na Sede da Junta em Pousada, e do programa consta

uma mesa redonda onde se falará de Abril. Em confronto estarão duas gerações distintas, de um lado aqueles que viveram e participaram acti- vamente na revolução e do outro, os actuais lideres das juventudes par- tidárias mais representativas de Braga: PCP, CDS-PP, PS e PSD. O dia de

hoje encerra com um espectáculo musical a cargo do artista ‘Tó da viola’. Amanhã, a junta promove o concurso dos vinhos produzidos na freguesia

e das compotas confeccionadas pelos especialistas locais. Os produtos a

concurso são exclusivamente locais. Uma missa campal pelas 19.30 horas antecede o concerto do grupo ‘Os amigos de Santa Eulália’que iniciará às 22 horas. No dia 27, haverá uma aula de Zumba às 10.30 horas e durante o dia con- tinuará aberta, as tendas das colectividades.

Nogueira, Fraião e Lamaçães

Freguesia celebra com Festa Popular

Ao completarem-se quatro décadas sobre a Revolução do 25 de Abril de 1974, a Junta de Freguesia de Nogueira, Fraião e Lamaçães organiza uma Festa Popular, contando com a colaboração de diversas associações lo- cais. O evento terá lugar no Campo de Futebol de‘Os Maikes’FC de Fraião, sito no Barral, na área de Nogueira desta Freguesia, hoje, às 15 horas.

Pelo Movimento Juventude da Póvoa

‘Estafeta da Liberdade’ em Palmeira

O Movimento de Juventude da Póvoa, colectividade da freguesia de Pal-

meira fundado em 1986, comemorou sempre o 25 de Abril de forma es- pecial. Este ano, as comemorações contam uma vez mais com o apoio da

junta de freguesia, estando em destaque a ‘Estafeta da Liberdade’, prova de atletismo disputada por equipas de quatro elementos que de cravo na mão percorrem o lugar da Póvoa.

A prova é aberta a todos os que quiserem participar e as inscrições vão decorrer até ao dia da competição.

Padim da Graça

Caminhada pelos valores de Abril

Em Padim da Graça, às 9 horas, tem início a ‘caminhada pelo valores de Abril’, seguindo-se, às 11 horas, a abertura da exposição‘40 anos de Abril’, no salão polivalente. A mostra ficará patente até 1 de Maio. Às 12 horas será colocada uma placa comemorativa dos 40 anos da Revo- lução no Rinque Desportivo de Padim da Graça. Na segunda-feira realiza-se uma visita à Escola de Santo António, pelo presidente da junta, João Moreira, onde haverá ‘leituras de Abril’. No dia 30, às 21 horas, realiza-se uma palestra sobre o 25 de Abril e o 1.º de Maio, seguindo-se a actuação do Grupo Musical Raízes do Cávado.

Iniciativas já estão a decorrer desde ontem

PCP e CDU assinalam 40 anos do 25 Abril em todo o distrito

POLÍTICA

| Redacção |

A comemoração do 40.º aniver-

sário do 25 de Abril, é pretex-

to para o PCP e a CDU estarem a

promover um conjunto alarga- do de iniciativas em diversos pontos do distrito. Em Braga, às 10 horas, na Arcada, são dis- tribuídos folhetos alusivos à da-

ta. De tarde, uma delegação

do PCP participa no desfile agendado pelas estruturas sindi-

cais. A delegação integra João Frazão, da Comissão Política do

Comité Central, e Carlos Almei- da, membro do Secretariado da DORB do PCP e vereador da CDU na Câmara Municipal de Braga, e Torcato Ribeiro, verea- dores da CDU na Câmara Muni-

cipal de Guimarães. Amanhã, às 20 horas, realiza- se um jantar no Centro de Cultu- ra e Desporto dos Trabalhadores da Segurança Social, com inter- venção de Inês Zuber, eurodepu- tada e candidata da CDU às elei- ções de 25 de Maio, e Manuela Cunha, membro da Comissão Executiva do PEV e também candidata ao PE.

Em Guimarães, destaque para a distribuição de folhetos, de tar- de, à entrada da Amtrol-Alfa, em Brito. Às 23 horas, há distribui- ção de cravos e de Poesias de Ary dos Santos, no Largo Se- nhora da Oliveira. Amanhã de- corre um jantar com intervenção de Mariana Silva, dirigente do Partido Ecologista ‘Os Verdes’ e candidata da CDU ao PE, e Al-

bano Nunes, membro do Secre- tariado do Comité Central Em Barcelos, às 10 horas, os comunistas distribuem cravos no Largo da Porta Nova. Em Fafe, amanhã, às 21 horas, no Auditó- rio da Biblioteca Municipal de Fafe, é exibido um filme alusivo ao 25 de Abril, seguido de deba- te sobre os valores de Abril.

12 correiodominho.ptMinho 25 de Abril 2014 6 de Junho 2013 correiodominho.ptMinho 15 40 anos da

12correiodominho.ptMinho

25 de Abril 2014

6 de Junho 2013 correiodominho.ptMinho 15

40 anos da Revolução
40 anos da Revolução
2013 correiodominho.ptMinho 15 40 anos da Revolução Livro, exposições, filmes e AM celebram Abril MUNICÍPIO

Livro, exposições, filmes e AM celebram Abril

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE assinala, hoje e amanhã, os 40 anos do 25 de Abril com uma Assembleia Municipal comemorativa, o lançamento de um livro, exposições e projecção de filmes.

de um livro, exposições e projecção de filmes. Esposende celebra Abril com diversas iniciativas DR

Esposende celebra Abril com diversas iniciativas

DR

‘Páginas da Revolução’, onde uma pequena mas significativa

mostra de jornais nacionais rela- ta os dias da revolução de Abril de 1974 a Junho de 1976, em vá- rios periódicos. Desta mostra destaca-se o ‘JN’ de 26 de Abril de 1974 e as edições dos dias 1 e 2 de Maio do mesmo ano, relati- vos à primeira comemoração do Dia do Trabalhador em Portugal.

A Biblioteca propõe ainda uma

visão de como os poetas escrito- res sentiram e exprimiram a li-

berdade e o 25 de Abril. Assim, nas montras de 40 estabeleci- mentos comerciais de Esposen- de exibe-se a exposição ‘40 anos, 40 poemas’. Cada escola acolhe um poema de Abril, de autores como Sop- hia de Mello Breyner Andresen, Miguel Torga, Natália Correia,

Manuel Alegre, entre outros, nu- ma iniciativa que conta com o

apoio da Associação Comercial

e Industrial do Concelho de Es- posende.

ESPOSENDE

| Redacção |

Neiva. Antecedendo esta sessão terá lugar, às 10 horas, a abertura da

exposição ‘40 Anos do Poder Local em Esposende’.

Às 17.30 horas, terá lugar uma assembleia municipal comemo- rativa, que se iniciará com um momento musical, seguindo-se a conferência ‘A Infância de Abril 40 Anos da Tomada da Palavra’, por Álvaro Campelo, e, poste- riormente, as intervenções dos diversos partidos políticos com assento na assembleia munici- pal. No Auditório Municipal de Es- posende, serão exibidos, ama- nhã, o filme ‘Capitães de Abril’, e no dia 27, ‘A Hora da Liberda-

de’, em sessões às 21.30 horas, com entrada gratuita. Sob o tema comum ‘Da Censu- ra à Liberdade’, a Biblioteca Municipal Manuel de Boaventu-

ra proporciona, até ao final de

Abril, uma mostra sob “(alguns) livros proibidos no regime Fas- cista”, onde se podem encontrar títulos de Jorge Amado, Manuel Alegre, Mário de Andrade, Si- mone de Beauvoir, Albert Ca- mus, Natália Correia, Virgílio Ferreira, Gustave Flaubert, Ur- bano Tavares Rodrigues, Aquili- no Ribeiro, entre muitos outros. Dos livros proibidos à revolu- ção de Abril, as comemorações da Biblioteca Municipal permi- tem também uma leitura das

A realização de uma Assembleia

Municipal (AM) comemorativa,

o lançamento de um livro, expo-

sições e a projecção de filmes são as iniciativas que vão lem- brar a revolução dos cravos no concelho de Esposende, numa iniciativa do município local. Assim, hoje às 11 horas, a câ- mara e a assembleia municipal levam a efeito, no Fórum Muni- cipal Rodrigues Sampaio, a apresentação do Livro ‘40 Anos do Poder Local em Esposende - Promessas e Picardias’, da auto- ria do historiador/investigador esposendense Albino Penteado

§Cávado

Barcelos

Exposições e sessão solene marcam programa que celebra 40 anos de Abril

O programa das comemorações do 40.º aniversário do 25 Abril, promovi-

das pela Câmara Municipal de Barcelos, já arrancou ontem, ao final do dia, com a inauguração da exposição de fotografia ‘Os Rapazes dos Tan- ques’, na Galeria Municipal de Arte de Barcelos. Hoje tem lugar a cerimónia oficial, pelas 15 horas, no Largo Dr. Martins Lima (em frente ao Teatro Gil Vicente), uma sessão que começa com a ac- tuação do Coral Magistrói e com declamação de poesia. Seguem-se os discursos do presidente da Assembleia Municipal, dos representantes dos partidos com assento na Assembleia Municipal e do presidente da câma- ra, Miguel Costa Gomes. No final, será inaugurada no Salão Nobre dos Pa- ços do Concelho a exposição ‘Barcelos: A Oposição Democrática e o 25 de Abril’, seguindo-se o concerto comemorativo do 40.º aniversário da Revo- lução pela Banda Musical de Oliveira, no Campo 5 de Outubro.

Terras de Bouro

Arranca celebração dos 500 anos do Foral

O Município de Terras de Bouro está a assinalar os 40 anos da Revolução

com um programa de cariz popular, cultural e desportivo, que se iniciou ontem à noite, com a exibição de um filme, cantares ao desafio e fogo de

jardim. Hoje, pelas 9 horas, realizar-se, no Campo Municipal de Futebol, uma‘Manhã Desportiva’promovida pelo município e organizada pela As- sociação Desportiva de Terras de Bouro com a participação dos escalões de formação do clube terrabourense e outras colectividades convidadas. Às 14.30 horas, no Salão Nobre da câmara, decorre a abertura das Come- morações dos 500 anos da atribuição do Foral de Terras de Bouro, seguin- do-se às 15 horas, na Igreja Paroquial de Moimenta, uma actuação do Or- feão de Terras de Bouro. Às 17 horas e também como forma de homenagear os 40 anos da ‘Revolução dos Cravos’ acontecerá, uma ses- são ordinária da Assembleia Municipal, encerrando o dia, com a Banda Musical de Carvalheira, que actua às 21 horas na Igreja de Moimenta.

Hoje, durante todo o dia

Município evoca ‘Revolução dos Cravos’

AMARES

| Redacção |

As comemorações prosseguem

com uma actuação da Banda Fi- larmónica de Santa Maria de

Bouro. O feriado fica marcado, também, por uma homenagem e inauguração de uma galeria de fotos dos vários presidentes da Câmara e Assembleia Municipal de Amares, e de um mural de pintura. Haverá tempo, ainda, para uma

O Município de Amares assinala

os 40 anos da ‘Revolução dos Cravos’ com um programa espe- cial de actividades, que vão ter início às 9 horas, com um has- tear das bandeiras e revista às forças em parada, seguindo-se uma solta de pombos.

Hoje

Sessão solene marca o dia

VILA VERDE

| Redacção |

A Assembleia Municipal e a Câ-

mara Municipal de Vila Verde também assinalam o 40.º aniver- sário da Revolução dos Cravos, numa cerimónia solene que reu- nirá os representantes das dife- rentes forças partidárias, verea- dores, membros da assembleia municipal, presidentes das jun- tas e das assembleias de fregue- sia e outros eleitos locais e, ain- da, representantes de diferentes entidades e organismos públicos e privados da sociedade civil.

O programa comemorativo ar-

ranca às 9.30 horas, com o has- tear das bandeiras, na Praça do

Município e actuação da Fanfar- ra da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Verde.

A sessão solene tem início às

10.30 horas, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, contem- plando, além dos tradicionais discursos, momentos de anima- ção musical protagonizados pela Academia de Música de Vila Verde e pela Orquestra de Cor- das da Casa do Povo da Ribeira do Neiva.

actuação do Grupo Coral da APEA — Associação de Profes- sores Educadores de Amares e para uma sessão solene da As-

sembleia Municipal de Amares,

a decorrer no Salão Nobre dos

Paços do Concelho. A terminar as celebrações, o Largo D. Gualdim Pais acolhe, pelas 21 horas, o espectáculo de teatro ‘O Quarto D’.

