Você está na página 1de 1

Para se ler uma carta

Comea com uma surpresa. Chega o destinatrio ao lar, aps um dia qualquer, sem maiores
expectativas que um bom banho quente, um jantar magro que lhe forre o estmago e o
conforto de uma cama macia. Mas de repente, descobre que algo de novo em seu porto
seguro. Na forma de um envelope pardo, ou de pontinhos formando letras numa tela. De
espantado que se encontra, fica atnito ao reconhecer num canto o nome do remetente.
Alguns segundos de inao se passam, enquanto na mente do leitor emoes bailam
descoordenadamente. Finalmente, reunindo um pouco da desaparecida racionalidade (cujo
sumio em presena das palavras de certa escritora j se tornou hbito frequente e
desagradvel), cria coragem para abrir o invlucro da mensagem.