Você está na página 1de 1

PROVA ILCITA NA JURISPRUDNCIA

As Cortes do STJ e STF j comeam a mudar o ngulo de anlise do caso


concreto a partir dos parmetros de proporcionalidade e razoabilidade para
aceitar determinadas provas ilcitas nos autos dos processos.
O STJ vem aceitando em suas decises as gravaes telefnicas como provas
lcitas. Vejamos:
AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO. CRIME
CONTRA A ORDEM TRIBUTRIA. AGENTES FISCAIS. OBTENO DE
VANTAGENS ILCITAS. GRAVAO DE CONVERSA PELO
INTERLOCUTOR. PROVA LCITA. AUSNCIA DE PREQUESTIONAMENTO.
FALTA DE ARGUIO DE INFRINGNCIA DO ART. 619 DO CDIGO DE
PROCESSO PENAL. 2. Ademais, a jurisprudncia desta Corte, em perfeita
consonncia com a do Pretrio Excelso, firmou o entendimento de que a
gravao de conversas, efetuada pela vtima dos fatos, com criminosos,
prova lcita, que pode servir de elemento probatrio para a notitia criminis e
para a persecuo criminal. 3. Agravo desprovido. (STJ AgRg no Ag 1142348
PR 5 T. Rel. Min. Laurita Vaz DJ 09.11.2009)
O STF converge suas decises no mesmo sentido:
CONSTITUCIONAL. PROCESSO CIVIL AGRAVO REGIMENTAL EM
AGRAVO DE INSTRUMENTO. AO DE INDENIZAO POR DANOS
MATERIAIS E MORAIS. GRAVAO. CONVERSA TELEFNICA FEITA POR
UM DOS INTERLOCUTORES, SEM CONHECIMENTO DO OUTRO.
INEXISTNCIA DE CAUSA LEGAL DE SIGILO OU DE RESERVA DE
CONVERSAO. LICITUDE DA PROVA. ART. 5, XII e LVI, DA
CONSTITUIO FEDERAL. 1. A gravao de conversa telefnica feita por um
dos interlocutores, sem conhecimento do outro, quando ausente causa legal de
sigilo ou de reserva da conversao no considerada prova ilcita.
Precedentes. 2. Agravo regimental improvido. (STF AI 578858 AgR RS 2
T. Rel. Min. Ellen Gracie DJ 27.08.2009)