P. 1
Ficha - Ensino Especial (nova)

Ficha - Ensino Especial (nova)

4.88

|Views: 9.923|Likes:
Publicado porMaria André
Ficha de Registo da Avaliação efectuada pelo Coordenador de Departamento. Inclui Ficha de Registo de informações das Aulas Assistidas e Ficha de Registo da Análise Documental. Autores: Ramiro Marques e Fátima André
Ficha de Registo da Avaliação efectuada pelo Coordenador de Departamento. Inclui Ficha de Registo de informações das Aulas Assistidas e Ficha de Registo da Análise Documental. Autores: Ramiro Marques e Fátima André

More info:

Published by: Maria André on Mar 16, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/16/2012

pdf

text

original

FICHA DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO

DOCENTES DO ENSINO ESPECIALi
AVALIAÇÃO EFECTUADA PELO COORDENADOR DE DEPARTAMENTO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Agrupamento de Escolas / Escola _________________________________________________________________________________ Código ___________________ Direcção Regional de Educação ___________________________________________________________________________________ (A preencher pelo avaliador) Nome do avaliador_____________________________________________________________________________________________ Cargo_______________________________________________________________________________________________________ NIF_______________________________ Nome do avaliado_____________________________________________________________________________________________ Categoria____________________________________________________________________________________________________ Departamento Curricular________________________________________________________________________________________ NIF________________________________ Período em avaliação ________ a ________

A – Preparação e organização das actividades lectivas
A.1 Adequação dos Programas Educativos Individuais às necessidades de cada aluno, tendo em conta os princípios da inclusão, em trabalho conjunto com os docentes de turma/disciplina e encarregados de educação

N
(nível)

Classificação 1º A 2º A

O docente reúne, com regularidade e tem em consideração as sugestões, com os docentes da turma/disciplina e Encarregados de Educação, com o objectivo de adequar os programas educativos individuais às necessidades específicas de cada aluno. O docente reúne, regularmente, com os docentes da turma/disciplina e Encarregados de Educação, com o objectivo de adequar os programas educativos individuais às necessidades específicas de cada aluno. O docente reúne, no início do ano lectivo, com os docentes da turma/disciplina e Encarregados de Educação, com o objectivo de adequar os programas educativos individuais às necessidades específicas de cada aluno. O docente não promove, em conjunto com os docentes da turma/disciplina e Encarregados de Educação, nem adequa os programas educativos individuais às necessidades específicas de cada aluno.

4 3 2 1

A.2

Adequação das estratégias de ensino e aprendizagem às necessidades de cada aluno e às aprendizagens adquiridas 4 3 2 1

O docente adequa, com regularidade e de forma sempre adequada, as estratégias de ensino e aprendizagem às necessidades de cada aluno e às aprendizagens adquiridas. O docente adequa, regularmente, as estratégias de ensino e aprendizagem às necessidades de cada aluno e às aprendizagens adquiridas. O docente adequa, esporadicamente, as estratégias de ensino e aprendizagem às necessidades de cada aluno e às aprendizagens adquiridas. O docente não adequa as estratégias de ensino e aprendizagem às necessidades de cada aluno e às aprendizagens adquiridas.

A.3

Ponderação dos progressos de cada aluno na planificação das actividades lectivas 4 3 2 1

O professor pondera, com regularidade e sempre de forma adequada, os progressos de cada aluno na planificação das actividades lectivas. O professor pondera, com regularidade, os progressos de cada aluno na planificação das actividades lectivas. O professor pondera, apenas esporadicamente, os progressos de cada aluno na planificação das actividades lectivas. O professor não pondera os progressos de cada aluno na planificação das actividades lectivas.

A.4

Participação na elaboração do Plano Individual de Transição 4 3 2 1

O professor participa na elaboração do PIT, apresenta sugestões e desenvolve parcerias para uma adequada implementação do PIT. O professor participa na elaboração do PIT, apresenta sugestões mas não desenvolve parcerias para a implementação do PIT. O professor participa na elaboração do PIT mas não apresenta sugestões nem estabelece parcerias para a implementação do PIT. O professor não participa na elaboração do PIT.

