Você está na página 1de 2

Um comentário fundamentado à análise efectuada ao trabalho de Salomé

Como introdução deste trabalho posso afirmar que o facto de não


haver documentação de consulta na minha língua materna, dificultou-me a
compreensão do conteúdo dos textos. Contudo, irei fundamentar da melhor
forma que conseguir o trabalho que seleccionei.
Na generalidade, pela análise de cada domínio, pode-se entender que
é uma colega com conhecimento do que faz, gostando de sistematizar as
ideias e parecendo existir uma coesão e coerência do que escreve.
Identificando-me em muitos pontos que li.
Ao nível do domínio “Competências do professor bibliotecário”
compreende as bases fundamentais e necessárias para o funcionamento
dum professor bibliotecário acreditando que a formação é a base de toda a
existência deste e que sente a dificuldade que existe em fazer formação na
área das Bibliotecas Escolares.
Ao nível do domínio “Organização e Gestão da BE” identifica
aspectos importantes que ao nível da BE ocorrem na maioria das nossas
bibliotecas.
Ao nível do domínio “Gestão da Colecção” refere aspectos fortes e
coloca o sistema informático na base duma boa gestão.
Ao nível do domínio “A BE como espaço de conhecimento e
aprendizagem. Trabalho colaborativo e articulado com Departamentos e
docentes” reparo que se refere à “participação cooperativa com
professores”. Esta expressão causa-me alguma “comichão” no meu
entendimento no funcionamento duma BE, ao que me desperta algum
confronto entre “cooperativa” com “colaborativa”. Não será mais
importante uma colaboração recíproca? Enfim, são palavras praticamente
sinónimas, mas de aplicações subjectivas.
Ao nível “Formação para a leitura e para as literacias” identifica o
que entendi por “key focus on knowledge construction” num dos textos.
Sendo a formação e desenvolvimentos da leitura e da literacia da
informação a base para uma boa compreensão da língua nos vários
módulos de leitura e de escrita.
Ao nível “BE e os novos ambientes digitais” caracteriza a base no
acompanhamento da sociedade civil e evolução científica, formando
utilizadores mais conscientes do mundo que os rodeia ao desenvolverem os
seus conhecimentos com a utilização de tecnologia adequada e actualizada.
Ao nível “Gestão de evidências/avaliação” refere a importância de se
aferir os serviços prestados por vários meios referindo a fraqueza ao não se
conseguir “registar (…) com rigor” o trabalho diário, mas não refere que
outra fraqueza poderá provocar tal situação, já que o registo é sempre
possível com um bom sistema informático instalado. Talvez a situação não
esteja no registo, mas na dificuldade ao nível tempo e humano em verificar
e analisar esses registos, visto que a maior parte das BE se encontram mal
equipadas a este nível.
Concluindo, posso afirmar que me identifico em muitas afirmações
parecendo referir o fundamental e salientando aspectos característicos
importantes.
Formando: Paulo Gomes.