Montalegre

Concerto é destaque

Montalegre associa-se às co- memorações de Abril com um

leque de actividades. Sob o le- ma ‘Para que os cravos não murchem’, a Câmara de Mon- talegre assinala os 40 anos do 25 de Abril com várias mani- festações que lembram os fei- tos de Abril. A data começou

por ser invocada na véspera, com um concerto no auditório municipal pelo grupo Realejo. Hoje, Montalegre assinala a instauração do regime demo- crático com várias acções que culminam, à noite, com o con- certo da autoria de João Afon- so, sobrinho de Zeca Afonso, no auditório municipal.

correiodominho.pt 6 de Junho 2013 16 Minho 25 de Abril 2014 correiodominho.pt Minho 13 40

correiodominho.pt 6 de Junho 2013

16 Minho

25 de Abril 2014 correiodominho.pt

Minho 13

2013 16 Minho 25 de Abril 2014 correiodominho.pt Minho 13 40 anos da Revolução cria o

40 anos da Revolução

cria o teu mural’

Três dias de actividades para celebrar Abril

EM FAFE AS CELEBRAÇÕES dos 40 anos do 25 de Abril já começaram anteontem, sendo hoje o ponto alto, com uma sessão solene às 10.15 horas.

‘Liberdade é

Exposição reúne trabalhos de alunos do concelho

GUIMARÃES

so Henriques, AE Santos Si-

|

Redacção |

mões, AE Virgínia Moura, AE

da hoje, das 10 às 12.30 horas e

No Instituto de Design de Gui- marães é inaugurada hoje, pelas 10 horas, a exposição ‘Liberda- de é… cria o teu mural’, inicia- tiva que surge no âmbito do Núcleo de Estudos 25 de Abril, projecto que vem desenvolven- do as suas actividades para di- ferentes comunidades educati- vas desde 2009. Esta exposição reúne perto de meia centena de trabalhos de crianças e jovens de escolas do concelho de Guimarães (Agru- pamento de Escolas (AE) de

Francisco de Holanda), de Vie- ra do Minho (EB +S de Vieira do Minho), de Vila Nova de Cerveira (EB+S de Cerveira), de Celorico de Basto (AE Celo- rico de Basto) e ainda de esco- las privadas (Colégio do Ave), de diferentes níveis de ensi- no (desde jardim de infância ao ensino secundário), com o objectivo de celebrar os 40 anos do 25 de Abril e da De- mocracia Portuguesa. A exposição poderá ser visita-

das 15 às 18 horas; e nos dias

Briteiros, AE Arqueólogo Má-

26

e 27, das 15 às 19 horas e a

rio Cardoso, Escola Secundária

28

e 29 no horário de funciona-

de Caldas das Taipas, AE Afon-

mento da instituição.

§Guimarães

‘Capitães de Abril’

Hoje há cinema no Paço dos Duques

Na sala nobre do piso térreo do Paço dos Duques de Bragança,

em Guimarães, é exibido hoje o filme de Maria de Medeiros intitulado ‘Capitães de Abril’. As sessões decorrem entre as 10 e as 12 horas, na par-

te da manhã e entre as 15 e as 17 horas, na parte da tarde.

A entrada para a sessão será gratuita estando apenas sujeita ao limite

imposto pela sala onde será exibida. Esta actividade acontece com o apoio do Cineclube de Guimarães.

Celebrar a liberdade

Socialistas juntos em almoço

O PS de Guimarães promove hoje o seu já tradicional almoço de come-

moração do Dia da Liberdade. Este é um momento para os socialistas ce- lebrarem Abril, mas também para confraternizarem tendo em vista uma união mais forte para enfrentar as próximas eleições europeias.

FAFE

| Redacção|

Cinema, teatro e música são ape- nas algumas das actividades que vão marcar as comemorações dos quarenta anos do 25 de Abril, em Fafe. Segundo o presi- dente da câmara municipal, Raul Cunha, “sendo o 25 de Abril um marco na história de Portugal, Fafe não podia ficar à margem de uma data que marcou a liber- dade do povo português”. Hoje, as comemorações (que já arrancaram ontem) começam bem cedo, às 9 horas, com a al- vorada de morteiros, seguido do hastear da bandeira no edifício dos Paços do Concelho, com desfile da Fanfarra do Agrupa- mento de S. Gens do CNE, às 10 horas. Também para as 10 horas, está marcada a XIV Marcha da Li- berdade, entre Antime/Silvares S. Clemente –Armil- Cepães- Golães e Fafe. O momento alto das comemo- rações está agendado para as 10.15 horas no Teatro Cinema de Fafe, com a sessão solene que

horas no Teatro Cinema de Fafe, com a sessão solene que DR Raul Cunha, presidente da

DR

Raul Cunha, presidente da Câmara Municipal de Fafe

inclui a intervenção do presiden- te da Assembleia Municipal, Laurentino Dias, dos represen- tantes dos partidos políticos com assento na AM, e dos represen- tantes da Associação 25 de Abril. A cerimónia servirá ainda para a entrega do Prémio Dr. Maximino de Matos 2013 a Ana Sofia Gonçalves Lopes e distri- buição de distinções a funcioná- rios municipais. A sessão solene termina com a intervenção de Raul Cunha.

Às 11.30 horas decorre a entre- ga dos prémios da final conce- lhia do Torneio da Malha, junto ao Pavilhão Multiusos. Às 15 horas, terá início o Tor- neio de Veteranos (UDF), no Campo de Futebol de Antime. Meia hora depois, no Campo da Associação Cultural e Desporti- va da Pica, terá inicio o XXVIII Torneio de Futebol Juvenil. As comemorações terminam às 21.30 horas, com o musical ‘Voltar a Abril’. Entrada é livre.

Hoje, durante todo o dia

Valores de Abril celebram-se em Famalicão

V. N. FAMALICÃO

| Redacção |

Em Vila Nova de Famalicão, as comemorações decorrem a partir das 10 horas, nos Paços do Con- celho, com um vasto conjunto de iniciativas de grande simbolo- gia, que pretendem evocar valo- res de Abril, tais como a liberda- de, a igualdade e a democracia. Do rol de actividades, destaque para a sessão solene da Assem- bleia Municipal. Segue-se o lançamento dos Lenços das Madrinhas de Guer- ra, um produto inovador que combina diversas riquezas do Património Cultural Imaterial do país. O lançamento dos lenços será acompanhado de uma expo- sição, onde se pretende recriar um pouco do ambiente vivido durante a guerra. Organizada pe-

um pouco do ambiente vivido durante a guerra. Organizada pe- Paulo Cunha DR lo Município de

Paulo Cunha

DR

lo Município de Vila Nova de Famalicão, a exposição ‘Memó- rias da Guerra’ conta com o apoio do Museu Militar do Por- to, da Escola Prática dos Servi- ços do Exército Português, do Museu do Automóvel Antigo e Clássico do Porto, do Museu do

Automóvel Antigo de Famalicão

e do Museu da Guerra Colonial.

O momento será ainda anima-

do pela actuação das Contrata- deiras, que entoarão os temas que fizeram Abril.

O dia será todo preenchido

com actividades diversas alusi- vas ao 25 de abril. Referência ainda para a inau- guração da exposição ‘25 de Abril pintado por personalidades famalicenses’, que vai decorrer na Casa do Território, no Parque da Devesa, pelas 21 horas. Vários famalicenses, entre as quais o presidente da câmara, Paulo Cunha, antigos autarcas, empresários e jornalistas, foram desafiados pela Associação Cul- tural e Artística de Gavião, Mi- lho D’Oiro, a pintar um quadro que reflicta uma visão sobre a Revolução dos Cravos de 1974.

Celebrar 40 anos da Revolução

Dia recheado em Vieira

VIEIRA DO MINHO

| Redacção |

Em Vieira do Minho, as come- morações do 40.º Aniversário do 25 de Abril iniciam, logo pe- la manhã, com o hastear da bandeira, em frente ao Paços do Concelho, e o Hino Nacional entoado pela Banda Filarmóni- ca de Vilarchão e pelo Coro da Universidade Sénior com Guar- da de Honra dos Bombeiros Vo- luntários de Vieira do Minho. Segue-se a sessão solene, no Salão Nobre dos Paços do Con- celho que vai contar com a pre- sença do coronel de cavalaria

João Paulo Amado Vareta. Fin-

da a sessão, a comitiva vai rea- lizar uma visita à exposição da colecção de armas de Manuel Francisco de Araújo, que está patente na Casa Museu Adelino Ângelo, no âmbito das Come- morações dos 500 anos do Fo- ral. No período da tarde, as Come- morações incluem os tradicio- nais jogos populares da malha e da sueca a realizar, pelas 14 ho- ras, no Parque dos Moinhos. Para as 21h00, está prevista o Rally de Vieira do Minho - 1.ª PEC, prosseguindo a 2.ª PEC amanhã pelas 14.30 horas.

12 correiodominho.ptMinho 2 5 d e A b r i l 2 0 1 4

12correiodominho.ptMinho

25 de Abril 2014

6 de Junho 2013 correiodominho.ptMinho 17

40 anos da Revolução
40 anos da Revolução
2013 correiodominho.ptMinho 1 7 40 anos da Revolução Celebrações prolongam-se até domingo A CÂMARA MUNICIPAL

Celebrações prolongam-se até domingo

A CÂMARA MUNICIPAL DE ARCOS DE VALDEVEZ promove, a partir de hoje e até domingo, um vasto leque de iniciativas para celebrar os 40 anos do 25 de Abril. Destaque para as cerimónias oficiais que decorrem esta manhã, na Praça Municipal.

ARCOS DE VALDEVEZ

| Redacção |

Arcos de Valdevez não deixa passar em branco as comemora-

ções do Dia da Liberdade, e, vis-

to este ano ser o ano em que pas-

sam 40 anos desde a Revolução de Abril, a câmara municipal preparou uma programação es-

pecial de três dias para assinalar

a data. Desta feita, o presidente do município, João Manuel Este- ves, lançou um convite público a todos os munícipes para assisti- rem à cerimónia oficial do has-

tear das bandeiras que se realiza-

rá na Praça Municipal pelas 10

horas – após a salva de mortei-

ros, que terá lugar pelas 9 horas

– e contará com guarda de honra

efectuada pelos Bombeiros Vo- luntários de Arcos de Valdevez, Corpo Nacional de Escutas – Agrupamento 214 e Banda da Sociedade Musical Arcuense. Amanhã, pelas 21.30 horas, decorrerá a abertura da Exposi-

Ontem e hoje

21.30 horas, decorrerá a abertura da Exposi- Ontem e hoje Arcos de Valedevez celebra os 40

Arcos de Valedevez celebra os 40 anos do 25 de Abril durante três dias

ção ‘25 de Abril 40 Anos — Canções da Liberdade’. A mostra, inédita e produzida

pelo Museu Nacional da Im- prensa, junta mais de cem discos em vinil editados no antes e du-

DR

rante o período revolucionário. São apresentados processos mo- vidos contra músicas e letras de

Barquenses comemoram 25 de Abril

PONTE DA BARCA

| Redacção |

O Município de Ponte da Barca

assinala o 25 de Abril com uma

série de iniciativas. O programa iniciou ontem com a abertura das exposições ‘Madrinhas de Guerra’ e ‘Abril conquistou-se!

Não foi dado

nos Paços do

Concelho, a que se seguiu uma tertúlia por Maria José Gonçal- ves e Marques Pinto. Ainda du-

’,

§Alto Minho

rante o serão foi projectado o ví-

deo ‘Abril - duas gerações’ e de- correu o concerto musical pelo

projecto ‘Outra vez Abril’, co- lectivo de músicos maioritaria- mente de Ponte da Barca, que evocou artistas como Zé Afonso, José Mário Branco, Sérgio Go- dinho e Adriano Correia de Oli- veira. Hoje, a partir das 11 horas, também nos Paços do Concelho, decorre a habitual sessão Solene

da Assembleia Municipal, numa cerimónia que junta o executivo municipal, os representantes dos partidos políticos com assento na Assembleia Municipal, presi- dentes de junta de freguesia, en- tre outras entidades militares e civis do concelho. Ainda durante o dia, o Grupo Abrilmente, em associação com a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia de Ponte da Barca, de- senvolveu um programa de acti-

vidades para comemoração do Dia da Liberdade. O objectivo é manter viva a memória de Abril pela união da comunidade em torno de tertúlias, actividades desportivas e artísticas. As comemorações do 25 de Abril em Ponte da Barca culmi- nam com a tertúlia ‘Palavras de Liberdade’, pela Epralima — Escola Profissional do Alto Li- ma, às 21.30 horas, nos Paços do Concelho.

