P. 1
Apresentacao Projeto Estação Família

Apresentacao Projeto Estação Família

|Views: 1.470|Likes:
Publicado pormarquinhoslutero

More info:

Published by: marquinhoslutero on Nov 18, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/07/2014

pdf

text

original

Projeto Estação Família

Marcos Fernando da Silva Aesa-Cesa Arcoverde: 29 e 30 de agosto de 2007

PRESSUPOSTOS
SOCIEDADE Mudanças Societárias contemporâneas Avanço nos direitos sociais

Definição de Família.

Funções básicas:

Matricialidade Sócio Familiar

Família apoiada pela P. Social de Assistência intersetorial.

Social:atenção multidisciplinar,

Centralidade da Família Superação da Focalização Condições de Sustentabilidade Protejo Emancipatório

Espaço dinâmico e contraditório: vivências positivas e/ou conflitantes, relações de proteção e/ou negligência social, produção e reprodução social e pluralidade de arranjos.

grupo de pessoas com laços consangüíneos e/ou de aliança, afinidade, solidariedade, cujos vínculos circunscrevem obrigações recíprocas, organizados em torno de relações de geração e de gênero.

Prover a proteção e a socialização dos seus membros; referências éticas, afetiva e social, modalidade das relações entre os membros e outros atores sociais, instituições e com o Estado.

Com potencial e possibilidades de manter o convívio, a educação e a proteção, não restringe as responsabilidades públicas de proteção e garantia de direitos para com os indivíduos e a sociedade.

Direito em ter Garantia à Convivência Familiar e Social na Política Nacional de Assistência Social-PNAS

Responsabilidade
do Estado, da Família e da Sociedade

Compreendida
como básica para garantir a inclusão, a identidade sócio-cultural, a proteção e a socialização

Direito do usuário (a)
em todas as etapas do ciclo da vida a ter valorizada a possibilidade de se manter sob convívio familiar, que seja sua família genética, ou construída, e a procedência do convívio social e comunitário às soluções institucionalizadas

Compromissos ético com os direitos socioassistenciais relativos à família • Defesa do protagonísmo e da autonomia do usuário (a) para o exercício da cidadania; • Assistência prestada à família deve romper com os princípios da benesse, do favor, da segmentação e descontinuidade; • Reconhece a família como sujeito de direitos; • Resgate do núcleo familiar como célula de atenção cotidiana da pessoa e do seu desenvolvimento afetivo, cultural, político, relacional e ético;

• Apoio ao convívio familiar – desde a infância até a velhice – principalmente quando em situação de vulnerabilidade, risco social e pessoal; • Evitar às vivências institucionais fechadas ; • Segurança de acolhida garantida quando esgotadas às oportunidades do convívio familiar; • Atenção psicossocial e pedagógica à família, principalmente, quando em situação de vulnerabilidade social; • Acesso a serviços sociaoeducativos que reforcem a participação o auto-conceito, a auto-estima, a pertença e a autonomia familiar; • Construção de novas e continuadas oportunidade de sobrevivência digna e justa.

Proteção Social na Política de Assistência Social P.S. Básica
Atua no desenvolvimento das potencialidade/ fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários com vistas à superação de vulnerabilidades, decorrente de pobreza, exclusão, violência e fragilização de laços afetivos/relacionais e de pertencimento social OPERAÇÃO: • CRAS-porta de entrada dos usuários (as) à rede de P.S Básica do SUAS; • Rede de serviços sócioassistenciais; • Serviços de informação.

P.S. Especial
Atua no enfrentamento de situações de risco onde os vínculos foram ameaçados e/ou rompidos, visando restaurar direitos violados e oferecer condições dignas de vida. OPERAÇÃO:
• CREAS; • Rede de serviços específicos; • Rede de serviços de acolhida;

Família Referenciada

Território e População vulnerável

• Rede de serviços de atendimento domiciliar; • Serviços de medidas socioeducativas em meio aberto e com privação de liberdade; • Serviços de habilitação e reabilitação; • Abordagem de rua

“Aquela que vive em áreas Famílias Referenciada caracterizada como de vulnerabilidade deferida a partir dos indicadores estabelecidos por CRAS órgão federal, pactuados e deliberados”.

Referencial

Porta Oferta de serviços Unidade
Caráter

Programas/

Localização

do Atendimento

Obs: Também será adotado para atender em casos eventuais, famílias que não estejam em agregados territoriais.

Porta de entrada dos usuários (as) à rede de proteção social básica do SUAS Demanda: Espontânea Busca ativa Encaminhamento

Pública estatal de referência do SUAS que organiza vigilância social, monitoramento e avaliação das ações territorializadas

Definida por diagnóstico: •Concentração de famílias vulneráveis; •Taxa de vulnerabilidade; •Indicadores; •Nº de CRAS=porte do município/nº de famílias

Caráter do atendimento: Contínuo, sistemático, com recursos no orçamento público;

• Programa / Projetos: transferência de

renda, enfrentamento à pobreza, à fome, qualificação profissional, inserção produtiva, geração de trabalho/renda, outros; • Benefícios: BPC, eventuais, outros.

