P. 1
TECNOLOGIA 3G

TECNOLOGIA 3G

4.67

|Views: 12.828|Likes:
Publicado porThiago Capuano
Artigo Acadêmico da matéria de redes, cujo assunto tratado é a tecnologia 3G, no caso, foi tratado a forma evolutiva, pelas limitações solicitadas não foi possível, descrever cada peculiaridade e seria complicado escrever sobre a 3G sem se estender um pouco nas tecnologias anteriores.
Artigo Acadêmico da matéria de redes, cujo assunto tratado é a tecnologia 3G, no caso, foi tratado a forma evolutiva, pelas limitações solicitadas não foi possível, descrever cada peculiaridade e seria complicado escrever sobre a 3G sem se estender um pouco nas tecnologias anteriores.

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: Thiago Capuano on Apr 01, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial
Preço de Lista:$0.99 Comprar agora

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
See more
See less

08/09/2013

$0.99

USD

pdf

A EVOLUÇÃO PARA A TECNOLOGIA 3G

Dean Piva, Mauricio Teixeira, Rodrigo Beloni, Thiago Capuano Complexo de Faculdades Meridional – IMED Faculdade de Sistemas de Informação – Passo Fundo - RS de_piva@hotmail.com; mau_ct@msn.com; rabeloni@terra.com.br; thiago.capuano@gmail.com

Resumo. Com uma breve descrição da evolução dos sistemas de telefonia móvel celular, é possível observar o tamanho da diferença entre as suas gerações e a qualidade de serviços que poderão ser prestados e aproveitados com a alta capacidade encontrada na atual tecnologia 3G, que será implantada no Brasil e imaginar as aplicações possíveis através do conhecimento geral do sistema de telefonia celular. Palavras-chave: Tecnologia, 3G, celular. 1. INTRODUÇÃO O serviço celular desde suas primeiras gerações, funciona através da divisão de áreas geográficas em células, cada uma utiliza um conjunto de sinais de rádio freqüência, que se associam a transmissores e receptores de baixa potência. Cada célula possui um computador e um transmissor/receptor ligados a uma antena. As células são organizadas em grupos de 7 unidades, sendo que cada unidade representa um grupo de freqüências, o que permite a reutilização de freqüências, que é um conceito fundamental para o uso eficiente do espectro. Convém trazer analogamente a idéia das células como uma colméia de abelha, onde uma célula com mesma freqüência não pode ficar adjacente a outra, para evitar um conflito

de sinal, ao centro de cada célula há uma ERB (Estação Rádio Base) que é responsável pela realização das chamadas vindas ou destinadas aos móveis localizados na sua cobertura direta, ao se locomover com o aparelho a ERB de abrangência repara o enfraquecimento do sinal do dispositivo, a estação executa uma pesquisa de informação nas estações adjacentes e ao reparar que alguma esteja recebendo o sinal com maior qualidade, transfere a disponibilidade para a estação com maior potencia de sinalização, sem falhas ou interrupção de sinal, processo conhecido como handoff. 2. WWANS (Wireless Wide Area Networks) A WWANS é uma das principais redes sem fio, utiliza de sinais de telefone móvel para a comunicação de aparelhos, fornecida e mantida por operadoras de serviços de telefonia móvel. Atualmente a tecnologia WWAN emergindo no Brasil é de terceira geração (3G), oferecendo aos usuários vários serviços em banda larga, com altas taxas de transferência de dados, possibilitando vídeo conferências e televisão entre outros. O sistema de comunicação da telefonia móvel 3G irá alterar radicalmente a forma como utilizamos os celulares. O celular poderá permanecer mais tempo diante dos olhos do

