Você está na página 1de 8
| | * - SOBREOISLA Kara 5 passagens aqui citadas do Pentatevco se referem apenas 8 conquista da Tera Promeride (© que ofende em Johnson naquela eatevsta é que ee cits spenas parte do verscul, omitinda 0 todo, que atenua muito © que sli ests dito, A integra do vesicala dito seguinte Mas quando os meses sagradas howerem tanscom rido, matai os idélatras onde quer que os encontrs, © capturas, ¢cerca-os « usai de emboscadas contra les, Porém, caso se arrependam, observem a oraqio 4 paguon 0 zakat, deixai-os em Dax. Sabei que Deus & Indulgente © Misericordiosssim. (Sura 9, 5} (Ox sea, Johnson deixou de fora uma parte fundamental: qualquer um que volanariamente aceitsse @ mensagem de GPesse ualquer um que voluntariameate se tornasse um mt. A Saletancdevinser poupado. Sim, 0 Alconio e 0 Penateuco sagens em linguage dura, que asustam & to- apenes na medida em que née a8 tramos 20 brio aque se refriam, Dies, a pari cele, que isu cligio € violent & mais do que apenas ava inal alimenar édioe. 132 0 apedrejamento de mulheres Passncms “cnoss” do Aleorio, porém, nio sio as énicas vies que tfm sido wsadas como prova de que ols € vielen to eopresor peri. O apedeejamento de mulheres adders 6 © uso do véu tém também contibuido para o mesma fim, Basea um grupo de fanéticos tomar o pocer no noste da Nigétia para logo aparecer uma mulher condenada 3 mor te por adultério. E, mais uma ve, o Islé aparece como una ‘elgiéostrasada e violena. fa excego vista como a repre, ‘Mas, desta ver, culpa nio é sem doe legos nem da impsensa ocidental: & dos radicals, que praticam aro de tercor¢ com dena ml reads. Uma préticn que no acontece na imensa maiora dos pales mugulmanos, ‘A origem da morte por apedcejamento € remote, a prética ‘i existia hi milhares de anos, em muitos lugares, mas doco. ‘mentalmente em especial no Oriente Medio. Com x sua ori sem exata desconhecida, a condenacio de adilteros (homens ‘ou mulheres) & morte por apedceamento esti no Pentateuco, 133, aatam! ‘Sewn homens fr pago em flagrant deitado com uma mulher casada, ambos serio mortos,°o bomen: que se deitou coma meulber ea mlber Deste modo extirpards ‘0 mal de Israel. Se houver ona jovem virgem prometi- daa um homens, ex homten.aencontrana cidade ese deita com aa, tars ambos & porta da cidade eos ape- Grejorts até que morrante a jovem por no rer gritado or socorro na cidade © 0 homam por ter abuiado da ‘aller de seu proxine, Deste modo extirpards o mal do tou meio. (Deuterondmio 22, 22-24) Fvidensemene, pric ao ea freginte entre os jes ds Ancguicace, Mesa as pens apis, ctadas ninco desta pase I erm saree, Um Sinedrio (buna compost poraacedotes anlfseeseibas) quem seta ano ena ais de uma pessoa 8 more, por qualquer m0:N0, era considerado sangunaco eolbade pla perspeciva hi “rica, com reprovasto (porque da mesa fxn que a eis ezam treat splicbls com mosderagao eau spectro). Com « Didepor eo coneqienteconato com outa cl sam a pre, rotten abandonada, pasou a sr apenas, a jadeus, ana efertacia ite ‘Muitosvéem no Cistianismo um “evolgfo” Go Jui tno, mas el fo se vé asim: considerate realidade di at, pralela eb dos ane, simultnes ao Jodaismo Dito it, econtnuand nosso aso, hmm nos Evan selior una eleraca 20 apedsjamergo de adlteros, mas para conden lo. ‘ (Os eseribas e os farsous trazem,entto, uma mulher swpreendida em adultério e, colocendo-a no meio, ddizenslbe: "Mestre, esta mulher foi surpreendida em agrante deli de adultério, Na Let, Moisés nos orde- nna apedrojartais mulheres. Tw, pois, que dizest” Eles ‘assis diam para pé-lo & prova, a fim de terem ma- 134 Seo ls téria para acucélo. Mas Jess, inclinando-se, escrevia tia terra cay 0 dedo, Como persstissem em interro- gh, ergucwse e thes disse: “Quem dentre és esiver om pecado seia 0 primeiro a lhe atirar uma pedval” Tnclinando-se de novo, eservia na terra. Eles, porém, Cuvindo ss, saizam wen apés 0 outro, a comecar pelos ais velhos. Ele ficou sozinbo, ea mulher parmanecia 1b, no mai. Enzo, erguando-se, Jesus Ise disses "Me ther, onde estio eles? Ninguém te condenout” Dise cla: “Ninguéns, Senbon." Dise ent jesus: “Nem eu 2 conden Vat, 2, de agora om diant, rio Peques mais.” odo 8, 3-11) (eco pode nota que Jesus nfo revogs ali simplesmen- te, Ble poder aceitac a provocacio e dies claramente que ‘io concordava com ela. Mas preferereformé-l, mantendo- 4 de tal mancira que aplicé-le & uma impossibiliéede: como somos todos pecadores, neshums pedra pode ser atiade ‘Mas, obviamente nfo se tat, de io algum, de um endesso lo dues, im certa medida, Jesus € ainda mais severo do ‘que Lei Mosnica quando explica 0 que, para ele, € pecado de edutério. sso fica claro quando nos lembramos de outro trecho dos Evangelhos ‘Ouvistes 0 que foi dito: "Nao cometerdsadulterio.” Eu, porém, vos digo: todo aquele que olha para wma mulher com deseo Hbiinoso 4 cometew adultério com felt ent sex coragao, Caso o teu olho dirito te leve a ppeea, armarca- elanga-o pars loge do, pois é pref rivel que se perca wo dos teus membros do que todo 0 teu corpo sea langado na geona (Mateus 5, 27-28) (0 eli também, de cera forma, reformou a Lei Moses. De que modo? & win histériacuriosa, que requer uma expi- ‘agio prévia, No Alcorfo, hi duas passagens pencipas que as