Você está na página 1de 1

Analise do poema Jos de Carlos Drummond de Andrade.

Em sua primeira estrofe E agora, Jos?... / e agora Jos? , o autor estabelece a


estrutura do cultivo ao verso livre e a poesia sinttica, caracteriando a segunda fase do
!odernismo, alem claro do "uestionamento como indiv#duo e como artista em sua
tentativa de e$plorar e de interpretar o estar no mundo. %esultando uma literatura mais
construtiva e mais politiada "ue n&o "uer e nem pode se afastar das profundas
transforma'(es ocorridas nesse per#odo. Destacando)se ainda a consolida'&o das
con"uistas de **, euforia destacada no verso A festa acabou .
J+ em sua segunda estrofe Esta sem mul,er,.../ n&o veio a utopia.../...e agora,
Jos? , percebe)se o "uestionamento da realidade com mais vigor, como forma de
denuncia social dessa realidade. -+ tambm a amplia'&o da tem+tica modernista nessa
fase com uma preocupa'&o filos.fica, os son,os, os dese/os, a utopia e a constante
preocupa'&o com os problemas do ,omem na tentativa de e$plorar o estar no mundo.
E agora, Jos?...sua incoer0ncia, seu .dio 1 e agora? Demonstra uma certa
descren'a, mas e o tempo de defini'(es, do aprofundamento das rela'(es do eu e do
mundo, mesmo com a consci0ncia da fragilidade do eu, outra caracter#stica dessa fase.
J+ em Com a c,ave na m&o... !inas n&o ,+ mais, Jos , e agora? -+ uma
mudan'a a pergunta. 2&o e mais e agora, Jos3 4arece encontrar a esperan'a para logo
adiante na pen5ltima estrofe encontrar descrente, desesperan'ado com o rumo dos
acontecimentos. !as nega a fuga da realidade, esta atento voltado para o presente no
verso) 6oc0 e duro, Jos3 4ermanece3
Em 7oin,o no escuro.../ voc0 marc,a, Jos / Jos, para onde? mostra a
impossibilidade do ,omem c,egar a algum lugar. E o coletivo, a uni&o como regra de
uma poss#vel transforma'&o da realidade. E a fase de maturidade, e"uil#brio do
movimento modernista, consolida'&o de um ide+rio coerente com o espirito renovador.