que ao ouvido, pois com o advento fornecido pela tecnologia 3G permitira um o uso de multimídias. Com a qualidade de voz similar à dos telefones fixos e a agilidade de transmissão de dados da internet de banda larga DSL, o que fomentará o uso exclusivo de aparelhos celulares, em muitas ocasiões substituir o telefone fixo e o acesso à internet apenas por um computador. 3. ITU (International Telecommunication Union) Na Europa, pela falta de padronização entre portadoras de paises vizinhos, que impediam o aparelho móvel pessoal de ser usado fora nas fronteiras locais e a crescente escassez de canais, que com o aumento do numero de aparelhos que limitavam a quantidade de comunicadores, forçou as empresas comerciais a estabelecer uma padronização internacional que foi levada a estudo, tal comitê foi chamado de ITU, uma organização internacional destinada a padronizar e regular as ondas de rádio e telecomunicações internacionais. Fundada em 1865 em Paris na França, é uma das agências especializadas da Organização das Nações Unidas, atualmente sediada em Genebra, na Suíça. Devido à posição de agência especializada da ONU, os padrões promovidos pela ITU possuem um grande valor de reconhecimento internacional sobre outras organizações que publicam especificações técnicas similares. A IMT-2000 (International Mobile Telecommunications - year 2000) é um conjunto de soluções tecnológicas, elaborado pela ITU, que permitiram a implementação e integração harmoniosa das comunicações sem fio, e integrou esse padrão a Terceira Geração (3G) de comunicação de aparelhos móveis

estabelecendo harmoniosamente critérios na solução dos problemas anteriores. Os sistemas de terceira geração em projeto chamado de FPLMTS (Future Public Land Mobile Telecommunication Systems), oficializado publicamente como IMT-2000. 4. AMPS, TDMA, CDMA e GSM. As tradicionais tecnologias de sistemas são AMPS, TDMA, CDMA e GSM encontrada em aparelhos celulares de telefonia, enquanto AMPS é analógica as demais são digitais. No Mundo existem quatro sistemas digitais utilizando tecnologias distintas de múltiplos acessos: o GSM (Global System for Mobile Communications), DAMPS (Digital Advanced Mobile Phone System), PDC (Personal Digital Cellular), CDMA (Code Division Multiple Acces), sendo o D-AMPS utilizado nas Américas, o PDC no Japão, o GSM na Europa, Oceania, Ásia e África e o CDMA nos EUA, Coréia do Sul, Hong Kong e outros países que estão aderindo por esse sistema, no Brasil há 3 das tecnologias citadas em funcionamento. 4.1 – Tecnologia Analógica AMPS foi a primeira geração de tecnologia de celulares, formada por sistemas analógicos e utiliza em seus canais a modulação FM, a comunicação da AMPS é dividida em canais de RF onde cada canal consiste em um par de freqüências de transmissão e recepção de 30 KHz de banda cada. Cada banda ocupa 12,5 MHz e é composta por 416 canais, sendo 21 canais de controle e o restante de voz, quando um canal de voz é alocado permanece dedicado a uma chamada durante toda a sua duração. Após a implantação dos sistemas digitais o AMPS, passou a ser utilizado para compatibilizar a

cobertura dos sistemas TDMA e CDMA, que por convenção são duais sendo TDMA/AMPS e CDMA/AMPS, assim quando não há alcance do sinal digital o sinal AMPS passa a operar automaticamente, pelo seu alcance, apesar do alto consumo, permitindo a utilização em roaming de operadora com o sistema digital concorrente. 4.2 – Tecnologias Digitais TDMA ou D-AMPS, mantém toda a estrutura de canalização do AMPS, contudo permite que um canal seja dividido em até seis intervalos de tempo e compartilhado um único canal comunicar-se entre seis aparelhos, assim cada usuário ocupa uma determinada unidade de tempo em uma única transmissão, o que em teoria impede problemas de interferência. O CDMA é baseado na distribuição por códigos, onde cada comunicação é diferenciada das demais através de um código que lhe é atribuído na abertura da comunicação de um aparelho. O GSM consiste na utilização de um pequeno chip, o SIM (Subscriber Identity Module) Card com a função de armazenar todos os dados do usuário, de sua agenda pessoal à seu código de autenticação, que nas modelagens anteriores era integrada no aparelho, ou seja, o SIM Card que da ao celular a sua identidade, apenas quando alocados no aparelho o dispositivo móvel estará plena operação. 4.3 – Similaridades das Digitais Todos os moldes de comunicação digitais detém certas semelhanças entre si, os sistemas TDMA, CDMA e GSM com a tecnologia digital permitiu além da melhoria da qualidade de voz com capacidades de criptografia a implantação de serviços

