P. 1
CIRURGIA ORTOPEDICA

CIRURGIA ORTOPEDICA

|Views: 10.496|Likes:
Publicado porblack lunas

More info:

Published by: black lunas on Dec 23, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/29/2013

pdf

text

original

NOÇÕES BÁSICAS DE ENFERMAGEM EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

Prof. ª Tatyanna Faria

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

ecauções Padrão- cuidados

1. Lavagem das Mãos 2. Manipulação de Instrumentos e Materiais 3. Manipulação de Materiais Cortantes e de Punção 4. Ambientes e Equipamentos 5. Roupas e Uso no Paciente 6. Vacinação

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

. Lavagem das Mãos

limina a sujidade visível ou não

limina todos os microrganismos que aderem a pele

RINCIPAL medida de bloqueio- Germes

avar as mãos sempre- ante e depois dos procedimentos

Unhas Curtas e a mão sem anéis

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Higienização das Mãos

ndicações da Lavagem das Mãos

•Após tocar fluidos, secreções e itens contaminados

•Após a retirada das luvas

•Antes de procedimentos no paciente

•Entre contatos com pacientes

•Antes e depois de atos fisiológicos

•Antes do preparo de soros e medicações

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Higienização das Mãos

rocedimento da Lavagem das Mãos 1. Posicionar-se sem encostar na pia 2. Abrir a torneira 3. Passar o sabão (líquido ou em barra0 4. Friccionar as mãos, dando atenção às unhas, meio dos dedos, polegar, palmas e dorso da mão (15 seg) 5. Enxaguar as mãos deixando a torneira aberta 6. Enxugar as mão com papel toalha 7. Fechar a torneira com a mão protegida com papel toalha, caso não tenha fechamento automático

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

Manipulação de Instrumentos e Materiais

ujos de sangue, fluidos corporais, secreções e excreções

evenir contato com a pele e mucosas (olho, nariz e boca)

erificar se os materiais estam limpos quando reutilizados

onferir os materiais descartáveis

onferir o estoque

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

anipulação de materiais Cortantes e de Punção

Cuidado
Instrumentos Pérfuro-cortantes Limpar, Transportar Descartar

Agulhas Lâminas de Barbear Tesouras Outros instrumento

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

anipulação de materiais Cortantes e de Punção
Instrumentos Pérfuro-cortantes Descartados em caixas apropriadas Rígidas e Impermeáveis

Colocadas próximo da área de utilização

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

anipulação de materiais Cortantes e de Punção

•Nunca recape agulhas após o uso •Não remova com as mãos agulhas usadas das seringas descartáveis e não as quebre ou entorte •Seringas e agulhas reutilizáveis devem ser transportadas para a área de limpeza e esterilização em caixa inox ou bandeja

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde Ambiente e Equipamentos

•Rotina de limpeza e desinfecção de superfícies e equipamentos •Supervisão dessas medidas

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

Roupas e Campos de Uso no Paciente •Manipule transporte as roupas sujas de sangue, fluidos corporais, secreções e excreções com cuidado. •Transporte-as em sacos plásticos •Lavanderia - Desinfecção

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

6. Vacinação

Todos os Profissionais de Saúde Devem Estar Vacinados Contra a Hepatite B e o Tétano

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

• Luvas • Máscaras, óculos de proteção • Protetor respiratório (Respiradores) • Avental e Gorro • Calçados

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Higienização das Mãos

rocedimento da Lavagem das Mãos Uso do álcool Glicerinado

Álcool 70% 2% de Glicerina

Aplicar o álcool glicerinado(3 a 5 ml) nas ,mãos até secar Não aplicar – mão visivelmente sujas

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

igienização do Ambiente

Limpeza é a remoção ou retirada de sujeira através de fricção de uma superfície com água e sabão ou detergente

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Como nos proteger durante o trabalho em saúde

igienização do Ambiente • Área Física: piso, paredes, teto, portas e janelas • Mobiliário: cadeiras, mesas, balões, macas, bancadas e pias • Equipamentos Eletrônicos e artigos hospitalares específicos

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

Técnica de assépticas

 A existência de microrganismo no ambiente justifica a aplicação de técnicas que reduzem o seu número e propiciam maior segurança ao paciente e à equipe de saúde.

