P. 1
o ato de planejar pedagogia

o ato de planejar pedagogia

|Views: 2.728|Likes:
Publicado porapi-3745500

More info:

Published by: api-3745500 on Dec 02, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/18/2014

pdf

text

original

I-

O Ato de Planejar

O Ato de planejar é uma preocupação que envolve toda a possível ação ou qualquer empreendimento da pessoa. Sonhar com algo de forma objetiva e calra é uma situação que requer um ato de planejar. O planejar foi uma realidade que acompanhou a trajetórtia histórica da humanidade. O homem sempre sonhou, pensou e imaginou algo na sua vida. O homem primitivo, no seu modo e habilidade de pensar, imaginou como poderia agir para vencer obstáculos que se interpunham na sua vida diária. Pensava as estratégias de como poderia caçar, pescar, catar frutas, e de como deveria atacar seus inimigos. A história do homem é um reflexo do seu pensar sobre o presente, passado e futuro. O homem pensa sobre o que fez; o que deixou de fazer; sobre o que está fazendo e o que pretende fazer. O homem no uso da sua razão semprepensa e imagina o seu ‘’ quê fazer, isto é, as suas ações, e até mesmo, as suas ações cotidianas e mais rudimentares. O ato de pensar não deixa de ser um verdadeiro ato de planejar. A mais simples das pessoas diz: quero isto ou aquilo, como devo agir, que meios tenho para alcançar o desejado, qual o melhor caminho a seguir, quem pode me ajudar, quando devo fazer? Toda pessoa , ao se levantar, pensa no seu dia, no que vai acontecer. O seu dia é um constante ‘’ dever’’. E este constante ‘’ dever’’ obriga a pessoa a pensar, prever, imaginar, sonhar e tomar, atodo o momento, decisões; porem, ela semore quer tomar as melhores e mais acertadas decisões para asua ação para atingir os nossos desejos Algumas pessoas planejam de forma sofisticada e altamente científica, obedecendo os mais rígidos princípios teóricos, e em nada se afastando dos esquemas sistêmicos que orientam o processo de planejar, executar e avaliar. Outros, que nem sabem da existência da teorias sobre o planejamento, fazem seus planejamentos, sem muitos esquemas e dominações técnicas; contudo são planejamentos que podem ser agilizados de forma simoles, mas com bons e ótimos resultados. Portanto , justificar a necessidade de planejar parece não ser tão necessária; pois o homem hoje e sempre fez e faz planejamento das suas ações. Sendo assim, tudo é pensado e planejado na vida humana. A indústria, o comércio, a agricultura, apolítica, os grupos sociais, a família e os indivíduos fazem os seus planejamentos, por escrito, mental e oralmente, mas sempre esboçam o seu modo de agir. Por isso, planejar é uma exigência do ser humano; é um ato de pensar sobre um possível e viável fazer. E como o homem pensa o seu ‘’ quê fazer”, o planejamento se justifica por si mesmo. A sua necessidade é a sua própria evid~encia e justificativa. IIDefinição de Planejamento

“Entende-se por planejamento um processo de previsao de necessidades e racionaliza;ao de emprego dos meios materiais e dos recursos humanos

dispon[iveis, a fim de alcan;ar objetivos concretos, em prazos determinados e em etapas definidas, a aprtir do conhecimento e avalia;ao cient[ifica da situa;ao original`` ( Martinez e Oliveira lahone, 1997, p. 11) Esta defini;ao não se caracteriza por um tipo espec[ifico de planejamento/ por exemplo, planejamento educacional, econ”omico ou industrial, mas ela pode se referir a todos os tipos de planejamento, nos seus elementos b[asicos. Analisando a defini;ao, num sentido amplo e geral, podemos ver claramente os elementos fundamentais que a constituem e que podem fazer parte inerente de defini;oes espec[ificas de qualquer tipo de planejamento.Vejamos os elementos b[asicos da defin;;a. 1) Processo de prever necessidades Por processo entendemos uma sucessão de etapas que desencadeam numa seqüência lógica, obedecendo normas, métodos e técnicas específicas para atingir algumas finalidades, metas e objetivos. Prever necessidades é ver e pensar sobre o que é necessário ser realizado numa situação real e presente ou aprevisao de futuras necessidades. È pensar sobre o futuro, para sanar problemas existentes ou evitar que surjam novos problemas. Prever é perceber, claramente, o que é possível fazer para se poder resolver situações, a partir das intenções teóricas, a fim de se chegar a um agir concreto. Uma necesidade, em geral, parte sempre de algo concreto e objetivo. A necessiudade pode ser presente ou futura. Ela podfe ser vista ou prevista. O ato de planejar sempre partre das necessidades e urgências que surgem a partir de uma sondagem sobre a realiddae. Esta sondagem da realidade é a primeira etapa do processo do planejamento. È através do conhecimento da realidade que se pode estabelecer, com mais precisão, quais as mais importantes urgências e necessidades que devam ser enfocadas, analisadas e estudadas durante o ato de planejar. Necessidades são necessidades, por isso devem ser enfrentadas com sabedoria e urgência, isto é, de forma objetiva e realista, para se poder estabelecer quais as mais urgentes a serem atacadas. III- O processo de planejamento visa o alcance de objetivos em prazos e etapas definidas Conhecida a realidade, surge a necessidade da definição dos objetivos para se processar uma mudança da mesma. Uma das etapas principais do processo de planejamento é a definição e seleção dos melhores objetivos. Porque são os objetivos que vão dar toda a orientação e direção à dinâmica do processo de planejamento, como também à sua execução. Os objetivos constituem o núcleo e adinãmica do planejamento; determinam e orientam todas as demais etapas do ato de planejar. Os objetivos não só expressam intenções claras e bem definidas, como também estabelecem, em termos bem determinados, as etapas e prazos a serem desenvolvidos. O ato de planejar requer que se pense sobre etapas e prazos: Quando se deve iniciar a execução; até onde podemos ir, quando

