Você está na página 1de 29

Norma Regulamentadora – NR 4

Os acidentes de trabalho acontecem por uma soma


de fatores, aliados à imprudência, negligência ou
imperícia dos empregados e empregadores.

O despreparo, a falta de treinamento e a falta de


políticas de prevenção também contribuem para o
crescente número de vítimas de acidentes do
trabalho e doenças profissionais.
A legislação previdenciária estabelece que:

“Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do


trabalho a serviço da empresa, ou ainda, pelo exercício do
trabalho dos segurados especiais, provocando lesão
corporal ou perturbação funcional que cause a morte, a
perda ou redução da capacidade para o trabalho,
permanente ou temporária”.
NORMAS REGULAMENTADORAS
Publicadas pelo Ministério do Trabalho

Elaboradas e modificadas por comissão tripartite:

-Representantes dos empregadores


-Representantes dos empregados
-Representantes do Governo
LEGISLAÇÃO APLICADA

CLT de 1943, art. 164

O SESMT está regulamentado na Lei 6.514/77

Portaria 3.214/78, especificado na NR 4.


NR-4
A NR- 4 estabelece a obrigatoriedade da existência
do SESMT em todas as empresas privadas, públicas,
órgãos públicos da administração direta e indireta
dos poderes Legislativo e Judiciário, que possuam
empregados regidos pela Consolidação das Leis
Trabalhistas – CLT, com a finalidade de promover a
saúde e proteger a integridade do trabalhador no
local de trabalho.
SESMT

SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA


DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO
ATINGINDO OBJETIVOS
Para que o funcionamento do SESMT atinja seus
objetivos, é necessário que a política visando a
segurança e a saúde do trabalhador, seja bem
definida e garantida pelo apoio da administração e
pela conscientização de cada trabalhador da empresa
em todos os níveis hierárquicos
ATRIBUIÇÕES DO SESMT
Aplicar os conhecimentos de Engenharia de Segurança e Medicina
do Trabalho no ambiente de trabalho e a todos os seus
componentes, inclusive máquinas e equipamentos, de modo a
reduzir até controlar os riscos ali existentes à saúde do trabalhador;

Determinar ao trabalhador a utilização de Equipamentos de


Proteção Individual – EPI, quando esgotados todos os meios
conhecidos para a eliminação do risco como determina a NR 6 e se
mesmo assim este persistir, e desde que a concentração, a
intensidade ou característica do agente assim o exija;
ATRIBUIÇÕES DO SESMT
Colaborar, quando solicitado, nos projetos e na
implantação de novas instalações físicas e tecnológicas da
empresa;
Responsabilizar-se tecnicamente, pela orientação quanto
ao cumprimento do disposto nas NR’s aplicáveis às
atividades executadas pelo trabalhadores das empresa e/ou
estabelecimentos;
Manter permanente relacionamento com a CIPA, valendo-
se ao máximo de suas observações, além de apoiá-la,
treiná-la e atendê-la, conforme dispõe a NR 5;
ATRIBUIÇÕES DO SESMT
Promover a realização de atividades de conscientização, educação e
orientação dos trabalhadores na prevenção, através de campanhas e
programas de duração permanente (treinamentos);
Esclarecer e conscientizar os empregados sobre acidentes do
trabalho e doenças ocupacionais, estimulando-os em favor da
prevenção;
Analisar e registrar em documentos específicos todos os acidentes
ocorridos na empresa ou estabelecimento, e todos os casos de
doença ocupacional, descrevendo a história e as características do
acidente e/ou da doença ocupacional, os fatores ambientais, as
características do agente e as condições dos indivíduos portadores
de doença ocupacional ou acidentado;
ATRIBUIÇÕES DO SESMT
As atividades dos profissionais integrantes do SESMT são
essencialmente de prevenção, embora não seja vedado o
atendimento de emergência, quando se tornar necessário.

A elaboração de planos de controle de efeitos de


catástrofes, disponibilidade de meios que visem ao
combate a incêndios e o salvamento e de imediata atenção
à vítima de qualquer outro tipo de acidente estão incluídos
em suas atividades.
BENEFÍCIOS
• Desenvolvimento da Cultura Prevencionista
• Maior produtividade
• Menor rotatividade de empregados
• Aumento da qualidade de vida
• Otimização
• Contribui para um menor risco social
• Menos prejuízo para empresa, empregado e Governo
• Cumprimento do papel social da empresa
• Etc
COMPONENTES DO SESMT
• Técnico de Segurança do Trabalho

