DISCOS - Doenças e tratamentos D

Muita atenção quando o assunto é doença, pois se não tratada a tempo podemos ter morte em nosso aquário. As doenças devem ser tratadas em um aquário “hospital”, ou seja, um aquário destinado apenas para tratamento dos peixes. Quando utilizamos remédios do tipo: anti-endoparasitas ou antiectoparasitas, a biologia do aquário é destruída, por isso, devemos sempre ter o aquário que chamo de hospital. O ideal é um aquário de 50 a 100 litros, com termostato e com uma forte aeração, pois normalmente esses remédios acabam o oxigênio da água. Eu recomendo nos tratamentos remédios da Azôo, devido sua concentração. Sempre em trocas parciais de água utilizo uma colher de sopa de sal grosso para cada 50 litros de água reposta, É UM MÉTODO PREVENTIVO.

BNC (Síndrome do Buraco na Cabeça)
por horacio em Qui Fev 02, 2006 3:54 pm Ha um certo tempo postei um tópico sobre BNC, pois um dos meus discos apresentava os sintomas. Antes de mais nada, gostaria de dizer que pesquisei muito sobre esta doença, e a conclusão que eu tirei é que a maioria das pessoas confundem insistentemente BNC com as doenças Hexamitose e Spironucleose. BNC é classificada como uma síndrome já que sua causa não envolve agentes patogênicos. Abaixo vai um pequeno resumo prático do que eu pesquisei e experimentei no tratamento do meu peixe. CAUSAS: As razões podem ser muitas, mas a princípio é causada por deficiência nutritiva. Parta do princípio que você está de alguma forma deixando de dar algum nutriente importante ao seu peixe. Isto envolve alimentação incorreta, trocas de água insufucientes e uma causa menos comum seria filtragem química excessiva. SINTOMAS e DIAGNÓSTICO: Vou descrever aqui os sintomas observados no meu peixe. Inicialmente o peixe fica com um aspecto de estressado (no caso de outras espécies de peixes não sei se esta fase é facilmente diagnosticada, pois os Acarás Disco ficam com listras pretas quando estressados) evoluindo para uma fase em que o animal pára de comer e fica amuado (no caso dos discos o peixe fica preto). Os buracos se desenvolvem da seguinte forma: - inicialmente aparecem pequenos buracos na face e na cabeça do animal, que não são facilmente notados. - depois se desenvolvem para grandes buracos na cabeça e na face (costumam ter maiores dimensões na cabeça e usualmente ficam próximos aos olhos). O aspecto dos buracos é parecido com as aftas que dão na boca de nós humanos. Isto que eu vou dizer é apenas uma suposição bem feita... creio que o peixe fica estressado somente devido a dor que estes buracos devem causar. TRATAMENTO: Aqui vou descrever o tratamento usado no meu peixe e que de fato funcionou. Como o meu peixe havia parado de comer, tive que de alguma forma recuperar parte do seu apetite. Então o coloquei num aquário hospital por 3 dias com uma colher da sopa de sal grosso para cada 50 L de água e uma temperatura constante de 32 graus Celsius. Apenas isto foi suficiente para reanimá-lo. Voltei com ele para o aquário principal e melhorei sua alimentação e aumentei um pouco as trocas parciais de água (20% 2 vezes por semana). Com isto a cor do peixe foi voltando a ficar viva até que ele ficou novamente bem em cerca de 2 semanas. Lembro que pelo fato de ser uma síndrome o animal não precisa ficar em um aquário hospital, aliás nem é bom deixar no aquário hospital por muito tempo pois o mesmo deixa o peixe mais estressado ainda. No meu aquário possuo vários Discos e apenas um desenvolveu BNC, o que mostra também que alguns peixes são mais propensos do que outros para desenvolver tal síndrome. Tive de fazer este tratamento 2 vezes, a segunda devido a uma viajem que eu fiz e quando voltei o peixe estava

estressado e com orifícios novamente na cabeça. Hoje ele está perfeito de saúde. Apenas uma ressalva, a princípio BNC não mata o peixe, o que acontece é que o animal fica mais vulnerável a infecções e outras doenças que o levam a morte. Outro detalhe é que os buracos demoram bastante para fecharem, mais do que 2 mêses. Espero ter ajudado Horácio Medina da Rocha e qualquer erro no meu relato me avisem.

