Você está na página 1de 10
REGULAMENTO GERAL PARA AS RESIDENCIAS DE ESTUDANTES DOS SERVICOS DE ACCAO SOCIAL DO INSTITUTO POLITECNICO DE LISBOA OBJECTIVOS Artigo 1° 1. As Residéncias dos Servigos de Ac¢&o Social do Instituto Politécnico de Lisboa, adiante designadas por RESAS, destinam-se a alojar estudantes matriculados no Ensino Superior, sendo as condigées de admissdo as constantes nos artigos 2° e 3° do presente regulamento. 2. As RESAS do Instituto Politécnico de Lisboa deverao proporcionar aos estudantes alojados condicdes de estudo e bem-estar e constituem um dos meios, através dos quals, os Servicos de Acco Social desenvolvem acces tendentes a facilitar a integracao do estudante no ensino superior. 3. Em periodo de férias, as residéncias podem ter uma frequéncia diferente, desde que sejam sempre salvaguardados os aspectos econdmicos II - CANDIDATURAS / ADMISSAO Artigo 2° 1, Os estudantes que pretendem alojamento nas RESAS deverdo apresentar a sua candidatura nos termos e prazos estabelecidos pelos Servicos de acco Social do Instituto Politécnico de Lisboa. 2. Os Servigos de Accao Social do Instituto Politécnico de Lisboa, reservarao, na medida do possivel, 0 numero de camas indispensavel ao cumprimento de acordos, nomeadamente os que se realizem ao abrigo do Programa Erasmus. F-PR20-01 Regulamento Geral Residencia Pagina 1 de 10 3. Os estudantes residentes, bolseiros e n&o bolseiros, que no ano seguinte desejem permanecer nas RESAS, deverSo apresentar a sua recandidatura. 4. Aos estudantes bolseiros é garantido o alojamento durante o tempo normal de duragao do curso, acrescido de um por retencao. 5. Aos estudantes nao bolseiros o alojamento é garantido sé até ao final do ano lective em que foram admitidos e a sua permanéncia sé se verificaré no caso do aluno transitar de ano e o nimero de vagas o permitir. 6, Nao sao consideradas as candidaturas dos estudantes que tiverem débitos injustificados para com os Servigos de Acco Social, Artigo 3° 1, Sao condigées prioritdrias para a atribuicdo de alojamento: a) Ter 0 agregado familiar de origem, residéncia em zona que nao permita ao estudante a frequéncia normal das aulas; b) Ser bolseiro dos Servicos de Acco Social do Instituto Politécnico de Lisboa e, de entre eles, os de condigées econémicas ou familiares mais desfavoraveis; ¢) Ter sido residente até ao final do ano lectivo anterior ou ter sido candidato sem vaga, desde que mantenham a qualidade de bolseiro. 2. Por despacho da Administradora dos Servigos de Accao Social do Instituto Politécnico de Lisboa, poderao ser consideradas outras situagées desde que devidamente comprovadas. F-PR20-01 Regulamento Geral Residéncia Pégina 2 de 20 3. A admissdo dos residentes sera formalizada através de assinatura de um contrato de alojamento. Artigo 4° 1. Constituem, além de outros, motivos para perda do direito a residéncia a) Fornecimento de dados falsos no processo de alojamento; b) Nao cumprimento das cléusulas do contrato referido no n°3 do art. 30; c)A nao permanéncia nas RESAS durante 8 dias consecutivos ou 15 alternados, salvo justificado por escrito aos Servicos de Acco Social ou nos periodos de férias. Artigo 5° 1. A atribuiggo inicial de quarto manter-se-4 até ao final do curso. Eventuais mudangas podergo ser feitas durante o ano lectivo, desde que sejam acompanhadas por declaragao de aceitagao dos alunos interessados e sem prejuizo do n° 2 deste artigo. 2. Aatribuiggo dos quartos individuals far-se-4 de acordo com o seguinte: a) Ter sido residente no ano lectivo anterior; b) Ter mais anos de permanéncia na Residéncia; c) Estar no ultimo ano do curso; d) Ter 0 menor ntimero de reprovacées. [RF-PR2O-01 Regulaments Geral Reskléncia Pégina 3 de 20 a Artigo 6° 1. A tabela de precos a praticar é definida anualmente por despacho superior. 