Você está na página 1de 36

Kama Sutra

uma introdução ao Tantra Yoga

Paulo Pedro P. R. Costa


O Kama Sutra faz parte de um
conjunto de textos medievais,
contemporâneo, portanto, ao
período de desenvolvimento do
Tantra Yoga ou o jugo (yoga) de si
mesmo e da realidade através do
domínio do prazer por sua prática na
união sexual (maithunâ). A interação
do yogin e da yoginî que assim
fazem é uma troca de energias que
supera em muito o que acontece
numa relação sexual comum.

Atribuído á Vatsyayana é
uma das obras mais antigas
e comentadas sobre a
sexualidade humana.
Descreve a conduta sexual
humana desde sua
anatomia e fisiologia até os
detalhes das relações
sociais destas abrangendo
a variedade de costumes da
Índia e os aspectos
psicológicos do desejo.
Aforismos sobre o amor e o
prazer *
...”Sendo os prazeres, tão necessários para
existência e o bem estar do corpo quanto o
alimento, são igualmente legítimos. Além
disso eles resultam de Dharma** e
Artha***. Portanto, os prazeres devem ser
procurados com moderação e cautela.
O homem que praticar Dharma, Artha e
Kama desfrutará de felicidade tanto nesse
mundo quanto no vindouro. Os bons
praticam as ações cujos resultados não
temem no outro mundo, e que não
representam risco para seu bem estar.
Qualquer ação que conduza à realização de
Dharma, Artha e Kama simultaneamente
ou de dois deles deve ser praticada, mas
uma ação que leve à realização de um
deles à custa dos dois restantes não deve
ser praticada”...
* Kama sutra – Aforismos sobre Kama (prazer); **Dharma – obtenção do mérito religioso, ***Artha –
aquisição de riquezas e bens materiais e Kama – obtenção do amor prazer e satisfação sexual.
Antes que o sagrado matrimônio
de Shiva e Shakti possa acontecer
no corpo – mente do ser humano
o yogin tem que remover
obstáculos de todo o tipo. Por
isso, o caminho de realização
(sâdhana) é conhecido como um
caminho de purificação. O próprio
processo de ascensão do
kundalinî é compreendido como
uma purificação dos elementos da
terra, ao fogo, ao ar e ao éter.

A prática do tantra exige domínio


de uma realidade simbólica /
biofísica entre o corpo e o espírito
É doutrina comum
tanto dentro como
fora da Índia, que o
corpo físico tem um
correspondente sutil
que não é feito de
matéria “grosseira”,
mas de uma
“substancia” mais
refinada, uma
energia. A”anatomia”
e a “fisiologia” dessa
imagem suprafísica
do chamado corpo
físico – o corpo sutil
(sûkshma-sharîra) –
tornaram-se os
objetos de
investigação dos
yogues nas tradições
Uma das aproximações mais fecundas
do Hatha-Yoga e
da biofísica ocidental com as práticas Tantra em geral.
orientais foi a descoberta da fotografia
Kirlian
O desejo sexual é o resultado da vibração de pelo
menos dois Chakras, Svadhisthana e Muladhara, após
sua satisfação, a tendência natural da energia
(kundalini) geralmente é se deslocar para o Anahata ou
Manipura Chakra a depender do estágio de evolução de
cada individuo onde predomina a atividade de um
determinado Chakra em cada fase de sua vida.

