Você está na página 1de 6

Culto dos Adeptos da Oculta Sophia, a.k.a. CAOS.

Autor: Pássaro da Noite
Texto: A criação do servidor Aikendú.




AIKENDÚ




O QUE É AIKENDÚ?

Aikendú é um servidor de magia do caos. Como todo servidor, Aikendú simboliza uma
parte da psique do magista, que foi separada do resto por uma identificação simbólica.
Os símbolos são o nome Aikendú, a figura exposta acima e um odor específico. Esta
simbolização representa uma meta específica, a qual tem uma forma própria de ser
alimentada.

Simplificadamente, Aikendú é a projeção do Deus APOLO sobre o indivíduo que o usa.
Apolo é um Deus solar, sendo assim uma das representações da qualidade do sol, da
elaboração do saber, do carisma, do ser humano ideal. Ele traz a luz sobre os erros eu
auto-enganos que o indivíduo comete. Isto é importante pois partindo do
reconhecimento dos próprios erros o ser humano pode ultrapassá-los. Apolo
representa a luz, o equilíbrio, a razão, a harmonia, a perfeição, a cura.

Sugere-se a leitura do texto abaixo, sobre as características de Apolo e do Sol
enquanto símbolo, antes de iniciar o procedimento de ativação de Aikendú, sendo
recomendável que o interessado faça uma pesquisa um pouco mais aprofundada sobre
ambos (Apolo e as divindades solares).

Textos extraídos da internet:

Apolo - Apelon. Irmão gêmeo de Artêmis.
Identificado como o Sol e a luz da verdade.
Era descrito como o deus da divina distância, que ameaçava ou protegia desde o
alto dos céus. Fazia os homens conscientes de seus pecados e era o agente de sua
purificação; presidia sobre as leis da Religião e sobre as constituições das cidades,
era o símbolo da inspiração profética e artística, sendo o patrono do mais famoso
oráculo da Antiguidade, o Oráculo de Delfos, e líder das Musas.
Era temido pelos outros deuses e somente seu pai e sua mãe podiam contê-lo.
Era o deus da morte súbita, das pragas e doenças,
mas também o deus da cura e da proteção contra as forças malignas. Além disso
era o deus da Beleza, da Perfeição, da Harmonia, do Equilíbrio e da Razão, o
iniciador dos jovens no mundo dos adultos, estava ligado à Natureza, às ervas e aos
rebanhos, e era protetor dos pastores, marinheiros e arqueiros.
Foi representado inúmeras vezes desde a Antiguidade até o presente, geralmente
como um homem jovem, nu e imberbe, no auge de seu vigor, às vezes
com um manto, um arco e uma aljava de flechas, ou uma lira, e com algum de seus
animais simbólicos, como a serpente, o corvo ou o grifo. (Um tripode é o símbolo de
seu oráculo)
Para os pitagóricos significa o Uno (A-Polis).
Herótodo afirmava que Apolo e Hórus eram o mesmo Deus.
Ao nascer foi alimentado por Têmis (Justiça), que lhe déu o néctar dos deuses e a
ambrosia,e tornou-se imortal e imediatamente adulto. A Lira e o Arco foram os
instrumentos que reclamou em seu nascimento.
Em Delfos, seu templo, há a inscrição ´Conhece a ti mesmo. Nada em Excesso.´
Com o braço direito erguido sobre sua cabeça indica a inspiração do Deus.
É considerado a antítese e o complemento de Dionísio.
Para Nietzsche era o Deus dos Sonhos.