Monção

Livro é apresentado hoje

‘Monção entre muralhas, com tantas portas quan- tos os sentidos’, agendada para as 15.30 horas, nas instalações da Casa Museu de Monção/Universida- de do Minho. O livro foi editado pela Unidade Cul- tural da Universidade do Minho. Trata-se de uma volumosa publicação com 630 pá- ginas, que conta com a participação de 39 colabo- rações, resultando em 34 artigos e nove testemu-

nhos pessoais. Os artigos tratam as mais diversifi- cadas temáticas envolvendo temas de história polí- tica, económica, social e religiosa, para além de ou- tras temáticas que envolvem a fronteira e especificidades monçanenses, como a Coca de Monção. A Casa Museu de Monção da Universidade do Mi- nho decidiu dedicar esta obra ao ex-autarca mon- çanense, José Emílio Moreira, em reconhecimento e homenagem pelo perfil cultural da sua intervenção enquanto autarca.

Viana do Castelo

Sessão solene às 11 horas

A Câmara Municipal de Viana do Castelo promove

hoje, pelas 11 horas, no Teatro Sá de Miranda, uma

sessão solene evocativa do 25 de Abril.

O evento integra um vasto programa que conta ain-

da com o espectáculo ‘Viver Abril’, na Praça da Re- pública, durante a tarde, e um concerto de Fernan- do Tordo, a partir das 22 horas, no centro Cultural.

canções ou fados de artistas di- versos, e ainda cartazes de al- guns espectáculos. A exposição integra também uma aplicação multimédia, onde se podem escutar as canções principais deste período. Às 22 horas terá lugar, na Casa das Artes, o espectáculo musical ‘Outra Vez Abril’. Este projecto musical/performativo arcuense junta no mesmo palco Miguel Fernandes, acompanhado por Paulo Freitas, Rui Dantas, Car- los Pinto e Deni Pacheco, e os jovens músicos locais coordena- dos pela professora Maria do Céu Sousa, num evento de ini- gualável originalidade e de sen- tida homenagem aos 40 anos do 25 de Abril. Por último, no domingo, pelas 10.30 horas, decorrerá a Meia Maratona de Arcos de Valde- vez/Caminhada Solidária pelos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez, evento que contará com grandes nomes do atletismo português

+ Melgaço

O feriado é assinalado em Melgaço através da iniciativa ‘40 anos de Abril’ que inicia, pelas 9.30 horas com o hastear da bandeira nacional, no edifício dos Paços do concelho. As comemorações seguem depois para a Casa da Cultura onde, e a partir das 10 horas, decorre uma sessão solene, com entoação de canções de Abril, pelo Grupo Coral de Parada do Monte, seguida da comunicação ‘As promessas de Abril’, por Albertino Gonçalves, da UMinho, e o testemunho ‘Viver Abril’, de Rui Táboas, um melgacence e soldado que, sob o comendo de Salgueiro Maia, esteve no Largo do Carmo a 25 de Abril de 1974.

correiodominho.pt18

6 de Junho 2013

25 de Abril 2014 correiodominho.pt13

Minho
Minho

Festa das Cruzes arranca com homenagem a Abril

SÃO MAIS DE 60 EVENTOS a ter lugar na programação da Festa das Cruzes - a primeira das grandes romarias minhotas. A Procissão da Invenção da Cruz e a Batalha das Flores são dois grandes momentos.

BARCELOS

| Redacção |

A Festa das Cruzes, em Barce-

los, arranca hoje com um espec- táculo musical na Avenida da Li- berdade. Este é o primeiro de mais de 60 eventos que ocorrem durante os dez dias das festivi- dades daquela que é a primeira grande romaria do Minho, man- tendo a matriz religiosa e popu- lar lado a lado. A Procissão da Invenção da Santa Cruz, com as cruzes das 89 paróquias do con-

celho, é o ponto alto das celebra- ções religiosas relacionadas com o milagre da Santa Cruz. Um ac-

to que volta a repetir-se no dia

de feriado municipal, dia 3, às

17

horas. Nesse mesmo dia, às

11

horas, no Templo do Senhor

Bom Jesus da Cruz, será cele- brada a missa solene. Ainda na vertente religiosa, destaque para os tapetes de péta- las no Templo do Senhor da Cruz, inaugurados no próximo dia 29, às 18 horas. Uma das caraterísticas da Festa das Cruzes é a harmonia entre o plano religioso, que lhe deu ori- gem, e a vertente popular e fes-

teira que decorre entre 25 de Abril e 4 de Maio. Na música, o destaque vai para

o concerto de Gisela João (dia

música, o destaque vai para o concerto de Gisela João (dia DR Procissão da Invenção da

DR

Procissão da Invenção da Santa Cruz é o momento religioso mais solene da Festa das Cruzes de Barcelos

30), Pedro Abrunhosa (dia 2), Aurora (dia 26), sempre às 22 horas, para além de outros es- pectáculos de música popular. O folclore de rua decorre nos dias 26, 27, 1 e 4 (sempre às 10.30 horas), contando com a participação de vários grupos folclóricos do concelho. No âmbito da música tradicio- nal, haverá Rusgas ao Senhor da Cruz (dia 3, a partir das 20 ho-

ras), concerto pela Banda Musi-

cal de Oliveira (dia 3, às 14.30 horas) e espectáculo de bandas filarmónicas (dia 4, às 16 horas), dança (dia 28, às 21.30 horas), e Zés P’reiras a anunciar a alvora- da. A Festa das Cruzes tem, ainda, outros momentos marcantes co- mo a Batalha das Flores (dia 1, às 15 horas), o fogo de artifício (fogo do Rio, no dia 30, às 00 horas; fogo da ponte, no dia 3, às 00 horas e fogo de encerramen-

to, no dia 4, às 23 horas), a feira franca e o extenso parque de di- versões instalado no Campo da Feira e recinto anexo, bem como a animação permanente um pou- co por toda a cidade. Refira-se, ainda, o festival ‘Ai Cruzes’, a decorrer nos dia 24, 25, 26, 30, 1, 2 e 3, no Jardim das Barrocas, a partir das 22 ho- ras, com um programa musical e de animação diversificado e de entrada livre.

+ desafio

O município de Barcelos, no âmbito da Festa das Cruzes, pretende tornar este domingo especial. Para isso foi lançado o repto à comunidade para quebrar o recorde de Galos, a peça típica de Barcelos. Assim, junto à torre medieval vai estar um estrado, onde todos podem depositar o seu galo. O número mínimo, para quebrar o recorde, é de 1000 galos.

Os Caminhos de Santiago têm, também, um lugar de relevo na Festa das Cruzes, com dois mo- mentos importantes: um no dia 27, às 18 horas, com a inaugura- ção da exposição ‘20 Anos do Caminho Português de Santia- go’, na Sala Gótica dos Paços do Concelho, e a 4 de Maio, dia da Festa dedicado a esta temática com uma caminhada de peregri- nos entre Barcelos e o Albergue de Tamel S. Pedro Fins, cuja bênção se realiza na Igreja Ma- triz, às 8.30 horas. Já em S. Fins, celebra-se uma eucaristia na Capela da Senhora da Portela, às 12 horas. Ainda neste âmbito, realiza-se, às 15.30 horas, a conferência ‘Bar- celos no Caminho de Santigo’. Destaque ainda para a emissão dos programas ‘Aqui Portugal’, da RTP, no sábado, dia 26, na Avenida da Liberdade, e ‘Portu- gal em Festa’, da SIC, no do- mingo, dia 27, no Largo da Porta Nova.

No próximo dia 30

Município de Amares promove encontro associativo concelhio

AMARES

seio do movimento associativo,

das Associações Juvenis.

|

Redacção |

Este é mais um evento inserido nas comemorações do Dia do

Refira-se, a propósito, que esta é uma iniciativa que se reveste,

A

Câmara Municipal de Amares,

Associativismo Juvenil e tem

no entendimento das entidades

em articulação com a Valoriza e

como objectivo debater o papel

organizadoras, “do maior inte-

o

Clube Desportivo Recreativo

do dirigente associativo, das as-

resse para as associações do

e

Cultural Amarense, realiza

sociações juvenis e seu enqua-

concelho amarense” e, neste

no próximo dia 30, a partir das

dramento jurídico, bem como

sentido, esperam sensibilizar o

21

horas, um Encontro Associa-

dar a conhecer os programas e

tecido associativo para que em

tivo Concelhio, que terá lugar no salão nobre dos Paços do Conce- lho, com vista a reconhecer a enorme importância e as tantas potencialidades existentes no

apoios do IPDJ - Instituto Portu- guês do Desporto e da Juventu- de, do Programa Erasmus e o plano de formação de dirigentes da FNAJ - Federação Nacional

conjunto desenvolvam estraté- gias de cooperação a fim de tor- nar o tecido associativo “mais vivo, mais enriquecido e mais forte”.

§comemorações

Hoje

Póvoa de Lanhoso assinala ‘Revolução’ com programação intensa todo o dia

O 40º aniversário do 25 de Abril será assinalado na Póvoa de Lanhoso com um conjunto de propostas de carácter desportivo e de carácter cultural. O programa começa às 10 horas, com a cerimónia do Hastear da Bandeira, nos Paços do Concelho, com a participação da Banda Musical dos Bom- beiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso. Pelas 10h15, começam os ras- treios médicos (Pontido e avenida 25 de Abril). Começam, pela mesma hora, distintas actividades desportivas: andebol (pavilhão 25 de Abril), basquetebol (Av.25 de Abril), futebol (polidesportivo do Pontido), jump, spinning e zumba (anfiteatro do Pontido), etc. De tarde, pelas 15 horas, haverá ginástica geriátrica (Pontido). Pelas 15.30 horas, realiza-se a aber- tura da exposição de pintura ‘As cores que eu vejo’de Camille da Silva, na Galeria de Exposições do Theatro Club. Pelas 16 horas, estreia o espectá- culo ‘(R)Evoluções’, mas haverá muitas mais iniciativas.

12correiodominho.ptMinho

25 de Abril 2014

6 de Junho 2013 correiodominho.ptMinho 19

12 correiodominho.ptMinho 2 5 d e A b r i l 2 0 1 4 6

Romaria anima São Cláudio de Barco

SÃO CLÁUDIO DE BARCO esté em festa por estes dias com a tradicional romaria, cujo cartaz promete uma grande dose de animação de 28 de Abril a 4 de Maio - considerado o dia grande da festa, em que actuará também a artista Adriana Lua.

GUIMARÃES

| Redacção |

Uma procissão de velas às Tai- pas marca hoje, às 21 horas, a abertura do programa da Roma- ria a Nossa Senhora dos Remé-

dios, festividade que se realiza na localidade vimaranense de São Cláudio de Barco e que tem como “dia grande” o 4 de Maio.

O programa prossegue neste

domingo, com uma procissão às 15 horas, que sai de Caldas das Taipas e segue até Barco, pas- sando pelo quartel dos Bombei- ros Voluntários de Caldas das Taipas.

Entre 28 de Abril e 2 de Maio, sempre às 20.30 horas, celebra- -se missa com pregação.

A 1 de Maio, às 15.30 horas,

actua o Rancho Folclórico de Silvares, naquele que é o primei- ro dos muitos momentos de ani- mação previstos. À noite, sobem

muitos momentos de ani- mação previstos. À noite, sobem Adriana Lua actua a 4 de Maio,

Adriana Lua actua a 4 de Maio, pelas 22 horas, em São Cláudio de Barco

ao palco Jorge Loureiro e Naty

com a sua banda. Na sexta-feira, dia 2, o grupo Sons do Minho actua às 22 ho- ras. O fim-de-semana de 3 e 4 de

Maio concentra a maior parte do programa. Assim, nesse sábado, às 8 horas, dá entrada o Grupo de Bombos Teixeira Lopes e São Paio de Vizela, que prercorrerá a freguesia juntamente com a co-

DR

missão de festas. O grupo Night Blue e a Orquestra Flash Show animam essa noite. No dia 4, pelas 9.30 horas, dá entrada no parque de lazer a Banda de Música de Caldas das

Taipas, que segue em direcção à igreja. A missa solene em honra de Nossa Senhora dos Remédios está marcada para as 11 horas. Pelas 14 horas, volta a actuar a banda, desta vez pela Rua Nossa Senhora dos Remédios. A tarde era preenchida com ac- tos religiosos, a que se segue a majestosa procissão com diver- sos andores ornamentados com flores naturais. Às 22 horas sobe ao palco Adriana Lua e a sua banda. Uma grandiosa sessão de fogo de artíficio encerra esta romaria. Esta festa regista o apoio do Correio do Minho, da Antena Minho e da câmara de Guima- rães. Colaboram ainda a Junta de Barco, o Grupo Coral de Barco, a Fanfarra de Barco, o CNE, os Bombeiros das Taipas, a Polícia Municipal e STAF Produções, entre outros.