CUIDADOS DE ENFERMAGEM
TIPOS DE ASSÉPTICOS
Anti-sepsia- aplicação de um produto químico em camada superficial ou profunda da pele para impedir ou destruir o crescimento da bactéria Assepsia – é o processo pelo qual se consegue afastar os germes patogênicos de determinado local ou objeto Degermação – é a remoção ou redução do número de bactérias na pele por meio de limpeza mecânica Desinfecção- capaz de eliminar muitos ou todos os microrganismo patogênicos, com exceção dos esporos Esterilização- é o processo que promove completa eliminação ou destruição de todas as formas de microrganismos presente: vírus, bactéria, fungos, protozoários, esporos para um aceitável nível de segurança

   

Cuidados de enfermagem

Traumatologia
 Especialidade médica que trata as injúrias do aparelho locomotor (mãos , braços, pernas , pés, coluna e quadril).  Ela trata de fraturas, lesões nos músculos, tendões e ligamentos ocasionados de forma traumática.  Acidentes de trânsito, traumas desportivos, acidentes domésticos e no ambiente de trabalho são os que mais necessitam da atenção do traumatologista.

Cuidados de enfermagem

Traumatologia
Fratura    É definida como sendo a perda, total ou parcial, da continuidade de um osso. A fratura pode ser simples (fechada) ou exposta (aberta). Na fratura simples não há o rompimento da pele sobre a lesão e nas expostas sim, isto é, o osso fraturado fica exposto ao meio ambiente, possibilitando sangramentos e um aumento do risco de infecção. No caso de fraturas, o paciente geralmente irá queixar-se de dor no local da lesão e relatará limitação dos movimentos do local acometido severa ou total. É possível também a existência de deformidades, edemas, hematomas, exposições ósseas, palidez ou cianose das extremidades e, ainda, redução de temperatura no membro fraturado.

Cuidados de enfermagem Tipos de fraturas
 Simples – 2 fragmentos  Cominutivas – 3 ou mais fragmentos  Segmentar – fraguemento intermediário  Patológico – enfraquecimento ósseo  Obliqua – diagonal  Espiralada – circunda o osso c/ ou s/ deslocamento  Galho verde

Cuidados de enfermagem Localizações das fraturas

   

Diafisária Metafisária Epifisária Articulares

Cuidados de enfermagem Consolidação das fraturas

Consolidação das fraturas – Produz a cura não com um tecido cicatricial, mas com um tecido ósseo igual ao original

Cuidados de enfermagem Tipos de Consolidação

 Primária ou direta: Este tipo de reparo de fratura somente é possível se o cirurgião puder alcançar uma fixação interna rígida e um excelente posicionamento anatômico  Secundária ou indireta: Este termo denomina uma consolidação por uma ponte de calo ósseo de um fragmento ósseo para outro. Este processo muitas vezes leva anos até seu término .

Cuidados de enfermagem
FASE DE REPARO
 Inflamatória -Este estágio começa imediatamente após a ocorrência da fratura e persiste até que a formação de osso seja iniciada. A duração desta fase varia, mas usualmente é de 3 a 4 dias. Clinicamente uma diminuição na dor e inchaço é associado ao final desta fase. Há uma expressiva vasodilatação dos vasos e uma hiperemia nos tecidos moles em volta da fratura. Subseqüentemente, formação de hematoma Reparação –O evento mais característico da fase de reparo é a formação de um calo e sua subseqüente transformação em osso maduro. Depois da formação do calo rígido, os calos externo e interno (ou medular) gradualmente são convertidos a osso. Remodelação –O formato do osso é remodelado de forma a permitir a funcionalidade e restaurar a resistência normal ou pelo menos próximo do normal. Histologicamente, os osteoclastos são ativos em remodelar a superfície externa do osso para diminuir o tamanho do calo.

Cuidados de enfermagem
CUIDADOS IMEDIATOS EM QUALQUER TRAUMATISMO GRAVE

As fraturas devem ser avaliadas no exame primário (ABCDE): são fraturas expostas com perda sangüínea e fratura com graves deformidades que possam estar prejudicando a perfusão distal.  A : Assegurar que o ar chega aos pulmões  B : Assegurar que o traumatizado ventila bem  C : Assegurar que existe circulaçao sanguínea adequada e travar hemorragias  D : Estado neurológico ( alerta, responde à voz, responde à dor, não reage)  E : Exame completo para avaliação de lesões e cuidados com as mesmas

Cuidados de enfermagem

Prioridades

1. 2. 3. 4.