Chakras (rodas) são concentrações de energia


semelhantes à vórtices ou redemoinhos de água
resultantes do cruzamento dos principais Nadis (canais
de energia) do corpo sutil – Ida e Pingala, respectivamente
os princípios da atividade e sedação. Estes canais de
energia, que circula em direções opostas, se cruzam ao
nível da espinha dorsal, por onde interagem com plexos e
glândulas do corpo físico através dos quais se
manifestam enquanto desejos, comportamentos e
funções orgânicas.
Muladhara Chakra ou Raiz,
situado na base da espinha
dorsal, relaciona-se com a
excreção e origem da energia
vital (kundalini). Seu
elemento é terra, sua cor
vermelha. Mûlâ - âdhâra
literalmente pode ser
traduzido como raiz – apoio,
seu animal símbolo é o
No ocidente a tendência é interpretar os
referidos comportamentos e funções desse elefante, as divindades que o
chakra como resultante da atividade das
glândulas adrenais (medula e córtex) e do
regem são o próprio Brahma,
plexo lombar – sacral associado ao controle o criador e a deusa Dâkini. A
do intestino grosso, reto, ânus e bexiga.
Quanto ao comportamento sexual, sabe-se expressão básica são as
que o desejo feminino está associado a
quietude e medo e masculino relaciona-se
sensações de ânimo / fadiga,
com exibicionismo e agressão e o ansiedade e os
desempenho sexual de ambos depende do
controle da ansiedade e aprendizado da comportamentos de fuga e
calma. luta.
Svadhisthana Chakra – (Sacral), o
segundo chakra, localiza-se na coluna
vertebral, na região do sacro, ao nível
dos órgãos genitais, quatro dedos
abaixo do umbigo. Relaciona-se com
as gônadas, as glândulas sexuais,
tanto com os desejos e funções
reprodutivas como fisiologicamente
com a saída de líquidos de nosso
corpo: a urina, o sêmen, a
menstruação. Seu elemento é água,
Sua cor é alaranjada e suas
ondulações repartem-se em seis raios,
Os animais chegam a ignorar o instinto de representa uma manifestação de
auto - preservação, quando controlados
pelo Muladhara. A perda do corpo atual é Vishnu e do ciclo lunar, é representado
muito menos grave do que a extinção da
espécie, Este impulso, entretanto, segue
por um crocodilo (makara). Sua
caminhos diferentes para machos e expressão são as relações de troca,
fêmeas. Os machos arriscarão suas vidas
pela chance de copular, as fêmeas concessão e recebimento.
arriscar-se-ão em defesa de suas proles.
...”há nove tipos de união segundo a força do desejo
ou da paixão:
Diz-se que um homem é de pequena paixão quando o
seu desejo no momento da união sexual não é grande,
seu sêmen é pouco abundante e ele não suporta os
abraços apaixonados da mulher.
Os que sentem mais desejos são chamados são
chamados homens de paixão mediana enquanto os
cheios de desejo são os homens de paixão intensa.
Do mesmo modo se supõe que as mulheres tenham os
três graus de paixão descritos acima”...

ASSIM É O
DESEJO
IGUAIS DESIGUAIS

Homem Mulher Homem Mulher

Pequena Pequena Pequena Mediana

Mediana Mediana Pequena Intensa

Intensa Intensa Mediana Pequena

Mediana Intensa

Intensa Pequena

Intensa Mediana
ALGO MAIS SOBRE O APEGO, A
AVERSÃO E A VONTADE DE VIVER

...”A ignorância, a noção de eu, o


apego, a aversão e a vontade de
viver são as cinco causas da
aflição.
A ignorância é o campo das
outras causas que podem estar
adormecidas, atenuadas,
interrompidas, ou ativadas.
A noção de eu é como que a
identificação da faculdade de ver
com Aquele que vê. A aversão é o que repousa
sobre o doloroso
O apego é o que repousa sobre o A vontade de viver por sua
prazeiroso. própria propensão está
arraigada em todos até
mesmo nos sábios que
através da yoga busca sua
transcendência”...
Templo de Kajuharo inspirado na iconografia tântrica.
Aforismos de Patanjali, Patanjali é considerado um
dos criadores do Kria Yoga que segundo ele
mesmo ...tem a finalidade de cultivar o êxtase e
também de atenuar as causas da aflição...
O yogin não
deve ver na
yoginî uma
pessoa do sexo
oposto, mas
sim a Deusa
Shakti, e do
mesmo modo
Shakti e Shiva
deve se
identificar com
Shiva.
Se eu não
vejo a mulher
que eu mais
desejo,
Nada que eu
veja vale o
que eu não
vejo.
...”Os homens dividem-se em três
classes, segundo o tamanho de
seu lingan: homem-lebre,
homem-touro e homem-cavalo.
As mulheres também, segundo a
profundidade da sua Yoni,
dividem-se em três classes: a
corça, a égua e a elefanta”...

ASSIM É O
CORPO

Do capítulo I – Tipos de união sexual segundo as dimensões, a


força do desejo ou a paixão e o tempo consumido na união.
A vagina nomalmente se estende em
comprimento e se expande na
profundidade transcervical,
acomodando-se progressivamente ao
A faixa normal de comprimento pênis independente de seu tamanho,
do pênis varia de 8,5 a 10,5 cm respondendo diretamente aos estímulos
em estado flacido aumentando do pênis e à sua tensão sexual
entre 7 e 8 cm durante a ereção
IGUAIS DESIGUAIS

Homem Mulher Homem Mulher ...”Quando houver uma “união


Lebre Corça Lebre Égua alta” (cavalo – égua ; touro –
Touro Égua Lebre Elefanta
corça) a mrigi (corsa) deve
deitar-se de modo a alargar sua
Cavalo Elefanta Touro Corça
yoni, enquanto numa “união
Touro Elefanta
baixa” (elefanta – touro ; égua –
Cavalo Corça
lebre) a mulher hastini
Cavalo Égua
(elefanta) deve deitar-se de
modo a contraí-la. Mas em união
igual devem deitar-se na
posição natural.”...