Fernando Moniz e Isabel Coutinho em Fafe

PS defende reindustrialização para criar emprego

FAFE

| Redacção |

Fernando Moniz e Isabel Coutinho, can- didatos do PS às eleições para o Parla- mento Europeu, defendem a reindustriali- zação da região para fomentar a criação de emprego. Prosseguindo os contactos com o tecido social e empresarial da região, os candi- datos socialistas estiveram de visita a Fa- fe. Acompanhados pelo presidente da câ- mara municipal, Raúl Cunha, e presidente do PS concelhio, Francisco Lemos, assim como de outros dirigentes, os candidatos visitaram duas empresas representativas do pulsar da economia local. “Para além de representarem centenas de empregos na região, as empresas visi- tadas demonstram a capacidade empreen- dedora dos nossos empresários e o nível elevado de produtividade dos nossos tra- balhadores, num ambiente de inovação e investimento com capitais próprios, que garantem níveis de competitividade no mercado global onde estão fortemente implantadas”, refere o PS em comunica- do, onde acrescenta: “esta região, pionei- ra nas relações comerciais com mercados exteriores, com história no contexto de produção industrial, reúne condições ade-

contexto de produção industrial, reúne condições ade- DR Fernando Moniz, candidato do PS quadas para ser

DR

Fernando Moniz, candidato do PS

quadas para ser palco principal do proces- so de reindustrialização, constituído co- mo prioridade da agenda política da União Europeia, com vantagens compa- rativas, em sectores e unidades industriais que criarão empregos numa região, onde os choques assimétricos, consequência do processo de globalização, mais se fizeram sentir”.

Publicidade

onde os choques assimétricos, consequência do processo de globalização, mais se fizeram sentir”. Publicidade

correiodominho.pt 6 de Junho 2013

20 Minho

25 de Abril 2013 correiodominho.pt

Minho 13

2013 20 Minho 25 de Abril 2013 correiodominho.pt Minho 13 Câmara quer construir pavilhão ‘multifunções’ no

Câmara quer construir pavilhão ‘multifunções’ no centro da vila

DESEJO foi apresentado pelo autarca monçanense durante o balanço do primeiro ano de actividade do Cine Teatro João Verde, que reabriu as portas no dia 25 de Abril de 2013.

MONÇÃO

| Miguel Viana |

A vila de Monção poderá vir a

ter, em breve, um pavilhão mul- tifunções.

A ideia foi avançada ontem,

pelo presidente da Câmara Mu- nicipal de Monção, Augusto Do-

mingues, durante a conferência de Imprensa para apresentação do balanço do primeiro ano de actividade do Cine Teatro João Verde.

O local para a instalação do

equipamento poderá ser o sub- solo da Praça da República. “Espero que um dia se avance para uma estrutura multifun- ções. O objectivo é trazer pes- soas ao centro histórico. Temos de fazer acções que tragam mais gente ao centro. Com o

espaço polivalente nos baixos da praça advém mais valias pa-

ra todos”, disse Augusto Do-

mingues. Em relação ao Cine Teatro João Verde (que reabriu as por- tas no dia 25 de Abril 2013 após

Verde (que reabriu as por- tas no dia 25 de Abril 2013 após D,R, Presidente da

D,R,

Presidente da Câmara de Monção (à direita) mostrou-se satisfeito com balanço da actividade do Cine Teatro João Verde

obras de remodelação), o autarca monçanense salientou que o es- paço tem sido bem aproveitado e tem tido dinamismo,

“Este espaço tem contribuido para o desenvolvimento cultural da comunidade monçanense”, disse o autarca, restando, agora

“repensar outras actividades. Já vimos que o cinema resulta, ago- ra é tempo de abrir a outras in- ciativas”, acrescentou Augusto

Domingues. O vereador do Pelouro da Cul- tura, Paulo Esteves, acentuou que a renovada sala de espectá- culos “veio profissionalizar a programação cultural do muni- cípio feita de dois em dois me- ses em função do público-alvo e do custo. Os espectáculos fo- ram pensados para que a casa possa ser visitada por uma fa- mília.” Paulo Esteves salientou que o espaço tem sido frequentado por espectadores vindos de Paredes de Coura, Valença e Espanha, além da população monçanense. Além das sessões de cinema, o Cine Teatro João Verde tem ser- vido de palco para outros even- tos culturais (alguns deles com apoio de empresas locais, ao abrigo da lei do mecenato) e ac- ções de solidariedade. No último ano foram apresen- tados 44 espectáculos (a que as- sistiram 8.289 espectadores), 149 sessões de cinema (com 21.862 espectadores) e foram realizadas 44 acções infantis com a presença de 969 crianças. Tudo isto faz um total de 237 es- pectáculos presenciados por 31.158 espectadores. Os custos de programação atin- giram os 88.984 euros e as recei- tas de bilheteira permitiram arre- cadar 92.413 euros. Não foram contabilizados os custos com a manutenção, da energia consu- mida e dos recursos humanos nem apurados os valores do or- çamento anual do espaço.

Publicidade

AVENIDA 31 DE JANEIRO, 13 - BRAGA www.imobraga.pt t. 253 220 913 m. 915 592
AVENIDA 31 DE JANEIRO, 13 - BRAGA
www.imobraga.pt
t. 253 220 913 m. 915 592 731
IMÓVEL DO BANCO
€ 101.000 APARTAMENTO T2 – FRAIÃO
Aq. Central, AC (Condutas), Asp. Central, 2 WC. Junto ao Continente!
FINANCIAMENTO A 100 % e SPREAD REDUZIDO… Oportunidade

Nos últimos 13 anos

Serviços Sociais do município apoiaram mais de 800 trabalhadores em situação difícil

VIANA DO CASTELO

| Autor da Notícia |

Os Serviços Sociais dos Traba- lhadores Municipais de Viana do Castelo (SSTMVC) distribuíram mais de 600 mil euros em apoios sociais a trabalhadores em difi- culdades nos últimos 13 anos, informou ontem fonte da insti- tuição. A associação, que reúne sócios antigos e actuais trabalhadores da Câmara Municipal e dos Ser- viços Municipalizados e de Sa- neamento Básico de Viana do Castelo, apoiou com 520 mil eu- ros 805 trabalhadores “em situa- ções desfavorecidas”. Esta verba foi reforçada com 106 mil euros para subvenções por morte, de acordo com a mes- ma fonte. A instituição, sem fins lucrati-

com a mes- ma fonte. A instituição, sem fins lucrati- DR Câmara Municipal de Viana do

DR

Câmara Municipal de Viana do Castelo

vos, assinala amanhã o 84.º ani- versário, tendo sido criada em 1930 sob a primitiva denomina- ção de Caixa de Previdência dos Funcionários da Câmara Muni- cipal. Os SSTMVC, recorda a actual direcção, liderada por Carlos Ta-

vares, vive apenas de capitais próprios, sustentada em 90% pe- la “prestação de serviços e pelo pagamento das joias e quotas mensais dos seus associados”. Em 2009 viu o orçamento atin- gir o seu maior valor de sempre, de cerca de 171 mil euros, contra a média anual de 150 mil euros. A instituição tem como missão assegurar a acção social “com- plementar da generalidade dos trabalhadores da Administração Pública”, com excepção daque- les que se encontrem abrangidos por outros serviços específicos de idêntica natureza. Nos últi- mos seis anos investiu cerca de 80 mil euros na remodelação de infraestruturas de apoio aos as- sociados, recorrendo apenas a capitais próprios, “sem qualquer apoio externo”, enfatiza a direc- ção do SSTMVC.

correiodominho.pt 25 de Abril 2014

Publicidade 21

correiodominho.pt 25 de Abril 2014 Publicidade 21

correiodominho.pt22

18 de Abril 2014

25 de Abril 2014 correiodominho.pt23

Desporto Sporting de Braga
Desporto
Sporting de Braga

AINDA ESTÁ EM JOGO GARANTIR O SEXTO LUGAR

ÉPOCA VAI FICAR MARCADA por resultados aquém das expectativas, mas ainda está em jogo o 6.º lugar. Cinco pontos separam bracarenses da 11.ª posição. Evitar pior registo da década é o mote.

I LIGA

| Joana Russo Belo |

A época ainda não terminou. E

está em jogo a conquista do sex-

to lugar da I Liga, evitando, as-

sim, terminar com uma das pio- res classificações da última década. Apesar de ter falhado os

principais objectivos desta tem- porada - competições europeias, Taça de Portugal e Taça da Liga - o Sp. Braga tem ainda em jogo

o sexto lugar da tabela classifi- cativa, por forma a evitar uma época bem mais desastrosa. Quando faltam duas jornadas para o fecho do campeonato - e numa altura em que já se come-

ça a perspectivar a construção da

próxima época e a remodelação do plantel e equipa técnica - a

equipa arsenalista persegue ain- da o objectivo de fugir à pior classificação dos últimos anos.

O próximo encontro assume,

assim, carácter determinante e é nesse prisma que o técnico Jorge Paixão tem motivado a equipa. Os guerreiros recebem o Maríti- mo - jogo agendado para o dia 4 de Maio (16 horas) - adversário que ocupa o sexto lugar a apenas

um ponto de distância. Vencer em casa, no Estádio AXA, os madeirenses é um pas- so fundamental para garantir a

posição, já que nesta recta final

há seis equipas separadas por es-

cassos cinco pontos, o que pode-

rá ditar mudanças drásticas na

tabela classificativa, caso os bra- carenses não vençam.

É que, na última ronda, o Sp.

Braga joga em casa do vizinho e eterno rival Vitória de Guima- rães, dérbi minhoto que fecha as contas da época. Os bracarenses somam 36 pon- tos e têm logo atrás, na persegui-

somam 36 pon- tos e têm logo atrás, na persegui- DR Jorge Paixão deu início à

DR

Jorge Paixão deu início à preparação do jogo com o Marítimo, determinante para o 6.º lugar do campeonato

ção, Vitória de Setúbal (8.º, 35); Académica (9.º, 33); Vitória de Guimarães (10.º, 31) e Rio Ave

(11.º, 31). Números que colocam a moti- vação para estas duas últimas

jornadas em alta, uma vez que, olhando para os resultados da última década, somente em 2007/08 o Sp. Braga terminou em 7.º lugar, com 41 pontos. Foi a excepção ao longo de dez tem- poradas recheadas de sucesso e

êxitos reforçados com presenças consecutivas nas provas euro- peias. Primeiro na Taça UEFA, depois na Taça Intertoto, Liga Europa e Liga dos Campeões. O sexto lugar para o qual luta agora o Sp. Braga contrastará com as posições europeias con- quistadas nos últimos anos. Um trajecto que se iniciou em 2003/04, com o 5.º lugar, na al- tura com Jesualdo Ferreira no comando técnico. Seguiram-se

três quartos lugares (de 2004 a 2007), o sétimo alcançado na época 2007/08 (pior registo nu- ma temporada marcada por três treinadores: Jorge Costa, Ma- nuel Machado e António Cal- das); um 5.º lugar (2008/09); o inédito posto de vice-campeão na época 2009/10 (71 pontos e com Domingos Paciência como treinador); o 3.º (2011/12) e dois quartos lugares em 2010/11 e

2012/13.

+ percurso

Época aquém das expectativas poderá terminar como uma das piores da última década. Cinco pontos separam apenas o Sp. Braga (7.º) do 11.º lugar (ocupado pelo V. Guimarães e Rio Ave).

Nos últimos dez anos, o Sp. Braga ficou apenas uma vez abaixo do 5.º lugar europeu:

em 2007/08, ano marcado por três treinadores (Jorge Costa, Manuel Machado e António Caldas), mas que deu acesso à Taça Intertoto.

Classificações:

2003/04 - 5.º (54 pontos) 2004/05 - 4.º (58) 2005/06 - 4.º (58) 2006/07 - 4.º (50) 2007/08 - 7.º (41) 2008/09 - 5.º (50) 2009/10 - 2.º (71) 2010/11 - 4.º (46) 2011/12 - 3.º (62) 2012/13 - 4.º (52).

