Você está na página 1de 2

Dia da Mulher

Na fogueira
daquela fbrica
onde arderam
as meninas.

Nas fogueiras
destas fbricas
onde ardem, ainda,
as herdeiras desta sina.

Na fogueira
onde queimam
nossos sonhos,
tuas cinzas.

Nas fogueiras
queimam ainda
nossos sonhos,
tuas cinzas.

Na fogueira
preconceitos
invisveis
queimam ainda.

Nas fogueiras
as meninas
pernas nuas
pelas ruas.

No fogo
em teu rosto
feito brasa
e hematoma.

Na fogueira
do teu sexo
que vestes
quando nua.

Das fogueiras
onde queima
tanta fria
assassina.
Deste fogo, prometemos,
libertaremos
os teus sonhos
nossas lhas.

Este fogo
no se esquece:
nos aquece,
nos anima.

(Mauro Luis Iasi)