Você está na página 1de 2

Grupo Parlamentar do Partido

Socialista

_____________________________________________________________________

Exmos Senhores,

Exmas Senhoras,

Reforçar o envolvimento dos jovens na nossa sociedade representa


uma das vontades da Juventude Socialista. Desde 2001 que
ambicionamos que funcione um conselho representativo da
juventude na Covilhã. Da parte do executivo autárquico já
verificámos duas propostas (uma em 2003 e outra em 2008) para a
efectivação de um órgão deste género e que foram aprovadas nesta
Assembleia. Deve ser reconhecido que até ao dia de hoje ainda não
se realizou nenhuma reunião deste órgão e que o mesmo
demonstra uma profunda disfuncionalidade.

No início de 2009, sob proposta da Juventude Socialista foi


aprovada a legislação [DL 8/2009, de 18 de Fevereiro] que prevê a
efectivação destes órgãos em todas as autarquias,
regulamentando-se assim o funcionamento destes órgãos, com a
devida força de uma legislação.

Deste modo, desafiamos a autarquia a promover uma assembleia


de instalação deste órgão, reunindo os representantes referidos na
legislação, dos quais se destacam as associações da rede RNAJ.
No que respeita à Juventude Socialista estaremos presentes para

_____________________________________________________________________

Assembleia Municipal da Covilhã


-1-
Grupo Parlamentar do Partido
Socialista

_____________________________________________________________________
que de forma responsável se institua um órgão que será
fundamental para a promoção da discussão juvenil sobre os seus
problemas e interesses. Se hoje já estivesse um órgão
representativo da juventude em funcionamento teríamos entre nós,
uma perspectiva dos jovens sobre o Plano de Actividades em
discussão, tal como é referido na legislação.

Por outro lado, a efectivação deste órgão será fundamental para a


criação de uma estrutura de juventude fulcral para a dinâmica social
de uma sociedade, como seja, a promoção de actividades juvenis e
de criação de fóruns de discussão. Desde já indico que esta
realidade já existe em outras autarquias de outros centros urbanos,
com um elevado sucesso no seu funcionamento.

Relembro que o prazo de cumprimento desta legislação era de seis


meses e já expirou. No fim, e apesar de toda a divulgação pública
não existe qualquer órgão de juventude deste género na Covilhã.
Desde já deixamos o desafio para que se implemente este órgão de
acordo com a legislação em vigor e que não haja receio de se ouvir
os jovens.

_____________________________________________________________________

Assembleia Municipal da Covilhã


-2-