Você está na página 1de 5

Amarra Diagonal

Amarra Diagonal Amarra Quadrada Amarra de Tripé Ancoragens Nós e Amarras Amarra Diagonal serve para aproximar

Amarra Quadrada

Amarra Diagonal Amarra Quadrada Amarra de Tripé Ancoragens Nós e Amarras Amarra Diagonal serve para aproximar

Amarra de Tripé

Amarra Diagonal Amarra Quadrada Amarra de Tripé Ancoragens Nós e Amarras Amarra Diagonal serve para aproximar

Ancoragens

Amarra Diagonal Amarra Quadrada Amarra de Tripé Ancoragens Nós e Amarras Amarra Diagonal serve para aproximar

Nós e Amarras

Amarra Diagonal serve para aproximar e unir duas varas que se encontram formando um ângulo agudo. É muito utilizada na construção de cavaletes de ponte, pórticos etc. Para começar usa-se a Volta da Ribeira apertando fortemente as duas peças, dão-se três voltas redondas em torno das varas no sentido dos ângulos, e em seguida, mais três voltas no sentido dos ângulos suplementares, arrematando-se com um anel de duas ou três voltas entre as peças (enforcamento) e uma Volta de Fiel para encerrar. Pode-se também encerrar unindo a ponta final a inicial com um nó direito.

Amarra Quadrada é usada para unir dois troncos ou varas mais ou menos em ângulo reto. O cabo deve medir aproximadamente setenta vezes o diâmetro da peça mais grossa. Começa-se com uma Volta de Fiel bem firme ou uma Volta da Ribeira. A ponta que sobra desse nó, deve ser torcida com o cabo para maior segurança ou utilizada para terminar a amarra unindo-se a ponta final com um nó direito. As toras ou varas são rodeadas por três voltas completas redondas entre as peças (enforcamento) concluindo-se com a Volta do Fiel na vara oposta ao que se deu o nó de início ou com o nó direito na extremidade inicial.

Esta amarra é usada para a construção de Tripés em acampamentos, afim de segurar lampiões ou servir como suporte para qualquer outra finalidade. A amarra de tripé é feita iniciando com uma Volta da Ribeira ou Volta do Fiel, passando alternadamente por cima e por baixo de cada uma das três varas, que devem estar colocadas lado a lado com uma pequena distância entre elas. Não é necessário o enforcamento nesta amarra, pois ao ajustar o tripé girando a vara do meio a amarra já sofre o "enforcamento" sendo suficientemente presa. Entretanto, em alguns casos o enforcamento pode ser feito, passando voltas entre as varas e finalizando com uma volta do fiel ou nó direito preso a extremidade inicial.

As ancoragens simples ou sofisticadas dependem do terreno, das condições do solo, dos elementos ao redor, da tensão que desejamos aplicar e da quantidade de corda que dispomos.

Balso pelo seio

Balso pelo seio Volta do Salteador Lais de Guia Borboleta Nó de Escota Volta do Fiel

Volta do Salteador

Balso pelo seio Volta do Salteador Lais de Guia Borboleta Nó de Escota Volta do Fiel

Lais de Guia

Balso pelo seio Volta do Salteador Lais de Guia Borboleta Nó de Escota Volta do Fiel

Borboleta

Balso pelo seio Volta do Salteador Lais de Guia Borboleta Nó de Escota Volta do Fiel

Nó de Escota

seio Volta do Salteador Lais de Guia Borboleta Nó de Escota Volta do Fiel Este nó

Volta do Fiel

Salteador Lais de Guia Borboleta Nó de Escota Volta do Fiel Este nó forma uma laçada

Este nó forma uma laçada dupla. É uma boa cadeira porque é possível sentar-se confortavelmente nele. Muito útil para subir ou descer uma pessoa ou volume. Geralmente se faz no meio da corda e é considerado um nó de salvamento. Nesse caso, lance a corda para a pessoa já com o nó feito para poder içá-la com segurança.

Utilizado para prender uma corda a um objeto, com uma ponta fixa e outra que quando puxada desata o nó. Serve para descermos de uma arvore, escarpa ou barranco. É um nó extremamente perigoso, deve estar bem feito e ajustado quando utilizado para descermos com ele.

Utilizado para formar uma alça que não corre. É um nó para salvamento. Tem a vantagem de poder ser feito utilizando apenas uma das mãos. Útil quando precisamos usar uma das mãos para se agarrar num barranco, ou como se estivesse caído dentro de um buraco com o braço quebrado. Nesse caso o faremos em volta de nosso tronco para que uma outra pessoa possa nos içar com segurança. Quando for içar alguém, lance a corda com o Lais de Guia já feito.