suplementares como identificador de chamadas, chamada em espera, siga-me e conferência além de Small Menseger Service (SMS), entre outros oferecidos pelas operadoras. 5. Particularidades das Gerações Com a evolução tecnológica, os sistemas de telefonia entraram em novos horizontes, se deparando com uma capacidade de expansão notável, tanto em comunicação de voz quanto dados. 5.1 Primeira Geração. A Primeira Geração (1G) de celulares transmitia os dados de forma analógica (AMPS) com uma taxa de transferência de 9.600 bps, nesta geração de telefonia móvel comercial era apenas fornecida a transmissão de voz. O primeiro sistema telefônico celular comercial do mundo foi desenvolvido pelo Bell Labs nos Estados Unidos, em 1979, chamado de AMPS (Advanced Mobile Fone System) oficialmente utilizada no ano de 1983, foi padronizada na freqüência de 800MHz. 5.2 Segunda Geração A Segunda Geração (2G) de celulares transmitia os dados convertendo o sinal analógico em digital (TDMA, CDMA, GSM) com uma taxa de transferência de 14.4Kbps. Através de uma implementação surgiu a tecnologia intermediaria 2.5G para suportar o padrão WAP (Wireless Application Protocol) de acesso a dados por comunicações GPRS (General Packet Radio Service) e EDGE (Enhanced Data rates for GSM Evolution) com taxas de transferência de dados de até 115Kbps, a especificação WAP desenvolvido

para prover serviços semelhantes a um navegador web, com disposição exclusiva para sistemas móveis de celulares, no inicio de sua implantação foi depreciado devido a enormidade de limitações encontradas tanto no seu uso quanto em sua interface, com o advento evolutivo para a WAP 2.0 e sua interpretação de códigos de WML para XML houve uma expressiva melhor, mas ainda assim seu uso continuou limitado pela largura de banda de transferência de dados e interface pouco amigável. A comunicação é feita através de ondas eletromagnéticas que permite a transmissão bidirecional de voz e dados, em uma área geográfica dividida em células, cada uma servida por um transmissor/receptor sendo totalmente digital. Essa geração caracteriza-se por três padrões tecnológicos, incompatíveis entre si: CDMA, TDMA, GSM. Na implantação da segunda geração, pelo fato do sistema AMPS estar ainda amplamente aplicada nos Estados Unidos, foi desenvolvidos os sistemas digitais de segunda geração, compatíveis com a primeira, operavam tanto na freqüência de 800MHz (AMPS) quanto 1900MHz que além da compatibilidade beneficiaram a utilização em áreas cobertas por outros sistemas, com exceção da GSM, e é nessa geração que iniciam os acessos a internet através do sistema WAP (Wireless Access Plataform), e são utilizados os serviços de dados diversos, os sistemas de segunda geração permitiram uma considerável economia de energia dos aparelhos em relação ao AMPS, pois a transmissão de atividade funcional não era executada de forma contigua. 5.3 Terceira Geração