• Engenheiros de Segurança do trabalho

• Enfermeiros do Trabalho e auxiliar de enfermagem


do trabalho

• Médicos do trabalho
DIFERENÇA CIPA e SESMT
SESMT:
Composto exclusivamente por profissionais especia-
listas em segurança e saúde no trabalho

CIPA:
Constituída por empregados que desempenham suas
atividades normais e acumulam o serviço de segu-
rança (geralmente leigos)
AÇÕES INTEGRADAS
• Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
(PPRA)
• Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
(PCMSO)
• Análises Ergonômicas do Trabalho (AET)
• Laudos de Periculosidade e Insalubridade
• Planos de Prevenção e de Emergência
• Palestras
PLANO DE PREVENÇÃO E DE
EMERGÊNCIA
• Um Plano de Prevenção e Emergência – PPE é um
conjunto de normas e regras de procedimento,
destinadas a evitar ou minimizar os efeitos das
catástrofes previsíveis que possam vir a ocorrer em
determinadas áreas, utilizando de modo adequado os
recursos disponíveis.
OBJETIVOS DO PPE
• Adotar um nível de segurança rápido e eficaz;
• Evitar ou minimizar as consequências de um acidente;
• Sensibilizar para a necessidade de conhecer e criar rotinas nos
procedimentos de proteção e prevenção;
• Co-responsabilizar os empregados no cumprimento das normas de
segurança;
• Preparar e organizar os meios humanos e materiais existentes para
garantir a salvaguarda de pessoas e bens, em caso de ocorrência de
uma situação perigosa.
OBJETIVOS DO PPE
• Estabelecer cenários de acidentes para os riscos
identificados;

• Definir princípios, normas e regras de atuação face aos


cenários possíveis;

• Evitar atropelos e a atuações duplicadas;

• Prever e organizar antecipadamente a evacuação e


intervenção em casos de emergência;
COMO IMPLANTAR O SESMT
Para implantação do SESMT não existe modelo pronto, deve ser
analisado em cada caso concreto;

Aplicar conhecimentos de Engenharia para reduzir até eliminar os


riscos de todos no ambiente de trabalho;

Determinar o uso de EPIs (NR 06), caso necessário;

Atuar nos projetos físicos e tecnológicos;


COMO IMPLANTAR O SESMT
Responsável técnico pela orientação ao cumprimento das NR’s;

Interagir com a CIPA e dar todo suporte necessário;

Desenvolver programas de permanentes / esporádicos de educação e


capacitação dos trabalhadores (prevenção de acidentes e doenças
ocupacionais);

Atuar para conscientizar o empregador, desenvolvendo a cultura da


prevenção;
SESMT – DIMESIONAMENTO
1º PASSO - Identificar o grau de risco

2º PASSO - Relacionar o grau de risco com o


numero de empregados.
QUADRO 1 DA NR-4
Relação da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE (Versão 2.0)*, com
correspondente Grau de Risco - GR para fins de dimensionamento do SESMT
Códigos Denominação GR
A AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQÜICULTURA
01 AGRICULTURA, PECUÁRIA E SERVIÇOS RELACIONADOS
01.1 Produção de lavouras temporárias
01.11-3 Cultivo de cereais 3
01.12-1 Cultivo de algodão herbáceo e de outras fibras de lavoura temporária 3
01.13-0 Cultivo de cana-de-açúcar 3
01.14-8 Cultivo de fumo 3
01.15-6 Cultivo de soja 3
01.16-4 Cultivo de oleaginosas de lavoura temporária, exceto soja 3

...
97 SERVIÇOS DOMÉSTICOS
97.0 Serviços domésticos
97.00-5 Serviços domésticos 2

...
QUADRO 2 DA NR-4
LEGENDA
(*) – Tempo parcial (mínimo de três horas);

(**) – O dimensionamento total deverá ser feito levando-se em


consideração o dimensionamento de faixas de 350.1 a
5000 mais o dimensionamento do(s) grupo(s) de 4000
ou fração acima de 2000.

Obs.: Hospitais, ambulatórios, maternidades, casas de


saúde e repouso, clínicas e estabelecimentos
similares com mais de 500 (quinhentos)
empregados deverão contratar um enfermeiro de
trabalho em tempo integral.
10 RAZÕES DO FRACASSO
1. Selecionar mal a equipe do SESMT
2. Posicionar mal o SESMT no organograma
3. Remunerar mal a equipe do SESMT
4. Isolar o SESMT
5. A Organização promover o desvio de função
6. Não existir investimento na atualização profissional do SESMT
7. A “Organização” desautorizar o SESMT
8. Designar pessoas sem expressão para a CIPA
9. Inibir ao máximo a atividade do “CIPEIRO”
10. A prevenção não for vista de forma sistematizada