Você está na página 1de 1

Transtorno Mentais Comuns em Trabalhadoras de Enfermagem da Ateno

Bsica

Iracema lua
Maura Maria Guimares de Almeida
Kiona Bernardes santos

INTRODUO: O adoecimento do trabalhador causa danos individuais e coletivos
que interferem na qualidade dos servios prestados, com nfase para os profissionais de
enfermagem, pela direta contribuio na qualidade da assistncia e pelas elevadas
cargas de estresse s quais esses profissionais esto expostos em seu ambiente de
trabalho. Os transtornos mentais comuns (TMC) apresentam elevada prevalncia em
trabalhadores da sade, com consequncias individuais e coletiva relevantes.
OBJETIVO: analisar os fatores associados aos Transtornos Mentais Comuns em
trabalhadoras de enfermagem da ateno bsica da Bahia
METODOLOGIA: Foi realizado um estudo transversal em cinco cidades baianas em
2012-2013, com uma amostra de 451 trabalhadoras de enfermagem, utilizou-se um
questionrio com 8 blocos de questes referentes s caracteriscas sociodemogrficas,
hbitos de vida, situao de trabalho, aspectos psicossociais do trabalho, percepo do
trabalho e da vida e situao de sade. O Self Reporting Questionnaire - SRQ-20 foi
utilizado para rastrear TMC. Para verificar os fatores associados aos desfechos,
empregou-se a anlise de regresso logstica em blocos.
RESULTADOS: Foram identificadas prevalncia de 16,2% de Transtornos mentais
Comuns e os fatores de exposio, verificados no modelo final de anlise, foram: ser
enfermeira (RP: 0.56, IC: 0.34 - 0.90), jornada de trabalho maior que 60 horas semanais
(RP: 2.53, IC:1.55 - 4.11), ter a segurana pessoal ameaada no trabalho (RP:1.92,
IC:1.28 - 2.88), alta sobrecarga domstica (RP:1.94, IC:1.25 - 2.98), desequilbrio entre
esforo-recompensa (ERI) (RP:1.78, IC:0.98 - 3.23), insatisfao consigo mesmo (RP:
2.30, IC:1.52 - 3.46), avaliao ruim da qualidade de vida (RP:1.69, IC:1.07 - 2.65) e
auto-avaliao negativa do estado de sade (RP: 1.77, IC: 1.12 - 2.77).
CONCLUSO: Os resultados encontrados reforam e renovam as evidncias
cientficas sobre o tema, reafirmando a relao entre o processo sade-doena e o
trabalho, seja ele profissional ou domstico, e direcionam para a importncia de
discusses e mudanas nas organizaes de trabalho da enfermagem na tentativa de
minimizar o estresse e a insatisfao ocupacional, e promover a sade dessa categoria.
Vale salientar ainda que o trabalho domstico deve ser considerado e incorporado em
investigaes quanto sade mental da populao feminina.

Palavras-chave: Trabalhadoras de Enfermagem; Transtornos Mentais Comuns;
Ateno Bsica; e Gnero.