Você está na página 1de 3

VASCULARIZAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO

1. - Generalidades:
O cérebro é notável pela sua atividade biossintética, incessante atividade
elétrica cerebral (excitação e condução) e pelo transporte ativo de íons para sustentar e
restabelecer o disparo do potencial de membrana durante o processo de excitação e
condução.
Se o fluxo sanguíneo cerebral é completamente interrompido, a consciência
é perdida dentro de menos de 10 segundos ou durante a quantidade de tempo requerida
para consumir o oxigênio contido no cérebro ou no seu conteúdo sanguíneo.
Em contraste à maioria de outros tecidos, os quais exibem uma considerável
flexibilidade quanto a natureza dos nutrientes absorvidos e consumidos do sangue, o
cérebro normal é quase exclusivamente limitado à glicose como substrato para sua
energia metabólica.
2. - Importância da vascularização do sistema nervoso:
Para estabelecer o metabolismo cerebral e estados fisiológicos. O cérebro é
metabolicamente um dos mais ativos de todos os órgãos, consome uma enorme taxa de
oxigênio, o qual abastece a energia requerida para a sua intensa atividade físico-
química.
I - IRRIGAÇÃO:
1. Medula espinhal:
1.1 - Artéria espinhal anterior
1.1.1 - Origem
1.1.2 - Território de
irrigação
1.2 - Artérias espinhais
posteriores
1.2.1 - Origens
1.2.2 - território de irrigação
1.3 - Artérias radiculares
2. Encéfalo:
2.1 - Sistema Carotídeo:

Page 2
2.1.1 - Ramos terminais:
a. artéria cerebral anterior
b. artéria cerebral média
2.1.2 - Outros ramos:
a. artéria oftálmica
b. artéria carotídea
anterior
c. ramo comunicante
posterior
2.2 - Sistema Vertebro-basilar
2.2.1 - Artérias vertebrais:
a. artéria espinhal anterior
b. artérias espinhais posteriores
c. art. cerebelar inferior posterior
2.2.2 - Artéria basilar:
a. art. cerebelar inferior anterior
b. artéria labiríntica
c. artérias pontinas
d. artéria cerebelar superior
e. artéria cerebral posterior
2.3 - Circulo arterial do cérebro
(Polígono de Willis)
2.3.1 - artérias cerebrais posteriores
2.3.2 - ramos comunicantes posteriores
2.3.3 - artérias cerebrais médias ou as carótidas internas

Page 3
2.3.4 - artérias cerebrais anteriores
2.3.5 - ramo comunicante anterior
2.4 - Território de irrigação das artérias cerebrais:
2.4.1 - Artéria cerebral anterior
2.4.2 - Artéria cerebral média
2.4.3 - Artéria cerebral posterior

Page 4
II - DRENAGEM VENOSA:
1. - Veias cerebrais:
1.1 - Sistema venoso superficial: córtex
cerebral
1.1.1 - Veias superficiais superiores
1.1.2 - Veias superficiais inferiores
1.2 - Sistema profundo: (centro branco
medular, tronco e cerebelo)
1.3 - Seios da dura-máter
1.4 - Veia jugular interna

Page 5
2. Drenagem da Medula espinhal:
2.1 - Plexo vertebral interno-espaço epidural
2.2 - Plexo vertebral externo (em torno da coluna vertebral)
2.3 - Sistema Ázigos ( veia cava superior)
III - BARREIRAS ENCEFÁLICAS:
1. - Generalidades: histórico - P. Erlich 1882 & Goldman 1909, corante vital
2. - Conceito: são dispositivos que dificultam a troca de sustâncias entre o tecido
nervoso e os diversos compartimentos líquidos (sg, FCE, EEC) do cérebro.
3. - Modalidades de barreiras:
3.1 - Hemato-encefálica
3.2 - Hemato-liquórica
3.3 - Liquor-encefálica
IV - EXERCICIOS DE FIXAÇÃO:
1. Como se estabelece a irrigação da medula espinhal?
2. Como se estabelece a irrigação do encéfalo?
3. Esquematize o circulo arterial do encéfalo.
4. Determine os territórios de irrigação das art. cerebrais
5. Como se dá a irrigação do cerebelo?
6. Como se estabelece a drenagem venosa do encéfalo?
7. Como se estabelece a drenagem venosa da medula espinhal?
8. Que são barreiras encefálicas, quais os tipos ?

Page 6