Você está na página 1de 2

Exercício Interdisciplinar pág.

77

Dados obtidos através de um experimento real:

Com o objetivo de determinar a constante de Planck, vamos utilizar uma


célula Fotoelétrica à vácuo e incidir em seu emissor radiações monocromáticas,
selecionadas através de filtros de alta resolução. Ao fixarmos o comprimento de
onda da radiação incidente, através do filtro, vamos medir o valor do potencial de
corte.
Uma tabela de Potencial de corte em função do comprimento de onda da
radiação incidente será obtida e em seguida determinaremos experimentalmente o
valor da constante de Planck.

Através dos resultados oferecidos para os filtros laranja, verde e violeta e os dados para
o potencial de corte em cada caso preencha a seguinte tabela:

Filtro Comp. de onda Freqüência Potencial de


( Angstrons) X 1014 (Hertz) corte
(Volts)
Laranja 5760 5,208 0,352
Verde 5460 5,494 0,470
Violeta 4360 6,881 1,051

 Faça um gráfico de Potencial de Corte em função da freqüência da


radiação incidente em papel milimetrado.
Constante de Planck y = 0,4182x - 1,8265
R2 = 1
Potencial de corte (V)

1,2
1
0,8
0,6
0,4
0,2
0
0,00 2,00 4,00 6,00 8,00
Frequência (x 10E14Hz)

 Determine experimentalmente através deste gráfico o valor da constante de


Planck.
Ec = e.Vc= hν – w
Vc= hν – w (1)
e e

Vc= 0,4182 10 -14ν - 1,8265 (2)


Comparando 1 e 2 temos
h = 0,4182 x 10 -14
e

então

h= 0,4182 x 10 -14 . 1,6 x 10 -19= 6,69 x 10 -34 J

O valor esperado para h é 6,63 X 10 -34 J

 Determine o trabalho de extração fotoelétrica do emissor da Célula


utilizada neste experimento
O ponto em que a reta cruza o eixo da freqüência corresponde ao limiar de freqüência
ν o, para a qual

Ec = hν – w e Ec = 0

Logo

wo = hν o é o trabalho de extração.

Para isso Vc = 0

0,4182x 10 -14. ν o - 1,8265=0

Logo ν o = 4,37 x10 14 Hz e

wo = 2,90 x 10 -19 J