§plantel

Pausa competitiva Guerreiros regressaram após dupla folga

Depois de dois dias de folga - motivados pela pausa competiti- va no campeonato da I Liga (de- vido às meias-finais da Taça da Liga, agendadas para domingo, entre FC Porto e Benfica) - o plantel do Sp. Braga regressou aos trabalhos. Treino foi à porta fechada e deu início à prepara- ção do jogo com o Marítimo, dia 4 de Maio. Até lá, não há jogos, nem de preparação. Hoje há no- vo treino, fechado, às 10 horas.

Publicidade

correiodominho.pt 25 de Abril 2014

Desporto 23

correiodominho.pt 25 de Abril 2014 Desporto 23

Continuidade de Rui Vitória em Guimarães “era positivo”

PAULO OLIVEIRA DEFENDE a continuidade do técnico Rui Vitória. Defesa central falou à margem de uma visita e garante empenho total da equipa para dar a volta à série de nove jogos sem vencerem.

V. GUIMARÃES

| Redacção/lusa |

O defesa central Paulo Oliveira

defendeu, ontem, a continuidade

de Rui Vitória como treinador do

Vitória de Guimarães, actual 10.º classificado da I Liga. “Claro que era positivo que ele continuasse, porque é sempre bom um clube ter um treinador competente, que aposta na for- mação, o que o Vitória tem feito muito bem nos últimos anos, mas não sei se é isso que vai

acontecer e se calhar ele também ainda não sabe”, disse à margem de uma visita de uma comitiva

do clube ao Agrupamento de Es-

colas de Ribeira de Pena, conce- lho de Vila Real. Para o internacional sub-21, “é unânime dizer que o Rui Vitória tem feito um trabalho fantásti- co” no V. Guimarães, pelo que “a cidade e o clube devem-lhe respeito e um obrigado”. Contu- do, considera que a incerteza so- bre a continuidade do técnico e também do próprio presidente, Júlio Mendes, não é a razão do mau rendimento da equipa. A equipa somou na última jor- nada mais uma derrota caseira, diante do Arouca (3-2), naquele que foi o nono jogo sem vencer.

do Arouca (3-2), naquele que foi o nono jogo sem vencer. VSC Moreno e Paulo Oliveira

VSC

Moreno e Paulo Oliveira visitaram o Agrupamento de Escolas de Ribeira de Pena e distribuíram autógrafos aos mais novos

+ mais

Comitiva vimaranense visitou Agrupamento de Escolas de Ribeira de Pena. Paulo Oliveira e Moreno distribuíram autógrafos aos mais novos, na companhia de Neno e Flávio Meireles.

“Temos todos a consciência de que não estamos a atravessar uma fase positiva e estamos a reagir, a reflectir em conjunto, como um verdadeiro grupo, para passar por cima disso e encarar o jogo com a Académica com toda a vontade para tentar ganhar os três pontos”, disse. Mais do que encontrar justificações para a sé- rie negra, defende que importa “encontrar os métodos para re- solver os problemas”. Para o central, a época não tem

sido positiva, mas “não deve fa- zer-se um drama”, lembrando que o Vitória passou por uma “reestruturação necessária”. Sobre se espera dar o salto para outro clube na próxima época, disse que “na altura certa se vai conversar sobre isso”. “Estou num grande clube, que me aco- lheu e deu a mão, estou orgulho- so de o representar e não há pro- blema nenhum se tiver que continuar, faço-o com todo o gosto”, revelou.

Moreirense na máxima força para lutar pelo título de campeão

André Simões reintegrado nos treinos

II LIGA

| Redacção |

Depois da subida de divisão, o Moreirense FC centra agora as atenções na conquista do título de campeão da II Liga, quando

faltam três jornadas para o final

do campeonato.

André Simões foi ontem rein- tegrado no treino do plantel da equipa de Moreira de Cónegos,

o que reforça a expectativa sobre

a recuperação do médio, aumen-

tando, assim, as opções para An-

tónio Conceição. Afastado o cenário de uma le-

são de maior gravidade, André

Simões já trabalha no relvado

integrado na companhia dos res- tantes colegas de equipa.

O técnico vimaranense tem

agora todo o plantel à disposi- ção, com Luís Aurélio e Tiago

Borges aptos para ajudar a atacar a conquista do título de cam- peão.

A única excepção é o defesa

Paulinho, que vai cumprir um

jogo de castigo frente ao Santa

Clara. Jogo está agendado para domingo, a partir das 16 horas. Seguem-se duelos com Maríti- mo B e Tondela.

das 16 horas. Seguem-se duelos com Maríti- mo B e Tondela. MFC Médio André Simões é

MFC

Médio André Simões é opção para o jogo com o Santa Clara

§Liga Europa

Meias-finais Benfica vence Juventus e leva vantagem para Turim

O Benfica venceu, ontem, a Ju-

ventus, por 2-1, no Estádio da

Luz, em jogo da primeira mão das meias-finais da Liga Europa, impondo a primeira derrota aos italianos na competição.

O defesa central argentino Eze-

quiel Garay marcou para os encarnados, aos dois minutos, o compatriota Carlos Tévez empa- tou para os bicampeões italia- nos, aos 73, e o brasileiro Lima, aos 84, selou o triunfo dos cam- peões portugueses, que partem para a segunda mão em Turim, marcada para a próxima quinta-feira, dia 1 de Maio, em vantagem na luta por uma se- gunda presença consecutiva na final da Liga Europa. No outro encontro das meias-fi- nais disputado ontem, o Sevilha venceu em casa o duelo espa- nhol frente ao Valência, por 2-0. Recorde-se que a final da Liga Europa está marcada para 14 de Maio, no Juventus Sta- dium, em Turim.

Nacional de Seniores

Joane e Ribeirão em risco de descida aos distritais

A quatro jornadas do fim da se-

gunda fase do Campeonato Na- cional de Seniores - restam 12 pontos - o Joane e Ribeirão, que

militam na série B, estão em ris- co de descida aos distritais da Associação de Futebol de Braga.

O Ribeirão está nesta altura em

zona de despromoção - mas em posição que dá ainda acesso a

um ‘play-off’ salvador - porém

à distância de quatro pontos da

AD Oliveirense, Varzim e Tir- sense, as três equipas em zona de permanência.

Por sua vez, o Joane está cinco pontos abaixo da linha de água, mas a um ponto do Ribeirão e do ‘play-off’. Por isso, o jogo do próximo domingo, em casa, com

o Famalicão (que embora mais

tranquilo não está ainda a salvo)

é crucial para a formação de Joa-

ne. Já o Ribeirão vai receber o Varzim, num jogo onde também está obrigado a vencer. Quanto à série A, o Ninense é último classificado, mas ainda aspira a chegar à posição do ‘play-off’, estando a cinco pon- tos do Pedras Salgadas. Este do- mingo recebe o Mirandela, se- gundo da poule de manutenção.

correiodominho.pt24 Desporto

24 de Abril 2014

25 de Abril 2014 correiodominho.ptDesporto 23

correiodominho.pt 24 Desporto 24 de Abril 2014 25 de Abril 2014 correiodominho.ptDesporto 23

§breves

25 de Abril Este FC celebra hoje 40.º Aniversário no dia da revolução

O Este Futebol Clube celebra, ho-

je, o 40.º Aniversário, dia 25 de

Abril. Está previsto um dia reple-

to de actividades, numa iniciati-

va que conta com o apoio da Junta da União de Freguesias de Este (São Pedro e São Mamede). Comemorações começam com uma Missa na Igreja Paroquial de Este S. Pedro, pelas 8 horas, em honra dos associados falecidos, seguida de romaria ao cemitério. Segue-se a festa no Campo 25 de Abril, a partir das nove horas. Atletismo e futebol são a ementa para a parte da manhã, com vá- rias provas para infantis, inicia- dos, juvenis, juniores e seniores. Estão previstas ainda demons- trações de Step, Karaté e Hip Hop. As celebrações prolongam- -se pela parte da tarde com jo- gos tradicionais.

Vale do Cávado Leões Santa Lucrécia celebram 25 de Abril

O Leões Samta Lucrécia celebram

hoje o dia 25 de Abril com muita animação no seu campo despor- tivo. De manhã a festa começa

com um jogo do campeonato Va-

le do Cávado, seguido de jogos

entre solteiros contra casados, e jogos tradiconais (sueca, tiro ao alvo e jogo da malha) de tarde.

“Estamos em posição privilegiada

em relação aos adversários”

O S. PAIO D'ARCOS pode fazer a festa da subida à Pró-Nacional da AF Braga em caso de vitória no jogo de amanhã em S. Veríssimo. Zequinha mantém cautelas e vai dizendo “ainda não ganhámos nada”.

A.F. BRAGA

| Paulo Machado |

Ainda é cedo para deitar fogue- tes, mas a equipa do S. Paio d'Arcos FC está a um pequeno passo de fazer a festa de subida à Pró-Nacional. Com três jogos por realizar, está a uma vitória de garantir, no mínimo, o segun- do lugar deixando sempre em aberto a discussão pelo título, até porque a margem é curta em relação aos adversários. Na jornada anterior, a equipa do S. Paio d'Arcos isolou-se na liderança e agora só depende de si para abrir as portas do título de campeão. É natural o senti- mento de exaltação, mas tam- bém há cautelas. A experiência

de Zequinha, o treinador da equipa bracarense, conduz a um discurso cauteloso quando entra- mos na recta decisiva da prova. “Neste momento estamos numa

situação privilegiada, onde mui- ta gente gostava de estar. Mas ainda não ganhamos nada e, co- mo tal, é importante manter a se- renidade”, vincou o treinador em

importante manter a se- renidade”, vincou o treinador em DR Zequinha, treinador do S. Paio de

DR

Zequinha, treinador do S. Paio de Arcos

declarações ao Correio do Mi- nho. A contenção nas palavras, todavia, não arrefece a ambição.

Zequinha aponta como priorida- de a subida de divisão, mas tam- bém assume a discussão do títu-

lo de campeão na série A da Di- visão de Honra da AF Braga. “Temos de dar um passo de cada vez, estamos numa boa posição para ficar em primeiro lugar, mas primeiro queremos garantir

a subida”, alerta o treinador.

O jogo com o S. Veríssimo, 7.º

classificado do campeonato, rea- liza-se no sábado e está a ser preparado com rigor, pois Ze-

quinha está ciente que “é um jo- go decisivo, pois podemos selae

a subida de divisão” e define es- te adversário como “uma equipa fortíssima e com qualidade, tal como o demonstrou na parte ini- cial do campeonato”.

A discussão pelo título, porém,

“está em aberto” num leque alar- gado de acordo com o treina- dor do S. Paio d'Arcos. “Tanto o terceiro (Pousa) como quarto (Cabreiros) classificados po- dem chegar à liderança. Vamos aguardar, pois a luta está em aberto e nada decidido, veja o que aconteceu ao Benfica o ano passado na I Liga onde podia ga- nhar tudo e não ganhou nada”, exemplificou o treinador.

Águias da Graça: Bé Palheiras confiante no valor da sua equipa para recta final no campeonato da Divisão de Honra

“Controlar a ansiedade é o mais difícil nestes jogos”

DIVISÃO DE HONRA

| Paulo Machado |

O Águias da Graça segue no se-

gundo lugar da Série A da Divi-

são de Honra, apenas a três pon- tos da liderança mas com uma meta bem definida que passa por colocar a equipa, novamente, no escalão máximo do futebol dis- trital. O treinador, Bé Palheiras, é um dos obreiros deste percurso as- cendente, entrou com a carrua- gem já em andamento e deixa uma mensagem de confiança pa-

ra os três jogos que restam dis-

putar. “A equipa está bem fisica- mente, agora vamos lutar até ao fim para consumar a subida”, sa- lientou o técnico da equipa bra- carense. Carreira, Soarense e Tadim são os adversários que o Águias da

Graça tem de enfrentar até ao fi- nal do campeonato, por esta or- dem, mas para Bé Palheiras não

jogos mais ou menos difíceis. “São jogos muito complicados, neste momento não interessa se vamos jogar contra o quinto ou contra o último”. O treinador do Águias da Graça sublinha ainda que “tenho confiança neste gru- po de jogadores pela sua quali- dade” e o único factor a ter peso nestes jogos decisivos é a expe- riência. “Sabemos a responsabi- lidade que temos e nestes jogos aumenta a ansiedade, ainda mais

num plantel muito jovem. O Águias da Graça tem vários jo- gadores com idades entre os 18 e 20 anos e nestes jogos é preciso ter calma e controlar a ansieda- de, o que nem sempre é fácil”. Logo, o factor experiência não abona muito a favor da equipa

o factor experiência não abona muito a favor da equipa DR Bé Palheiras, treinador do Águias

DR

Bé Palheiras, treinador do Águias da Graça

de Padim da Graça. “Essa ansie- dade já se notou um pouco no último jogo do campeonato com o Cabreiros, as coisas não corre-

ram da melhor forma e até joga- mos muito bem”, salientou Bé Palheiras. O Águias da Graça surge, as-

sim, na luta pelo título nesta rec- ta final depois de inverter um ci- clo menos positivo, que coinci- diu com a entrada da nova equipa-técnica. Bé Palheiras ex- plica que “o trabalho feito pas- sou por dar liberdade aos joga- dores, de forma a que se sen- tissem com a cabeça leve para treinar e jogar. Deixamos os jo- gadores à vontade e os resulta- dos foram surgindo, porque tam- bém existe qualidade”, afirmou Bé Palheiras.