A.5

Cooperação/articulação entre docentes do mesmo Departamento Curricular 4 3 2 1

Cooperação/articulação sistemática em acções de planificação e organização das actividades do departamento Cooperação/articulação com regularidade em acções de planificação e organização das actividades do departamento Cooperação/articulação esporádica em acções de planificação e organização das actividades do departamento Não existiu qualquer trabalho de cooperação/articulação com outros docentes do mesmo departamento

Total pontos de A Pontos a transportar

B – Realização das actividades lectivas
B.1 Cumprimento dos objectivos definidos no PEI (áreas curriculares específicas e conteúdos dos currículos específicos individuais que lecciona)

N
(nível)

Classificação 1º A 2º A

Cumpre, regularmente e de forma muito eficaz, os objectivos e orientações definidas no PEI, enriquecendo-os com adaptações que visam melhorar os resultados dos alunos Cumpre, regularmente, os objectivos e orientações definidas no PEI Cumpre, esporadicamente, os objectivos e orientações definidas no PEI Não cumpre os objectivos e orientações definidos no PEI

4 3 2 1

B.2

Adequação dos materiais utilizados ao nível da funcionalidade de cada aluno, ao seu nível etário e ao seu estilo de aprendizagem 4 3 2 1

Adequa, regularmente e de forma muito eficaz, os materiais utilizados ao nível da funcionalidade de cada aluno, ao seu nível etário e ao seu estilo cognitivo Adequa, regularmente, os materiais utilizados ao nível da funcionalidade de cada aluno, ao seu nível etário e ao seu estilo cognitivo Adequa, apenas esporadicamente, os materiais utilizados ao nível da funcionalidade de cada aluno, ao seu nível etário e ao seu estilo cognitivo Não adequa os materiais utilizados ao nível da funcionalidade de cada aluno, ao seu nível etário e ao seu estilo cognitivo

B.3

Adequação das estratégias e actividades desenvolvidas às medidas e objectivos educativos definidos no PEI 4 3 2 1

Adequa, regularmente e com muita eficácia, as estratégias e actividades às medidas e objectivos individuais definidos no PEI, recorrendo à utilização de recursos inovadores e às TICs Adequa, regularmente, as estratégias e actividades às medidas e objectivos individuais definidos no PEI, recorrendo à utilização de recursos inovadores e às TICs Adequa, apenas esporadicamente, as estratégias e actividades às medidas e objectivos individuais definidos no PEI, recorrendo pouco à utilização de recursos inovadores e às TICs Não adequa as estratégias e actividades às medidas e objectivos individuais definidos no PEI e não recorre à utilização de recursos inovadores e às TICs

B.4

Utilização de métodos de ensino adequados às estratégias de aprendizagem de cada aluno em situação de grupo 4 3 2 1

Implementa, regularmente e com muita eficácia, métodos de ensino adequados às estratégias de aprendizagem de cada aluno e revela grande criatividade na sua utilização Implementa, regularmente, métodos de ensino adequados às estratégias de aprendizagem de cada aluno e revela alguma criatividade na sua utilização Implementa, esporadicamente, métodos de ensino adequados às estratégias de aprendizagem de cada aluno Não implementa métodos de ensino adequados às estratégias de aprendizagem de cada aluno

B.5

Promoção do trabalho autónomo dos alunos 4 3 2

Revela muita preocupação na integração de metodologias de trabalho que favoreçam e estimulem a autonomia dos alunos e desenvolve actividades que a exercitaram Organiza as aprendizagens com recurso a metodologias de trabalho que favorecem e estimulam a autonomia dos alunos Promove, esporadicamente, a aquisição integrada de métodos de trabalho que estimulam a autonomia dos alunos.

Não promove a aquisição integrada de métodos de trabalho que estimulam a autonomia dos alunos

1

Pontos transportados Total pontos de B Pontos a transportar

C – Relação pedagógica com os alunos
C.1 Promoção de um clima favorável à aprendizagem, ao bem-estar e desenvolvimento emocional e social dos alunos

N
(nível)

Classificação 1º A 2º A

O docente contribui, regularmente e com muita eficácia, para a criação de um clima favorável à aprendizagem, bem-estar e desenvolvimento emocional e social do aluno O docente contribui, regularmente, para a criação de um clima favorável à aprendizagem, bem-estar e desenvolvimento emocional e social do aluno O docente contribui, esporadicamente, para a criação de um clima favorável à aprendizagem, bem-estar e desenvolvimento emocional e social do aluno O docente não contribui para a criação de um clima favorável à aprendizagem, bem-estar e desenvolvimento emocional e social do aluno