Socioassistenciais, programas, projetos e benefícios: • Atendimento sócio-familiar; • Defesa de direitos a participação popular; • Reabilitação para a vida familiar e comunitária; • Convivência social; • Plantão social

Referencial teóricometodológico orientado para todo o território nacional; Atribuições do CRAS não se confunde com a do órgão gestor municipal;

Serviço de Atenção Integral à Família • Identificação – Rede de Serviços de Ação Continuada da Assistência Social; • Locus – CRAS; • Desenvolve ações e serviços básicos continuados para famílias em situação de vulnerabilidade social; • Propósito:  Fortalecer os vínculos familiares, comunitárias, societário e com o Estado (vínculo legal, sócio- cultural e afetivorelacional);  Acesso aos serviços de P.S.Básica;

 Prevenção de situações de riscos no território;  Ampliação da capacidade de proteção • Diretrizes metodológicas: social.  Articular o conhecimento da realidade das famílias com o planejamento do trabalho;  Potencializar a rede de serviços e o acesso aos direitos;  Valorizar as “famílias” em sua diversidade histórico-sociocultural;  Potencializar a função de proteção e de socialização da família e da comunidade;

 Adotar metodologias participativas/ dialógicas;  Intercambiar experiências positivas; • Serviços e ações: a) Recepção e acolhida; b) Oferta de atendimento/procedimento profissionais em defesa dos direitos sociais/humanos relacionados à Assistência Social; c) Conhecimento/cadastro das famílias referenciadas; d) Acompanhamento familiar (individual e grupal)

e) Encaminhamentos; f) Produção e divulgação de informações sobre a PNAS, Sistema de Garantia de Direitos no âmbito local, municipal e estadual; g) Apoio nas avaliações e revisões do PBF, BPC e demais programas e benefícios; h) Processo sistemático de monitoramento e avaliação.

CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CRAS
DIREITOS DOS USUÁRIOS: • Conhecer a unidade, os profissionais, serviços, programas e etc • Ter acesso a informações, à defesa, à escuta e a provisão direta ou indireta de suas demandas na área da Assistência Social. • Ter espaço adequado, com atendimento qualificado e de qualidade, privacidade no atendimento(quando necessário). • Receber informações sobre seus direitos, os serviços, benefícios de forma clara, compreensível, fidedigna. • Ter conhecimento sobre seu cadastro, parecer, etc • Possibilidade de participação, com espaço para debate, manifestação de proposições e avaliação sobre a realidade, os serviços, programa etc. • Adquirir competência para o exercício de atividades

Abordagem

Trabalho com Famílias - Metodologia de Apoio e Promoção
Objetivos Ações

Inicial

1.

2.

3.

Trabalhar com as 1.1. Mobilizar as famílias para famílias na o ingresso no Programa; construção do seu 1.2. Cadastrar a família no projeto individual e Projeto; coletivo; 1.3. Assinar o termo de Conhecer a compromisso; condição 2.1. Analisar a ficha cadastral socioeconômico e da família; cultural da família; 3.1. Entrevistar e visitar as Focalizar, famílias, construindo o hierarquizar e Plano Individual da priorizar metas/ Família com as principais objetivos para o preocupações e Plano Individual da priorização das mesmas ´Família visando enfrenta-las com êxito;

Trabalho com Famílias - Metodologia de Apoio e Promoção Abordagem Objetivos Ações Inicial
4.

Cooperar com a família 4.1. na definição das condições mínimas e na empreitada pela superação das condições de vulnerabilidade e risco social e pessoal; Ampliar o processo de empoderamento da família.
5.1.

Em cada abordagem a família priorizará a análise de estratégias de superação de dificuldades e os possíveis encaminhamentos e buscas de garantia de direitos sociais. Inscrever as famílias nas diversas modalidades de trabalho grupal, grupo de geração de renda, etc.

5.

Trabalho com Famílias - Metodologia de Apoio e Promoção Abordagem Objetivos Ações Inicial
6. Avaliar o processo de 6.1. Analisar o Plano Individual da Desenvolvimento da Família Família. verificando o cumprimento dos acordos e das condições pré estabelecidas.

Trabalho com Famílias - Metodologia de Apoio e Promoção Abordagem Objetivos Ações Intermediári 7. a
Monitorar e avaliar o cumprimento dos acordos em torno do Plano Individual da Família (condicionalidades, mínimas). Redirecionamento de estratégias insuficientes ou pendentes para atingir as condições pactuadas.
7.1.

Avaliar o engajamento, participação e cumprimento das tarefas pactuadas.

8.

8.1.

Redirecionar em conjunto com a família, as condicionalidades pendentes e descumpridas.

Trabalho com Famílias - Metodologia de Apoio e Promoção Abordagem Objetivos Ações

Final

9.

 Promover a família para outros Programas da Proteção Social Básica.

10.

Cadastrar a família junto ao acompanhamento de egressos.

Encaminhar para outros programas da Rede socioassistêncial as famílias que conseguirem atingir ( X %) das condições mínimas pactuadas.

INSTRUMENTOS:
1. Ficha de Cadastro (Diagnostico Inicial, Intermediário e Final) 2. Compromisso de Participação no Programa (Contrato). 3. Ficha de Sondagem Inicial (Interesse pelo Programa). 4. Ficha de Registro de Benefícios, Serviços Recebidos, pela Família. 5. Ficha Síntese do Acompanhamento do PIF (Monitoramento das Condições mínimas por área). 6. Sistema de Monitoramento = acompanhamento sistemático dos insumos, processos e resultados. • • • Indicadores de Produtos; Indicadores de Processo; Indicadores de Resultados.

FACILITADORES
Rute Queiroz Barrocas
GERENTE DO NÚCLEO DE FAMÍLIA E TRANSFERÊNCIA DE RENDA

Telefone de Contato: 085. 3101-2101 e-mail: amorvida@stds.ce.gov.br
Marcos Fernando. Marquinhoslutero E-mail: Marquinhos2103@hotmail.com Maria Meirelene Lopes Lemos GERENTE TÉCNICA DO PROARES

Telefone de Contato: 085.3101.2110 e-mail: proares@stds.ce.gov.br

Obrigada pela atenção.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->