2. As mensalidades so pagas até ao dia 8 de cada més, ou a partir da data em que o lugar seja posto a disposi¢3o do residente. 3. As mensalidades e outras importancias devidas pelos residentes podem ser descontadas nas respectivas bolsas. 4. Os alojamentos em perfodo de férias seréo sempre pagos antecipadamente, excepto se houver uma garantia aceite pelos Servicos de Accao Social do Instituto Politécnico de Lisboa. 5. Quando a saida de residéncia ocorrer a pedido do estudante deverd informar os Servigos de Acg&o Social com antecedéncia minima de 15 dias, pagando neste caso apenas o tempo que permanecer na residéncia. 6. Caso a saida se verifique e houver expulsdo pagard até ao dia que permanecer na residéncia. III-ORGANIZACGAO Artigo 7° 1. O funcionamento da RESAS é assegurado pelos Servigos de Acc&o Social do Instituto Politécnico de Lisboa. RF-PR20-01 Regulamento Geral Resiséncia Pagina 4 de 10 2. Os Servigos de Acco Social do Instituto Politécnico de Lisboa afectarao © pessoal necessdrio ao funcionamento da cada RESAS © poderd designar para cada um responsdvel pela sua gestéo directa. 3. Os estudantes residentes sao representados, junto dos Servicos de Acco Social do Instituto Politécnico de Lisboa, por um coordenador geral de cada residéncia, eleito pela Comissdo de Residentes. 4. A Comissao de residentes € um drgdo composto pelos residentes eleitos, cabendo a cada piso eleger dois delegados. 5, A eleicdio dos delegados para a Comissao de Residentes seré efectuada durante o més de Novembro. 6. Se o prazo referido no nuimero anterior nao for cumprido, os Servicos de Acgao Social do Instituto Politécnico de Lisboa poderdo nomear uma comissdo “AD HOC’, fixando, simultaneamente, novo prazo para as referidas eleicées. Artigo 8° 1, Ao responsdvel mencionado no n°2 do art.° anterior caberé receber e executar as directrizes emanadas pelos Servigos de Accéo Social do Instituto Politécnico de Lisboa. 2. A Comissao de Residentes tem as seguintes competéncias: a) Representar os residentes junto dos Servigos de Acco Social do Instituto Politécnico de Lisboa, nos termos do n°3 do artigo anterior; RF-PR20-01 Regulamento Geral Residéncia Pagina 5 de 10 b) Colaborar na elaboragao do Regulamento Interno Geral, propondo regras de funcionamento; c) Contribuir para a resolucao de conflitos entre os residentes; 4) Participar na. andlise dos problemas de interesse geral que possam afectar ou alterar as condigées normais de alojamento; ) Pronunciar-se em questdes de natureza disciplinar sempre que tal seja necessrio ou desde que seja solicitado pelos Servigos de Acco Social do Instituto Politécnico de Lisboa; f) Desenvolver iniciativas, que em conformidade com as orientagdes dos Servigos de Acco Social do Instituto Politécnico de Lisboa, constituam uma participag&o activa no sentido de manter as residéncias em condiges mais adequadas & sua utilizacdo. Artigo 9° 1. Os residentes tém direito a utilizar as partes comuns dos andares, nomeadamente, salas de convivio, cozinha e casa de banho, devendo fazé-lo com 0 maximo de civismo. Artigo 10° 1. A data de ingresso, cada residente assinaré um termo de responsabilidade, referente ao mobilidrio e roupa que Ihe sao distribuidos. 2. No fim de cada ano lectivo, todos os residentes deverdo devolver & Responsavel pela Residéncia a chave do seu quarto e o material que ihe foi entregue. RF-PR20-01 Regulamento Geral Residéncla Pagina 6 de 20 3. Os Residentes devem zelar pela conservacao e limpeza do seu alojamento, bem como do equipamento nele existente, sendo responsdveis por qualquer dano, desvio ou estrago. 