Você está na página 1de 9

GERATIVISMO DE CHOMSKY

GRAMTICA GERATIVA
Programa de Investigao Cientfica (meados do
sculo XX)
Fundamentada na metodologia da Lakatos
Metodologia de Lakatos
A histria da cincia deve ser uma histria de
investigao de competio. (ideia de proliferao)

Tenacidade viso sobre uma cincia
incansavelmente investigada e reaproveitada, ainda
que falseada.
PRESSUPOSTOS DA GRAMTICA GERATIVA
DE CHOMSKY
Os comportamentos lingusticos efetivos
(enunciados) so determinados por estado da
mente/crebro.
A natureza dos estados da mente, parcialmente
responsveis pelo comportamento lingustico, pode
ser captada por sistemas computacionais que
formam e modificam representaes.
A tarefa fundamental do linguista a criao dos
sistemas computacionais que sirvam de modelo para
o conhecimento lingustico dos falantes.
OBJETIVO GERAL DA GRAMTICA GERATIVA
Construir um mecanismo computacional capaz de
formar e transformar representaes, que simule o
conhecimento lingustico de um falante de uma
lngua natural, registrada em sua mente e crebro.
DIVULGAO DA TEORIA GERATIVISTA DE
CHOMSKY
Dissertao de mestrado (1951) quase completamente
ignorada.
Artigos sobre este tema forma publicados no peridico
Journal of Symbolic Logic (dificilmente lido por
linguistas)
O livro The Logical structure of linguistic theory (1955)
no foi publicado
O livro Syntactic structures finalmente publicado
(1957)
As ideias de Chomsky s passaram a ser amplamente
conhecidas pelos linguistas depois da resenha de Robert
Lee (1957)

ESTRUTURALISMO AMERICANO VS
GRAMTICA GERATIVA
Estruturalismo Americano Estudo da lngua de
acordo com uma coleta de dados representativo;
Para GG de Ghomsky tem-se que considerar a
capacidade que os falantes tm de produzir
exatamente os enunciados que podem ser feitos.
Para Chomsky o falante tem capacidade de produzir
e e compreender as sentenas`as quais nunca foi
exposto antes.
O E.A. tem uma perspectiva descritiva
A GG tem um aperspectiva explicativa
Terefas da lingustica
1. Construo de gramtica para lnguas particulares.

2. Construo de princpios gerais para capacidade de
linguagem (universais)
REFERNCIA BILBIOGRFICA
MUSSALIM, F.; BENTES, A.C., Introduo
lingustica: fundamentos epistemolgicos, vol. 3 3
ed. So paulo: Cortez, 2007 ( pg. 93 a 127)