Você está na página 1de 76

Sessão de Apresentação da Escola

pelo Órgão Executivo

Avaliação Externa
pela IGE
11 de Dezembro de 2008

Ano lectivo 2008/2009


1.

Contexto e Caracterização
Geral da Escola
1.1 Contexto físico e social
População Densidade
Unidade Geográfica Área residente populacional
2001 2001
Km2 n.º indivíduos hab/Km2
NORTE 21.286,5 3.687.293 173,2
TÂMEGA 2.621,1 551.309 210,3
C. Ribeira de Pena 217,4 7.412 34,1
ALTO TRÁS-OS-MONTES 8.171,4 223.333 27,3
C. Vinhais 694,7 10.646 15,3
ALTO TÂMEGA 2.922,5 104.768 35,8
C. Boticas 322,0 6.417 19,9
C. Chaves 591,3 43.667 73,8
C. Montalegre 805,8 12.762 15,8
C. Valpaços 548,8 19.512 35,6
C. Vila Pouca de Aguiar 437,2 14.998 34,3
GALIZA 29.574,0 2.751.094 93,0
PROVINCIA DE OURENSE 7.273,4 342.213 47,0
COMARCA DE VERÍN 1.006,7 29.497 29,3
C. Verín 94,1 13.658 145,1
Comunidade Territorial de
Cooperação do vale do 4.623,9 144.911 31,3
Tâmega
Obs:
O Alto Tâmega é constituído pelos concelhos de Ribeira de Pena, Boticas, Chaves, Montalegre, Valpaços, Vila
Pouca.

A Comarca de Verín é constituída pelos concelhos de: Laza Castrelo do Val, Cualedro, Monterrei, Verín Riós,
Oímbra e Vilardevós
A Comunidade Territorial de Cooperação do Vale do Tâmega é constituída pelos concelhos do Alto Tâmega, pelo
de Vinhais e pelos Concelhos da Comarca de Verín
Fonte: INE, IGE.
Contexto social
Habilitações literárias dos Pais/Encarregados de
Educação

Outras; 1,2%
Curso
Superior; 9,6%
Mag. Primário;
0,2% 1.º Ciclo;
32,4%
Secundário;
17,5%

3.º Ciclo; 2.º Ciclo;


22,4% 16,7%
1.2 Dimensão e Condições
Físicas da Escola (1)
Em edifício de três corpos ligados existem:

• 34 Salas de Aula
• 2 Salas TIC e 2 Salas de Contabilidade, secretariado e
administração
• Oficinas de Electricidade, Carpintaria e Mecanotecnia
• Laboratório de Física/Biologia, de Química, Electrotecnia e
Electrónica e de Matemática
• Biblioteca / Centro de Recursos, Laboratório de Fotografia e 2
Auditórios
• Sala do corpo docente e Gabinete de trabalho
para docentes
• Gabinetes da Direcção
• Serviços de Administração Escolar
• Sala de Estudo
1.2 Dimensão e Condições
Físicas da Escola (2)
• Reprografia e Papelaria
• Ginásio e Campos de Jogos ao ar livre
• Refeitório, Bufete, Pavilhão Recreativo de
Alunos e Gabinete AE
• Gabinete de atendimento a
Pais/Encarregados de Educação
• Gabinete de Psicologia / SPO, de Ensino
Especial e de Directores de Turma.
• Centro de Formação de Professores da
Associação de Escolas
• Equipa de Apoio às Escolas do Alto
Tâmega
1.3 Caracterização da população
discente (1)
Variação do n.º de Alunos matriculados por ano
de escolaridade - 3º Cíclo Ens. Básico

400

350

300
7.º Ano
250
8.º Ano
200
9.º Ano

150 Total 3º cíclo

100 CEF (Tipo 2 e 3)

50

0
2005/06 2006/07 2007/08 2008/09
1.3 Caracterização da população
discente (2)
Variação do n.º de Alunos matriculados por tipo
de oferta educativa - Ensino Secundário

500

400
Secundário Regular
300 Tecnológico
Profissional
Total
200

100

0
2005/06 2006/07 2007/08 2008/09
1.3 Caracterização da população
discente (3)
Variação do n.º de alunos, por oferta formativa, entre
o ano lectivo 2005/06 e 2008/09 Técnico
profissional
Ensino Secundário Contabilidade

Técnico
profissional
Manutenção Ind.
180
Técnico
profissional
160 Gestão

Técnico
140 profissional Inst.
Eléctricas
120
n.º de Alunos

Tecnológico de
Mecânica
100
Tecnológico de
80 Electrotecnia/Ele
ctrónica

60 Tecnológico de
Administração

40
Ciências Sociais
e Humanas
20

Ciências e
0 Tecnologias
10.º 10.º 10.º 10.º 11.º 11.º 11.º 11.º 12.º 12.º 12.º 12.º