Salvar a vida do paciente Salvar o membro do paciente Salvar a função do membro Evitar complicações que tenham implicações apenas do ponto de vista da estética

Cuidados de enfermagem Avaliação no exame secundário

 Observar a perfusão e pulso radial  O diagnóstico é feito também com o auxílio de radiografias, que devem sempre ser feitas em pelo menos duas incidências, Ântero-Posterior e Perfil (ou, no caso dos pés e mãos, ÂnteroPosterior e Oblíqua). Outros exames possíveis são a Ressonância Magnética Nuclear, a Tomografia Computadorizada e a Ultrasonografia (esta última de aplicação restrita).

Cuidados de enfermagem Métodos e tratamento
 Redução: consiste na reposição, o mais aproximada possível, da anatomia normal por manipulação. Pode ser executada por manipulação externa (Redução Incruenta ou Fechada) ou expondo cirurgicamente a lesão (Redução Cruenta ou Aberta). É utilizada em fraturas com grande deslocamento e nas Luxações.  O tratamento subsequente divide-se em Tratamento Conservador, não invasivo, não cruento e Tratamento Cirúrgico, implicando técnicas invasivas cruentas.

Cuidados de enfermagem Métodos e tratamento não cirúrgico

1. Repouso relativo ou imobilização relativa 2. Imobilização com gesso deve incluir o segmento fraturado, uma articulação acima e uma abaixo desse segmento 3. Redução incruenta seguida de engessamento 4. Tração esquelética ou cutânea seguida ou não de aparelho gessado

Cuidados de enfermagem Tratamento conservador
 Tala provisória: a aplicar antes de chegar ao hospital. Pode ser composta, na pior das hipóteses, por um objeto rígido (revista dobrada, tábua, etc. devidamente almofadado). Deve imobilizar de preferência as articulações acima e abaixo da lesão. Tala gessada: calha de gesso envolvida por ligaduras. Aplicada na maioria das lesões recentes pois permite aumento de volume por edema sem risco de compressão e efeito de garrote. Gesso fechado: ligaduras de gesso aplicadas circularmente de forma a obter uma estrutura tubular (aparelho gessado) geralmente moldado de forma a evitar rotação dos topos ósseos. Pode estar preparado para mobilização e carga (Gesso funcional). Ligaduras: utilizadas para imobilizar algumas lesões dos ombros e braços (Gerdy, Cruzado, Velpeau, etc.) Ortese: acessório pré-fabricado removível destinado a substituir um dos dispositivos anteriores. Estes dispositivos destinam-se a impedir ou dificultar a mobilização do segmento lesado de forma a promover e facilitar o tratamento de fraturas, luxações e algumas entorses.

 

Cuidados de enfermagem Tratamento cirúrgico
 Osteossíntese: utilização de implantes para fixar o osso na posição requerida de forma a promover a sua consolidação de forma satisfatória: Placas, Parafusos e Cravos: aplicados na superfície dos ossos de forma a fixar os fragmentos e promover a consolidação. Encavilhamento intra-medular: fio, vareta ou cavilha metálicos introduzidos no canal medular do osso, ao longo do seu maior eixo, mantendo o seu alinhamento. Osteotaxia (ou Fixação Externa): aplicação de cravos ou fios metálicos no osso, por sua vez ligados a um dispositivo (Fixador) externo. Fios Metálicos: geralmente aplicados através da pele de forma a fixar os fragmentos ósseos

Cuidados de enfermagem Indicações de tratamento cirúrgico

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8.

Fratura instáveis do colo do fêmur Ossos do antebraço Fraturas expostas Pseudo-artroses Falha do tratamento não cirúrgico Polifraturados e politraumatizados Fratura associada à lesão vascular Fratura da diáfise do fêmur.

Cuidados de enfermagem Tratamento por tração

 O príncipio da tração é a continuação de um peso alinhado com a extremidade fraturada.  A ação do peso mantém a redução da fratura, imobiliza o segmento fraturado, servindo como medida analgésica.

Cuidados de enfermagem Como a tração é utilizada?
O peso pode ser colocado no membro por 2 maneiras:  Um esparadrapo fixado à pele  Tração cutânea ou através de um pino de aço inserido no membro fraturado-tração esquelética

Cuidados de enfermagem Método cirúrgico
 Fixação externa – é fixada com algum tipo de implante. Chamamos de osteossíntese interna.  Este implante pode ser uma placa de metal uma haste que é colocada no interior da medula óssea (haste intramedular) fios de aço ou pinos de aço(chamados de kirshner)

Cuidados de enfermagem Método cirúrgico

 A fixação externa também pode realizada com método de Ilizarov, que permite correção de falhas ósseas e alongamento ósseo

BOA SORTE!!!

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->