O técnico está expectante que a

luta pela liderança vai cingir-se a Águias da Graça e S. Paio d'Ar- cos, mas “para já temos o objec- tivo número um que é segurar o segundo lugar e garantir a subi- da”, constatou o treinador. Este sábado, o Águias da Graça rece- be o Carreira em jogo da 28.ª jornada do campeonato.

24correiodominho.ptDesporto

25 de Abril 2014

25 de Abril 2014 correiodominho.ptDesporto 25

24 correiodominho.ptDesporto 25 de Abril 2014 25 de Abril 2014 correiodominho.ptDesporto 25

Manuel Gama apurado para Mundial de Bilhar no Qatar

ATLETA DO SP. BRAGA, Manuel Gama, ajudou a selecção nacional de bilhar a conquistar a medalha de bronze na 2.ª prova do circuito europeu, que decorreu no Chipre. Gama apurou-se ainda para o Mundial no Qatar.

BILHAR

| Redacção |

O atleta vianense Manuel Gama,

do Sporting Clube de Braga, es- teve em destaque na segunda prova do circuito Europeu em Kyrenia, que decorreu no Norte de Chipre, ao ajudar Portugal a conquistar a medalha de bronze colectiva na competição. Indivi- dualmente, também era uma prova importante para Gama, antes do Campeonato do Mundo no Qatar, onde os 24 primeiros classificados do ranking europeu após esta etapa teriam acesso ao Mundial, e Manuel Gama conse- guiu o objectivo. Esta prova contou com a pre- sença de 164 atletas e teve como participantes portugueses, Ma- nuel Gama (Sp. Braga), Rui Ed- gar (Benfica), Guilherme Sousa (Gastromadeira), Miguel Silva (AB) e João Grilo (Benfica). Gama começou bem e venceu o categorizado jogador espanhol Carlos Cabello, por 9-5. Segui- ram-se mais dois importantes triunfos até à entrada para o qua- dro final de 32 jogadores, onde

até à entrada para o qua- dro final de 32 jogadores, onde DR Manuel Gama (Sp.

DR

Manuel Gama (Sp. Braga) vai disputar um Mundial de Bilhar pela sexta vez na carreira

Manuel Gama enfrentou e ven-

ceu, por 9-6, o inglês Darren Ap- pletton, campeão do Mundo em

2012 e mais recentemente galar-

doado como jogador do ano

2013 pela Federação Europeia

de Bilhar Pool. Na seguinte ron- da, já entre os últimos 16 atletas, Manuel Gama perdeu com o es- panhol Francisco Diaz Pizarro, por 4-9, mas com a classificação final alcançada, Gama, actual n.º 22 do ranking Europeu, fica automaticamente apurado para disputar a prova mais importante do calendário internacional, em

Junho em Doha (Qatar). Será a sua sexta participação em campeonatos do Mundo pro- fissionais de bilhar, tendo como melhores resultados, um 5.º lu- gar em 2007, em Jacksonville (USA), e um 17.º, em 2011, nos Emirados Árabes Unidos. Agora no início de Maio, Ma- nuel Gama retoma as aulas na Escola de Bilhar Sp. Braga e Es- cola de Bilhar de Viana, e todos os interessados terão oportuni- dade de aprender a modalidade com um dos melhores jogadores europeus.

Piloto bracarense disputa, domingo, a Rampa da Penha

Ricardo Gomes na linha de partida do Campeonato de Portugal de Montanha

AUTOMOBILISMO

| Redacção |

O piloto bracarense Ricardo Go-

mes marca presença este fim-de-

semana, na linha de partida para

o Campeonato de Portugal de

Montanha, cumprindo a primei-

ra prova do calendário, na Ram-

pa da Penha. Ao volante do Pun-

to Abarth HGT, promete um

excelente andamento e a procura pelos lugares cimeiros deste competitivo campeonato. De acordo com o piloto, “a mi- nha participação nestas provas visa, sobretudo, conhecer me- lhor o carro em prova e o seu comportamento naqueles traça- dos, uma vez que este é um pro- jecto muito recente. Pretendo

uma vez que este é um pro- jecto muito recente. Pretendo Ricardo Gomes DR criar condições

Ricardo Gomes

DR

criar condições para proceder a significativas evoluções e me- lhorias no desempenho do carro findas as primeiras provas”.

Natural de Braga, com 33 anos e uma experiência acumulada no desporto motorizado oriundo dos kartings e do automobilis- mo, Ricardo Gomes marca pre- sença já no domingo, na Rampa da Penha, em Guimarães, se- guindo-se a Rampa Internacio- nal da Falperra, que este ano se cumpre a 10 e 11 de Maio. O Campeonato de Portugal de Montanha é composto por oito provas pontuáveis, entre elas a Rampa da Penha (Guimarães), Rampa da Falperra (Braga), Rampa da Covilhã, Rampa Por- ca de Murça (a novidade deste ano do CMP), Rampa Capital do Móvel (Paços de Ferreira), Ram- pa do Caramulo, Rampa da Pe- nha 2 e a Rampa Sra. da Graça.

§modalidades

Comemorações do 25 de Abril

Prova de atletismo anima União das Freguesias de Real, Dume e Semelhe

No âmbito da comemoração do 25 de Abril, realiza-se hoje a tradicional Prova de Atletismo da União das Freguesias de Real, Dume e Semelhe.

A prova decorre durante a manhã, para crianças a partir dos três anos e

adultos de várias idades. De tarde, no campo de futebol do Dumiense vão realizar-se diversas acti-

vidades, com actuações de grupos de música e dança, entre outras.

Futsal

Jorge Braz assume comando técnico da selecção nacional universitária

Jorge Braz assume novamente o comando de seleccionador nacional universitário de Futsal e vai orientar as equipas feminina e masculina no 14.º Mundial Universitário da modalidade, que vai decorrer este ano em Málaga (Espanha). É a terceira vez que Braz assume este cargo. Recorde-se que em 1998 e em 2012, a cidade de Braga foi palco do Cam- peonato do Mundo Universitário de futsal.

Desporto Equestre

Guimarães recebe Campeonato Regional Norte de Atrelagem 2014

A

cidade de Guimarães recebe, amanhã, a segunda jornada a contar para

o

Campeonato Regional do Norte Derby’s de Atrelagem 2014. Trata-se de

uma prova organizada pela Comissão de Festas em Honra de Nossa Srª Da Luz - Creixomil, em colaboração com o Clube de Atrelagem do Norte e da Federação Equestre Portuguesa. Competição, de apuramento para o Campeonato Nacional, está agenda- da para as 11 horas, em Creixomil.

Automobilismo

Joana Barbosa motivada para a estreia na Rampa da Penha

Depois de no ano passado ter dado os primeiros passos no automobilismo de velocidade no Tro- féu Abarth 500 Portugal, Joana Barbosa vai ali- nhar esta época no Campeonato Nacional de Montanha. A jovem piloto de Braga vai assim enfrentar um novo desafio, começando já este fim-de-semana de 26 e 27 de Abril com a parti- cipação na Rampa da Penha, a jornada inaugu- ral da competição. Joana Barbosa, que está ins- crita no Grupo A, categoria 1, do respectivo campeonato, não coloca a fasquia muita alta, preferindo apontar como objectivo: ”acima de tudo quero adaptar-me o mais rápido possível a um carro que penso, será um pouco exigente, mas também às provas. De res- to, para a temporada as expectativas são sentir uma evolução na minha adaptação e acima de tudo divertir-me”, refere em nota de imprensa.

expectativas são sentir uma evolução na minha adaptação e acima de tudo divertir-me”, refere em nota

Publicidade

QUINTA DE JUSTE

QUINTA DE JUSTE

Santa Lucrécia - BRAGA

Santa Lucrécia - BRAGA

VINHO DE QUINTA “feito de uvas

exclusivas da quinta”

BRANCO LOUREIRO COLHEITA 2012

BRANCO LOUREIRO COLHEITA 2012

Mínimo 70 litros - 1,00/litro

Mínimo 70 litros - 1,00 € /litro

BRANCO LOUREIRO COLHEITA 2013

BRANCO LOUREIRO COLHEITA 2013
Mínimo 50 litros a 69 litros - 1,20 € /litro • Até 49 litros -

Mínimo 50 litros a 69 litros - 1,20/litro • Até 49 litros - 1,50/litro

- 1,20 € /litro • Até 49 litros - 1,50 € /litro Acresce Taxa IVA 6%

Acresce Taxa IVA 6% em vigor

De Segunda a Sexta, das 09h às 17h Sábados das 09h às 12h e das 13h30 às 17h

De Segunda a Sexta, das 09h às 17h Sábados das 09h às 12h e das 13h30
tlm. 961 104 008

tlm. 961 104 008

26 Desporto

25 de Abril 2014 correiodominho.pt

26 Desporto 25 de Abril 2014 correiodominho.pt

Clube Aventura em Marrocos numa expedição solidária

PASSEIO TODO-O-TERRENO por 5000 quilómetros ao sul de Marrocos leva também ofertas de material escolar, cedido por empresas e cidadãos de Vila Nova de Famalicão.

cedido por empresas e cidadãos de Vila Nova de Famalicão. DR Vereador Mário Passos felicitou Clube

DR

Vereador Mário Passos felicitou Clube Aventura pelo dinamismo e pela solidariedade

AUTOMOBILISMO

| Redacção |

O Clube Aventura Famalicão

volta a aliar o gosto pela aventu- ra à solidariedade e ontem de manhã partiu para mais uma ex- pedição rumo ao Sul de Marro-

cos, desta vez intitulada ‘Escolas Solidárias’. Nesta que é a sua quinta expedição a terras marro- quinas, o clube conta com a par- ticipação de vinte aventureiros e um total de dez viaturas, que pe-

la frente têm agora um caminho

de 5 mil quilómetros a percorrer.

Para além dos bens pessoais, na mala, os participantes nesta ac-

ção levam também uma causa nobre: a entrega de material di- dáctico a várias escolas da re- gião, doado, na sua grande maioria, por empresas e cida- dãos famalicenses. Antes da partida, os partici- pantes contaram com as palavras de alento do vereador do Des- porto da autarquia famalicense, Mário Passos.

O autarca felicitou o Clube

Aventura pelo seu dinamismo, mas também por nunca se es- quecer de ajudar quem mais pre- cisa, num momento, referiu, “que poderia ser apenas de puro lazer”. Recorde-se que o Clube Aventura Famalicão foi fundado em 1993 e desde então tem reali- zado diversos eventos no conce- lho, com especial destaque para o Raid Antoninas, integrado nas festas da cidade, para além de passeios às serras e diversas ex- pedições aos Picos da Europa e a Marrocos.

Dois juniores e três seniores

GD Prado entra em ringue no Open Internacional de Canedo

TAEKWONDO

| Redacção |

A equipa de taekwondo do Gru-

po Desportivo de Prado entrará no “ringue” para uma das com- petições mais prestigiadas de combates a nível nacional, o Open Internacional de Canedo, em Santa Maria da Feira. A equipa estará representada por cinco atletas, sendo que dois frequentam o escalão de juniores e três encontrar-se-ão no escalão

de seniores.