...”Quando a mulher abaixa a cabeça e ergue a parte média do


corpo, isso é chamado “posição muito aberta.... Quando ela
ergue as coxas e as conserva abertas e inicia o ato sexual, isso
é chamado “posição aberta.”...
Preliminares
Vários capítulos do Kama Sutra tratam de aquisição de parceiras
sexuais e esposas, no texto sobre “a conquista do amor de uma jovem
esposa” lê-se: ...”o homem que age segundo as inclinações de uma
moça, deve tentar conquistá-la para que ela o ame e confie nele,
abstendo-se no início das relações sexuais, no diálogo comentares
sesus valores éticos e opiniões até chegarem a um termo de acordo.

Além do desejo
O Kama Sutra associa as praticas sexuais ao
consumo de substancias como a noz bétel,
ungüentos estimulantes, com mel e outras
piperáceas e solanáceas, afrodisíacos e cosméticos.
Os textos chineses descrevem detalhadamente com comportamento sexual se
organiza em periodicidades sazonais e mensais no ciclo vital. Estudo ocidentais descrevem o
verão como o início da estação reprodutiva na maioria dos mamíferos. Na espécie humana o
desejo sexual feminino está associado à elevação dos níveis de estrógeno no ciclo menstrual.

Aprender a cheirar, ver, tocar,


provar
A parte do Kama Sutra que trata da União sexual ( o 64 –
chatushshashti) inclui: o abraço, beijo, mordidas, arranhões
com unhas, beliscões, amassos, massagens, posições no leito, o
discurso erótico a emissão de sussurros e sons, representações
dos papéis masculino feminino e sexo oral.
As noções orgasmo feminino
descrito no Kama Sutra, do mesmo
modo que na concepção ocidental,
ainda está envolvida em mistérios,
afirma que o sêmem das mulheres
flui do início ao fim da relação,
associa esse “sêmem” ao óvulo ou
materialidade do poder de gerar o
embrião e estabelece, talvez pela
Na moderna medicina sexual inaugurada por primeira vez em textos publicados,
Masters & Johnson o comportamento e fisiologia a controvérsia da ejaculação
sexual masculino e feminino apresentam feminina.
diferentes momentos (fase de excitação, platô e e
resolução) e por diferentes razões (orgânicas e
fisiológicas) podem apresentar inadequações
comportamentais e disfunções orgásmicas. Na
mulher destacam-se o vaginismo, a dispareunia
(coito doloroso), anestesia ou frigidez e no homem
a impotência e disfunções da ejaculação. Em
todos os tratamentos a focalização e
reaprendizado das sensações associadas à
resposta sexual é fundamental, a cooperação dos
parceiros idem, muitas vezes com técnicas
específicas de estimulação e desempenho.
As imagens mostram a auto estimulação e estimulação do clitóris pelo
parceiro durante a relação sexual (Dodson in Kaplan, 1977)
Livro dos 4 institutos
Ejaculação involuntária (espermatorréia)
Fraqueza nos rins; excesso de fogo no coração
a exautão da essência Yin afeta o Yang
produzindo o sintoma.
Ejaculação noturna: ShenmenC7;Taixi R3
Ejaculação involuntária: Shenshu Be23; DaheR12
Impotência: Dano ao Yang dos rins (1) ou ao Chi
do coração, baço e rins (2)
1-Guanyuan VC4; Mingmen VG4; Taixi R3
2- Shenmen C7; Xinshu Be15; Sanyinjiao Ba6
Controle da ejaculação

