Você está na página 1de 2

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares:

Metodologias de operacionalização II

Domínio D - Subdomínio D.1 – Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso


e serviços prestados pela BE

Acções Futuras: Sugestões de melhoria da BE

Deixar de fazer

• Planificação de actividades sem contemplar instrumentos de recolha de


evidências que permitam a redefinição de estratégias

• Não ter como uma das prioridades o desenvolvimento de recursos digitais e


actividades de formação nessa área.

• Planificar/realizar actividades sem que estas prevejam articulação com


departamentos, NAC, projectos…

• O Professor Bibliotecário deve evitar fazer, com carácter regular, atendimento


aos utilizadores.

• Não registar, por escrito, todos os contactos e reuniões, com coordenadores de


departamento, do 1º e pré-escolar, DT’s, projectos, clubes e restantes
professores

Justificação

• Apesar da necessidade de se definir uma escala de prioridades para o trabalho


a desenvolver anualmente numa Biblioteca, não ter em atenção o universo da
Web e das novas ferramentas digitais é o equivalente a tornarmos a Biblioteca
obsoleta.

Continuar a fazer

• Estimular e apoiar os alunos e professores para uma maior utilização da BE.

• Solicitar a colaboração de todos os agentes envolvidos para que a BE cumpra


a sua missão.

• Apoio ao curriculum de forma organizada e sistemática.

• Implementar projectos que promovam a articulação da BE com os diversos


departamentos.

• Dinamização de actividades de leitura – PNL.

• Melhorar a divulgação de todas as actividades e propostas da BE em vários


suportes.

• Partilhar experiências com outras BE’s.

Margarida Costa Rodrigues Página 1


• Continuar a envolver-se em projectos de cooperação interna/externa, que
visem uma grande ligação com os conteúdos curriculares e consequente
desenvolvimento de competências.

• Continuar com horário alargado, especialmente durante o período do almoço.

Justificação

• Muitos dos materiais elaborados se não forem divulgados e “experimentados”


com os alunos, não se tornam visíveis para a sua utilização.

• O trabalho de uma biblioteca só se torna eficaz se tiver a participação directa e


o envolvimento dos professores.

Começar a fazer

• Aplicar o modelo de auto-avaliação da BE

• Aplicar de forma sistemática os instrumentos de recolha de evidências.

• Formação de alunos e professores na área da literacia da informação

• Promover encontros, sessões, exposições… de forma a envolver mais


assiduamente os pais/encarregados de educação.

• Optimizar a recolha de evidências/tratamento de dados, para que este


processo não ocupe demasiado tempo e se torne exequível

• Articular/planificar actividades de formação e de apoio com o grupo das TIC.

• Produzir, divulgar e operacionalizar materiais, assim como recursos no âmbito


da literacia digital.

Justificação

• As novas tecnologias da informação exigem uma actualização constante e o


desenvolvimento de novas competências.

• O grupo de informática é, sem dúvida nenhuma, um núcleo muito importante


para apoiar a formação de alunos e professores, para dar sugestões diversas,
para propor actividades específicas para o uso de certas ferramentas Web.

Margarida Costa Rodrigues Página 2

Você também pode gostar