É no escalão de juniores que se encontram os atletas com menor

experiência em competições, sendo estes representados pelo atleta Vitor Silva na categoria - 63Kg masculinos e Micaela Go- mes em -63Kg femininos. Por sua vez, os atletas seniores que estarão presentes nesta co- mitiva são o atleta José Oliveira que disputará a categoria -74Kg Masculinos e os atletas Ricardo Gomes e Tiago Silva que vão es-

tar presentes na categoria -80Kg masculinos. Paulo Gonçalves é o técnico que acompanhará a equipa e sa- lientou a importância e reconhe- cimento deste torneio, estando optimista que alguns pódios se- jam alcançados “a competição contará com os melhores atletas nacionais e com alguns interna- cionais, sendo uma prova com um grande valor, mas espero que algumas medalhas sejam alcan- çadas”.

§modalidades

Hóquei em patins Valença inicia com folga torneio de apuramento de campeão nacional da III Divisão

O Valença HC faz folga na primeira jor-

da III Divisão O Valença HC faz folga na primeira jor- nada do apuramento de campeão

nada do apuramento de campeão da III Divisão Nacional de hóquei em patins. Terminada a fase regular do campeonato nacional, é chegada a hora de decidir quem conquista o título e qual o quarto clube a juntar-se aos vencedores de cada uma das zonas na subida ao segundo es- calão. Na prova de apuramento do cam- peão, marcam presença Valença HC (Nor- te), UDC Nafarros (Centro) e SL Benfica ‘B’ (Sul). Estes três emblemas asseguraram a primeira posição nas suas zonas, confirmaram a subida de escalão e, agora, terão oportunidade de lutar pe- la conquista do título nacional da III Divisão.

Já CCD Ancorense (Norte), ACR Pessegueiro do Vouga (Centro) e HC Vasco

da Gama (Sul), que terminaram a fase regular no segundo lugar das res- pectivas zonas, vão medir forças entre si por um lugar de promoção à II Di- visão. 1ª Jornada – Apuramento do Campeão: UDC Nafarros-SL Benfica ‘B’, 26 de Abril, às 17.00; Folga: Valença HC. 1ª Jornada – Prova de Promoção: CCD Ancorense-ACR Pessegueiro do Vouga, 27 de Abril, às 16.30. Folga: HC Vasco da Gama Na temporada passada, recorde-se, foi o CART/Superinertes quem con- quistou o título nacional da III Divisão. Os calendários podem ser consulta- dos no portal oficial da FPP, em www.fpp.pt.

Guarda-redes Quim apadrinha evento ‘2.ª Descida mais louca de Famalicão’ anima Festas Antoninas dia 10 de Junho

A ARCA – Associação Recreativa e Cultural de Antas, Vila Nova de Famali-

cão, leva a efeito, dia 10 de Junho, a ‘2ª Descida mais louca de Famalicão’

vai estar inserida no cartaz das festas

em carros artesanais.

Antoninas e além da forte componente recreativa e humorística, a prova terá um carácter solidário, pretendendo reunir o maior número possível de

alimentos, para que possam ser distribuídos posteriormente pelos serviços de acção social da Câmara Municipal de Famalicão.

A apresentação da prova à comunicação social está marcada para segun-

da-feira às 18.30, com presença anunciada do presidente da autarquia, Paulo Cunha, acompanhado pelo vereador Mário Passos,e ainda por Ma- nuel Alves – presidente da Junta de Freguesia de Antas e Abade de Ver- moim, além do guarda-redes Quim (ex-Sp. Braga e Benfica) – padrinho do evento, e Ademar Carvalho e Sofia Machado da loja social do município, patrocinadores e parceiros do evento, bem como a direcção da ARCA e a di- recção de prova.

A iniciativa

da ARCA e a di- recção de prova. A iniciativa DR Quinteto de Prado em competição

DR

Quinteto de Prado em competição no Open Internacional do Canedo

O técnico lamentou ainda algu- mas lesões que têm afectado o rendimento da equipa, e que es- pera que as mesmas não reapare- çam durante os combates “al- guns dos atletas não tem tido sorte nesta época sendo constan-

temente deparados com graves lesões e essa é também uma das minhas preocupações, espero que todos possam estar a um bom nível e que regressem aptos para as restantes competições desta época”.

correiodominho.pt 25 de Abril 2014

Desporto 27

correiodominho.pt 25 de Abril 2014 Desporto 27

ABC/UMinho visita Benfica na corrida para a liderança

NO PAVILHÃO DA LUZ, amanhã às 18 horas, enfrentam-se duas equipas, Benfica e ABC/UMinho, que disputam os lugares cimeiros. Vitória neste jogo pode fazer a diferença na corrida para a liderança.

ANDEBOL

| Rui Serapicos |

O ABC/UMinho visita, amanhã, às 18 horas, o Benfica, em jogo da sexta jornada do campeonato nacional Andebol 1. Tendo em geral prevalecido o factor casa, entre ‘águias’ e minhotos, nesta época ocorreram os três resulta- dos possíveis. A esta ronda, os ‘encarnados’ chegam vindos de uma derrota, à quinta jornada, na Luz frente a ao também candidato FC Porto (25-26), por um golo sofrido no último segundo. Hugo Rocha, ainda a recuperar de uma lesão sofrida na final da Taça de Portugal, era ontem o único academista condicionado; de resto, todos os outros estão em boa forma, disse-nos Carlos Resende. O treinador da equipa bracarense, em antevisão, consi- derou que o desaire benfiquista por um golo frente ao FC Porto pode ter leituras diversas. Por um lado, o atraso em relação à liderança e, por outro, agora “não tem nada a perder” e pro- curar todos os pontos “para o melhor lugar possível”. “Se o Benfica não fizer um bom jogo, nós agradecemos”, afirmou adiante, vincando que durante o jogo podem acontecer situações que não são previsí- veis nos treinos. “Temos que contar connosco em primeiro lugar: isso é que é importante”, frisou. Mas Resen- de salienta que o Benfica “tem qualidade” e que compete ao

salienta que o Benfica “tem qualidade” e que compete ao ROSA SANTOS Carlos Resende e Humberto

ROSA SANTOS

Carlos Resende e Humberto Gomes realçam qualidade do Benfica mas afirmam vontade do ABC para vencer na Luz

ABC concentrar-se. Vencer é o pensamento, disse, lembrando que “várias pessoas tentaram que nós avançássemos para outros objectivos”, mas “mantemos a humildade”. O guarda-redes do ABC, Hum- berto Gomes, que esteve ontem ao lado do treinador na antevi- são, escusou-se a individualizar quais são neste jogo os adversá- rios mais perigosos. “O Benfica vale pelo seu to- do”, disse, acrescentando que agora “nós temos seis finais, são seis jogos em que temos de dar tudo por tudo para ganhar”. Em luto pelos três estudantes da Universidade do Minho que faleceram no acidente devido à queda de um muro, a equipa bra- carense joga com fumos negros.

§competição ao rubro

FC Porto, ABC e Benfica

Três clubes procuram alcançar Sporting no primeiro lugar

O ABC/UMinho entra no encontro com os 'encarnados' com quatro jogos e 40 pontos — menos quatro do que o líder Sporting, que lidera, à condi- ção, com seis jogos e 44 pontos. Em segundo lugar, o FC Porto tem cinco jogos e 43 pontos. Os minhotos, que têm ainda por disputar o encontro da quinta jornada, com o Águas Santas, devido a compromissos europeus da equipa treina- da por Paulo Faria (adiado para dia 30 de Abril, no Pavilhão Flávio Sá Lei- te, às 21 horas) precisam de vencer na visita às 'águias' e na recepção aos maiatos, para atingirem o primeiro lugar. O Benfica, que perdeu em casa na anterior jornada por um golo com o FC Porto, ainda não está comple- tamente arredado da luta pelo título. Os seis pontos de atraso em relação aos ‘leões’, com apenas menos um jogo, não afastam por enquanto a equipa orientada por Jorge Rito dos lugares da frente.

ABC/UMinho mede forças com Sporting, Sp, Horta e CCF Madeira

Apuramento de juvenis no Flávio Sá Leite

ANDEBOL

| Redacção |

No Pavilhão Flávio Sá Leite, em Braga, vai ser disputada hoje, amanhã e domingo, a fase de apuramento do campeonato na- cional de juvenis masculinos de andebol.

Hoje às 18 horas o ABC joga

com o CCF Madeira e às 20 ho- ras tem início o jogo Sp. Horta- -Sporting. Amanhã, às 16 horas inicia o jogo CCF Madeira- -Sporting e às 18 o encontro ABC-Sp. Horta. Domingo, às 10 horas começa o jogo Sp. Horta-CCF Madeira e

às 12 horas o Sporting-ABC. Esta prova determina duas equipas que se vão juntar às já apuradas — Benfica e Águas Santas, para a fase final. O ABC / UMinho vai disputar esta fase de apuramento, pois classificou-se em segundo lugar na primeira fase, sendo que se

prevê uma prova interessantíssi- ma, refere a Associação de An- debol de Braga, apelando a to- dos os que gostam de andebol, para “uma presença maciça no Pavilhão Flávio Sá Leite, apoiando os jovens em geral e em particular o nosso represen- tante, o ABC”.

§breves

Domingo Rosa Mota é madrinha da meia-maratona de Arcos de Valdevez

Vai ter lugar domingo, em Arcos de Valdevez, a ‘Meia-Maratona de Ar- cos de Valdevez’, prova organizada pelo Centro de Atletismo de Arcos de Valdevez, em colaboração com a câmara municipal. Esta iniciativa tem como objectivo levar o nome do concelho a outras paragens e enaltecer a actividade desportiva. Destacam-se as presenças de gran- des nomes do atletismo português como Rosa Mota, que será a madri- nha desta prova, Sara Moreira, José Moreira, Leonor Carneiro, Doroteia Peixoto, Vanessa Fernandes, Mari- bel Gonçalves e Cláudia Pereira, re- fere uma nota da organização. Em paralelo, ocorre também uma ca- minhada solidária pelos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez.

Junto à câmara Iniciação ao golfe hoje em Guimarães

A Associação Portuguesa de Sna-

golfe, em parceria com o projecto Ninja Alpha, leva a efeito hoje no Largo Cónego José Maria Gomes, em frente à câmara de Guimarães,

o evento ‘Snaguima’, certame que

pretende proporcionar um primeiro contacto com a aprendizagem do golfe. Entre as 10 e as 12 horas, com inscrição gratuita,e a efectuar-

se no local, o Snaguima propõe-se

revelar a versatilidade do snagolfe ao disponibilizar para experimen- tação, na cidade, um percurso de treino e um pequeno apontamento de competição.

O snagolfe, forma abreviada da ex-

pressão ‘Starting New At Golf’, pro- cura ser uma forma mais fácil e di- vertida de iniciar a prática do golfe, não existindo idade limite que im- peça a prática do mesmo nem exi- gindo um grande espaço físico.