2005/06 2006/07 2007/08 2008/09 2005/06 2006/07 2007/08 2008/09 2005/06 2006/07 2007/08 2008/09
1.3 Caracterização da população
discente (4)
Distribuição dos Alunos por ciclo de estudos e
sexo em 2008/09

700

600

500
Número de alunos

400 Nº de alunos
Sexo masculino
300 Sexo feminíno

200

100

0
3º Ciclo Secundário Totais
Cíclo de Estudos
1.3 Caracterização da população
discente (5)
Perspectivas futuras dos alunos que frequentam a
escola, quanto ao nível de habilitações a atingir

Não sabe; 3,6% 9º Ano; 1,2%

Curso T.Prof.; 5,0%


12.º Ano; 21,7%

Curso Sup.; 68,6%


1.4 Pessoal docente (1)

Pessoal Docente QE - 2008/09 Valor Unidade


Total geral de pessoal docente 94 n.º
Docentes do Quadro de Escola 83,0 %
Média de idades 48,7 anos
Docentes com 50 anos e mais de idade 40,0 %
Média de anos de serviço 23,8 anos
Docentes com 20 anos e mais de serviço 60,1 %
Docentes do Sexo feminíno 57,4 %
Absentismo global (07/08) 5,0 %
1.4 Pessoal docente (2)

Peso relativo das diferentes situações profissionais


dos docentes - 2008/09
2%
15%

38%

Prof. Titulares QE
Professores QE
Prof. Contratados

45% Técnicos especializados


1.4 Pessoal docente (3)
Distribuição do quantitativo de faltas do pessoal docente, em dias,
por natureza da falta no ano lectivo 2007/08

Greve 21

Por conta do período de férias 49

Cum prim ento de obrigações 2

Trabalhador estudante 2

Assistência fam iliares 26

Tratam ento am bulatório 41

Reuniões 4

Form ação 1

Doença
546
(c/Inter+JuntaMédica+Prolongada)

Doença 361

Falecim ento 20

Maternidade 96
1.4 Pessoal docente (3)
Distribuição do quantitativo de faltas do pessoal
docente, em tempos, por natureza da falta no ano
lectivo 2007/08

Por conta do periodo de férias 147

Cumprimento de obrigações 8

Assistencia familiares 6

Tratamento ambulatório 30

Reuniões 2

Formação 2

Doença 4

Falecimento 1
1.5 Pessoal não docente (1)
Técnicos Superiores
Psicólogo 1

Pessoal administrativo 2007/2008

Idades Habilitações Académicas Situação Profissional

26 aos 35 anos 2 Licenciatura Quadro vinculativo 10

36 aos 45 anos 3 Ensino secundário 7


Contrato Adm. Provimento 3
46 aos 55 anos 5 3.º Ciclo do E. 6
Básico
56 aos 65 anos 3

Auxiliares de Acção Educativa 2007/2008

Idades Habilitações Académicas Situação Profissional

26 aos 35 anos 7 Ensino secundário 7 Quadro vinculativo 17

3.º Ciclo do E. 11 Contrato Individual 6


36 aos 45 anos 10 Básico Contrato Adm. Provimento
46 aos 55 anos 9 2.º Ciclo do E. 3 Contrato a termo certo 5
Básico
56 aos 65 anos 5 Outros 3
1.º Ciclo do E. 10
Básico
1.5 Pessoal não docente (2)
Distribuição do quantitativo de faltas do pessoal não docente,
em dias, por natureza da falta no ano lectivo 2007/08