O Sol
O Sol é o grande fornecedor de energia e saúde poder.
O Sol é o centro de toda a vida, a fonte positiva e primordial de tudo que existe. No
Sol estão contidos todos os significados de todos os outros planetas, de todas as
formas de existência que se manifestam no sistema solar. Gerador de vida, o Sol
fornece luz aos planetas para que eles se manifestem.
O Sol confere sentido e unidade á todo o sistema planetário, sem ele não haveria
organização entre os demais planetas e astros do sistema.
É quem traz crescimento e claridade para a Mãe Terra, é a fonte de vida no Planeta.
Muitos rituais e cerimônias são relacionados com a trajetória do Sol. Os solstícios e
equinócios sempre foram acontecimentos entre os xamãs.
Os nativos norte americanos dançam em torno de uma arvore, símbolo associado
ao sol,a fonte de vida. A Águia representa a guardião do Portal Dourado, da direção
Leste, onde o Sol nasce.
Os Sioux executam o Sundance, a dança do Sol, girando em torno da árvore.
Existe outro tipo de dança do Sol, que é realizada anualmente pelos guerreiros, que
trata-se de um ritual de sacrifício, onde o dançarino tem o seu músculo peitoral
perfurado, e em seguida é atado com tiras de couro na árvore.
No Peru realiza-se anualmente a festa do Sol, o Deus Sol, o Deus Sol ou Inti, era
considerado pelos incas como doador da vida. eles se consideravam “ Os Filhos do
Sol “ . Em todas as cidades incas existia uma pedra chamada Intihuatana, que
assinalava os dias em que o Sol chegava ao centro, ou seja, exatamente meio-dia.
Para os aborígines o Sol é o fogo do corpo e da natureza.
Nas nações antigas altares e monumentos eram dedicados ao disco solar.
O Sol é o Símbolo da Autoridade Suprema do Criador.
Para os Egípcios, o Sol, é o símbolo da imortalidade, morrendo a cada noite e
renascendo a cada dia. Era personificado como Deus Rá.
Alguns místicos afirmam que existem três sóis em cada sistema solar ( espírito -
alma - corpo ) .
Paracelso falava da existência de um Sol Terreno que causa o calor, permitindo aos
que enxergam vê-lo, e aos cegos sentirem o seu calor. E dizia que há um Sol
interno, que é a fonte de toda sabedoria, despertando corpos espirituais, trazendo
consciência,e, aqueles que ainda não despertaram a sua consciência podem sentir
seu poder através da intuição.
Ele é a representação da força consciente para dissipar a escuridão.


PARA O QUE SERVE O USO DE AIKENDÚ? QUAL SEU OBJETIVO?

Aikeindú serve ao objetivo de transformação pessoal, do eu que você reconhece aqui e
agora para um eu que você considere mais próximo daquilo que entenda ser o ideal do
seu eu. Pessoas que desejem ficar exatamente onde estão, ou exatamente como são,
acomodadas, não devem usar Aikendú.

O objetivo de usar este servidor está em conseguir facilitação da aquisição de saberes,
da realização de tarefas construtivas, como por exemplo, um curso de graduação, ou
de uma formação profissional, aquisição do conhecimento de uma língua estrangeira,
sucesso em provas de concursos em geral, conquista de um emprego que represente a
realização pessoal, etc...

Vale a pena dizer, repetir, reforçar, que não é tarefa do servidor realizar a parte
trabalhosa da sua elaboração pessoal. Se você deseja passar a falar outra língua, por
exemplo, deve buscar estudar esta língua, praticar, elaborar este conhecimento. O
servidor Aikendú irá lhe auxiliar de diversas formas possíveis nesta empreitada, mas
não irá fazer com que você aprenda a língua sem esforço.


QUEM PODE USAR AIKENDÚ?

Como foi colocado anteriormente, este servidor deve ser usado por pessoas que
queiram uma transformação, uma elaboração do seu eu para um eu melhor, mais
adequado à vida em sociedade, mais competitivo por ser mais completo, mais
realizado enquanto ser humano e ser social.


ONDE USAR AIKEINDÚ?