Até ao Algarve Pedalada contra o cancro começa amanhã em Caminha

Os 820 quilómetros que separam Caminha, na foz do Minho de Vila Real de Santo António, na foz do Guadiana, vão ser percorridos em bicicleta, numa iniciativa que pre- tende alertar para a detecção e o diagnóstico precoce do cancro. A ideia partiu de Miguel Vilar, Filipe Gaivão e Carlos Silva, cidadãos que se associaram à Liga Portuguesa Contra o Cancro e vão percorrer Portugal de lés a lés de amanhã até ao próximo dia 3 de Maio, para es- palhar a mensagem dos “7sinais de alerta para a prevenção do cancro”.

correiodominho.pt28

6 de Junho 2013

Opinião

25 de Abril 2014 correiodominho.pt13

Junho 2013 Opinião 25 de Abril 2014 correiodominho.pt 13 O ESCUTISMO E OS VALORES DE ABRIL

O ESCUTISMO E OS VALORES DE ABRIL

correiodominho.pt 13 O ESCUTISMO E OS VALORES DE ABRIL ESCREVE QUEM SABE | CARLOS ALBERTO PEREIRA*

ESCREVE QUEM SABE | CARLOS ALBERTO PEREIRA*

N o prefácio que escreveu para o ‘Escutis- mo para Rapazes’, é o próprio Baden- Powell que nos diz, com uma clareza

cristalina qual é a missão do Escutismo, “não foi apenas para vos divertirdes e correr aventuras que vos fizestes escuteiros capazes e hábeis, mas que, tal como os pioneiros, exploradores e fron- teiros que ides imitando, vos estais preparando para servir a vossa Pátria e serdes úteis aos ou- tros que poderão precisar de auxílio. Tal é a as- piração dos melhores entre os homens”. A Cons-

um país. Em primeiro lugar, porque sendo um

movimento cuja finalidade é de ajudar os jovens

a tornarem-se cidadãos responsáveis, esta educa-

ção cívica não pode ser efetuada sem uma toma- da de consciência das realidades políticas do país. Em segundo lugar, porque é um movimento educativo e, como afirma Paulo Freire “a educa- ção é um ato eminentemente político” que leva a

fazer opções livres, a assumir responsabilidades,

a desenvolver o sentido de justiça, de liberdade, de cooperação e de paz. Educar para a cidadania é pois a razão de ser do Movimento Escutis-

ta e, neste sentido, com a abertura que a “Revolução dos Cravos” pro- porcionou, tivemos a oportunidade de alargar este conceito, tendo a pe- dagogia da participação, aliada aos valores da Justiça e da Paz, contri-

buído para uma afirmação crescen- te, moderna e livre desta cidadania que todos buscávamos, por forma a que o receio de Paulo Freire: “quando a educa- ção não é libertadora, o sonho do oprimido é ser o opressor” não se materialize na nossa ação educativa, onde o jovem é o artista da sua própria educação. Seguindo, desta forma, as palavras de Bento XVI, na sua Mensagem para a Jornada Mundial da Juventude de 2007: “O futuro está nas mãos de quem sabe procurar e encontrar ra- zões fortes de vida e de esperança” que são uma verdadeira bússola neste percurso de vida e de vidas. Aos Capitães e ao Povo de Abril a melhor ho- menagem de gratidão que lhes podemos prestar é «Viver Abril», não no sentido de ficar agarrado a um momento, mas construindo, quotidianamen- te, um mundo melhor, tendo como elemento cen- tral a dignificação do ser humano e de um modo especial os mais frágeis: as crianças, os jovens e os idosos, para que a preocupação de Luther King “o que me preocupa não é o grito dos maus, mas sim o silêncio dos bons”, deixe de fa- zer sentido nesta Terra de Abril.

* dirigente do Corpo Nacional de Escutas (Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico)

“A palavra movimento significa uma série da atividades organizadas visando um

objetivo. Um movimento implica, portanto, um objetivo a atingir e uma organização

que permita a sua consecução.”

tituição da Organização Mundial do Escutismo vem definir o Escutismo como “um movimento educativo para jovens, fundado sobre a ação vo- luntária; é um movimento de caráter não políti- co, aberto a todos, sem distinção de origem, raça ou religião, de acordo com os objetivos, princí- pios e método, tal como foram concebidos pelo fundador”.

A palavra movimento significa uma série da ati-

vidades organizadas visando um objetivo. Um

movimento implica, portanto, um objetivo a atin- gir e uma organização que permita a sua conse- cução.

O facto de ser fundado sobre o voluntariado,

permite colocar em relevo que a adesão é livre e responsavelmente aceite pelos seus membros, jo- vens e adultos, que abraçam os princípios funda- mentais do movimento. Na sua qualidade de movimento educativo, o escutismo é um movimento não político, no sen- tido em que não está implicado na luta pelo po- der que constitui o ponto central em política e que, normalmente, se reflete no sistema dos par- tidos políticos. Esta caraterística “não político”, não significa que o Escutismo esteja completa- mente isolado das realidades políticas, no seio de

?

citações

“Hoje, o SNS é considerado um dos melhores serviços de saúde do mundo, tendo atingido indicadores de desem- penho, em algumas áreas, invejáveis pela maioria dos países. Hoje temos profissionais competentes, tecnologia adequada e um acesso universal a um conjunto importante de cuidados de saúde. Podemos afirmar, sem hesitações, que temos confiança no nosso SNS.”

Germano Couto

Público, 23/04/2014

O FUTURO DO FINANCIAMENTO

Couto Público, 23/04/2014 O FUTURO DO FINANCIAMENTO TECNOLOGIA & INOVAÇÃO | RICARDO CARROLA* Da ideia ao

TECNOLOGIA & INOVAÇÃO | RICARDO CARROLA*

Da ideia ao negócio por vezes surgem inúmeras dificuldades. Sendo uma delas e por vezes a principal, o acesso a dinheiro. Fi- nanciamento. Encontrar quem entenda do negócio ou da materia- lização da nossa ideia, traduzindo um produto ou serviço numa determinada realidade. Se é verdade que o nosso país não tem tido esta cultura, com o estado actual de desemprego, a adopção de uma atitude proactiva na angariação de ideias que possam ser convertidas em potencial negócio tem proliferado. E de que for- ma. Um dos principais indicadores da inovação, o Barómetro da inovação da COTEC, coloca-nos em vigésimo nono numa lista de cinquenta e dois países liderada pela Suíça e Finlândia. Numa economia global, a utilização de todas as ferramentas possíveis para a materialização das nossas ideias é crucial. Embebido na cultura do País, está a crítica fácil ao fracasso. O estigma de ter transformado em negócio uma qualquer ideia e a consequente fa- lha do mesmo. Mas, não será isso mais uma etapa no processo de criar o verdadeiro negócio de sucesso? Se a cultura não nos ajuda, talvez uma mudança de mentalidade seja necessária. Temos de deixar de pensar que o fracasso é mau. É bom, é muito bom, bas- ta que aprendamos com ele. E existem muitas coisas para apren- der, aperfeiçoando todo o processo até que esteja adequado. Co- mo quem aprende a andar de bicicleta, primeiro ajudado e depois sozinho, o processo de maturação de uma ideia, até a sua conver- são em negócio é um processo longo, demorado e sinuoso. Mas mesmo assim um caminho que muitos trilham. Mas voltando ao dinheiro, como conseguir o que precisamos para colocar uma ideia em prática? A uma menor escala, os nossos amigos e fami- liares podem efectivamente contribuir para este processo. Acredi- tando em nós e nas nossas ideias, o seu patrocínio é fulcral para podermos converte-la em negócio. Mas, e se fosse possível que ainda mais pessoas acreditassem nas nossas ideias e projectos? O conceito surgiu ou foi utilizado pela primeira vez em 2006, Crowdfunding. Traduzindo de forma literal – financiamento pela multidão. Imaginem que têm uma ideia de negócio ou projecto, mas não têm forma de a concretizar financeiramente. Se pudes- sem expor a vossa ideia a um conjunto de pessoas, dispostas a in- vestir, e supondo que cada uma delas entrava com uma pequena contribuição, isso não seria fantástico? E é. E já existe. Cada vez mais em Portugal, pessoas e empresas se financiam, e financiam os seus projectos recorrendo a serviços de portais na Internet, cu- ja principal missão é funcionar como um local de encontro entre a ideia e os potenciais investidores. E se a ideia for boa, a contribui- ção também. Mais do que um banco que empresta dinheiro a uma determinada taxa, este modelo, traduz-se em alguém que acredita nos seus projectos e em alguns casos, fica a fazer parte deles. Em Portugal existem alguns portais na Internet onde podem ser colo- cados projectos de particulares e empresas, sendo que actores, grupos, cantores, sociedades, particulares e outros já estão presen- tes. Descontos na aquisição dos produtos ou serviços, participa- ção na sociedade a criar, ou outras vantagens, são usados como ar- gumentos positivos aquando da participação (investimento) nos projectos criados. Falta agora um processo educativo que apresen- te esta nova forma de financiamento e que direccione ideias para a angariação dos fundos necessários. Falta também, que voltemos atrás no tempo quinhentos anos e que passemos a acreditar que nós, somos tão bons ou melhores, a explorar terrenos desconheci- dos. Não tenhamos medo de falhar e usar uma das nossas melho- res capacidades enquanto ser vivo. A imaginação. Até daqui a quinze dias,

* Professor e consultor de Tecnologia

12correiodominho.pt 25 de Abril 2014

Opinião

6 de Junho 2013 correiodominho.pt29

12 correiodominho.pt 25 de Abril 2014 Opinião 6 de Junho 2013 correiodominho.pt 29

QUARENTA ANOS

6 de Junho 2013 correiodominho.pt 29 QUARENTA ANOS OPINIÃO | MARGARIDA PROENÇA* 40 anos que passaram

OPINIÃO | MARGARIDA PROENÇA*

40 anos que passaram a correr. Tantos anos, tantas pessoas, tantas coisas, tantas experiên-

cias, tantas dores e sorrisos, tantas esperan- ças, tantos sonhos, tantas perdas, tantos ga- nhos. Ao longo deste período mudou o país e o mundo fundamentalmente em resultado da ciência e da tecnologia. Em Portugal, ao longo destes quarenta anos, o país tornou-se muito diferente, ain- da que hoje essa perceção não seja já clara para a generalidade. Em 1974 estava na universidade, mas apenas 0,9% da popula- ção com mais de 20 anos tinha o ensino su- perior, e a taxa de escolarização do ensino secundário era apenas de 5%, apenas um número muito reduzido de crianças entre os três e os cinco anos frequentava o ensino

pré-escolar, quase inexistente na maior do país. Havia um analfabetismo real – 31% das mulheres e 20% dos homens, com mais de nove anos, não sabia ler nem escrever. Menos de metade das habitações tinha água canalizada, e só cerca de 58% contava com instalações sanitárias. Um país jovem, mas com uma taxa de mortalidade infantil ele- vada; a esperança de vida à nascença era de 68 anos O retrato de um país pobre, com um Estado Social muito incipiente, um ní- vel educacional baixo e uma estrutura pro- dutiva frágil associada a uma industrializa- ção tardia e difusa, mantendo uma guerra perdedora. Quarenta anos atrás chegava-se a demorar onze horas para fazer 250km de comboio, a viagem de carro Lisboa-Porto gastava um dia e traduzia-se num risco elevadíssimo, casava-se para toda a vida, não havia salá- rio mínimo nem subsídio de desemprego, a maior parte das pessoas não recebia qual- quer pensão, o número de médicos ou en- fermeiros não se comparava ao atual, para- va-se para ouvir a novela “Simplesmente Maria” na rádio, as televisões e os telefones eram ainda um produto fundamentalmente urbano e de acesso relativamente limitado, em média as famílias tinham mais de dois

limitado, em média as famílias tinham mais de dois filhos, e o que se conhecia do

filhos, e o que se conhecia do mundo era em grande medida percebido pelos olhos dos emigrantes, cujas remessas contribuiam aliás com cerca de 4% para o PIB. Tudo o mais era filtrado não apenas pela censura e por uma literacia baixa, mas também por uma deficiente qualidade institucional, num mundo em que a circulação da informação era ainda muito difícil. Educação, saúde, proteção social, integra- ção e uma profunda alteração tecnológica moldaram estes quarenta anos. A par da his- tória. A estrutura produtiva do país continua a revelar fragilidades, a capacidade para ge-

rar riqueza é ainda anémica, os ganhos de competitividade no contexto internacional têm sido limitados, as qualificações médias dos trabalhadores são ainda inferiores à mé- dia europeia, a produtividade mantém-se relativamente baixa – e já tivemos por cá três intervenções do FMI . A crise atual tem levado a uma discussão séria e a uma revisão profunda por toda a Europa do modelo social; uma desigualda- de crescente na distribuição dos rendimen- tos tem acompanhado a urgência da susten- tabilidade das finanças públicas. No sul da Europa – isso tem sido constatado por di- versos autores – a questão da eficiência foi sempre olhada de soslaio e tida em má-con- ta. Por exemplo, de acordo com um estudo muito recente de Darvas e Wolff, o peso re- lativo das despesas sociais na Dinamarca e na Grécia é semelhante; mas a redução das desigualdades é de 45% na Dinamarca e 20% apenas na Grécia. A indispensabilidade de manter sustentá- veis as contas públicas não pode hoje equa- cionar-se com a realidade que foi a de há quarenta anos atrás. As relações de causali- dade entre desigualdade, desemprego, po- breza e crescimento económico são com- plexas. Há ainda quem argumente que os trabalhadores são incentivados a trabalhar tanto mais quanto maior for a necessidade de o fazer, mas até o FMI (fevereiro 2014) veio agora chamar a atenção para o facto de que “não apenas a desigualdade é eticamen- te indesejável, mas também o crescimento resultante pode ser baixo e insustentável”, e acrescenta ainda ter encontrado evidência que permite sustentar a associação entre uma redistribuição necessariamente efi- ciente, a redução nas desigualdades na dis- tribuição de rendimentos e um crescimento económico. Este é o desafio.

* Professora da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho (Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico)

texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico) Arcada Nova – Comunicação, Marketing e Publicidade,
texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico) Arcada Nova – Comunicação, Marketing e Publicidade,

Arcada Nova – Comunicação, Marketing