Você está na página 1de 2

o dialogo existe, sempre que no coloquem em questo as grandes linhas

mestras das atuaes e dos projetos urbanos, equanto que os grandes


interlocutores do municpio so agentes externos cidade
FICHAMENTO - Cidade acolhedoras
Transformar as cidades em smbolos do cosmopolitismo, numa referncia
transnacional, num cone de hospitalidade.
Alm de modificar de maneira drstica as referncias espaciais e simblicas,
geram processos de altera~~ao dos fluxos humanos e mercantis,
estreitando e retirando o controle do espao aos seus antigos moradores.
Definem-se novas centralidades, modificando antigos equilibrios entre reas
de residencia e de servios.
Museu o amanha e MAR com morro da conceio sao o trip. Espao
residencial que se transforma em um museu ao ar livre,
No se trata de negar os programas de realojamento da populao
marginalizada, no entanto, o alcance e ritmo dessas reformas de "carater
social" esta muito aquem da amplitude e da rapidez com a qual se atua para
dotar o bairro de servios e infra-estruturas orientadas, nao a populao
residente, mas a uma massa anonima e heterogenea de pessoas que
Martinotti etiquetou como usuarios urbanos
mediadores municiapais estao muito interessados em mostrar o apoio do
governo municipal ao tecido associativo local para poder legitimizar as suas
politicas sociais e urbanisticas
As cidades acolhedoras orientam-se economicamente na direo dos fluxos
de capital, de atividades e de circulao de pessoas no ambito global, o que
refora o seus traos transnacionais e, portanto, a sua dependencia em
relao a essas realidade deslocalizadas e glocais.
A cidade acolhedora, no entanto constitui uma realidade socialmente
insitentvel, porque aprofunda mais a segregao espacial derivada da
crescente segmentao social.
por trs do cosmopolitismo da cidade acolhedora esconde-se o
multiculturalismo da cidade real quotidiana, muito mais complexa de que as
representaes de concordia projetadas pelo aparelho de propaganda
municipal e pelo conjunto de mediadores do meio empresarial, divulgadas
sob imagens de opulencia, modernidade, tecnologia e excelencia do design,
que constituem os elementos do chamado Modelo Barcelona.
As grande obras da Barcelona foram orientadas em direo ao exterior
descuidando o lado interior: a cidade real. Uma cidade real suplantada pela

Barcelona imaginada, transnacional, mundial.