Você está na página 1de 8

AUTO-AVALIAçãO

1
DA
BIBLIOTECA ESCOLAR

Biblioteca Escolar

do que somos ao que queremos e temos de ser

Equipa BE - PB Maria José Leite - Novembro 2009


Relembrar...
2


Avaliar é determinar a valia ou o valor de, apreciar o conhecimento de, recolher a força
de, estimar, calcular, organizar...

Ou seja, um processo que implica fomentar juízos de valor e tomar decisões acerca de
alguma coisa.


Modelo de Auto-Avaliação da BE - quadro de referência orientador a sua acção, que
estabelece instrumentos comuns e indicadores de medição do trabalho, objectivando assim a
forma como a BE vai realizando o seu trabalho.

Importância da relação entre a escola e a BE – determinante para o sucesso ou inibidora
do mesmo.

Domínios a avaliar:

- Apoio ao Desenvolvimento Curricular;

- Leitura e Literacias;

- Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade;

- Gestão da Biblioteca Escolar.
 Equipa BE - PB Maria José Leite - Novembro 2009
Avaliar: porquê?


A auto-avaliação é:

uma prática catalisadora de mudança e de
desenvolvimento;

uma característica intrínseca da eficácia da
BE;

um instrumento decisivo para o progresso e a
melhoria da BE e da escola.

Equipa BE - PB Maria José Leite - Novembro 2009



Avaliar: o quê?
4


O impacto da BE


no desenvolvimento das competências

dos alunos no desenvolvimento profissional dos

docentes


no cumprimento dos objectivos

do projecto educativo do agrupamento
Equipa BE - PB Maria José Leite

- Novembro 2009

Avaliar: para quê?
5


Identificar domínios fortes e domínios
fracos;

Melhorar práticas;

Melhorar o desempenho;

Planear a melhoria;

Evidenciar o valor da BE;

Contribuir para o impacto no sucesso
educativo dos alunos.

Equipa BE - PB Maria José Leite - Novembro 2009
Avaliar: como?
6

 Eleger o domínio a avaliar (selecção feita pelo PB/Equipa, fundamentada e


determinada pelas prioridades da escola; a escolha de um domínio direcciona a
avaliação, já que não se pode/deve avaliar tudo ao mesmo tempo)

Organizar a informação (quantitativa e qualitativa) já existente;
 Valorar a informação já existente;
 Avaliar criticamente esta informação;

Obter informação ainda em falta, elaborando criteriosamente
instrumentos de recolha (inquéritos, questionários não demasiado longos -
afugentam os inquiridos - , feitos em diferentes momentos – permitem verificar
evolução, retrocesso, …)

Equipa BE - PB Maria José Leite - Novembro 2009


Evidências recolhidas …
7


Interpretar a informação recolhida (cruzar os dados, produzindo
compreensão e conhecimento);

Gerir as evidências ao nível da escola (adequando a interacção aos
diferentes grupos );

Comunicar os resultados ;

Elaborar o relatório de avaliação;

Elaborar o consequente plano de melhoria;

Apresentar ambos em CP (a quem compete a aprovação);

Elaborar uma síntese do mesmo a ser integrada no relatório de
auto-avaliação da escola.

Equipa BE - PB Maria José Leite - Novembro 2009


Bibliografia
8


Texto da sessão, disponibilizado na plataforma.

Scott, Elspeth (2002) “How good is your school library resource centre? An
introduction to performance measurement”. 68th IFLA Council and General
Conference August. <http://www.ifla.org/IV/ifla68/papers/028-097e.pdf>
[14/10/2009]
 


McNicol, Sarah (2004) Incorporating library provision in school self-evaluation.
Educational Review, 56 (3), 287-296. (Disponível na plataforma)
 


Johnson, Doug (2005) “Getting the Most from Your School Library Media
Program”, Principal. Jan/Feb 2005 <http://www.doug-
johnson.com/dougwri/getting-the-most-from-your-school-library-media-program-
1.html> [14/10/2009]
 

Equipa BE - PB Maria José Leite - Novembro 2009