Aikendú deve ser usado nas situações onde haja um obstáculo, ou uma tarefa a ser
enfrentada. Ao exemplo dado da conquista de uma língua, caso o praticante sinta
dificuldade na pronúncia de palavras, por exemplo, para enfrentar esta dificuldade ele
invoca Aikendú e continua o estudo. No caso se realizar uma prova ou exame, no
Momento da prova e antes de responder as questões, o praticante invoca Aikendú. No
caso de ter que falar em público sobre um saber que tenha adquirido, o praticante
invoca Aikendú. Ou seja, Aikendú pode ser usado em todas as situações, em todos os
lugares, onde seja necessário facilitar a aquisição ou expressão de um saber.


QUANDO USAR AIKENDÚ?
O servidor Aikendú pode ser usado quando for ativado pelo praticante. Ao final deste
texto transcrevemos o ritual de ativação para que o praticante possa usá-lo.

Após ser ativado pelo praticante, o servidor Aikendú será utilizado em dois tipos de
oportunidades diferentes: quando for alimentá-lo e quando necessitar de seu auxílio.


COMO USAR AIKENDÚ? ATIVAÇÃO DO SERVIDOR.

RITUAL DE ATIVAÇÃO

Elementos para o ritual:
a) 1 garrafa de vinho branco ou espumante, copos descartáveis;
b) 1 ramo de louro para cada participante;
c) 1 ramo de alecrim para cada participante;
d) 1 cravo (alimento) para cada participante;
e) 1 desenho do servidor em papel, ou riscado no chão por giz ou na terra;
f) 1 chocalho, sineta ou guizos, ou qualquer instrumento que possa produzir ritmo,
sendo preferível o que puder ser usado com apenas uma das mãos

Preparação para o ritual – após todos os participantes terem sido esclarecidos sobre o
servidor, sobre o Deus Apolo e o simbolismo das deidades solares, todos praticam
juntos o Ritual Gnóstico do Pentagrama, fazendo a invocação da terra, com o
pentagrama com ponta para cima, iniciando o ritual voltados para o leste.
Um dos participantes será escolhido para guiar o ritual como condutor. A cada frase
que o condutor disser em voz alta, os demais participantes também repetem em voz
alta.

Ritual:

No centro do espaço ritual é colocado o desenho do símbolo do servidor, ou ele é
riscado no chão. No centro do símbolo são depositados todos os elementos.

O condutor se volta para o sol, caso este esteja ao meio dia ele se volta para o Leste
geográfico, para iniciar o ritual. Os demais participantes ficam de pé, em torno do
desenho do servidor, voltados para o centro do mesmo.

O condutor, voltado para o Sol, se vê banhado pelos raios de sol, sente-se imerso na
energia solar, e então inicia o ritual, apontando com o instrumento de som para o Sol e
dizendo em voz alta:

AIKENDÚ, EVOCAMOS SUA PRESENÇA PARA QUE VIVA ENTRE NÓS.

Todos os demais participantes repetem em voz alta.

O condutor volta-se então para o grupo, produzindo o som do instrumento, se possível
na freqüência de 4 sons por segundo, andando circularmente por fora do grupo, sendo
que a cada volta dada ele pronuncia uma das frases da litania:

Volta 1, diz o Condutor: AIKENDÚ, PARA QUE POSSAMOS TRANSFORMAR O EU
EM UM EU IDEAL!

Todos: repetem em voz alta.

Volta 2, diz o Condutor: AIKENDÚ, PARA QUE POSSAMOS RECONHECER NOSSOS
PRÓPRIOS ERROS!

Todos: repetem em voz alta.

Volta 3, diz o Condutor: AIKENDÚ, PARA QUE POSSAMOS CONHECER NOSSOS
AUTO-ENGANOS!

Todos: repetem em voz alta.

Volta 4, diz o Condutor: AIKENDÚ, PARA QUE CONQUISTEMOS O SABER DE UM
NOVO CONHECIMENTO!

Todos: repetem em voz alta.

