Você está na página 1de 15

CÓD.

403 714
ESB3 de Figueira de Castelo
Rodrigo
Direcção Regional De Educação Do Centro

Integração do processo de auto-avaliação


da BE no contexto da escola

Escola Secundária de Figueira de Castelo Rodrigo

Apresentação do Modelo da Auto-Avaliação da BE ao Conselho Pedagógico B


E
A Formanda : Célia Ribeiro
*
Papel da BE na escola

 Ontem: espaço organizado e equipado destinado ao

acesso à informação e ao lazer.

 Hoje: pretende-se que, em articulação com os demais

parceiros da escola, se transforme num local de trabalho


e de aprendizagem ao serviço da escola e que conduza
ao sucesso dos alunos.
O que avaliar?

O Impacto da BE:

 Nas aprendizagens;

 No sucesso dos alunos;

 Na promoção das aprendizagens ao longo da vida.


Criação de um Modelo de auto-avaliação

. Uniformiza critérios de avaliação.

. Permite avaliar o impacto da BE na


escola.
Objectivos do Modelo

 Proporcionar um conhecimento fundamentado das práticas da


BE.

 Identificar pontos fortes e fracos.

 Avaliar o impacto nas aprendizagens.

 Inflectir práticas.

 Redefinir metas.
 Envolver toda a escola.
 Contribuir para uma melhoria dos resultados escolares.
Organização do Modelo - Domínios

A. Apoio ao
desenvolvimento
curricular

C. Projectos, parcerias e
B. Leitura e Literacias. actividades livres e de
abertura à comunidade

D. Gestão da BE.
Organização do Modelo - Subdomínios

A – Apoio ao Desenvolvimento Curricular: B. Leitura e Literacias

A. 1. Articulação curricular da BE com as estruturas


de coordenação educativa e supervisão
pedagógica e os docentes.
A. 2. Promoção das literacias da informação
tecnológica e digital.

C. Projectos, parcerias e actividades livres e D. Gestão da BE:


de abertura à comunidade:
D. 1. Articulação da BE com a Escola. Acesso e
C. 1. Apoio a actividades livres, esxtracurriculares e serviço prestados pela BE.
de enriquecimento curricular. D. 2. Condições humanas e materiais para a
C. 2. Projectos e parcerias. prestação dos serviços.
D. 3. Gestão da colecção/ da informação.
Como se processa esta avaliação?

 O processo só ficará concluído ao fim de quatro anos.

 Em cada ano é escolhido um domínio diferente.

 A escolha do domínio a avaliar é da responsabilidade da equipa da


BE.

 A escolha tem de ser fundamentada junto dos órgãos executivos e


pedagógicos.
Intervenientes neste processo

 Coordenador da BE;

 Equipa da BE;

 Conselho Executivo;

 Conselho Pedagógico;

 Docentes da escola;

 Alunos.
Como se processa?

 Escolha do domínio;

 Recolha de evidências;

 Interpretação da informação recolhida;

 Identificação do perfil de desempenho;

 Divulgação dos resultados;

 Elaboração do relatório de auto-avaliação;

 Construção de um plano de melhoria (aprovado pelo CP).


Recolha de Evidências

Esta auto-avaliação assenta em evidências recolhidas em:

 Documentos como o PEE, PCE, PCT e RI;

 Documentos da BE ( PAA, Regulamento…);


 Registo de reuniões / contactos;
 Registos diversos em planificações dos Departamentos Curriculares, das ACND, do
PTE e da OPTE;
 Estatísticas produzidas pelo sistema da BE;
 Questionários que constam do modelo de auto-avaliação;
 Trabalhos elaborados pelos alunos;
 Materiais produzidos pela BE.
Perfis de desempenho

Nível Descrição
4 A BE é muito forte neste domínio. O trabalho
desenvolvido é de grande qualidade e com impacto
bastante positivo.
3 A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste
domínio, mas ainda é possível melhorar alguns
aspectos.
2 A BE começou a desenvolver trabalho neste domínio,
sendo necessário melhorar o desempenho para que o
seu impacto seja mais efectivo.
1 A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste
domínio, o seu impacto é bastante reduzido, sendo
necessário intervir com urgência.
Relatório da Auto-Avaliação

A equipa da BE elabora o relatório com base


naquilo que «evidence shows».

O relatório será:
» enviado à RBE;

» analisado, discutido e aprovado em Conselho Pedagógico;

» integrado, através de uma síntese, no Relatório de


Avaliação da Escola.
Plano de Melhoria

 Redefinir objectivos.

 Mudar as práticas .

 Inovar.
Conclusão

A auto-avaliação é valiosa. Pode


parecer, inicialmente, exigente talvez
até mesmo ameaçadora, mas também é
esclarecedora, revigoradora e um
poderoso catalizador para a mudança e
desenvolvimento. (scott, Elspeth. S., 2002)

Interesses relacionados