Greve 10

Por conta do período de férias 2

Trabalhador estudante 10

Assistência a familiares 4

Tratamento ambulatório 1

Reuniões 1

Doença (JuntaMédica) 255

Doença 69

Falecimento 5

Gravidez de risco 21

• Absentismo Global – 5,3%


1.6 Recursos Financeiros (1)
Mapa da Despesa em 2007

Remunerações certas e permanentes


111 010103 AO 00 2.398.090,34 € Pessoal dos quadros - Vencimentos Docente
111 010103 AO 09 187,61 € Ano anterior - Pessoal dos quadros - Vencimentos Docente
111 010103 BO 00 242.186,26 € Pessoal dos quadros - Vencimentos Não docentes
111 010104 BO 00 39.067,87 € Pessoal com contrato individual de trabalho Não docentes
111 010105 AO 00 73.343,59 € Pessoal além dos quadros - Remunerações Docente
111 010105 BO 00 6.881,40 € Pessoal além dos quadros - Remunerações Não docentes
111 010106 AO 00 9.626,71 € Pessoal contratado a termo Docente
111 010106 BO 00 26.402,93 € Pessoal contratado a termo Não docentes
111 010110 AO 00 3.206,50 € Gratificações Docentes
111 010112 AO 00 11.031,35 € Suplementos e prémios Docentes
111 010113 AO 00 83.509,77 € Subsídio de refeição Docentes
111 010113 BO 00 39.664,14 € Subsídio de refeição Não docentes
111 010114 AO 00 429.220,74 € Subsídios de férias e natal Docentes
111 010114 BO 00 56.703,49 € Subsídios de férias e natal Não docentes
111 010114 BO 09 914,01 € Ano anterior - Subsídios de férias e natal Não docentes
111 010115 AO 00 60.697,68 € Remunerações por doença e maternidade Docentes
111 010115 BO 00 17.094,30 € Remunerações por doença e maternidade Não docentes
3.497.828,69 € 92,6%
1.6 Recursos Financeiros (2)
Abonos variáveis ou eventuais
111 010202 AO 00 14.913,14 € Horas extraordinárias Docentes
111 010205 BO 00 985,68 € Abono por falhas Não docentes
111 010212 AO 00 1.725,78 € indemnizações por cessação de funções Docentes
111 010212 BO 00 2.725,54 € Indemnizações por cessação de funções Não docentes
111 010214 AO A2 4.485,00 € Outros abonos em numerário -Exames Docentes
111 010214 BO 00 714,72 € Outros abonos em numerário Não docentes
25.549,86 € 0,7%

Segurança Social
111 010303 AO 00 9.489,18 € Subsídio familiar a crianças e jovens Docentes
111 010303 BO 00 5.539,62 € Subsídio familiar a crianças e jovens Não docentes
111 010304 AO 00 971,72 € Outras prestações familiares Docentes
111 010304 BO 00 4.493,58 € Outras prestações familiares Não docentes
111 010305 AO 00 8.053,53 € Contribuições para a segurança social Docentes
111 010305 AO 09 378,60 € Ano anterior - Contribuições para a segurança social Docentes
111 010305 BO 00 15.944,26 € Contribuições para a segurança social Não docentes
111 010309 BO 00 1.098,05 € Seguros Não docentes
45.968,54 € 1,2%
1.6 Recursos Financeiros (3)
Despesa Corrente
111 060203 OO 00 97.750,00 € Orçamento de Estado Corrente
123 060203 OO 00 20.847,57 € Com compensação em receita Corrente
230 060203 OO 00 72.345,84 € FSE-Prodep (C.F. Prof, CEF e C.Prof)
190.943,41 € 5,1%

Despesa de Capital
111 110200 OO 00 1.500,00 € PAM
123 110200 OO 00 16.500,00 € Com compensação em receita Capital
18.000,00 € 0,5%

Total 3.778.290,50 € 100,0%

Acção Social Escolar


Despesa – 149.902, 48 €

Custo médio aluno/ano – 5.540 €


1.6 Recursos Financeiros (4)
Acção Social Escolar Despesa

2005 2006 2007


Refeitório
(Bens não duradouros) 14.993,86 18.007,69 € 29.846,78 €
Bufete
(Bens não duradouros) 56.656,16 69.135,85 € 73.891,02 €
Papelaria
(Bens não duradouros) 8.648,69 8.053,20 € 7.460,31 €
Apoio Sócio Económico
(Bolsas de Mérito) 16.663,25 12.759,50 € 9.636,00 €
(Transportes) 297,00 €
(Material escolar) 10.875,37 6.478,76 € 28.549,71 €
Prevenção e Seguro Escolar
(Clínicos e hospitais) 445,70 408,24 € 221,66 €
(Entrega do prémio pago pelos alunos) 1.294,04 1.643,95 € 1.591,85 €
Total 109.577,07 € 116.487,19 € 149.902,48 €
2005/06 2006/07 2007/08 2008/09
Nº Nº % de Nº Nº % de Nº Nº % de Nº Nº % de
Alunos total alunos Alunos total alunos Alunos total alunos Alunos total alunos
com de com com de com com de com com de com
apoio alunos apoio apoio alunos apoio apoio alunos apoio apoio alunos apoio
149 765 19,5% 186 712 26,1% 191 682 28,0% 260 680 38,2%
1.6 Recursos Financeiros (5)
Percentagem de alunos que beneficiaram de
Apoio Sócio Económico, por escalão, ciclo de
estudos e ano lectivo.

30,0% 2005/06
2006/07
25,0% 2007/08
2008/09
20,0%

15,0%

10,0%

5,0%

0,0%
1- Alunos a) Básico b) Secundário 2- Alunos a) Básico b) Secundário
com Escalão com Escalão
A B
2.