Volta 5, diz o Condutor: AIKENDÚ, PARA QUE VENÇAMOS TODOS OS
OBSTÁCULOS DA NOSSA CRENÇA DENTRO DE NÓS!

Todos: repetem em voz alta.

Volta 6, diz o Condutor: AIKENDÚ, PARA QUE SEJAMOS VITORIOSOS COM A
EXPRESSÃO DO NOSSO SABER!

Todos: repetem em voz alta.

O condutor volta-se para o centro, pega os ramos de alecrim e louro. Circulando agora
por dentro do círculo dos participantes, ainda no sentido horário, coloca uma folha de
louro atrás de cada orelha dos participantes, e nas mãos de cada um dos participantes
deposita uma folha de louro e algumas folhinhas de alecrim. Após ter distribuído aos
outros, coloca em si também uma folha de louro atrás de cada orelha, e nas mãos uma
folha de louro e alecrins.

O condutor volta-se novamente para o Sol e olhando-o esfrega ambas as mãos de
modo a esmagar as folhinhas e soltar seus aromas. Traz ambas as mãos abertas até o
rosto, como se estivesse trazendo a essência do sol e dos aromas até o nariz, inspira
profundamente e diz:

AIKENDÚ, SINTO A SUA PRESENÇA!

Todos repetem o ato e dizem a frase em voz alta.
O condutor então volta ao interior do círculo, abre a garrafa de bebida e pega os copos
descartáveis, dá uma nova volta por dentro do círculo dos participantes, servido a cada
um deles um copo de bebida. Então toma para si também um copo da bebida, e volta-
se novamente para o Sol, saudando-o com o copo da bebida, bebendo-o todo e então
dizendo em voz alta:

AIKENDÚ, ABSORVO A SUA ESSÊNCIA!

Todos repetem o ato e dizem a frase em voz alta.

O condutor então volta de novo para o interior do círculo, pega os cravos e faz
novamente e volta em sentido horário, colocando um cravo na boca de cada um dos
participantes, colocando um por último na sua quando chegar na sua posição original.
Volta-se, desta vez para o interior do círculo e diz em voz alta:

AIKENDÚ, SUA ENERGIA VIVE DENTRO DE MIM!

Todos repetem a frase.

O condutor então grita:

AIKENDÚ VIVE! ESTÁ FEITO!

Todos repetem o grito.

O condutor então inicia o banimento por gargalhada (ANOQUZ) e todos o
acompanham.

FIM DO RITUAL DE ATIVAÇÃO


COMO ALIMENTAR AIKENDÚ?

Aikendú é um servidor que se alimenta de energia de crença livre. Assim para
alimentá-lo o praticante deve enfrentar um obstáculo de crença, liberar a forma desta
crença e então canalizar a energia que ficará livre para o símbolo do servidor Aikendú.


COMO INVOCAR AIKENDÚ?

Quando precisar usar o servidor, o praticante deve executar uma ou mais partes da sua
forma de evocação (ver ritual de ativação abaixo): esfregando com as mãos algumas
folhas de alecrim e uma folha de louro, depois inspirando os aromas enquanto diz em
voz alta : “AIKENDÚ, SINTO A SUA PRESENÇA!” ; consagrando uma dose de vinho
branco ou espumante ao sol, bebendo-a e dizendo: “AIKENDÚ, ABSORVO A SUA
ESSÊNCIA!”; colocando um cravo na boca, e dizendo: “AIKENDÚ, SUA ENERGIA
VIVE DENTRO DE MIM!”.


QUANTO USAR AIKENDÚ?

Aikendú é um servidor para ser usado sob demanda, ou seja, quando for útil, enquanto
se busca a elaboração ou expressão de um saber, enquanto está em curso o processo
de transformação do eu. Quando o praticante alcança o objetivo desejado, ele pode
deixar de usar Aikendú, sem ser necessário nenhum procedimento especial de
desativação.

QUE SEJA FEITA A GRANDE OBRA DA MAGIA!

Pássaro da Noite