Hidropsia A barriga fica com uma aparência de gorda, estufada, deformada... Dentro de barriga está cheio de líquido, o peixe deve ser tratado a tempo, ou acarretará em morte. TRATAMENTO Coloque o peixe com a doença num aquário hospital devidamente equipado, pois é uma doença contagiosa, PARE de alimentá-lo, pois o sistema digestivo está comprometido e seu organismo não terá capacidade de expelir o bolo fecal. Utilize os medicamentos a seguir: Macrodantina associada ao Ectoparasita da Azoo, na quantidade de: 1 comprimido de Macrodantina para cada 50 litros de água e Ectoparasita, intruções vide bula. O tratamento tem duração de três dias, com trocas parciais diárias de água e reposição do remédio equivalente a quantidade de água que será reposta no aquário.

Vermes intestinais Apresenta fezes na tonalidade branca. Devemos tratar em primeira instância, caso isso não ocorra os vermes sobem do intestino para a cabeça em uma segunda fase, apresentando alguns sintomas como: nadar desesperado, bater a cabeça, rodar em círculos e outros. É importante que seja detectado a doença na primeira fase, pois quando chega nessa segunda, infelizmente nada podemos fazer para trata-lo. Ocorrendo isso, devemos isolar o peixe doente e colocar remédio no aquário principal como forma preventiva, pois é uma doença contagiosa. TRATAMENTO PARA A PRIMEIRA FASE Metronidazol, 1 comprimido de 250mg para cada 50 litros de água, durante três dias, com trocas diárias de água e com reposição o remédio equivalente a quantidade de água reposta ou antiendoparasitas da Azôo, seguir instruções vide bula. Doenças de “pele” Vermes Âncora O peixe fica se raspando em qualquer decoração do aquário e fica inquieto. Em alguns casos o peixe fica escuro, sem apetite, com dificuldade na respiração, com uma pele aveludada/esbranquiçado... Quando em segundo estágio da doença a pele é descamada O TRATAMENTO Ectoparasita da Azôo e Anti Oodinium da Azôo, siga instruções vide bula. Devemos ter muito cuidado com mudanças de temperatura, pois doenças de pele, é normalmente causada por mudanças bruscas de temperatura. Vermes Âncora Esses vermes se instalam na cabeça dos discus em sua grande maioria, parece com uma espinha branca. Esse tipo de verme pode ocorrer em qualquer parte do peixe, porém em sua maioria na cabeça. O TRATAMENTO Metronidazol (compra-se em farmácia). Use 1 comprimido para cada 50 litros, faça trocas parciais todos os dias e reponha a quantidade de remédio equivalente a água reposta. Tratamento dura até o peixe apresentar melhora. Peixes escuros Sintomas normalmente causado pro bactérias. O TRATAMENTO Utilize Macrodantina (compra-se em farmácia). Use 1 comprimido para cada 50 litros, faça trocas parciais todos os dias e reponha a quantidade de remédio equivalente a água reposta. Tratamento dura até o peixe apresentar melhora. OBSERVAÇÃO: Em toda doença externa do seu peixe, aconselho que antes de utilizar medicamentos mais forte seja feita trocas parciais de 50% da água todos os dias e ser adicionado 1