Utilizado para fazer uma alça no meio do cabo. Não corre e nem perde a forma. Muito resistente e rápido de fazer.

Usa-se para unir dois cabos de bitola diferente ou para fixar um cabo a uma argola.

Chamado simplesmente de fiel este nó é a forma mais rápida de se fixar a corda, podendo ser reajustado ou desfeito com facilidade. Muito utilizado para iniciar uma amarra e segurar a corda atada á um poste. Não corre é resistente e seguro com um bom arremate de segurança na ponta.

Nó em Oito

Nó em Oito Utilizado para arrematar provisoriamente a ponta de um cabo. Quando feito em laçada

Utilizado para arrematar provisoriamente a ponta de um cabo. Quando feito em laçada pode ser utilizado na cintura com um mosquetão em escaladas.

Nó Direito Utilizado para unir dois cabos de mesmo diâmetro e para finalizar algumas amarras. Não deve ser utilizado para montanhismo ou rapel.

amarras. Não deve ser utilizado para montanhismo ou rapel. Prusik Nó de Catau Nó de Pescador

Prusik

Não deve ser utilizado para montanhismo ou rapel. Prusik Nó de Catau Nó de Pescador Este

Nó de Catau

utilizado para montanhismo ou rapel. Prusik Nó de Catau Nó de Pescador Este é um nó

Nó de Pescador

montanhismo ou rapel. Prusik Nó de Catau Nó de Pescador Este é um nó auto-blocante, ou

Este é um nó auto-blocante, ou seja, sob tensão ele trava

e quando frouxo ele corre facilmente. Em resgates,

ascensões por uma corda fixa ou mesmo em cabo de aço, o Prusik é muito utilizado e quase sempre essencial. A corda utilizada para este nó deve ter aproximadamente a metade do diâmetro da corda principal, tendo suas pontas emendadas com um pescador duplo.

Utilizado para reduzir o tamanho de uma corda sem cortá-

la, ou para isolar alguma parte danificada da corda, sem

deixá-la sob tensão. Atua com forte tensão e quando o uso for permanente se reforça com um cote nos extremos.

Utilizado para unir linhas de pesca, cordas corrediças, delgadas, rígidas, cabos metálicos e até cabos de couro.

Volta Redonda

cabos metálicos e até cabos de couro. Volta Redonda Nó do Cirurgião Utilizado para prender uma

Nó do Cirurgião

Utilizado para prender uma corda a um bastão. É um nó muito útil, não se desfaz facilmente, bom para esticar toldos ou barracas.

se desfaz facilmente, bom para esticar toldos ou barracas. Este nó é uma variação do nó

Este nó é uma variação do nó direito, conta com uma volta a mais na laçada oferecendo mais força ao nó.

Volta da Ribeira

Volta da Ribeira Nó de Aselha Nó de Correr Boca de Lobo Nó de Arnez Utilizado

Nó de Aselha

Volta da Ribeira Nó de Aselha Nó de Correr Boca de Lobo Nó de Arnez Utilizado

Nó de Correr

Volta da Ribeira Nó de Aselha Nó de Correr Boca de Lobo Nó de Arnez Utilizado

Boca de Lobo

Volta da Ribeira Nó de Aselha Nó de Correr Boca de Lobo Nó de Arnez Utilizado

Nó de Arnez

Nó de Aselha Nó de Correr Boca de Lobo Nó de Arnez Utilizado para prender uma

Utilizado para prender uma corda a um bastão, tronco, galhos, etc. É necessário manter este nó sob tensão.

É utilizado para fazer uma alça fixa no meio de um cabo.

Difícil de ser desfeito quando tencionado porém muito

rápido de ser feito.

Serve para fazer uma alça corrediça em uma corda. Utilizado para fazer rabéola de pipas. Útil para aplicação de força quanto mais se puxa, mais ele aperta.

Este nó parece um Prusik, porém com apenas uma volta. Serve para fixar um cabo a algo rapidamente.

É utilizado para fazer uma alça fixa no meio de uma corda

sem utilizar as pontas.

Cadeira de bombeiro

Cadeira de bombeiro Nó de Barril É um nó simples e rápido de atar quando se

Nó de Barril

Cadeira de bombeiro Nó de Barril É um nó simples e rápido de atar quando se

É um nó simples e rápido de atar quando se precisa subir ou descer uma pessoa de uma árvore, barranco ou outro ponto. É seguro, porém mais utilizado em caso de emergência ou quando a altura não oferece grandes riscos. Para estes casos, existem cadeiras mais elaboradas e seguras.

Colocado o barril sobre um cabo faça um meio nó sobre o mesmo. Abra o nó deslocando sobre a lateral do barril ate seu terço superior. Arremate as pontas com Lais de Guia.

Interesses relacionados