podemos ou devemos terminar? São perguntas que os planejadores devem fazer e responder corretamente, durante o processo de planejar, para que este possa delinear toda a dimensão e execução do plano. Os objetivos para qualquer tipo de planejamento devem ser expressos em termos claros, concretos e de forma que digam exatamente o que se quer alcançar. IIIRotina Escolar

A rotina escolar é uma seqüência de atividades que visam a organização de do tempo que a criança permanece na escola. Apóia-se na reprodução diária de momentos e nos indícios e sinais que remetem ás situações do cotidiano. Numa criação na entrada à bandeja do lanche, os alunos prevêem as atividades que se seguirão: Depois da roda a gente desenha, pinta, faz trablho com massinha.” A espionha dorsal da rotina são alguns marcos temporais que quase nunca se alteram; a chegada, a roda, o lanche, o pátio, a saída, e é importante manter constantes os parâmetros principais da rotina, para que as crianças se sintam seguras e não se desorganizem. Entretanto, outros momentos se interpõe, levando em conta o ritmodo grupo, que é dinâmico. Assim, constantemente surgem novas experioencias e alçteraçoes, mas o profesor se manterá em seu papel de’’ porto seguro.’’ Uma rotina compreensível e claramente definida é também, um fator de segurança. Serve para orientar as ações das crianças e dos professotres e favorece a previsão de situações que possam vir a acontecer. As atividades de rotina são aquelas que devem ser realizadas diariamente, oportunizando a scrianças o desenvolvimento e a mutençao de hábitos indispens´sveis á presença da saúde física e mental como, por exemplo, aorganizaço, higiene, o repouso, a alimentação correta, o tempo e os espaços adequados, as atitudes, as atividades do dia, etc. A organização do tempo precisa ensejar alternativas diversas e, frequentemente, simultâneas de atividades mais ou menis movimentadas, individuais ou grupais, que exijam maior ou menor grau de concentração da atenção; determinar a hora do repouso, da alimentação, da higienr, a hora do brinquedo,da recreação do jogo e do trabalho sério. Não podemos esquecer que as atividades organizadas: competências que perpassam todas as vivencias das crianças. 1- Ajudante do dia A escolha do ajudante do dia pode ser efetuada com várias dinâmicas: um casal por dia ou apenas um ajudante, alternadamente menino/menina, escolhido através de sorteio, ordem alfabética. No caso do Ensino Fundamental pode ser o representado e vice em dias alternado mais um aluno. 2- Atividades do dia

As atividades apresentadas para o dia devem constar no quadro de rotina: atividade individual, em grupo, vídeo,informática, explicação e coreçao do dever de casa, jogos, etc.~ O tempo gasto em cada atividade é um elemento importante, por isso deve ser pensado desde o planejamento, para não colocar excesso de atividades. 3- A importância da roda É um dos momentos de grande interação. Implica a expectativa de algum fatio relevante, pois algo de imoortante vai acontecer quando todos sentam numa roda. Para o professor, é uma oportunidade de observar os alunos e as relações entreles: duplas ou trios que se sentam perto, conversam, trocam objetos, riem. Nos primeiros dias deaula, a proximidade da roda permite que os alunos se conheçam melhor, observando as semelhanças e diferenças por meio de um jogo de identificação iniciado pelo professor. A roda da novidade deve fazer parte da rotina desde os primeirtos dias de aula. No início, o professor traz os objetos para serem explorados, e os alunos são praticamente expectadores. Mas a roda evolui quando as crianças começam a trazer as novidades de casa- uma fruta, um brinquedo, toquinhosd e madeira, algumas fotos, etc.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->