4 3 2 1

C.2

Criação de um ambiente de trabalho favorável à convivência, ao respeito pelos outros e pelas diferenças individuais 4

O docente contribui, regularmente e com muita eficácia, para a criação de um ambiente de trabalho favorável à convivência, ao respeito pelos outros e pelas diferenças individuais dos alunos e proporciona uma relação afectiva segura, positiva e de confiança entre os pares O docente contribui, regularmente, para a criação de um ambiente de trabalho favorável à convivência, ao respeito pelos outros e pelas diferenças individuais dos alunos e proporciona uma boa relação afectiva e alguns momentos de interacção social positiva entre os pares O docente contribui, esporadicamente, para a criação de um ambiente de trabalho favorável à convivência, ao respeito pelos outros e pelas diferenças individuais dos alunos e proporciona uma relação estável entre os pares O docente não contribui para a criação de um ambiente de trabalho favorável à convivência, ao respeito pelos outros e pelas diferenças individuais dos alunos e não proporciona uma relação estável e amiga entre os pares

3 2 1

C.3

Promoção da participação activa dos alunos na construção e prática de regras de convivência, fomentando a vivência de práticas de colaboração, no âmbito da formação para a cidadania democrática 4

O professor promove, sempre e de forma muito eficaz, a participação dos alunos em alguns momentos da vida do grupo que favorecem a educação para a cidadania, o espírito de ajuda mútua e de solidariedade, envolvendo os alunos na elaboração e implementação de regras claras, baseadas naqueles princípios O professor promove, regularmente, a participação dos alunos em alguns momentos da vida do grupo que favorecem a educação para a cidadania, o espírito de ajuda mútua e de solidariedade, envolvendo os alunos na elaboração e implementação de regras claras, baseadas naqueles princípios O professor promove, esporadicamente, a participação dos alunos em alguns momentos da vida do grupo que favorecem a educação para a cidadania, o espírito de ajuda mútua e de solidariedade, envolvendo os alunos na elaboração e implementação de regras claras, baseadas naqueles princípios O professor não promove a participação dos alunos na construção de regras de convivência e de cortesia e na interiorização de valores cívicos

3

2 1

C.4

Disponibilidade para atender, ouvir e apoiar os seus alunos 4 3 2 1

O professor revela sempre disponibilidade para atender e ouvir os alunos e desenvolve sempre estratégias adequadas para os apoiar O professor revela, regularmente, disponibilidade para atender e ouvir os alunos, mas nem sempre desenvolve estratégias adequadas para os apoiar O professor revela, apenas esporadicamente, disponibilidade para atender e ouvir os alunos, mas não desenvolve estratégias de apoio aos alunos O professor não revela disponibilidade para atender, ouvir e apoiar os alunos

C.5

Cumprimento do Regulamento Interno no âmbito dos direitos e deveres dos alunos no contexto de sala 4 3

Cumpriu e fez cumprir sempre e de forma adequada as normas (direitos e deveres dos alunos do Regulamento Interno) promovendo a reflexão sobre valores e atitudes dos comportamentos demonstrados Cumpriu e fez cumprir regularmente e de forma adequada as normas (direitos e deveres dos alunos do Regulamento Interno) promovendo a reflexão sobre valores e atitudes dos comportamentos demonstrados

Cumpriu e fez cumprir esporadicamente e de forma pouco adequada as normas (direitos e deveres dos alunos do Regulamento Interno) promovendo a reflexão sobre valores e atitudes dos comportamentos demonstrados Não cumpriu nem fez cumprir normas (direitos e deveres dos alunos do Regulamento Interno), nem promoveu a reflexão sobre valores e atitudes dos comportamentos demonstrados

2 1

Pontos transportados Total pontos de C Pontos a transportar

D – Avaliação das aprendizagens dos alunos
D.1 Realização das avaliações pedagógicas especializadas sempre que solicitadas pelos professores/educadores do ensino regular ou outros

N
(nível)