4, Nao sendo possivel apurar a responsabilidade pessoal e a Comisséo de Residentes nao encontrar solucéo adequada, a responsabilidade é de todos os residentes. 5. Os Residentes no podem utilizar aparelhos eléctricos nos quartos e a utilizago indevida da rede eléctrica implica 0 pagamento de eventuais reparagées, bem como aplicagéo de sangio; 6. Sempre que por necessidade imperiosa os residentes tenham de utilizar aparelhos eléctricos/electrénicos, devero informar a responsavel pela residéncia. Artigo 11° 1. Os Residentes nao podem impedir 0 acesso do pessoal dos Servigos de Acco Social do Instituto Politécnico de Lisboa aos quartos, para tarefas de limpeza, que serdo realizadas em horério previamente estabelecido pelos Servigos de Accéo Social. 2. O acesso aos quartos para fins diferentes poderé ser feito, a todo o tempo pelo representante dos Servicos de Acco Social ou por alguém mandatado pelo Administrador por necessidade de servigo ou sempre que tal se justifique. Artigo 12° 1. Sob pena de procedimento disciplinar e aplicagdo de san¢So, os Residentes nao podem praticar os seguintes actos: RF-PR20-1 Regulamento Geral Residéncia Pégina 7 de 10 BQ “RR a) Furto; b) Barulho dentro do periodo de descanso (24h-8h); c) Consumo ou trafico de estupefacientes; d) Todos os demais actos impréprios da vida em comunidade, e) Prdtica de jogos de azar; f) Transgredir as regras definidas para o acesso de nao residentes, estipulados nos regulamentos internos a elaborar pela Comissdo de Residentes. Artigo 13° 1, O incumprimento das normas estabelecidas implica procedimento disciplinar passivel das seguintes sancées: a) Adverténcia oral; b) Adverténcia escrita; c) Suspensao até um ano do direito de alojamento em qualquer RESAS; d) Perda dos direitos de residéncia. 2. A transgresséo reiterada da alinea b) do n°1, do artigo anterior, é motivo de expulsao. 3. A aplicacao das sancées previstas no n° 1 carece sempre de parecer prévio da Comissao de Residentes. RF-PR20-01 Regulamento Geral Residencia Pagina 8 oe 20 4. 0 no cumprimento das sangdes por parte dos residentes implica a suspensao de frequéncia das aulas, de publicaco de notas e de passagem de certidées ou cartas de curso por parte do estabelecimento que frequentam. Artigo 14° 1. O perfodo normal de funcionamento das residéncias é de Outubro a Julho. 2. O alojamento nos meses de Agosto e Setembro sé ser garantido desde que seja requerido, nos Servicos de Acco Social do Instituto Politécnico de Lisboa, durante 0 més de Julho, sem prejuizo do disposto no art. 1, n° ES Artigo 15° 1. Os bens dos Residentes deixados & guarda dos Servicos de Acg&o Social do Instituto Politécnico de Lisboa deverao ser levantados no prazo maximo de um més. 2. Findo aquele prazo, os Servicos de Acco Social do Instituto Politécnico de Lisboa apés um Ultimo aviso por carta registada, daréio 0 destino que entenderem aos referidos bens. Artigo 16° 1. A confecgéo de alimentos, lavagem e tratamento de roupas sé serao permitidos nos locais definidos para tal fim, cabendo a respectiva limpeza aos estudantes utilizadores. RF-PR20-01 Regulamente Geral Residéncla Pégina 9 de 10 4a Artigo 17° 1. Os bares que funcionem nas Residéncias seréo preferencialmente geridos pelos Servigos de Accao Social do Instituto Politécnico de Lisboa. Artigo 18° 1. Os casos ndo previstos neste Regulamento ou as duvidas na sua interpretacdo serdo resolvidos pelos Servicos de Acco Social do Instituto Politécnico de Lisboa, ouvidos os representantes e a Comissao de Residentes. Artigo 19° 1, Cada residéncia deveré ter um regulamento interno a propor pela Comisséo de Residentes aos Servigos de Accéo Social do Instituto Politécnico de Lisboa. RF-PR20-01 Regulamenta Geral Resldéncla Pagina 10 ae 10