O Projecto Educativo
2.1 P.E. - Prioridades e
objectivos (1)
1. Criação de um espírito democrático e pluralista, gerador de um
ambiente disciplinado, de trabalho, de participação, de
convivência e de bem-estar;

2.Desenvolvimento das capacidades intelectuais, éticas, físicas e


estéticas dos nossos alunos;

3. Garantia da igualdade de oportunidades aos alunos com


necessidades educativas especiais;

4.Reconhecimento dos professores como profissionais


autónomos e responsáveis;

5.Co-responsabilização dos pais e/ou encarregados de educação


no sucesso educativo dos seus educandos;
2.1 P.E. - Prioridades e
objectivos (2)
6.Manutenção e melhoramento da qualidade dos materiais e das
estruturas físicas da escola;

7.Integração da comunidade escolar numa comunidade educativa


cada vez mais ampla;

8.Reconhecimento do corpo de funcionários como profissionais


com funções relevantes na comunidade escolar;

9. Sensibilização para as questões ambientais e estilos de vida


saudáveis;

10. Implementação de práticas de auto-avaliação individual,


departamental e da escola como organização.
2.1 P.E. - Prioridades e
objectivos (3)
Melhoria do rendimento escolar dos alunos (1)
• Aumentar em 5%, num período de três anos, os níveis de
rendimento/sucesso escolar dos alunos, nas várias disciplinas, dos
diferentes anos de escolaridade;

• Aumentar em 9%, num período de três anos, os níveis de


rendimento/sucesso escolar dos alunos, nas várias disciplinas, do
10º ano de escolaridade;

• Manter e/ou superar no 9º ano a média dos resultados do exame


de Língua Portuguesa e atingir e/ou superar a média nacional no
exame de Matemática do 3º ciclo do ensino básico, num prazo de
3 anos;

• Atingir e/ou superar as médias nacionais verificadas nas


disciplinas sujeitas a exame nacional no ensino secundário, num
prazo de 3 anos;
2.1 P.E. - Prioridades e
objectivos (4)
Melhoria do rendimento escolar dos alunos (2)

• Criar condições para que, no espaço de 3 anos, todas as aulas


previstas sejam efectivamente leccionadas;

• Desenvolver modalidades de apoio educativo à distância através


do recurso à plataforma Moodle, incluída no site da escola;

• Aumentar em 10% os índices de utilização das novas tecnologias


disponibilizadas pela Escola;

• Aumentar em 10% o número de requisições domiciliárias dos


diferentes livros existentes na Biblioteca/CRE;
2.1 P.E. - Prioridades e
objectivos (5)
Suster o abandono escolar

• Combater o abandono escolar nos alunos com idades compreendidas


entre os 12 e os 15 anos, alertando, sempre que necessário, as
autoridades competentes e reduzir em 5% a saída antecipada no
ensino secundário num período três anos;

• Informar os alunos das diferentes modalidades de ensino/oferta


educativa da escola de modo a garantir 90% de continuidade no
secundário dos alunos matriculados na escola, no 3º ciclo;

• Elevar em 10%, até 2010, o número de alunos inscritos nos cursos de


educação formação e no ensino secundário profissionalizante e
garantir uma taxa de conclusão de pelo menos 80%;
2.1 P.E. - Prioridades e
objectivos (5)

Igualdade de oportunidades aos alunos com


necessidades educativas especiais (NEE)

• Promover experiências de vida diversificadas, uma maior


socialização e autonomia dos alunos com necessidades
educativas especiais, aumentando em 15% o
rendimento/sucesso escolar destes alunos nos ensinos
básico e secundário até 2010;
2.2 P.E. - Estratégias e planos
de acção (1)
Diversificação e qualificação dos apoios às aprendizagens.
• Apoio pedagógico acrescido
• Sala de estudo
• Aulas de reforço
• Aulas de recuperação
• Aulas de preparação para os Exames Nacionais
• Apoio individualizado a Língua Portuguesa - Alunos do estrangeiro.
• Apoio individualizado para alunos com NEE
• Tutorias
• Estudo acompanhado ( 7º Matemática, 8º Matemática, 9º Português)
• Área projecto (7º Ed. para a Saúde; 8º TIC; 9º Portugal democrático)
• Reforço no currículo (7º Inglês; 8º Matemática)
• PAM - Plano de Acção para a Matemática (9º ano, reforço lectivo)
• Ocupação plena dos tempos escolares
• PNL – Plano Nacional de Leitura
2.2 P.E. - Estratégias e planos
de acção (2)
Projectos aglutinadores.
Projecto Coordenador
1 Parcerias entre escolas. Programa Sócrates Comenius Jorge Humberto
– Tema: Figuras nacionais, cultura e identidade
internacionais.
2 Plano Nacional de Leitura Helena Doutel
3 Saúde Escolar Maria José Teixeira
4 Clube da Segurança/Protecção civil Henrique Fonseca
5 Plano de Acção para a Matemática Jorge Geraldes
6 Desporto Escolar Luís Costa
7 TIC’s na Escola Luís Salomé
8 Pagina da Escola - http://www.esb3- Jorge Geraldes
drjuliomartins.edu.pt/
9 Jornal Escolar – Ponto Final Paragrafo. António Costa
10 Comemorações do bicentenário da retoma de Chaves Glória Simão
pelo Gen. Silveira. Sérgio Machado
PROJECTO DE PROMOÇÃO E EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE

