Você está na página 1de 1

Nulidade no processo

de avaliação de desempenho
Como é do conhecimento público, os procedimentos conducentes ao processo de avaliação de profes-
sores encontram-se suspensos em virtude do deferimento de uma providência cautelar interposta no
Tribunal Administrativo de Lisboa, dela resultando uma suspensão automática do despacho do Senhor
Secretário de Estado da Educação datado de 24/1/08, bem como das recomendações que nele se
basearam (cfr. a este propósito o artº 128º nº 1 do CPTA - Código Processo Tribunais Administrativos).
Deste modo, o Ministério da Educação (ME) encontra-se legalmente impedido de praticar quaisquer
actos, tomar decisões ou dar instruções, escritas e/ou verbais, que configurem uma execução do referi-
do despacho, bem como das recomendações que nele se basearam.
Sucede que o ME, com as instruções escritas na página oficial da Direcção Geral dos Recursos Huma-
nos da Educação (DGRHE), as quais, não possuindo timbre nem assinatura, atribuem às escolas a
“responsabilidade pela fixação dos prazos estabelecidos” no Dec-Reg. nº 2/2008, de 10-01, contendo
indicações precisas sobre os procedimentos a adoptar, está a executar o referido despacho pelo que,
está a desobedecer ao decidido pelo tribunal e a violar o disposto no artº 128º do CPTA.
Acresce que, dando cumprimento ao nº 2 do artº 205º da Constituição da República Portuguesa (CRP),
preceitua o nº 1 do artº 158º do CPTA que, as decisões dos tribunais administrativos são obrigatórias
para todas as entidades públicas e privadas e prevalecem sobre as de quaisquer autoridades adminis-
trativas, acrescentando por sua vez o nº 2 do mesmo artº 158º que, a prevalência das decisões dos
tribunais administrativos sobre as das autoridades administrativas implica a nulidade de qualquer acto
administrativo que desrespeite uma decisão judicial e faz incorrer os seus autores em responsabilidade
civil, criminal e disciplinar, nos termos previstos no artº 159º.
Assim sendo, entende o SPZCentro que quaisquer actos ou decisões das escolas sobre os instrumen-
tos de registo da avaliação de desempenho, bem como qualquer acto de execução do despacho do
Senhor Secretário de Estado da Educação, datado de 24/1/08, são, face ao supra exposto, completa-
mente nulos e fazendo incorrer os seus autores em responsabilidade civil, criminal e disciplinar.

A Direcção do Sindicato dos Professores da Zona Centro


Coimbra, 12 de Março de 2008

O Departamento de Imprensa, Comunicação e Marketing do SPZCENTRO


Rua Antero de Quental, 99 – Apartado 1061 * 3000-032 COIMBRA * Tel.: 239 853 090 Fax: 239
832 523 E-mail: spzc@spzc.pt

Você também pode gostar