A Terceira Geração (3G) de celulares capacita aos aparelhos, além das funcionalidades anteriores altas taxas de transmissão de dados e multimídia a picos de 140 Kbps, 400 Kpbs e 2Mbps de acesso por comunicações UMTS (Universal Mobile Telecommunications System), HSDPA (High Speed Downlink Packet Access), HSUPA (High-Speed Uplink Packet Access) e WCDMA (Wideband Code Division Multiple Access) com suas variantes. A 3G, Terceira Geração de Celulares, já é real em várias partes do mundo e agora também no Brasil, suporta serviços de alta capacidades, permite acesso a internet, alta taxa de transmissão de dados, permite assistir TV no aparelho celular, fazer uso de jogos 3D com múltiplos jogadores, utilizar ferramentas de busca, serviços de localização, de teleconferência, tornando o celular uma estação móvel de entretenimento. Há duas modalidades de comunicação utilizada pela tecnologia 3G de telefonia móvel conhecidas como TDD (Time Divisor Duplex) e FDD (Frequency Divisor Duplex) TDD é um método semelhante ao funcionamento do TDMA, onde as transmissões do uplink e do downlink são carregados na mesma faixa de freqüência, usando intervalos sincronizados dos períodos. Assim os intervalos do tempo são divididos tanto na transmissão quanto na recepção. FDD é um método semelhante ao funcionamento do AMPS, onde as transmissões do uplink e do downlink empregam duas faixas de freqüência distintas e especificados é atribuído para uma única conexão. Devido a ambas modalidades de comunicação integrarem os aparelhos de comunicação 3G, quando o aparelho migrar

uma posição geográfica onde seja adotado uma modalidade disponível diferente, permite a realocação automática do modulo de transmissão, fazendo uso do spectrum disponível de forma eficiente e sem incompatibilidade. Os serviços da terceira geração de celulares podem operar tanto nas freqüências que as operadoras de celulares já possuem (como em 800 MHz e 1800MHz), como em freqüências destinadas especificamente para operações da tecnologia 3G (2.1 GHz). O Brasil desde 2004 dispõe da tecnologia 3G, que tem como taxas de pico de transmissão de dados 2,4 Mbps (CDMA2000). Estima-se que as taxas de pico da terceira geração de telefonia móvel podem chegar de 1,8 Mbps a 7,2Mbps (HSDPA) dependendo da versão implementada. 6. CONSIDERAÇÕES FINAIS Todo o contexto da evolução das tecnologias de comunicação móvel de aparelhos de telefonia celular podemos observar uma crescente inovação de características e capacidades em um prazo de tempo extremamente curto, é nítido o avanço de aplicações de que tal evolução pode favorecer a vida das pessoas, permitindo a elas terem acesso a informações da forma mais cômoda possível, apesar de um simples celular não substituir as necessidades de um computador ou um monitor de polegadas, permitirá o acesso a informação disponível na grande rede por um aparelho de bolso com baixo consumo elétrico, permitindo o acesso a regiões remotas com altas taxas de transferência onde métodos convencionais de comunicação estão distantes, temos agora uma nova abertura de acesso a dados e a inclusão digital em âmbito geográficos além de uma

abertura de mercado e serviços que só vem a facilitar a melhora do nível de vida do cidadão. REFERENCIAS [1] Vilas Boas, Aurélio; Katumata Beatriz B; Cestari, Marcelo M; Redes Celulares: Centro Federal de Educação Tecnológica de Mato Grosso. Disponível em 25/03/2008 http://www.getec.cefetmt.br/~ruy/2007/pos/wi reless/trabalhos_alunos/celular_art.pdf [2] Rezende, Edmar Roberto Santana; Segurança em Sistemas Moveis: Universidade Estadual de Campinas. Disponível em: 25/03/2008 http://www.las.ic.unicamp.br/edmar/Palestras/ UFLA/SistemasMoveis.pdf [3] Filho, André Cerqueira; Pinto Márcio Belmonte; A Telefonia Celular: FRB – Faculdade de Salvador. Disponível em: 25/03/2008 http://www.frb.br/ciente/Impressa/Info/I.6.Filh o,ALPC.TELEFONIACELULAR.pdf [4] Rodrigues, Marco Aurélio; Plataforma para Inclusão Digital: Qualcomm Brasil. Disponível em: 25/03/2008 http://www.telebrasil.org.br/painel/51/palestra s/12_marco_aurelio.pdf [5] Tecnologia Wireless 3G: Qualcomm Brasil. Disponível em: 25/03/2008 http://www.qualcomm.com.br/media/pdf/QC OM_Brazil_3G_Overview.pdf [6] Tecnologia 3G. A Mais Avançada Tecnologia Celular. Disponível em: 25/03/2008 http://www.tecnologia3g.com.br/

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->