Classificação 1º A 2º A

O docente realiza sempre as avaliações pedagógicas especializadas solicitadas pelos professores/educadores do ensino regular ou outros O professor realiza, no início do ano lectivo e no final de cada trimestre, as avaliações pedagógicas especializadas solicitadas pelos professores/educadores do ensino regular ou outros O docente nem sempre realiza as avaliações pedagógicas especializadas solicitadas pelos professore/educadores do ensino regular ou outros O docente não realiza as avaliações pedagógicas especializadas sempre que solicitado pelos professores/educadores do ensino regular ou outros

4 3 2 1

D.2

Realização da avaliação diagnóstica das aprendizagens e competências dos alunos 4 3 2 1

O docente realiza sempre a avaliação diagnóstica das aprendizagens dos alunos, quando solicitado por outros docentes e por iniciativa própria O docente realiza sempre a avaliação diagnóstica das aprendizagens dos alunos, quando solicitado por outros docentes O docente realiza, apenas esporadicamente, a avaliação diagnóstica das aprendizagens dos alunos O docente não realiza a avaliação diagnóstica das aprendizagens dos alunos

D.3

Avaliação do trabalho realizado com vista ao ajustamento permanente do processo de ensino/aprendizagem 4 3 2 1

O docente avalia sempre o trabalho realizado com vista ao ajustamento do processo de ensino e aprendizagem O docente avalia, com regularidade, o trabalho realizado com vista ao ajustamento do processo de ensino e aprendizagem O docente avalia, esporadicamente, o trabalho realizado, mas sem grande preocupação de ajustamento do processo de ensino e aprendizagem O docente não avalia o trabalho realizado, não tendo como preocupação o ajustamento do processo de ensino e aprendizagem

D.4

Promoção, no final de cada período, da intervenção dos alunos na sua auto-avaliação 4 3 2 1

O docente promove sempre e tem em consideração a intervenção dos alunos na sua auto-avaliação O docente promove, com regularidade, a intervenção dos alunos na sua auto-avaliação O docente promove, esporadicamente, a intervenção dos alunos na sua auto-avaliação O docente não promove a intervenção dos alunos na sua auto-avaliação

D.5

Interacção/Cooperação do Professor do Ensino Especial com os Professores dos Conselhos de Turma/Professores Titulares/Educadores (riscar o que não interessa) 4 3 2 1

O docente promove sistematicamente junto dos outros docentes um apoio na avaliação dos PEI e demais medidas implementadas aos alunos ao abrigo das condições especiais de avaliação O docente promove regularmente junto dos outros docentes um apoio na avaliação dos PEI e demais medidas implementadas aos alunos ao abrigo das condições especiais de avaliação O docente raramente promove junto dos outros docentes um apoio na avaliação dos PEI e demais medidas implementadas aos alunos ao abrigo das condições especiais de avaliação O docente não promove qualquer apoio aos outros docentes na avaliação dos PEI e demais medidas implementadas aos alunos ao abrigo das condições especiais de avaliação

Pontos transportados

Total pontos de D SUB-TOTAL A+B+C+D TOTAL (1ºA+2ºA:2)

OBSERVAÇÕES – Notas do Avaliador: Datas Indicadores Observados: Análise Documental (assinalar com X indicadores a melhorar) A.1 A.2 A.3 A.4 A.5 D.1 D.2 D.3 D.4 D.5

__/__/__ __/__/__ __/__/__ __/__/__ __/__/__ __/__/__
Notas:

OBSERVAÇÕES – Notas do Avaliador: (continuação) Datas Indicadores Observados: Aulas Assistidas (assinalar com X indicadores a melhorar) B.1 B.2 B.3 B.4 B.5 C.1 C.2 C.3 C.4 C.5

__/__/__ __/__/__ __/__/__ __/__/__ __/__/__ __/__/__
Notas:

O Avaliador _________________________________________________, em ______/______/______
i

E.C.D. Artº 45.3: c) Observação de aulas; d) Análise de instrumentos de gestão curricular; e) Materiais pedagógicos desenvolvidos e utilizados; f) Instrumentos de avaliação pedagógica; g) Planificação das aulas e instrumentos de avaliação utilizados com os alunos.

(Ramiro Marques e Fátima André)

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->