P. 1
Superando distâncias e diferenças através da internacionalização do escopo do projeto

Superando distâncias e diferenças através da internacionalização do escopo do projeto

|Views: 8.510|Likes:

Superando distâncias e diferenças através da internacionalização do escopo do projeto

Superando distâncias e diferenças através da internacionalização do escopo do projeto

More info:

Published by: VALDECIR MARCO DE BASTIANI on Dec 26, 2009
Direitos Autorais:Traditional Copyright: All rights reserved

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
See more
See less

04/27/2015

Matriz de atividade individual Módulo: Áreas de Conhecimento e Aspectos Estruturais Título: Superando distâncias e diferenças através da internacionalização do escopo

do projeto Aluno: Valdecir Marco de Bastiani Disciplina: Gestão de Projetos Disciplina: Gestão de Projetos Introdução Em um contexto de mudanças econômicas, sociais e tecnológicas que ocorrem cada vez mais rápido atualmente, surge a premente necessidade de aumentar ao máximo a utilização do conhecimento, objetivando agregar valor às empresas. Um cenário novo, surgido a partir do advento da globalização, passou a influenciar questões importantes - sociais, políticas e estratégicas, tanto na esfera global como nacional, que desta forma, acabou por transformar-se completamente. Novos problemas e novos desafios surgiram. A partir de uma tendência à internacionalização do escopo dos projetos, equipes multidisciplinares passaram a ser mais exigidas para a realização de projetos. Especialistas de áreas diversas e organizações diferentes necessitam comunicar-se através de uma linguagem única e comum, eliminando distâncias e diferenças, com foco nas esferas gerencial, administrativa e comercial. Aspectos críticos e caminhos para lidar, de maneira mais efetiva, com as distâncias e as diferenças existentes entre as organizações Mesmo no Brasil, com suas dimensões continentais, existem dificuldades referentes às distâncias e diferenças entre as organizações nacionais. No mercado globalizado e internacional, faz-se notar de maneira mais acentuada as dificuldades apresentadas pelas distâncias e diferenças presentes entre as organizações. A principal diferença que se verifica entre as organizações está contida em sua cultural organizacional. Cultura esta informal em seu conceito, que, no entanto resume um conjunto de regras, procedimentos e interligações não oficiais que diferenciam cada empresa ou organização. De acordo com Hofstede (1980) apud Silva (2007), não basta decifrar a cultura organizacional para o entendimento do comportamento nas organizações: é necessária ainda, a compreensão do contexto sociocultural no qual as organizações

1

operam. Assim cabe ao trabalho de gerenciamento do escopo do projeto compreender não só as necessidades inerentes ao projeto, mas também da cultura organizacional e os elementos que a influenciam. Desta maneira haverá a redução das distâncias e diferenças geográficas por meio da criação de uma subcultura referente ao projeto em andamento, consolidando a equipe e a comunicação entre seus membros. Aspectos críticos e caminhos para lidar, de maneira mais efetiva, com as distâncias e as diferenças existentes entre as regiões Diferenças relacionadas ao mercado em que está inserida a organização; as leis e normas a que a organização está sujeita; a diferença em custos, metas, recursos e capacidade de cada organização, presentes em cada região poderiam impor grande barreira para a consecução de projetos de âmbito internacional. Mesmo assim, conforme aponta Porter (2004) “...os fatores estruturais e as forças de mercado que operam em indústrias globais são os mesmos que em indústrias mais internas”. Podemos, com a afirmativa, pressupor que é possível transpor as distâncias e diferenças existentes entre as regiões se utilizado de estratégia competitiva. Estas diferenças e distâncias são menores que os elementos estruturais e de mercado presentes em qualquer organização em qualquer parte do mundo. Caberá ao gerenciamento do escopo do projeto utilizar das ferramentas de estratégia de forma a unificar as metas, equalizar capacidade e custos, adequando o escopo às normas e leis vigentes. Aspectos críticos e caminhos para lidar, de maneira mais efetiva, com as distâncias e as diferenças existentes entre as culturas mundiais Interessante observar que as diferentes culturais mundiais interferem de maneira direta nas organizações em que estão inseridas. Seja por meio da cultura organizacional, leis e normas, ética e moral, relação de trabalho, produtos, mercado e marketing... É fator crítico para o sucesso do gerenciamento do escopo do projeto que as diferenças culturais presentes entre os membros da equipe e das organizações que

2

compõe o projeto sejam respeitadas, propiciando diminuição ou ausência de falhas na comunicação. Tolerância pode ser o termo mais apropriado quando falamos em distâncias e diferenças culturais. Conclusão Para concluir um projeto com sucesso é necessário o perfeito gerenciamento de seu escopo, englobando os processos necessários para garantir a inclusão de todo o trabalho necessário. O entendimento do escopo do projeto é fundamental ao desenvolvimento dos trabalhos a serem executados e para se atingir os objetivos traçados. Este entendimento pode ser influenciado por diversos elementos externos e internos da organização e da equipe multidisciplinar envolvida no projeto. Elementos que não estão diretamente incluídos no projeto, como as diferenças organizacionais, culturais e regionais, também devem ser definidos e controlados para a obtenção do sucesso almejado. Assim podemos supor que a internacionalização do escopo de projetos propicia e necessita de um gerenciamento mais cuidadoso destes elementos, em razão do alto grau de diferenciação e pelas distâncias geográficas envolvidas. Referências bibliográficas CORREA JR., Carlos Alberto. MOTA, Edmarson Bacelar. Gestão de Projetos. [Rio de Janeiro]: [s.n.], 200X. 131p. MAXIMIANO, Antônio César Amaru et al. Projeto de internacionalização de empresas industriais com o uso da metodologia. Disponível em: <www.praxian.com.br>. Acesso em: 02 dez 2009. MORAIS, Francisco Eduardo de Oliveira. Gerenciamento do Escopo e da Comunicação em Projetos. Ceteb: Brasília, 2007. 106p. PORTER, Michael E. Estratégia Competitiva – Técnicas para análise de indústrias e concorrência. Elsevier: Rio de Janeiro, 2004. 409p. PRESSUPOSTOS, o novo contexto e a internacionalização da indústria de energia

3

elétrica no Brasil. [S.l.]: [s.n.] Project Management Institute. Um Guia do Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos – Guia PMBoK. [EUA]: [s.n.], 2004. 405p. SILVA, Kleuton Izidio Brandão e. Cultura e Clima Organizacional. Ceteb: Brasília, 2007. 45p.

4

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->