Grupo de trabalho para esta área:


Psicóloga e 3 professoras de áreas diferentes (uma como coordenadora).
Áreas a abordar:
7º ano: Alimentação e Actividade Física e Violência em Meio Escolar
8º ano: Educação Sexual e Violência em Meio Escolar
9º ano: Consumo de Substâncias Psico-activas: tabaco, álcool e drogas;

Gabinete de Apoio ao Aluno (GAA)


• PRINCIPAL RAZÃO DA PROCURA DO GAA: início da contracepção, vacina do
HPV e excesso de peso. Além de aconselhamento, 11 alunos foram
encaminhados para o respectivo médico de família.
Rastreio dos factores de risco cardiovascular – colesterol, glicemia, Índice de
massa corporal e tensão arterial.
• DATA: 11 a 15 de Fevereiro
• RESPONSÁVEL: Associação Cardiologia em Movimento (ACM);
• PÚBLICO-ALVO: alunos, professores e funcionários não docentes;
• Nº DE PARTICIPANTES: 530 alunos, 80 professores e 30 funcionários (quase
toda a população escolar)
3.

A Organização e Gestão da
Escola
3.1 Estruturas de gestão
Instrumentos de Autonomia

• Projecto Educativo (21/02/2008)

• Regulamento Interno (em alteração)

• Planos Anual e Plurianual de


actividades (26/11/ 2008)

• Orçamento
___________________________
Relevo ainda para o Projecto Curricular de Escola
3.1 Estruturas de gestão

Prestação de Contas

• Relatório Anual de Actividades


• Conta de Gerência
• Relatório de Auto-Avaliação
3.1 Estruturas de gestão

Órgãos de Direcção, Administração e Gestão

• Conselho Geral Transitório


• Conselho Executivo
• Conselho Pedagógico
• Conselho Administrativo
3.1 Estruturas de gestão
Respeitando o artigo 20.º do Decreto-Lei 75/2008, de 22 de Abril, foi aprovada a
seguinte composição do Conselho Pedagógico:

1 – Director,
4 – Professores titulares Coordenadores de Departamento,

6 - Estruturas de coordenação e supervisão pedagógica e de orientação educativa


(assegura a representação pluridisciplinar e das diferentes ofertas formativas:

1 – Coordenador da Biblioteca, Plano Nacional de Leitura; Jornal Escolar,


1 – Coordenador Educação para a Saúde,
1 – SPO, Educação Especial.
1 – Coordenador DT Ensino Regular ,
1 – Coordenador Novas Oportunidades,
1 – Coordenador TIC, PAM, DE, Segurança.

1 – Pessoal Não docente


1 – Pais/EE; 2 -Alunos (1 - Ensino secundário regular e 1 – Ensino profissional )
3.1 Estruturas de gestão
Estruturas de coordenação e supervisão pedagógica
e de orientação educativa

4 Departamentos Curriculares.

15 Áreas Disciplinares.

O funcionamento destas duas estruturas intermédias, juntamente


com o papel do órgão executivo, em articulação, com os CT, os DT,
os SPO e apoios educativos, é decisivo na concretização dos
objectivos da escola.

Todas estas estruturas assentam num corpo docente experiente,


devidamente habilitado, exigente e algo resistente às mudanças,
nomeadamente às resultantes do novo estatuto da Carreira Docente
e do Aluno.
3.1 Estruturas de gestão
Gestão Pedagógica

• O papel dos Conselhos de Turma e do DT assume relevo pois


são os executantes da gestão pedagógica desenvolvida na
escola.

• Por eles passa, em grande parte, todo o trabalho de


proximidade com os alunos, com a definição de estratégias,
apoios, normas e critérios de actuação, reorientação de
metodologias, acompanhamento de casos individuais aos mais
diversos níveis, visando sempre o melhor para o aluno, no
fundo a razão de ser de todo o nosso esforço.

• No início de cada ano, as reuniões intercalares, com a


presença dos representantes dos pais e alunos, são
momentos importantes para todo este trabalho.

