Você está na página 1de 5

Formação “Práticas e Modelos na Auto-Avaliação das

Bibliotecas Escolares”

O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca


Escolar: Metodologias de Operacionalização
(parte I)
Cristina Assunção
O domínio seleccionado para avaliação é o A – Apoio ao Desenvolvimento
Curricular e o subdomínio A.2 – Promoção das Literacias da
Informação,Tecnológica e Digital. Escolhi o indicador A.2.2 Promoção do ensino
em contexto de competências de informação da escola/agrupamento que
considerei de processo, pois contempla o trabalho realizado na biblioteca, e o indicador
A.2.5 Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis
à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida, que me parece ser
claramente um indicador de impacto.

Começo por identificar os pontos fortes e pontos fracos da situação actual das
bibliotecas do agrupamento, que estejam relacionados com os indicadores
referenciados e com o funcionamento global das bibliotecas.

Pontos fortes Pontos fracos


• Duas professoras bibliotecárias • Existência de novo
equipamento informático
• Empenho dos professores da equipa e dos professores colaboradores mas ainda não está
operacional
• O horário da BE cobre todo o período de funcionamento da escola
• Não existe ligação à
• Espaço amplo, colorido, agradável e organizado por zonas funcionais internet para os alunos

• Fundo documental organizado segundo o sistema de classificação • Fundo documental


universal insuficiente em algumas
áreas
• Informatização de fundo documental
• Pouca articulação entre a
• Funcionária a tempo inteiro na BE da escola sede biblioteca e os outros
docentes na planificação
• Professora bibliotecária tem assento no Conselho Pedagógico de actividades

• Professora bibliotecária faz parte da equipa PTE • Professores da equipa


com poucas horas fixas na
• Equipa presta apoio aos utilizadores da biblioteca sempre que BE
solicitado
• Funcionárias com pouco
• Os professores do agrupamento estão receptivos à participação de tempo disponível para as
actividades promovidas pela BE BEs das escolas de 1ºCiclo

• Existência de cartão de utilizador para todos os alunos do • Ausência de orçamento


agrupamento próprio

• A biblioteca é um núcleo do projecto TEIP • Inexistência de catálogo


de fundo documental para
• Parceria com NASC (núcleo de animação sócio-cultural)

Agrupamento Vertical de Escolas Vale da Amoreira


BIBLIOTECA ESCOLAR

2009/2010 1
Formação “Práticas e Modelos na Auto-Avaliação das
Bibliotecas Escolares”

O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca


Escolar: Metodologias de Operacionalização
(parte I)
Cristina Assunção
• O PAA da BE está integrado no PAA da escola consulta

• Construção de um blogue da biblioteca • Inexistência de parcerias


com os professores de
• Relações interpessoais positivas funcionária-alunos, equipa-alunos, Estudo Acompanhado e
entre os elementos da equipa Área de Projecto na
planificação conjunta de
actividades de
ensino/aprendizagem que
incluam a utilização de
recursos da BE

Domínio a avaliar
A – Apoio ao Desenvolvimento Curricular
Subdomínio
A.2 Promoção das Literacias da Informação, Tecnológica e
Digital

Indicador
A.2.2 Promoção do ensino em contexto de competências de informação da
escola/agrupamento
çãoonalizaoperaci

»Ligação com a estrutura de coordenação educativa e de supervisão pedagógica


e os docentes através da promoção do diálogo

»Articulação com os professores das diferentes áreas curriculares disciplinares e


não disciplinares no planeamento do trabalho de pesquisa a realizar na BE

»Participação, em cooperação com os docentes, nas actividades do ensino de


competências de informação e apoio ao trabalho escolar com turmas/alunos

»Participação e apoio em actividades de utilização das TIC e da Internet como


ferramentas de acesso à informação e produção de documentos, com alunos

»Produção e divulgação de guiões de pesquisa e outros materiais de apoio ao


trabalho de exploração dos recursos de informação pelos alunos

Indicador
A.2.5 Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis
à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida

Agrupamento Vertical de Escolas Vale da Amoreira


BIBLIOTECA ESCOLAR

2009/2010 2
Formação “Práticas e Modelos na Auto-Avaliação das
Bibliotecas Escolares”

