Você está na página 1de 3

PASSO A PASSO

PILHA DE COMPOSTAGEM

Passo 01: Revirar a terra a mais ou menos 10 centímetros de profundidade


com o auxilio de uma enxada. Molhar bem para estimular o
desenvolvimento dos microorganismos do solo. São eles que vão fazer a
reciclagem dos resíduos.
Os resíduos podem ser colocados na composteira de tela ou direto no chão.
A composteira facilita na organização da pilha e também impede que
cachorro ou galinhas revirem tudo.
Se o cercado tiver 80 centímetros de altura e 70 centímetros de
diâmetro serão o suficiente para juntar resíduos orgânicos domésticos
durante um mês para uma família de três pessoas.
O tamanho da pilha de compostagem montada diretamente no chão deve
ser de 1 metro a 1 metro e 20 de altura. A largura pode variar de acordo
com a disponibilidade do terreno e de resíduos que temos, mas não pode
passar de 1 metro e meio.

Passo 02: Colocar na primeira camada palha picada. Pode ser usada
qualquer tipo de palha: apara de grama ou folhas secas. Esta primeira
camada deve ter no máximo 20 centímetros (ou um palmo, mas tem que ser
da mão de uma pessoa adulta). Molhar bem a palha.

Passo 03: A segunda camada deve ser de restos de cozinha ou esterco.


Também deve ter 20 centímetros. Molhar novamente.

Passo 04: A terceira camada deve ser novamente de palha, folhas ou apara
de grama. Deve cobrir totalmente a segunda camada , mas não deve ter
mais do que 20 centímetros de altura. Novamente molhar.

Continua
Passo 05: Novamente espalhar restos de cozinha ou esterco, formando
uma nova camada de 20 centímetros e molhar. E assim sucessivamente,
montar a pilha com camadas de 20 centímetros, intercalando restos de
cozinha e palha até acabarem os resíduos ou encher a composteira.
A cada camada arrumada na pilha, molhar bem. É importante que a pilha
tenha resíduos variados intercalados e bem úmidos.

Passo 06: A última camada deve ser de palha, apara de grama ou folhas
secas. Essa última camada não precisa ser molhada.

Passo 07: Depois de 1 semana, abrir a composteira e misturar todos os


resíduos. Verificar a umidade. Se os resíduos estiverem secos, molhar
bem e voltar os resíduos para dentro da composteira.Quando a pilha está
formada, esperar até o quinto dia para verificar se ela está esquentando.
Se a pilha de resíduos não esquentar é sinal de algum problema que pode
ter sido causado por: pouca quantidade de resíduo orgânico (restos de
cozinha ou esterco em relação ao capim); excesso ou falta de umidade.

Passo 08: Depois de 15 dias, novamente abrir, misturar e verificar a


umidade. Os resíduos não devem estar nem secos nem molhados de mais.
Com duas semanas, a temperatura no centro da pilha deve estar bem alta.
Os resíduos precisam ser então bem misturados.
O calor faz a pilha secar, por isso os resíduos devem ser molhados
durante a mistura. A manutenção da umidade ideal (nem molhado nem
seco demais) é importante para manter os microrganismos trabalhando.

Passo 09: Repetir o passo 8 semanalmente até completar um mês.


Geralmente fazemos o reviramento uma vez por semana, no primeiro mês.
Mas precisamos fazer o reviramento sempre que a pilha esquentar
demais e molhar sempre que for necessário. Até que ela não esquente
mais.

Continua
Passo 10: Verificar o trabalho dos microrganismos semanalmente,
molhando e misturando sempre que a pilha ficar muito quente ou muito
seca.

Passo 11: A compostagem termina quando a pilha esfria, já não tem mais
cheiro forte e já não se pode mais perceber os diferentes resíduos que
foram usados. Tudo se transformou em composto, um material escuro e
fofo.

Passo 12: Abrir a composteira e ensacar o composto, protegendo-o das


chuvas. Usar na horta, nos vasos de planta ou nas fruteiras.
Certamente que com um adubo feito com tanto carinho, as plantas vão até
agradecer!.

Observações: Para que os resíduos sejam transformados mais


rapidamente em composto orgânico é desejável intercalar esterco junto
com os restos de cozinha. Assim os microrganismos terão mais nutrientes
disponíveis.
Esterco é o cocô de animais. Na compostagem pode ser usado esterco de
boi, galinha, cavalo, coelho ou cabrito.

Texto: Maria Cristina Prata Neves