• Nos Conselhos de Turma de avaliação, é feita uma análise


detalhada da situação real da turma, no sentido de reajustar
estratégias.
3.1 Estruturas de gestão
Gestão Pedagógica

• O CP analisa os dados fornecidos pelos CT, Departamentos e


resultados de avaliação externa, suportados por mapas estatísticos
por disciplina, por turma e por ano de escolaridade.

• Define ainda um conjunto de critérios/orientações a ter em conta


nas reuniões de avaliação, na constituição de turmas, na elaboração
de horários e na distribuição de serviço lectivo.

• Estes documentos são aprovados depois de ouvidos os diversos


intervenientes.
3.1 Estruturas de gestão
Gestão Pedagógica

• A gestão pedagógica da escola está assente em valores de


equidade, justiça e discriminação positiva, assegurando
igualdade de oportunidades.

• Para o efeito organiza um conjunto de apoios educativos que


estão direccionados para a superação das dificuldades dos
alunos, sejam estas de aprendizagem, de integração na
escola, de necessidades educativas especiais ou alunos
provenientes de outros sistemas de ensino.
3.1 Estruturas de gestão
Procedimentos de auto-avaliação institucional
• A Escola tem feito autoavaliação nas reuniões do CP e da
Assembleia de Escola, ouvidos os departamentos e ou áreas
disciplinares, no final de cada período e em particular no final do
ano.

• No início de cada ano analisam-se os resultados dos Exames


Nacionais e a prestação comparativa da escola (rankings), a qual
tem revelado progressos, fruto do empenho de todos.

• Os diversos Coordenadores e os DT elaboram no final de cada


ano lectivo os relatórios onde é feito o balanço das actividades
realizadas.

• A Assembleia também faz um balanço crítico da execução do


Plano Anual de Actividades da Escola.

• Este conjunto de dados é organizado e serve de reflexão, mas


para que esta seja mais profícua recorreu-se à criação de uma
Comissão de Auto-avaliação da Escola em 2006.
4.

Ligação à Comunidade
Articulação e participação da
autarquia e das instituições locais (1)
Formação de Pessoal docente e não docente. Estágios
CFAE do Alto Pedagógicos.
Tâmega e
Barroso

Diversas Formação em contexto de trabalho


empresas e
instituições
Programas ocupacionais
IEFP
Certificação profissional de alunos
Avaliação de alunos - PAT, PAP
ACISAT
Apoio à colocação de alunos em estágios
Comemoração de efemérides
RI19 Execução de actividades de enriquecimento curricular

ESCOLAS Parceria - Aprendizagem ao Longo da Vida


EUROPEIAS
Escolas Europeias
Lodz – Poland
Aprendizagem ao Longo da Vida
Articulação e participação da
autarquia e das instituições locais (2)
ADRAT Análise e gestão da oferta formativa

CPCJ Sinalização e acompanhamento de jovens em risco

PSP / Escola
Segurança da Escola
Segura

Hospital
Projecto de Educação para a Saúde
Centros de
Saúde

Escolas Nadir PLET (Programa de Escolas Livres de Tabaco)


Afonso e
António Granjo Escola Promotora de Saúde
Articulação e participação da
autarquia e das instituições locais (3)
Protocolo utilização Pavilhão Gimnodesportivo e Piscina
Municipal
Apoio material e logístico na execução de actividades de
enriquecimento curricular
Serviço de refeições a alunos da Pré e 1º Cíclo do Ensino
Básico
Coordenação da oferta profissionalmente qualificante
CMC
Apoio técnico em concursos e execução de obras

Gestão dos transportes escolares

Conselho Municipal de Educação

Férias Desportivas

Formação inicial de professores


UTAD
Cedência de equipamentos educativos
Articulação e participação da
autarquia e das instituições locais (4)
Escola Cooperação para a promoção da saúde
Superior de
Enfermagem Divulgação de formação pós-secundária

Associação
dos Antigos
Comemoração de efemérides
Alunos da
Escola
Centro de
Formação Cedência de equipamentos educativos
Profissional

Grupo Cultural
Escola associada
Aquae Flaviae
5.