As técnicas da moderna sexologia se iniciam


com o aprendizado dos diferentes momento da
excitação sexual masculina sobretudo da fase
de inevitabilidade da ejaculação. Recomendam
posições que favoreçam a interrupção da
penetração e compressão da base da glande
para inibir o reflexo. Os textos chineses, para
quem o sêmem se relaciona com a energia
vital, são bem mais detalhados no ensino do
A maior parte dos ensinamentos sobre a controle da ejaculação, além de exercícios e
sexualidade sagrada das tradições tântrica e
taoísta defendem a contenção da ejaculação
mentalizações específicas recomendam a
para os homens, enquanto aconselham às compressão do acupunto VC1, situado no
mulheres que façam o oposto – ou seja, que períneo. No Kama Sutra há recomendações
desenvolvam sua capacidade de ser sobre a necessidade do homem consumir mais
multiorgásmica e de ejacular. (Anand M., 1992) tempo na relação sexual para que a mulher o
A técnica de Semans para controle da
aprecie, mas, chama atenção para os
ejaculação envolve o aprendizado da diferentes momentos da excitação sexual
percepção e treino para identificar os feminina: desde o início quando ela não suporta
momentos que precedem o climax e as investidas vigorosas, a fase que deixa de
capacidade para retardar a resposta
reflexa voluntariamente. pensar em seu corpo até o momento em que
deseja que a relação termine.
A definição de orgasmo
oriental difere, da
conceituação ocidental,
basicamente por afirmar
que o orgasmo masculino
pode ocorrer independente
da ejaculação; que existe
um equivalente fisiológico
feminino à ejaculação e
quanto a concepção de que
um orgasmo “genital” pleno
pode produzir diferentes
estados de consciência.
(Anand; Chang). A ciência
médica ocidental, cada vez
mais aceita a concepção da
reação de orgasmos
múltiplos feminino apenas Mapa da sensibilidade nervosa do corpo humano com

inicia a compreensão dos indicações (em cor) da região dos chakras e alguns
acupontos indicados para o tratamento da frigidez
(símbolo do yin/yang) 
estados de êxtase pós-
O conceito de plataforma orgásmica descreve o estado
anatômico fisiológico dos órgãos genitais femininos na
fase plateau, onde, há uma concentração local de
sangue venoso na terça parte externa do tubo vaginal
criando uma constrição parcial do lúmem central, o
útero aumenta de tamanho e o clitóris evidencia maior
tensão na musculatura lisa elevando-se da sua posição
natural de pendente pudeno e achatando-se sobre a
borda anterior da sínfise. (Masters & Johnson) O
orgasmo, na concepção ocidental é uma resposta
psicofisiológica – fase de resolução, associada à
estímulos psicológicos e retorno ao estado fisiológico
inicial, anterior às fases de excitamento e plateau, com
distintos caminhos fisiológicos para dissolução das
tensões, vasocongestão e demais alterações.
...”Quando a mulher ergue as duas
coxas verticalmente essa posição é
chamada de ascendente”...

Uma concepção hindu da União


Sexual
...“Quando As duas pernas
da mulher estão dobradas e
encostadas na sua barriga,
essa é a “posição do
caranguejo”.
Quando as coxas estão
levantadas e colocadas
uma sobre a outra, essa é a
“posição de feixe”.
Quando as canelas se
apóiam uma sobre a outra,
essa é a posição em forma
de lótus.”...
...”Há dois modos
de simular o papel
do homem. O
primeiro é
quando, durante a
relação sexual, a
mulher se volta e
fica por cima do
amante, de modo
a continuar a
relação sexual,
sem interromper
o prazer. O outro
é quando é ela
quem faz o papel
do homem desde
O que se vê no Kama
Sutra e em textos afins,
orientais é que tanto os
comportamentos, as
relações sociais, como os
sentimentos podem e
devem ser compreendidos
em sua “formalidade” para
que possam ser livremente
modificados, o yogue
(yogin ou yoginî ) se define
como um “domador de
desejos”.

...“nesse caso, com flores no cabelos soltos e sorrisos


intercalados com uma respiração ofegante, ela deve
pressionar o peito do amante com os seios e, abaixando
freqüentemente a cabeça, fazer as mesmas coisas que ele
faz, infligindo-lhe os mesmos golpes, zombando dele, e
depois voltar ao papel feminino manifestando timidez
cansaço e vontade de interromper a cópula”...
...”Quando as pernas do
homem e da mulher ficam
estendidas umas sobre as
outras, isso é chamado de
“posição aderente” . Existem
dois tipos a posição lateral e
a posição de costas, de
acordo com o modo como
ambos estão deitados. Na
posição lateral o homem deve
invariavelmente ditar-se do
lado esquerdo e a mulher do
lado direito. Essa regra é
adequada para todos os tipos
de mulheres.
Quando, depois de iniciado o
ato sexual na posição
aderente, a mulher aperta o
seu amante com as coxas,
...”Quando um homem
durante o ato sexual, se
volta e goza a mulher
sem a deixar, enquanto
ela o enlaça com firmeza
pelas costas, essa é a
posição giratória, que
também só se aprende
pela prática.”...
Orgasmo