O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca


Escolar: Metodologias de Operacionalização
(parte I)
Cristina Assunção
»Organização de actividades com a participação das turmas, por convite ou
çãoonalizaoperaci

inscrição, na realização de trabalhos diversificados (individual, a pares ou em


grupo) de acordo com a estruturação espacial e funcional da BE

»Promoção de um ambiente de confiança e de respeito mútuo em que os alunos


cumprem normas de actuação, de convivência e de trabalho, inerentes ao
sistema de organização e funcionamento da BE

»Promoção de actividades em que esteja implícito o desenvolvimento de valores


e atitudes de cidadania, cooperação, autonomia e responsabilidade

»Divulgação de quadros de valorização de procedimentos e atitudes dos alunos,


desenvolvendo a curiosidade, a iniciativa, o espírito critico, a reflexão, a
criatividade

»Elaboração de um manual de procedimentos para o agrupamento

»Apoio aos docentes na utilização dos recursos da biblioteca no âmbito da


actividade lectiva
evidêncRecolha

»Documentos: PAA da biblioteca, Plano de Acção, Projecto TEIP, Regimento


da BE
de

»Recolha de opiniões (registo em post- its no livro gigante, caixa de


sugestões/reclamações)
»Contactos informais
» Observação de actividades (grelhas de observação)
ias

»Trabalhos realizados pelos alunos nas actividades da biblioteca


»Registo de projectos/actividades
»Materiais de apoio produzidos
»Levantamento de dados estatísticos da utilização e funcionamento da BE
»Aplicação de questionários a alunos, professores e E.E.
»Contactos/reuniões
nientes
Interve

»Equipa da Biblioteca
»Alunos
»Professores
»Funcionárias

Agrupamento Vertical de Escolas Vale da Amoreira


BIBLIOTECA ESCOLAR

2009/2010 3
Formação “Práticas e Modelos na Auto-Avaliação das
Bibliotecas Escolares”

O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca


Escolar: Metodologias de Operacionalização
(parte I)
Cristina Assunção
resultadosComuni recolhiddadosAnálise

»Questionários aos docentes (QD1)


dos

»Questionários aos alunos (QA1)


»Observação de utilização da BE (O2)
»Estatística
os

»Apresentação do Relatório de Auto-Avaliação da BE aos orgãos de gestão


cação

e de decisão pedagógica
»Inclusão de uma síntese dos resultados da auto-avaliação da BE no
relatório de auto-avaliação da Escola
dos

Implementação do Plano de Avaliação


• Diagnóstico da situação em que se encontram as bibliotecas do
agrupamento – análise swot

• Sensibilização e divulgação do Modelo de Auto-Avaliação das


1ºPeríod
Bibliotecas Escolares ao agrupamento

Agrupamento Vertical de Escolas Vale da Amoreira


BIBLIOTECA ESCOLAR

2009/2010 4
Formação “Práticas e Modelos na Auto-Avaliação das
Bibliotecas Escolares”

O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca


Escolar: Metodologias de Operacionalização
(parte I)
Cristina Assunção
• Selecção do Domínio a avaliar o

• Planeamento e preparação de instrumentos de recolha de evidências

Recolha de evidências

• Aplicação dos questionários

• Registo de observação das actividades

• Recolha documental de registos de planeamento e das actividades 2ºPeríod


o
• Levantamento de dados estatísticos de utilização da BE

• Informal feedback

Análise dos dados recolhidos

• Registo das grelhas de análise dos trabalhos dos alunos

• Realização de gráficos de estatística

• Conclusões da recolha de evidências 3


ºPeríodo
• Análise da performance da biblioteca no domínio escolhido e decidir
em qual dos níveis de desempenho se situa

• Elaborar o relatório final de auto-avaliação da BE, com indicação de


pontos fortes/ pontos fracos e acções para a melhoria

Comunicação dos resultados da avaliação

• Direcção Executiva

• Conselho Pedagógico

• Professores através de reunião de departamento

Agrupamento Vertical de Escolas Vale da Amoreira


BIBLIOTECA ESCOLAR

2009/2010 5

Você também pode gostar