Clima e Ambiente
Educativos
5.1 Disciplina e comportamento
cívico (1)
• Aos alunos exige-se que entendam a Escola como um espaço
de liberdade, também local de exigência, de disciplina, de
estudo, de responsabilidade, dependendo o seu êxito ou
insucesso, em grande parte, de si próprios e da sua
compreensão do que é uma escola;
• A Escola organiza eventos cuja finalidade é o reforço das
relações interpessoais de cordialidade, respeito mútuo,
tolerância e sociabilidade (Passeios Pedestres, Festa de Natal,
Dia da Escola, Festas de aposentação…);
• Escola é considerada segura e tranquila;
• Não existem situações graves de indisciplina ou de violência;
• Têm vindo a aumentar as situações de indisciplina com os
Cursos da oferta “novas oportunidades”;
• Aguarda-se que no decorrer deste ano lectivo a
implementação do cartão electrónico e a videovigilância,
venha a reforçar as condições de segurança.
GRUPOS EQUIPAS
Alunos
Professores Modalidade Instalação
Masc Fem
Luís Costa Futsal Juv 25 Campo exterior Nº 1
Regina Martins Futsal Inic 19 Campo exterior Nº 2
Paulo Rodrigues Natação 18 Piscina Municipal
Sérgio Machado Gin. Acrobática 4 24 Ginásio Escola
César Magalhães Multiactividades 14 16 Parede Escalada
Carlos Ramalho Karting 8 7 Kartódromo de Chaves
6 TOTAIS 69 66 141
1º PERÍODO
Alunos Duração
Actividades Professores
Masc Fem Dias Equipas Jogos
Torneio de Andebol 7 71 44 8 12 18
Torneio de Futsal 7 130 25 20 18 32
Curso de Árbitros 2 21 8 1
Marcha Saudável 25 104 211 1
TOTAIS 41 326 288 30 30 50
2º PERÍODO
Alunos Duração
Actividades Professores
Masc Fem Dias Equipas Jogos
T. de Basquetebol 7 46 26 1 13 12
Torneio de Futsal ( Continuação)
Megasprinter 3 62 53 1
Compal Air 3 x 3 4 36 14 7 17 16
Corta Mato Escolar 7 66 55 1
Dia da Dança 5 20 80 1
IV Hora a Nadar 11 50 24 1 6
TOTAIS 37 280 252 12 36 28
3º PERÍODO
Alunos Duração
Actividades Professores
Masc Fem Dias Equipas Jogos
Torneio Ténis Mesa 7 71 44 8 12 18
Torneio de Futsal ( Continuação)
Torneio de Voleibol 3 25 10 1 5 8
III Descida Tâmega 12 30 16 1
Dia do Karting 3 72 29 1
Escalada- Rio Tâmega 1 64 40 5
Semana Canoagem 12 705 296 6
TOTAIS 25 967 435 22 17 26
Reforço das relações
interpessoais
5.1 Disciplina e comportamento
cívico (2)
Estratégias de actuação em curso

• Regras de comportamento claras e em texto de Regulamento


Interno
• Apreciação de ocorrências no âmbito do CT e do CDT;
• Contactos frequentes com os encarregados de educação;
• Reforço da vertente formativa da intervenção disciplinar;
• Gabinete de Serviço de Psicologia e Orientação;
• Firmeza e coerência na aplicação das medidas disciplinares;
• Relação estreita com a PSP – Escola Segura;
• Reforço da presença de Pessoal Auxiliar em espaços comuns
a alunos;
5.1 Disciplina e comportamento
cívico (3)
• Processos disciplinares a alunos

2005/06 2006/07 2007/08


Ensino Secundário 1 0 1
10º 1 0 1
Ensino Básico 10 0 19
7º 0 0 10
8º 1 0 3
9º 9 0 0
CEF 0 0 6
Apoio aos alunos

Serviços de Psicologia e Orientação

Actividade de Orientação (213 alunos) Avaliação Psicológica (65 alunos)

60% 50%
48% 42%
50% 40% 35%
40% 30% 30% 23%
30%
20%
20% 12% 10%
10% 10%
0% 0%
7ºano

9ºano

10ºano

11ºano

12ºano

7ºano 8ºano 9ºano


Apoio aos alunos

Serviços de Psicologia e Orientação

Atendimento Encarregados de Educação


Consulta Psicológica (40 alunos) (47 EE)
38% 28%
40% 30% 26%
35%
25% 21%
30% 25%
25% 20%
20% 15% 12%
13%
15% 10% 10%
10% 6%
10% 4% 4%
5% 2% 2% 5%
0% 0%
CEF
7ºano

8ºano

9ºano

10ºano

11ºano

12ºano

CEF
7ºano

8ºano

9ºano

10ºano

11ºano

12ºano
Apoio aos alunos
Alunos com apoio de docente do Ensino Especial

N.º de Alunos Ensino Básico 2


Ensino Secundário 4
Problemáticas:

Instabilidade Paraparesia Portador de uma Esquizencefali Perturbação Nistagmo e


afectiva; espastica doença crónica a tipo II. Específica de retinite
progressiva grave, ao nível Aprendizagem pigmentar
dos rins, (Leitura e aguda
Escrita). progressiva,
associados à
Baixa Auto- Faz hemodiálise Paralisia síndrome de
estima; 3 vezes por Cerebral. Bardet Bield.
semana.
Problemas de: Problema
Aguarda
Comunicação; Motor.
transplante
Concentração; Epilepsia
renal.
Lateralidade;
Uso de
simbologia
6.

