P. 1
Fluxo de Caixa Metodo Direto e Indireto Da Dfc

Fluxo de Caixa Metodo Direto e Indireto Da Dfc

|Views: 39.324|Likes:
Publicado porregismateus

More info:

Categories:Types, Research, Science
Published by: regismateus on Dec 23, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/25/2013

pdf

text

original

1. FORMA DA DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA A forma da Demonstração do Fluxo de Caixa: . Estrutura - Atividades Operacionais. - Atividades de Investimentos.

- Atividades de Financiamentos. . É necessário divulgar as transações de investimentos e financiamentos que não afetaram o fluxo de caixa durante o período. . É necessário reconciliar o lucro líquido e o fluxo de caixa líquido oriundo das atividades operacionais. Existem duas modalidades para elaboração da DFC. O método direto e o método indireto. A principal diferença é quanto à apresentação das atividades operacionais. A metodologia direta divulga informações mais complexas e de melhor qualidade, enquanto a metodologia indireta é mais simples, e, conseqüentemente, requer menos trabalho sua elaboração. Detalhes específicos são abordados em tópicos seguintes deste capítulo.

1

2. MODELO DE MÉTODO DIRETO DA DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA ATIVIDADES OPERACIONAIS:

( + ) Recebimentos de clientes ( - ) Pagamentos de fornecedores de estoques ( - ) Pagamento de impostos sobre vendas ( - ) Pagamentos de despesas financeiras ( + ) Dividendos recebidos de sociedades investidas ( - ) Pagamentos de imposto de renda e contribuição social Σ Fluxo de caixa das atividades operacionais ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS:

-

( + ) Valor da venda de investimentos ( + ) Valor da venda de ativos imobilizados ( - ) Aquisições de investimentos ( - ) Aquisições de ativos imobilizados ( - ) empréstimos concedidos ( + ) Recebimentos de empréstimos concedidos ( - ) Aplicações em renda fixa e renda variável ( + ) Recebimentos de aplicações em renda fixa e renda variável Σ Fluxo de caixa das atividades de investimentos ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS

-

( + ) Recebimentos de empréstimos e financiamentos ( - ) Pagamentos de empréstimos e financiamentos ( + ) Recebimentos de integralizações de capital ( - ) dividendos pagos ( - ) Compras de ações em tesouraria Σ Fluxo de caixa das atividades de financiamentos

2

-

Aumentos líquido no caixa Caixa no início do período Caixa no fim do período Reconciliação do lucro líquido do período com o fluxo de caixa das atividades operacionais:

-

. Lucro líquido do período: Aumento (diminuição) dos itens que não afetam o caixa: ( + ) Depreciação e amortização ( + ) Amortização de ágio ( + ) Variações monetárias líquidos devedores ( +/- ) Resultados de equivalência patrimonial ( + )Dividendos recebidos de sociedades investidas ( - ) Lucro na venda de investimentos ( - ) Lucro na venda de ativos imobilizados ( - ) Aumento dos estoques ( + ) Aumento de fornecedores de estoques ( + ) Aumento de contas a pagar ( + ) Aumento de imposto sobre vendas ( + ) Aumento de imposto sobre lucro ( - ) Aumento de despesas antecipadas Σ Fluxo de caixa das atividades operacionais - Informação adicional de financiamento e investimentos que não afetam o caixa: • • • Dividendos declarados e não pagos Capital social integralizado com imóvel Dívida convertida em capital social

3

Cumpre informar que é recomendável apresentar em nota explicativa, e não na própria DFC, a reconciliação entre o lucro líquido e o fluxo de caixa das atividades operacionais. 3. MODELO DE MÉTODO INDIRETO DA DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA INDIRETO ATIVIDADES OPERACIONAIS:

-

. Lucro líquido do período: Aumento (diminuição) dos itens que não afetam o caixa: ( + ) Depreciação e amortização ( + ) Amortização de ágio ( + ) Variações monetárias líquidas devedores ( +/- ) Resultado de equivalência patrimonial ( + ) Dividendos recebidos de sociedades investidas ( - ) Lucro na venda de investimentos ( - ) Lucro na venda de ativos imobilizados ( - ) Aumento de contas a receber de clientes ( - ) Aumento dos estoques ( + ) Aumento de fornecedores de estoques ( + ) Aumento de contas a pagar ( + ) Aumento de impostos sobre vendas ( + ) Aumento de impostos sobre lucro ( - ) Aumento de despesas antecipadas Σ Fluxo de caixa das atividades operacionais ATIVIDADES DE INVESTIMENTOS:

-

( + ) Valor da venda de investimentos ( + ) Valor da venda de ativos imobilizados ( - ) Aquisição de investimentos ( - ) Aquisições de ativos imobilizados ( - ) empréstimos concedidos
4

( + ) recebimentos de empréstimos concedidos ( - ) Aplicação em venda fixa e renda variável ( + ) Recebimento de aplicações em renda fixa e renda variável Σ Fluxo de caixa das atividades de investimentos ATIVIDADES DE FINANCIAMENTOS

( + ) Recebimentos de empréstimos e financiamentos ( - ) Pagamentos de empréstimos e financiamentos ( + ) Recebimentos de integralizações de capital ( - ) Dividendos pagos ( - ) Compras de ações em tesouraria Σ Fluxo de caixa das atividades de financiamentos Aumento líquido no caixa Aumento no início do período Caixa no fim do período Informação adicional de atividades de financiamento e investimento que não afetaram o caixa: . Dividendos declarados e não pagos . Capital social integralizado com imóvel . Dívida convertida em capital social Note que a única diferença que existe em relação ao método direto é na apresentação das atividades operacionais: Método Direto – Apresenta por transação (recebimento de clientes, pagamentos a fornecedores etc.)
-

-

-

-

Método Indireto – Apresenta uma concialiação entre o lucro líquido e o fluxo de caixa das atividades operacionais. De qualquer forma, é bom lembrar que essa informação também é divulgada no método direto em nota explicativa às demonstrações financeiras.
5

4 - Demonstração do Valor Adicionado – DVA
Conceito: demonstra a riqueza que a empresa conseguiu criar num exercício Social. Essa demonstração é muito importante para a economia, para que se tenha a noção de como será distribuído essa riqueza que a empresa conseguiu gerar.e para quais pessoas essa riqueza será distribuída. Demonstração do Valor Adicionado I – Geração do Valor Adicionado • Receitas Operacionais e Receitas não Operacionais • • • etc • • • ( - ) Outros ( - ) Depreciação, Exaustão e Amortização ( + ) Valores remunerados por terceiros ( juros recebidos, = Valor Bruto Adicionado = Valor Líquido Adicionado aluguéis etc ) = Total do Valor Adicionado que foi gerado pela empresa II – Distribuição do Valor Adicionado • • • ( - ) Trabalhadores ( - ) Governo ( - ) Terceiros
6

( - ) Custos Operacionais e Custos não Operacionais ( - ) Serviços Prestados por Terceiros ( - ) Materiais e Insumos, Propaganda, Comunicação, Energia

( - ) Acionistas

= Total do Valor Distribuído

7

5 - Demonstração da Mutação do Patrimônio Líquido
Saldo Inicial e Fatos Capital Social Capital Social Ocorridos Subscrito a Realizar Res. de Capital Res. de Reavaliação Res. deLucros/Prejuízos Acumulados Lucros Ações em Tesouraria Total

8

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->