A realização de uma prática sexual


sem culpas, seguido por um completo
estado de descontração muscular
(relax), calma (a felicidade dos recém
nascidos após amamentação) ou o
estado de êxtase cósmico (comunhão
com a natureza) são resultado de uma
vida de cuidado e atenção com os
próprios e sentimentos e relações
psicossociais. Na concepção indiana
corresponde ao deslocamento da
energia aos níveis superiores do
Sahasrara Chakra.
A Maithuna tântrica
quando corretamente
praticada em posição de
lótus ou equivalente
(confortável) e
concentração absoluta
nos movimentos
espontâneos dos órgãos
sexuais conduz seus
praticantes ao êxtase.
Para Lacan a personalidade é um modo de desejar, uma ética
pessoal e uma responsabilidade (coerência) . Ainda segundo a
psicanálise, a sexualidade humana pode apresentar
perversões quanto ao objeto e modo da relação sexual
estruturando-se a partir da negação do incesto – dissolução do
Complexo de Édipo

O Kama Sutra nos apresenta várias práticas que entre nós


seriam consideradas perversões, como o sexo oral com
eunucos, o sexo anal e as relações com múltiplos
parceiros e cortesãs Contudo as descreve como costumes
de diferentes regiões da Índia recomendando que cada um
siga suas tradições e convicções. Os textos tantricos feito
o Yoga-Karnikâ se referem ao incesto como um caminho
(escolha do espírito) para sua destruição (a Morada da
VOCÊ PODE VER A REPRODUÇÃO HUMANA E
FASES DA VIDA COM OS OLHOS DO ORIENTE?
Kama Sutra, uma introdução ao Tantra Yoga
Paulo Pedro Pinto Rodrigues da Costa – costapppr@gmail.com

Bibliografia
Kama Sutra de Vatsyayana, versão Richard Burton, tradução de Maria Clara B.W.Fernandes, 7ª
Ed. RJ, Ediouro, 1997
Anand Margo. A arte do êxtase: os princípios da sexualidade sagrada. RJ, Campus, 1992
Feuerstein Georg. A tradição do Yoga, história, literatura, filosofia e prática. SP, Ed.
Pensamento, 2006
Garrison, Omar V. Tantra o yoga do sexo. RJ, Civilização Brasileira, 1970
Haich, Elisabeth. Energia Sexual & Yoga: Tantra a canalização da força criadora. RJ, Record,
1995
Maria Alice;, Os Chakras. Ba, Século 22 Editora (manuscritos originais Org.Beto Hoisel)
Chang, Jolan. O taoísmo do amor e do sexo, o êxtase e a milenar sabedoria do amor. RJ,
Artenova, 1979
Chia, Mantak; Wei, W. U. Reflexologia sexual, o Tao do amor e do sexo. SP, Cultrix, 2005
Johnson W.H. e Johnson, V.E. A conduta sexual Humana, RJ, Civilização Brasileira, 1968
Johnson W.H. e Johnson, V.E. A incompetência sexual, suas causas, seu tratamento. RJ,
Civilização Brasileira, 1970
Kaplan, Helen Singer. A nova terapia do sexo, tratamento dinâmico das disfunções sexuais. RJ,
Nova Fronteira, 1977
Ilustrações
Alex Grey www.alexgrey.com ; Hussey, Leandra; Howard Schatz.
www.howardschatz.com; Dodson, 1973; Clipart Corel 9; apresentações
tipo PPS recebidas por e-mail de autoria desconhecida

O Autor
Costa, P.P.P.R. Acupunturista com poucos anos de exercício de Hatha Yoga
(4,5 anos), estudante das lições iniciais da Self Realization Fellowship (julho
de 1979) e formação básica em Psicologia e Saúde Pública, elaborou esse
documento, sem fins comerciais, como exercício didático de sua formação e
acupuntura. Os distúrbios aqui apresentados fazem parte do conjunto de
patologias tratáveis por acupuntura apresentadas na sua monografia de
conclusão de curso na clínica filiada à ABA secção Bahia sob orientação do
Prof. Jurecê J. Machado e do livro O mar de dentro, um estudo da
concepção de cérebro, e mente no sistema etnomédico chinês (em
preparação).