Resultados
6.1 Resultados académicos (1)
Variação da Taxa de Retenção e Desistência nos
últimos 3 anos, no Ensino Básico Regular
25,0%

19,6%
20,0% 18,4% 17,6%
19,1% Taxa de retenção e
15,0% 17,7% desistência Escola

14,7%
10,0%

5,0% Taxa de retenção e


desistência Valores
Nacionais
0,0%

2005/06 2006/07 2007/08

3º Ciclo EB
6.1 Resultados académicos (2)
Variação da Taxa de Retenção e Desistência, por ano
lectivo nos últimos 3 anos, no Ensino Básico Regular

35,0%

30,0%
Taxa de retenção
25,0% e desistência
Escola
20,0%

Taxa de retenção
15,0%
e desistência
Valores Nacionais
10,0%

5,0%

0,0%
2005/06

2006/07

2007/08

2005/06

2006/07

2007/08

2005/06

2006/07

2007/08
7º Ano 8º Ano 9º Ano
6.1 Resultados académicos (3)
Variação da Taxa de Retenção e Desistência nos
últimos 3 anos, no Ensino Secundário Regular

40,0%

35,0% 34,1%
30,0%
29,4% 23,7%
Taxa de retenção e
desistência Escola
25,0%

20,0% 23,0% 22,4%

15,0%
15,6%
10,0% Taxa de retenção e
desistência Valores
5,0% Nacionais
0,0%

2005/06 2006/07 2007/08


Ens. Secundário
6.1 Resultados académicos (4)
Variação da Taxa de Retenção e Desistência, por ano
lectivo nos últimos 3 anos, no Ensino Secundário
Regular

60,0%

Taxa de retenção
50,0% e desistência
Escola
40,0%

Taxa de retenção
30,0% e desistência
Valores Nacionais
20,0%

10,0%

0,0%
2005/06

2006/07

2007/08

2005/06

2006/07

2007/08

2005/06

2006/07

2007/08
10º Ano 11º Ano 12º Ano
9º ANO
6.1 Resultados académicos (5)

EVOLUÇÃO DOS RESULTADOS


MATEMÁTICA
9º Ano
3,5 3,1 3,2
3,0 2,9 2,9 3,0
2,9
3,0 2,7 2,7
2,4 CIF
2,5 2,1 2,2
EXAME
NÍVEL

2,0
CFD
1,5
MÉDIA NACIONAL
1,0
0,5
0,0
2005/2006 2006/2007 2007/2008
6.1 Resultados académicos (6)
EVOLUÇÃO DO RESULTADOS
LÍNGUA PORTUGUESA
9 Ano

4,0
3,4 3,3 3,4 3,2 3,3
3,5 3,1 3,1 3,0 3,1 3,1
2,9
3,0 2,7
CIF
2,5
NÍVEL

EXAME
2,0
1,5 CFD
1,0 MÉDIA NACIONAL
0,5
0,0
2005/2006 2006/2007 2007/2008
12º ANO
6.1 Resultados académicos (7)
EVOLUÇÃO DOS RESULTADOS
MATEMÁTICA A - 12º Ano

16
14
12 Ex.
Nacional
10
8 Ex. Escola
6
4
2
0
2005/2006 2006/2007 2007/2008
6.1 Resultados académicos (8)
EVOLUÇÃO DOS RESULTADOS
PORTUGUÊS - 12º Ano

16
14
12
Ex.
10
Nacional
8
6
Ex. Escola
4
2
0
2005/2006 2006/2007 2007/2008
11º ANO
6.1 Resultados académicos (9)
EVOLUÇÃO DOS RESULTADOS
Física e Quimica A - 11º Ano

12
10
8 Ex.
Nacional
6
4 Ex. Escola

2
0
2005/2006 2006/2007 2007/2008
6.1 Resultados académicos (10)
EVOLUÇÃO DOS RESULTADOS
Geografia - 11º Ano

15
Ex.
Nacional
10
Ex. Escola
5

0
2005/2006 2006/2007 2007/2008
6.1 Resultados académicos (11)
EVOLUÇÃO DOS RESULTADOS
Biologia e Geologia - 11º Ano

14
12 Ex.
10 Nacional
8
6 Ex. Escola
4
2
0
2005/2006 2006/2007 2007/2008
6.1 Resultados académicos (12)
EVOLUÇÃO DOS RESULTADOS
Economia A - 11º Ano

16
14
12 Ex.
Nacional
10
8 Ex. Escola
6
4
2
0
2005/2006 2006/2007 2007/2008