colher de sopa de sal grosso para cada 50l. O tratamento deve durar 5 dias com a reposição do sal grosso equivalente a quantidade de litros que é reposto no aquário. Caso isso não resolva seu problema, partir para medicamentos. Esse tratamento deve ser feito em um aquário hospital. Peixes que não comem Algo de errado deve estar, não é normal que um peixe saia dessa forma de sua rotina normal. Primeiras providencias a serem feitas são: certificar que não ocorreu nenhuma mudança brusca de PH, temperatura, PH da água, temperatura, dureza e amônia. Verificado esses parâmetros, em caso de alguma irregularidade, corrija de imediato, seguindo as medidas de segurança. Também é comum ocorrer isso, quando o peixe é novo no aquário, pois pode ter tido uma viajem estressante até a chegada no seu novo habitat. Também poderá estar apanhando dos demais. Devemos estar atento aos peixes que introduzimos no aquário, pois não é indicado colocar peixes que se movimentem com rapidez. Devemos seguir algumas regras de alimentação: Primeira refeição: Ração segue. As demais podem ser alimentos congelados ou mesmo vivos, pois se acostumado de forma diferente dessa orientada, o peixe se viciará em comer apenas esses saborosos alimentos, o que será muito difícil de modificar seu novo hábito, mas não é impossível. Devemos estar atento também em seu comportamento, pode ser doença, sendo assim um dos sintomas. TRATAMENTO Em um aquário hospital com os equipamentos devidos. Coloque água do aquário principal, ligue os equipamentos, coloque sal grosso, de preferência sem iodo, ou seja, utilizados na alimentação de bovinos. Utilizar 1 colher de sopa de sal para cada 50 litros de água. Agora coloque o peixe que não come no aquário hospital e sirva várias vezes no dia alimento em pequenas quantidades. Nunca se esqueça que nesse tratamento a primeira e a segunda refeição deverá ser ração seca, as demais você pode variar. Faça trocas parciais todos os dias e reponha a quantidade de sal equivalente à água reposta. O tratamento deve durar até a aceitação normal de ração seca do peixe. Peixes compatíveis com os Acará-Discus Néons, coridoras, botia palhaço, mato grosso... Peixes de água alcalina não é recomendado, pois o PH deles é alto, diferente dos discus que necessitam de água ácida. Nunca é demais lembrar, não coloque ciclídios africanos e Bettas no mesmo ambiente físico dos discus. Vermifugação
Peixes coletados diretamente na natureza podem trazer consigo certos parasitos indesejáveis. Tais parasitos variam de protozoários intestinais a vermes. O diagnóstico preciso da parasitose nem sempre é possível pois dependeria de exame microscópico. Por esse motivo é comum entre os aquaristas fazer a chamada vermifugação em peixes recém chegados (especialmente peixes coletados). Alguns sintomas de infestação apresentados por nossos peixes vão desde fezes gelatinosas e esbranquiçadas, apatia e emagrecimento crônico, entre outros. Existe um quadro bastante conhecido por quem possui Botias que é o temido Skinny. O termo Skinny não é o mome da doença em si. É mais um sintoma. O nome mais indicado para se referir a este problema talvez seja Sindrome do Emagrecimento Crônico. Tal doença geralmente é provocada por vermes nematelmintos mas também pode ser provocada por protozoários e/ou bactérias que atacam o peixe debilitado. Botias são peixes coletados na natureza sendo portanto bastante freqüente que alguns exemplares venham com Skinny (1 em 3). Cabe ao distribuidor quarentenar e tratar tal doença antes de vender as Botias para as lojas mas, por ganância, nem sempre é o que acontece e então o tratamento recai sobre nossas cabeças. A foto comparativa abaixo é decisiva para um bom diagnóstico do Skinny:

Seguem mais algumas fotos de Botias com Skinny:

Embora toda minha abordagem tenha ocorrido usando Botias como exemplo o mesmo se aplica aos Discos.

Supondo realmente que se trate de Skinny existem duas abordagens possíveis. Em ambos os casos, recomendo fazer o tratamento em aquário hospital, munido apenas de bomba para circulação e um termostato. Tratamento 1 - Protozoários - Flagyl 400mg (comprado em farmácias): Utilize 100mg (1/4 de um comprimido de 400mg) para cada 40 litros dágua em aquário hospital. Troque 30% da água a cada 2 dias, repondo o remédio perdido, por um período de 10 dias de tratamento. Tratamento 2 - Vermes nematelmintos - Ripercol solução 5% (comprado em lojas veterinárias): 4 mL para cada 10 litros. Siga os seguintes passos: 1- Remover o carvão ativo; 2- TPA de 50% antes de começar o tratamento; 3- Aplicar o remédio com as luzes apagadas e aeração reforçada; 4- 24 horas de duração; 5- Grante TPA com sifonagem repondo o carvão; 6- Repetir o tratamento 7 dias depois e mais uma vez outros 7 dias depois. Independente do tratamento acima escolhido também é bom vermifugar com o Azoo Anti-EndoParasites (Praziquantel) ou com o Azoo Discus Anti-EndoParasites. O primeiro é um vermífugo destinado aos vermes platelmintos enquanto o segundo possui amplo espectro (Metronidazol + Levamisol + Mebendazol): Serve para protozoários, nematelmintos e platelmintos, respectivamente. Na verdade, enquanto Levamisol é indicado especificamente contra nematelmintos o Mebendazol possui amplo espectro, podendo ser usado tanto contra nematelmintos quanto platelmintos. Algumas de suas indicações são: Ascaris lumbricoides, Trichuris trichiura, Enterobius vermicularis, Ancylostoma duodenale, Necator americanus, Taenia solium e Taenia saginata. Com relação a vermifugar periodicamente não vejo necessidade, uma vez que o peixe foi retirado de seu habitat onde o ciclo de vida da maioria desses parasitos dependem de hospedeiros intermediários como certas espécies de caramujos que não estão presentes em nossos aquários. Sendo assim, uma vez vermifugado não há necessidade de repetir o processo periodicamente, salvo você esteja de alguma forma trazendo novos vermes para seu aquário, por exemplo introduzindo novos peixes recém coletados e não quarentenados. É aí que está o X da questão. Todo peixe deve ser quarentenado e eventualmente tratado antes de ser introduzido em nossos aquário para evitar a propagação de parasitoses.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful